Dilma quer incluir sem-teto no Minha Casa, Minha Vida – Para tentar neutralizar protestos e os consequentes danos à imagem do governo…

Por que o capitalismo é tão injusto? – A distância entre pobres e ricos no mundo só aumenta – por que isso é um mal e o que se pode fazer. Cresce o número de empresários que defendem a reforma do capitalismo para combater a desigualdade…

A Copa que divide o Brasil – Por que amamos tanto a seleção – e ainda assim tanta gente torce contra…

‘Ghost writers’ da Câmara escrevem discursos até para a presidência da Casa – Os 513 deputados contam com uma equipe de 12 servidores do alto escalão da Casa que ficam à disposição para produzir discursos. São os “ghost writers” dos deputados, que trabalham para todas as colorações partidárias…

 

O Estado de S. Paulo

Ricardo Teixeira tem R$ 100 milhões em conta secreta

TRT julga legalidade da greve dos metroviários neste domingo

Decreto de Dilma abre debate sobre risco de poder paralelo

PMDB exigirá pastas para apoiar reeleição

O Globo

Briga por alianças no Rio deixa disputa incerta para o Senado

Enquanto a disputa pelo governo estadual se acirra, a corrida para a única vaga ao Senado ainda está indefinida no Rio. Até agora, três pré-candidatos já se apresentaram: o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e os deputados federais Romário (PSB) e Jandira Feghali (PCdoB). No entanto, a confirmação desses nomes ainda depende das negociações para as alianças dos candidatos que vão concorrer ao Palácio Guanabara.

Apesar de ter desistido para dar lugar ao PSD na campanha de reeleição do atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), Cabral voltou atrás. Com a decisão, o ex-governador vai para a sua eleição mais arriscada — a primeira em que não inicia como favorito. Na avaliação do PMDB, a popularidade de Romário pode pôr em risco os planos de Cabral, que tem o desafio de reabilitar sua imagem desgastada após as manifestações do ano passado.

Por outro lado, peemedebistas apostam que a falta de experiência em uma eleição majoritária e de estrutura do PSB pode fragilizar Romário. Cabral, por sua vez, foi convencido pelos caciques do PMDB do Rio de que, na falta de um nome mais competitivo, sua candidatura ao Senado pode ajudar Pezão a defender seu governo.

Em reação ao ‘Aezão’, Lindbergh diz que PMDB faz jogo duplo

Um dia após um número expressivo de peemedebistas se reunirem em torno do “Aezão”, movimento que apoia a aliança entre o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) e o pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB-MG) no Rio, o senador e pré-candidato petista ao Palácio Guanabara, Lindbergh Farias, decidiu acabar com a trégua que vinha mantendo com o governo estadual e o PMDB. Em um almoço ontem numa churrascaria em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Lindbergh fez críticas aos governos de Sérgio Cabral e Pezão. O petista chegou a afirmar que não acha possível 60 prefeitos peemedebistas terem assumido a aliança com o candidato tucano sem o apoio do Palácio Guanabara. Oficialmente, Cabral e Pezão reprovam o “Aezão” e pregam o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff.

— Só se reúnem 60 prefeitos peemedebistas como aconteceu no almoço do “Aezão” com a autorização do Cabral e do Pezão. Eles estão fazendo mais do que jogo duplo. O Lula e a Dilma ajudaram muito essas pessoas. Na hora em que o cenário piora um pouco, eles fogem do barco? — questiona.

Correio Braziliense

Manchete: Dívida compromete renda de servidor por cinco anos

Enquanto o governo estimula o consumo para incentivar a economia, levantamento do BC mostra que as famílias estão com o orçamento no limite. Nunca os brasileiros deveram tanto aos bancos. (Págs. 1 , 8 a 10)

Restituição do IR

Receita libera na segunda-feira o acesso ao primeiro lote. Valor deve ser recorde, em torno de R$ 3 bilhões, e vai beneficiar mais de 1,5 milhão de contribuintes. (Págs. 1 e 11)

Aberta a temporada de convenções

Partidos começam, esta semana, a definir os candidatos regionais e a bater o martelo sobre a sucessão presidencial. Os encontros começam pelo PMDB, que deve confirmar o apoio a Dilma, segundo o vice-presidente da República, Michel Temer. (Págs. 1, 2, e 3)

Um museu dedicado aos negros

O projeto de 15 anos deverá finalmente, sair do papel. O GDF doou ao Ministério da Cultura um terreno às margens do Paranoá, onde será construído o espaço batizado de Mandela. Ele vai resgatar a memória do povo afro-brasileiro. (Págs. 1 e 24)

Fifa faz recall de ingressos da Copa

Cerca de 1300 lugares devem ser modificados no país. Em pelo menos um jogo em Brasília, Suíça x Equador, haverá mudanças. Os motivos são variados: desde a reposição de câmeras de tevê até o atraso em obras nas arenas. Torcedores são notificados pela Fifa por e-mail e, se a troca não for efetuada, não entrarão no estádio.

