O Globo

Manchete : Polícia rastreia munição em busca de assassinos
Balas que mataram vereadora eram de lote desviado da PF
Ação de milícia da Zona Oeste é uma das principais linhas de investigação; projéteis desse lote também foram usados na Chacina de Osasco e em crimes em São Gonçalo
A polícia já sabe que as balas usadas na execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes são de um lote da Polícia Federal, que teve parte desviada e usada na maior chacina de São Paulo, em Osasco, e crimes em São Gonçalo. O rastreamento da munição aponta para o envolvimento de uma milícia da Zona Oeste nos assassinatos. Assessora do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) em 2008, Marielle atuou na CPI das Milícias, que levou ao indiciamento de mais de 200 pessoas. Em depoimento à polícia, a sobrevivente do crime contou que, há dez dias, funcionária do gabinete da vereadora foi abordada por um homem em tom ameaçador. (PÁGINAS 8 e 10)

Robôs agem no Twitter depois do crime
Levantamento da FGV aponta que 5% dos tuítes sobre o caso Marielle foram feitos automaticamente, indicando a atuação de grupos organizados. (PÁGINA 9)

Bebê morre em tiroteio no Complexo do Alemão
Fogo cruzado entre bandidos e PMs no Alemão matou um bebê e uma mulher. Em 30 dias de intervenção, houve mais tiroteios que no mesmo período de 2017. (PÁGINA 11)

Lava-Jato anuncia foco em São Paulo
Em balanço da Lava-Jato que completou ontem quatro anos, procuradores indicaram que linhas de investigação em São Paulo serão fortalecidas. O MP paulista decidiu investigar o sobrinho do governador Geraldo Alckmin por suspeita de favorecimento na concessão de cinco aeroportos regionais no estado. (PÁGINA 3)

Venda da Fibria cria gigante global
Controladores da Fibria, líder mundial em celulose de eucalipto, a família Ermírio de Moraes e o BNDES fecharam sua venda para a Suzano, uma das maiores do setor no país. Juntas, as empresas têm valor superior a R$ 60 bilhões e 28% do mercado externo. (PÁGINA 19)

Curso e prova para renovar habilitação
O condutor que for renovar a carteira de habilitação a partir de 6 de junho terá que fazer um curso com dez horas de duração, além de uma prova e dos exames médicos obrigatórios. As mudanças podem pesar no bolso. (PÁGINA 6)

CVM processa 40 por falha contábil
A CVM acusa 40 atuais e ex-dirigentes da Petrobras de ignorarem, por cinco anos, indícios de que a refinaria de Abreu e Lima e o Comperj valiam menos que o registrado no balanço da estatal. Para a autarquia, a empresa deveria ter reconhecido baixas contábeis. (PÁGINA 23)

Colunistas
ZUENIR VENTURA
Vereadora precisou morrer para acordar o país. (PÁGINA 17)

RUTH DE AQUINO
Marielle reunia todas as definições de minoria num só corpo. (PÁGINA 17)

Editorial
‘Sectarizar morte de Marielle é um desserviço’ (PÁGINA 16)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Contas de luz podem subir mais de 20% neste ano, diz Aneel
Reajustes seguirão os já autorizados para Light (10,36%) e Enel Rio (21,04%)
Estimativas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que as contas de luz devem ter aumento acima de 10% neste ano no País. A avaliação é de que as concessionárias, com previsão de reajuste ordinário, feito todos os anos, devem seguir o porcentual autorizado para a Light, que atende o Rio e outros 30 municípios daquele Estado e aumentou a tarifa em 10,36%. É o caso da Eletropaulo (em São Paulo) e da Copel (Paraná). As contas dos consumidores das empresas que, além da previsão anual farão também a revisão tarifária – a cada quatro anos –, ficarão mais salgadas: devem ir na linha do que foi autorizado pela Aneel para a Enel Rio, que teve alta de 21,04% para Niterói e outras 66 cidades. Nessa categoria estão Cemig (Minas Gerais) e RGE Sul (Rio Grande do Sul). Os gastos com subsídios, que vão custar R$ 18 bilhões, 30% mais do que em 2017, estão entre os motivos para as altas. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Tarifa mais salgada na indústria
A indústria deve ter aumento ainda maior de tarifas: entre 20% e 25%, segundo previsão da Associação de Grandes Consumidores de Energia (Abrace). (PÁG. B4)

