Violência marca ato em SP contra alta nas tarifas

Protesto do Movimento Passe Livre contra a alta nas tarifas no transporte resultou em confrontos e vandalismo em São Paulo. No ato, que teve cerca de 2.000 pessoas, bancos e concessionárias de carros foram depredados. A PM usou bombas de efeito moral, e houve ao menos 32 prisões…

Com 6,41%, inflação é a maior em três anos

Alimentos e energia elétrica pressionaram preços, mas índice ficou abaixo do teto da meta de 6,50% estabelecida para 2014.

A inflação oficial do país fechou 2014 em 6,41%, pouco abaixo do teto da meta do governo (6,5%). É o maior índice desde 2011. Alimentos e energia foram os vilões. A equipe econômica disse que a inflação continuará pressionada, mas que fará o que for necessário para controlá-la.

O Globo

Manchete: França mata terroristas e admite falha na segurança

Al-Qaeda na Península Arábica assume atentado a jornal em Paris.

Após caçada de quase três dias, polícia francesa mata os dois irmãos suspeitos do massacre no ‘Charlie Hebdo’ e um cúmplice deles, que assassinara policial e quatro reféns numa mercearia judaica na capital.

A França viu com alívio ontem o fim da caçada aos terroristas que desde quarta-feira mergulharam o país num novo patamar de medo, com o massacre de 12 pessoas num ataque ao jornal satírico “Charlie Hebdo’! Num cerco duplo, a polícia matou os dois irmãos jihadistas Chérif e Said Kouachi, suspeitos do crime, entrincheirados numa gráfica, e um terceiro extremista a eles associado, Amedy Coulibaly, que tomara reféns numa mercearia de comida kosher em Paris.

Quatro pessoas foram mortas pelo terrorista, que na véspera assassinara uma policial, antes da invasão das forças de segurança à loja. A Al-Qaeda na Península Arábica reivindicou o atentado ao jornal. Diante das 17 mortes de civis em ataques terroristas em três dias, o premier Manuel Valls reconheceu falhas na segurança. (Pág. 30 a 34)

Paris vive um dia de medo, caos e paranóia

A capital francesa foi tomada pelo som de sirenes e teve as ruas ocupadas por forças de segurança em nível de alerta máximo. O temor se generalizou com falsas notícias de novos atentados, fazendo lembrar o clima da violência terrorista das anos 80 e 90. (Pág. 32)

Colunistas

ZUENIR VENTURA

Extremismo sai vencedor no atentado em Paris, página 21

MÍRIAM LEITÃO

Líderes moderados do Islã não podem se omitir, página 24

ARNALDO BLOCH

O fundamentalismo ataca em duas frentes, Segundo Caderno

Protesto em SP tem confronto

Um protesto que reuniu 7 mil pessoas contra o aumento da tarifa de ônibus em SP terminou em confronto, depredação e 32 detidos. Na Rio, ato teve 500 participantes. (Pág. 5)

Morte de jovem em assalto em Botafogo causa revolta

O universitário Alex Bastos, de 23 anos, foi morto com 3 tiros durante assalto, na noite de ontem, num ponto de ônibus em frente ao campus da UFRJ na Praia Vermelha. O crime revoltou colegas e professares, que farão manifestação amanhã contra a violência. Alex se formaria em Biologia segunda. (Pág. 10)

STF veta quebra de sigilo de jornal

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, suspendeu decisão que ordenara quebra do sigilo telefônico de um jornal de SP para revelar a fonte de uma reportagem. (Pág. 7)

CGU tentou reduzir punição de empresas

A Controladoria-Geral da União negociou um acordo para limitar as punições de empresas suspeitas a multas. Os procuradoras da Operação Lava-jato recusaram. (Pág. 3)

IPCA de 2014 fica abaixo do teto da meta

O governo fechou 2014 com Inflação de 6,41%, abaixo do teto da meta pelo IPCA. Em dez anos, os preços de aluguel e alimentos dobraram, e serviço doméstico subiu 182%. (Pág.23 e 25)

‘Meu nome é Joaquim’

Em busca de contato com o povo, o ministro da Fazenda usou ontem um canal na internet, mas respondeu a apenas 8 das 400 perguntas. (Pág. 24)