————————————————————————————

Veja

Manchete: A a Z

O Brasil moderno que nasceu entre as duas copas

Exclusivo

Da investigação do cérebro do campeão, a verdade sobre o boxe e a saúde.

————————————————————————————

Época

Manchete: A Copa que divide o Brasil

Por que amamos tanto a seleção – e ainda assim tanta gente torce contra.

Entrevista

“Dilma não deve temer a vaia”, afirma o ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Itaquerão

O Mundial começará num estádio ainda em obras

Pelé

O rei descreve a emoção de vencer a primeira Copa, em 1958

Neymar+10

Como nos tornamos dependentes do craque

————————————————————————————

ISTOÉ

Manchete: Invasão gringa

Quem são, onde estarão e o que farão os estrangeiros que começam a desembarcar no Brasil.

Política: Como o PT perdeu poder nos bilionários fundos de pensão

————————————————————————————

ISTOÉ Dinheiro

Manchete: Luiz Felipe Scolari, O Ceo do hexa

Conheça o estilo Felipão de liderança à frente da Seleção Brasileira e saiba quais são suas principais virtudes (e defeitos) na visão de empresários e executivos vencedores como Abílio Diniz, João Castro Neves e Paulo Kakinoff, entre outros.

Especial franquias: Os segredos dos empreendedores bilionários

————————————————————————————

Carta Capital

Manchete: A misteriosa ascensão da Friboi

De modesto frigorífico a (quase) maior empresa privada nacional

Fifa: A lição mafiosa que orienta todas as Copas

Renda: A extrema pobreza no Brasil torna-se residual

Sabesp: A falta de limites entre o público e o privado na estatal

————————————————————————————

EXAME

Manchete: Por que o capitalismo é tão injusto?

A distância entre pobres e ricos no mundo só aumenta – por que isso é um mal e o que se pode fazer.

Cresce o número de empresários que defendem a reforma do capitalismo para combater a desigualdade.

Exclusivo: Quais são as empresas – e quem são os líderes – com a melhor reputação do Brasil 

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Morre o capitão

Comandante do Inter na Libertadores e no Mundial, referência dentro e fora do campo, Fernandão, 36 anos, foi vítima de um acidente de helicóptero em Goiás. (Págs. 1, 2 a 9)

Uma chance para duas vidas

A história de uma mãe que venceu o crak para poder cuidar dos filhos. (Págs. 1, 40 e 41)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Dilma pretende incluir sem-teto no Minha Casa

Objetivo é atender reivindicação do MST para estancar protestos na Copa

A presidente Dilma Rousseff ordenou que a sua equipe encontre uma maneira de incluir os sem-teto no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. O objetivo é tentar neutralizar os protestos e os conseqüentes danos à imagem do governo.
A ideia é encaixar o grupo em um dos braços da ação governamental chamado de “entidades”, modalidade na qual o Executivo libera recursos e a organização executa as obras. 0 foco será o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).
Para o Planalto, o grupo é o movimento com maior poder de mobilização durante a Copa. Após a oferta de diálogo, o MTST suspendeu ato que faria em São Paulo. Ministérios negociarão com os líderes uma solução que atenda às reivindicações.
Com isso, Dilma adiou o lançamento da terceira rodada do programa. Na nova fase, serão prometidos de 3 milhões a 4 milhões de casas —a maior meta entre todas as rodadas. (Págs. 1 e A4)

Pressionado, Haddad atende a interesses de sem-teto em São Paulo.

Após ser pressionada durante todo o ano passado pelo movimento sem-teto, a gestão Fernando Haddad (PT) tem feito ações para atender às demandas dos grupos.

Na última quarta (4), o prefeito de São Paulo sancionou uma lei que garante subsídio de R$ 20 mil por unidade habitacional viabilizada pelo programa federal Minha Casa, Minha Vida.

A medida também beneficia o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), que tem mostrado potencial de mobilização para pressionar por suas demandas. No mesmo dia da sanção da lei, o grupo reuniu 12 mil pessoas em frente ao estádio Itaquerão, na zona leste.

A liderança do movimento afirma negociar com a gestão Haddad a regularização de várias ocupações. (Págs. 1 e A4)

Lula cobra resposta rápida do PT contra novas denúncias

O ex-presidente Lula pediu à cúpula do PT que priorize o resgate da imagem do partido após recentes suspeitas de corrupção, como a do deputado Luiz Moura (PT-SP), que participou de reunião com membros do PCC.

Segundo petistas, pesquisas qualitativas mostram que o partido aparece associado à corrupção, principalmente em SP. Lula quer evitar reflexo das denúncias na campanha eleitoral. (Págs. 1 e A3)

Atitude antivacina leva a aumento da coqueluche no país. (Págs. 1 e C1)

Preocupado com o reflexo que recentes suspeitas de corrupção e outras irregularidades envolvendo petistas podem ter na campanha eleitoral deste ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva orientou a cúpula do partido a responder com rapidez sempre que surgirem casos como o do deputado estadual Luiz Moura (PT-SP), flagrado numa reunião com membros da organização criminosa PCC.

