Quem pagará mais em 2014; Os setores de tecnologia e de engenharia, aponta pesquisa, são os que vão remunerar melhor seus profissionais…

Brasil tem pior serviço público entre 30 países; Cidadãos dizem ser um inferno precisar do Estado com carga tributária das mais altas do mundo…

Condenado por protesto de junho pega 5 anos; Os protestos de junho impediram o aumento das passagens de ônibus. O único condenado pelos distúrbios é Rafael Braga Vieira, 25 anos, relatam Pablo Pereira e Marcos de Paula. Sentenciado as anos de prisão, ele se defende: “Não ‘tava’ tocando fogo em nada”…

O desafio econômico; Série de artigos especiais traz a análise do comportamento da economia no Brasil e no mundo e indica o que se pode esperar nos próximos meses…

 

O Estado de S. Paulo

Manchete: Dirceu abriu empresa no Panamá no mesmo endereço de hotel

Sede da Truston, dona do Saint Peter, abrigou filial de consultoria no paraíso fiscal.
O ex-ministro José Dirceu abriu em 2008, no Panamá, empresa abrigada no endereço da Truston International, companhia em nome de um “laranja” e dona do Hotel Saint Peter, que ofereceu a ele emprego com salário de R$ 20 mil. A JD Assessoria e Consultoria registrou filial no escritório da Morgan & Morgan, que coloca à disposição testas de ferro para firmas estrangeiras no paraíso fiscal, informam os repórteres Andreza Matais e Fábio Fabrini. A Truston, dona do hotel, foi aberta no Panamá três meses após essa operação, também declarando o endereço da Morgan & Morgan e tendo um laranja como seu presidente. Em abril de 2009, o ex-ministro decidiu “tornar sem efeito” a abertura da filial no Panamá. A assessoria de Dirceu alegou que a empresa não prosperou porque não teria prospectado negócios no país. (Págs. 1 e política A4)

Rigor na prisão

Dirceu e os demais condenados do mensalão foram obrigados a doar seus livros para a biblioteca da Papuda. (Págs. 1 e A4)

Entrevista: Fernando Haddad: ‘1º ano foi mais difícil que o de Marta’

Prefeito da maior capital do País, Fernando Haddad é visto mais como técnico do que como político, característica que lhe rendeu críticas no próprio partido e de movimentos sociais tradicionalmente ligados ao PT. Em entrevista a Artur Rodrigues e Marcelo Godoy, ele considera que seu primeiro ano foi mais difícil que o de Marta Suplicy. O desgaste começou nos protestos de junho, cresceu com a proposta de aumento do IPTU e atingiu o ápice ao fechar o ano derrotado pela decisão da Justiça de cancelar o reajuste. (Págs. 1 e Metrópole A24 e A25)

O desafio econômico

Série de artigos especiais traz a análise do comportamento da economia no Brasil e no mundo e indica o que se pode esperar nos próximos meses. (Págs. 1 e Economia B1 a B7)

Reportagem especial: A luta de Chico, 25 anos depois

Silvano Moreira Gomes e o neto sobre árvores cortadas pela empresa que faz o manejo na Floresta de Xapuri. Legado de Chico Mendes ainda rende discussão 25 anos após sua morte, relata Leonencio Nossa. (Págs. 1 e política A10 e A11)

Condenado por protesto de junho pega 5 anos

Os protestos de junho impediram o aumento das passagens de ônibus. O único condenado pelos distúrbios é Rafael Braga Vieira, 25 anos, relatam Pablo Pereira e Marcos de Paula. Sentenciado as anos de prisão, ele se defende: “Não ‘tava’ tocando fogo em nada”. (Págs. 1 e metrópole A26)

Argentinos se armam após onda de saques (Págs. 1 e internacional A14 e A15)

Arno, o leal ‘fechador’ das contas do governo

Do Tesouro Nacional tem saído a chamada “contabilidade criativa”, que exibe resultado mais lustroso das contas públicas. Seu mentor seria o economista gaúcho e secretário do Tesouro, Arno Augustin. (Págs. 1 e economia B11)

Dora Kramer: Personagem de 2013

Joaquim Barbosa, que virou celebridade por sua atuação no mensalão, cogita entrar na política. Mas não para disputar a Presidência. (Págs. 1 e política A6)

Ryan Gallagher: O ano de Edward Snowden

Revelações do ex-agente dos EUA impulsionaram, ainda que tardiamente, debate sobre o poder de vigilância dos governos na era da internet. (Págs. 1 e visão global A18)

