O Estado de S.Paulo

Manchete: Pelo menos 110 juízes estão sob ameaça no Brasil, aponta CNJ
Risco é maior na primeira instância; potencial agressor é conhecido em 65% dos casos, pelo menos 6 em cada mil magistrados são ameaçados no Brasil. E não são apenas os juízes criminais que são alvo de ameaças, ofensas e tentativas de intimidação: contrariando o senso comum, as áreas de atuação que trazem mais riscos são as varas de família, do trabalho e os casos de violência doméstica.

Milícias ‘convencem’ eleitor a votar em Maduro
Eleição sob suspeita. Em votação a ser definida pela ida de oposição às urnas, presidente leva vantagem por controlar Justiça, órgão eleitoral, Legislativo, distribuição de subsídios, por manter 2,3 milhões de funcionários com gratificações e ainda ter . Milicianos passam de porta em porta em favelas de Caracas para “recomendar” que eleitores votem hoje em Nicolás Maduro. Dois chefes desses grupos, chamados de “colectivos”, admitiram ambições políticas que dependem da vitória governista.

Desemprego entre jovens ‘filhos da crise’ chega a 28%
De acordo com IBGE no primeiro trimestre, 26,1% de jovens de 18 a 24 anos estão sem ocupação, três vezes maior do que o de brasileiros sem emprego na faixa de 25 a 39 anos. São os ‘filhos da crise’, geração que chegou ao mercado de trabalho quando as oportunidades já haviam sumido. Essa taxa vem até aumentando: passou de 25% no final de 2017 para 28,1% no primeiro trimestre deste ano. O número de ocupados como informais também cresceu mais entre esses brasileiros do que nas demais faixa etárias nos anos recentes, de acordo com análise da consultoria LCA a partir dos dados da Pnad.

Fora da faculdade
Aumento do desemprego, falta de crédito e queda na renda levaram mais brasileiros de 19 a 25 anos a abandonar gradução em 2017 geração perdida. “O aumento da evasão faz todo o sentido. Sem acesso a financiamento e, vendo a renda da sua família diminuir.

——————————————————————–

O Globo

Manchete: Número de leitores idosos supera a de jovens
Ainda que prevaleça a ideia de que o Brasil é um país de jovens, que são decisivos nos processos eleitorais, dados do TSE compilados pelo IBGE, mostram que a democracia brasileira tem uma face cada vez mais madura. Os idosos já representam 18,5% do eleitorado, ou 27,3% milhões de votos, enquanto que os jovens, de 16 a 24 anos, somam cinco milhões a menos: são 22,4 milhões ou 15,3% dos aptos a votar em outubro. Essa diferença é capaz de definir uma eleição.

Temer faz propaganda de seu governo com verbas do Ministério da Saúde destinadas a campanhas de utilidade pública.

Miriam Leitão: Temer e um caso para os psicólogos.

Bernado M. Franco: O IBGE desmentiu o presidente Temer

Venezuela inicia a eleição mais questionada de sua História
Governos estrangeiros e setores de oposição não reconhecem votação presidencial que ocorre neste domingo como legítima. Expectativa de abstenção alta pode favorecer permanência de maduro

—————————————————————————-

Folha de S.Paulo

Manchete: Brasil tem a retomada mais lenta após recessão.
Estudo afirma que, desde a década de 1980, nunca a economia demorou tanto tempo para reagir como agora. Envolto em uma confluência de fatores que emperram o consumo e o investimento, o Brasil vive o ciclo mais lento de retomada econômica de sua história. Passados quatro trimestres do fim da recessão, a economia está só 2,2% acima do verificado na quarto trimestre de 2016. Em outros casos de recuperação, o governo atuou para superar a crise aumentando os gastos, estimulando a economia com subsídios e cortes de impostos – estratégia adotada, por exemplo, em 2009. Agora, no entanto, o colapso orçamentário impede a adoção dessa estratégia. Os investimentos de União, estados e municípios se encontram em um dos menores patamares da história. O setor empresarial não conseguiu se reerguer até o momento e, em sua maioria, ainda apresenta uma grande capacidade ociosa.

Venezuelanos vão ás urnas com oposição na liderança
Com Henri Falcón á frente nas pesquisas para a presidência da Venezuela, o ditador Nicolás Maduro afirmou que aceitará o resultado da eleição deste domingo, seja ele qual for. Divididos entre votar ou não, oposicionista duvidam que o chavismo, há 19 anos no poder, vá aceitar uma derrota nas urnas.

MDB mira eleição com defesa de legado de Temer
Nova carta compromisso da sigla cita risco de retrocesso se reformas não forem adiante.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.