A ordem é dar “respostas imediatas”, segundo um interlocutor de Lula, seguindo padrão adotado no caso do deputado André Vargas (PT-PR), que foi forçado a se desfiliar do partido após a revelação de sua ligação com o doleiro Alberto Youssef, acusado de comandar um esquema de lavagem de dinheiro.

“Ou a gente endurece no tema corrupção, ou podemos ir para casa”, disse um aliado da presidente Dilma Rousseff, que concorre à reeleição.

Petrobras fez contrato de R$ 649 mi sem licitação

A Petrobras fechou, sem licitação, um contrato de R$ 649 milhões para uma obra na refinaria Abreu e Lima, que está sendo construída em Pernambuco e é a maior em execução pela empresa.

A dispensa de concorrência, ocorrida em 2009, foi considerada irregular pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que investiga suspeitas de superfaturamento no empreendimento da estatal.

Documentos internos da Petrobras, aos quais a Folha teve acesso, mostram que o contrato foi fechado após o cancelamento de uma licitação aberta para a instalação de dutos para o transporte de líquidos dentro da refinaria.

As licitações em Abreu e Lima foram conduzidas pelas diretorias de abastecimento e de serviços na época em que foram comandadas, respectivamente, por Paulo Roberto Costa e Renato Duque, que hoje estão fora da empresa.

‘Ghost writers’ da Câmara escrevem discursos até para a presidência da Casa

A cena é rotina no plenário da Câmara: um deputado sobe à tribuna e, com um discurso, dispara recados para sua base eleitoral, comenta sobre economia, ataca ou elogia o governo e, ocasionalmente, se defende de acusações. Tudo previamente calculado e escrito.

Poucos sabem, porém, que as críticas de um deputado e os elogios de outro ao mesmo assunto podem ter sido escritos por uma única pessoa.

Os 513 deputados contam com uma equipe de 12 servidores do alto escalão da Casa que ficam à disposição para produzir discursos. São os “ghost writers” dos deputados, que trabalham para todas as colorações partidárias.

A partir de demandas dos gabinetes dos congressistas, a consultoria da área de redação parlamentar elabora o discurso sobre o tema solicitado, desde que não seja um assunto muito específico –nesse caso, a tarefa é desempenhada por outras áreas da consultoria.

São feitos contatos com os gabinetes, para saber quem citar –e, principalmente, quem não citar– e tirar dúvidas sobre a posição do deputado sobre o assunto.

Marina diz que aliança com Alckmin é ‘equívoco’

Em nota divulgada neste sábado (7), Marina Silva, candidata à vice-presidência na chapa de Eduardo Campos, do PSB, criticou a decisão do partido de apoiar a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo.

“Para nós, isso é um equívoco. Consideramos necessário manter independência e lançar uma candidatura própria, que dê suporte ao projeto de mudança para o Brasil liderado por Eduardo Campos, e que dê ao povo de São Paulo a chance de fazer essa mudança também no âmbito estadual”, disse ela.

Samuel Pessoa / Obra de Piketty se deseja clássica, mas é incompleta

A maior falha analítica de uma narrativa tão abrangente do desenvolvimento do capitalismo do século 19 até hoje é não ter incorporado a questão do comércio internacional de bens e serviços e da mobilidade internacional de capital. (Págs. 1 e 4)

Nem parece que São Paulo é a sede da abertura

A poucos dias do início da Copa, a Folha flagrou problemas de sinalização nos trajetos mais óbvios de visitantes em São Paulo na Copa.

A reportagem cumpriu o roteiro ao lado do costa-riquenho Jean Carlo Jimenez, 25, na manhã da quarta-feira passada (4).

Ansioso pelo começo do Mundial, ele veio ver as partidas do seu país contra o Uruguai, em Fortaleza, e contra a Itália, no Recife.

Chegou pelo aeroporto de Guarulhos porque quer conhecer São Paulo e o Rio antes de a bola rolar.

No aeroporto, só há avisos indicativos para o ônibus mais caro, que segue direto para a avenida Paulista.

A outra linha, da mesma empresa (Airport Bus Service), leva à estação de metrô do Tatuapé. Enquanto o primeiro custa R$ 36,50 e parte de hora em hora, o mais barato sai por R$ 4,45 e sai a cada dez minutos –também com ar-condicionado e com tempo de viagem parecido.

Aeroporto pode ficar sem sinal de celular a partir deste domingo

Os celulares de todas as operadoras podem ficar sem sinal no aeroporto de Brasília a partir deste domingo (8).

Segundo representantes das teles, a concessionária Inframérica decidiu aumentar o aluguel da sala que abriga os equipamentos que fazem funcionar o sinal de celular e, como o contrato venceu em meio ao impasse, decidiu desligá-los.

Já a Inframérica diz que há instalações irregulares. Em nota, afirma que os aparelhos serão desativados enquanto a situação não for regularizada.

Editoriais

Leia “desejos letivos” a respeito de metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação e desafios para que tais objetivos sejam alcançados até 2024. (Págs. 1 e A2)

CONGRESSOEMFOCO

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.