Notas & Informações: Onde o Brasil ganha da OCDE

Pelo menos no peso da carga tributária o Brasil continua em posição destacada no cenário global. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Brasil tem pior serviço público entre 30 países

Cidadãos dizem ser um inferno precisar do Estado com carga tributária das mais altas do mundo
Reinaldo Freire, 39 anos, teve um terço da perna direita amputada. Quase três horas depois de sair de casa, ele chegou à agência do INSS da Asa Sul. Dias antes, já havia peregrinado pelo posto de Luziânia, onde mora, e do Gama, para onde mandaram que fosse. Em nenhum desses três lugares, souberam resolver o problema dele: uma simples inscrição no programa de reabilitação profissional. O drama de Reinaldo ilustra bem a via-crúcis dos brasileiros quando, de alguma forma, precisam recorrer a serviços públicos. O Estado que trata tão mal seus cidadãos quando é requisitado se revela voraz e eficientíssimo na hora de cobrar impostos. Pesquisa mostra que, apesar de figurar entre os 30 países que mais arrecadam tributos, o Brasil é o que, em troca, oferece os piores serviços à população. (Págs 1 e 9)

Quem pagará mais em 2014

Os setores de tecnologia e de engenharia, aponta pesquisa, são os que vão remunerar melhor seus profissionais. (Pág. 1 e Trabalho)

Gol, de novo: atrasos e multa

A companhia voltou a ser notificada pelo Procon. Durante três horas, no Aeroporto JK, quase 200 passageiros tiveram de esperar, em pé, e sem informação sobre o horário de decolagem dos voos. (Págs 1, 12 e 13)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: 2014, o ano dos concursos

Movimento das seleções, que já anda animado, promete ficar mais aquecido. Somente na RMR, devem ser abertas quatro mil vagas, sem contar com os órgãos federais. Quem perder essa chance, pode ter que esperar até o fim de 2015. (Págs 1 e economia 5)

“O discurso da mágoa já foi derrotado em 2013”

Depoimento é de Eduardo Campos, ao falar sobre as provocações de que traiu Lula. Em balanço do ano a jornalistas do JC,o governador demonstrou que sua candidatura à Presidência é irreversível. (Págs 1, 12 e 13).

Renan faz implante de cabelo no Recife usando avião da FAB (Págs 1 e 10)

————————————————————————————

Veja

Manchete: Dilemas éticos de 2013 o certo e o errado (Pág. 1)

————————————————————————————

Época

Manchete: O efeito Francisco

Uma pesquisa exclusiva revela como o papa conquistou brasileiros de todas as religiões. (Pág. 1)

————————————————————————————

ISTOÉ

Manchete: Papai Noel resiste

Por que os educadores sustentam que, mesmo no mundo contemporâneo e de alta tecnologia, a magia do Natal ainda é fundamental para o desenvolvimento das crianças. (Pág. 1)

Defesa: Os bastidores da decisão brasileira de comprar aviões suecos de combate (Pág. 1)

————————————————————————————

ISTOÉ Dinheiro

Manchete: Os vencedores da guerra dos caças

A Suécia vende 36 jatos supersônicos Gripen NG ao Brasil, por US$ 4,5 bilhões, em um acordo que favorece empresas de tecnologia, de armamentos e de aviação, como a Embraer. Saiba quem mais vai ganhar dinheiro nessa história.
Hakan Buskhe, CEO da Saab, fabricante do caça Gripen NG: O executivo levou a melhor na longa batalha contra Boeing e a Dassault.
E mais: As próximas encomendas militares brasileiras. (Pág. 1)

Automóveis: O que justifica a polêmica do airbag e a briga na OMC? (Pág. 1)

————————————————————————————

Carta Capital

Manchete: Balbúrdia no país da Copa

A seis meses do mundial, o futebol brasileiro exibe os seus piores vícios. (Pág. 1)

Defesa: A escolha do caça sueco frustra franceses e americanos (Pág. 1)

Snowden: Dilma Rousseff não vai retribuir o favor do espião ao mundo? (Pág. 1)

Reino Unido: As dificuldades de uma sociedade de classes (Pág. 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: O que ensina a turma 11F

Ao longo de 2013, Zero Hora acompanhou uma turma de Ensino Médio do Julinho, uma das mais tradicionais escolas públicas do Estado. A imersão revela histórias como a dos quatro estudantes acima e de seus colegas. E mais do que isso.
É um retrato da educação desconectada da realidade dos alunos e da tecnologia, carente de mais recursos – humanos e materiais – e marcada por desinteresse e desestímulo por todos os lados. (Págs. 1 e 35 a 42)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.