Levy admite que ajuste traz inflação

Em conversa com internautas, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, acabou admitindo que os ajustes fiscais promovidos pelo governo vão provocar inflação este ano. Segundo ele, aumentos de impostos seriam feitos “com cuidado” após o governo “esgotar outras possibilidades”. (Pág. 24)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Desfecho

Após cerco, irmãos que invadiram revista francesa são mortos. Em loja de Paris, um terrorista e quatro reféns morrem. Al Qaeda do lêmen assume ataque à Charlie Hebdo. (Notícias 6 a 9)

Temporal assusta e provoca estragos (Sua Vida 27)

Com 6,41%, inflação é a maior em três anos

Alimentos e energia elétrica pressionaram preços, mas índice ficou abaixo do teto da meta de 6,50% estabelecida para 2014. (Notícias 17)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Editoriais

Leia “Depois do trauma”, acerca de desdobramentos do atentado em Paris, e “Mais de uma vez”, sobre práticas de segurança durante tempestades. (Opinião A2)

Manchete: Atiradores são mortos, e Europa terá ações antiterror

Polícia francesa mata responsáveis por atentado contra jornal; 4 reféns morrem em outro sequestro.

Após 54 horas do ataque à sede do jornal satírico “Charlie Hebdo”, que deixou 12 mortos na França, a polícia cercou e matou os dois responsáveis, os irmãos Said, 34, e Chérif Kouachi, 32, relatam Diogo Bercito, Ana Carolina Dani e Graciliano Rocha, de Paris.

Em ação simultânea, policiais mataram Amedy Coulibaly, 32, que mantinha reféns num supermercado judaico. Segundo a polícia, quatro pessoas foram mortas pelo sequestrador, suspeito de ter assassinado policial no dia anterior e de ter ligação com os irmãos Kouachi.

A Al Qaeda no Iêmen reivindicou a autoria do atentado ao jornal francês.

O governo da França deve elevar os gastos com inteligência e discutir com aliados o endurecimento de leis. “Nós começamos uma guerra contra o terrorismo”, afirmou o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

Amanhã, representantes de países da Europa e dos EUA se reunirão em Paris para debater ações de segurança. Está marcada uma manifestação na cidade.

Internautas que não concordam com a defesa incondicional ao cartunistas mortos criaram a bandeira “Eu Não Sou Charlie”. (Mundo A8)

Sobreviventes do ataque dizem que jornal não deixará de criticar religiões (Mundo A10)

Inflação vai a 6,4% em 2014 e encosta no limite da meta

A inflação oficial do país fechou 2014 em 6,41%, pouco abaixo do teto da meta do governo (6,5%). É o maior índice desde 2011. Alimentos e energia foram os vilões. A equipe econômica disse que a inflação continuará pressionada, mas que fará o que for necessário para controlá-la. (Mercado B1)

Chefe da Sabesp prevê ano de 2015 com ‘sofrimento’

Em seu discurso de posse na presidência da Sabesp, Jerson Kelman previu um 2015 de “algum sofrimento” para a população, em razão da crise da água. “Seria irresponsabilidade olharmos para frente com otimismo”, disse ele, que anunciou mais manobras de redução de pressão de água. (Cotidiano C1)

Corte no orçamento do Itamaraty é passageiro, afirma novo chanceler. (Mundo A14)

Oito governadores herdam R$7,4 bi em dívidas de seus antecessores (Poder A4)

Violência marca ato em SP contra alta nas tarifas

Protesto do Movimento Passe Livre contra a alta nas tarifas no transporte resultou em confrontos e vandalismo em São Paulo. No ato, que teve cerca de 2.000 pessoas, bancos e concessionárias de carros foram depredados. A PM usou bombas de efeito moral, e houve ao menos 32 prisões. (Cotidiano C3)

Demétrio Magnoli: Professores saem das tocas para celebrar o terror

Enquanto, na França, dezenas de milhares saíam às ruas para dizer “Eu sou Charlie”, professores universitários brasileiros saíam de suas tocas para celebrar o terror.

É uma reedição das sentenças asquerosas pronunciadas na esteira do ll de Setembro. São sinais notáveis da contaminação tóxica de nossa vida intelectual. (Poder A7)

 

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.