Fachin nega revisão de habeas corpus de Lula
O ministro Edson Fachin, do STF, negou novos pedidos da defesa do ex-presidente Lula para que reconsiderasse a decisão que negou habeas corpus para que o petista não seja preso após julgamento dos recursos pelo Tribunal Federal da 4.ª Região. Fachin diz que não há motivos para conceder a decisão liminar. O expresidente foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão no caso do triplex do Guarujá. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Delação com prova
A procuradora-geral, Raquel Dodge, disse ontem que é preciso exigir que delatores apresentem provas e cumpram os acordos firmados. (PÁG. A6)

Rodrimar quer renovar contrato no Porto de Santos
Alvo de inquérito que investiga se houve pagamento de propina a pessoas ligadas ao presidente Michel Temer em troca de favorecimento no Decreto dos Portos, a Rodrimar pediu a prorrogação de seu contrato no Porto de Santos. A reivindicação integra lista de 114 pedidos de renovação de contrato de área portuária protocolados no Ministério dos Transportes que aguardam posicionamento do TCU. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Planalto nega benefício
Tanto a Rodrimar quanto a defesa de Michel Temer negam que a empresa tenha sido beneficiada pelo Decreto dos Portos. (PÁG. A4)

Munição que matou Marielle foi desviada da Polícia Federal
As balas que mataram a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, na última quarta-feira, são do mesmo lote da munição usada na chacina de Osasco, em agosto de 2015, que deixou 17 mortos. O exame das cápsulas encontradas no local do atentado no Rio revelou que são projéteis 9 milímetros do lote UZZ18, da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), comprado pela Polícia Federal em 2006. A polícia investiga o desvio da munição. (METRÓPOLE / PÁG. A15)

Criminosos usaram carro de placa clonada
l Imagens de um vídeo, obtido pela TV Globo, mostram que a vereadora Marielle Franco foi seguida, minutos antes de ser morta a tiros no Rio na noite de quarta-feira. De acordo com as investigações, os criminosos usaram um carro, de placas clonadas, que estava parado atrás do veículo da vereadora, na Lapa, onde ela participou de evento. (PÁG. A16)

Suzano compra Fibria e cria gigante de R$ 84 bi
A Suzano comprou a rival Fibria, líder na produção global de celulose, criando uma gigante com produção de 11 milhões de toneladas, avaliada em R$ 84 bilhões. A operação prevê o desembolso de R$ 29 bilhões à vista pela Suzano. (ECONOMIA / PÁG. B10)

Sem financiamento, grupo chinês ficou fora (DIRETO DA FONTE / PÁG. C2)

João Domingos
Não dá para querer comparar o assassinato de Marielle Franco com a pena imposta a Lula. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas&Informações
O assassínio da vereadora
É preciso celeridade para encontrar e punir os responsáveis por esse crime que chocou o País. Até lá, contudo, é preciso que haja, em igual medida, serenidade. (PÁG. A3)

O eleitor
Ainda que haja pessimismo e ressentimento, nota-se também um claro anseio pelo resgate da boa política. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Munição liga morte de Marielle no Rio a chacina em Osasco
Cápsulas são do mesmo lote utilizado nos assassinatos na Grande SP em 2015; ministro diz que elas foram roubadas
A munição usada no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Pedro Gomes, no Rio de Janeiro, foi comprada pela Polícia Federal em dezembro de 2006. Ela pertence ao mesmo lote usado pelos autores da maior chacina paulista, que deixou 17 mortos em agosto de 2015 em Osasco e Barueri. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que a munição foi roubada da PF e desviada. Investigadores avaliam que isso reforça a hipótese de envolvimento de agentes de segurança, já que o lote havia sido utilizado em crimes cometidos por policiais. Dois carros envolvidos nas mortes foram identificados. Imagens de câmera de segurança mostram que dois homens esperaram a saída da vereadora por mais de duas horas, em veículo estacionado atrás do utilizado por ela. Rara no país, a federalização da apuração voltou a ser debatida. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse esperar que ela não seja necessária. (Cotidiano b1)

Índex – MARIELLE FRANCO

Hélio Schwartsman
Crime é problema de segurança, mas não ameaça a democracia (Opinião a2)

Alvaro Costa E Silva
Recado foi claro: não mexam com a gente. Ninguém está a salvo (Opinião a2)

André Singer
Morte de vereadora representa o fracasso da minha geração (Opinião a2)

Negócio entre Suzano e Fibria cria a 5ª maior empresa do país
A fusão entre as empresas de papel e celulose Suzano e Fibria criará uma gigante brasileira com valor de R$ 83 bilhões. A companhia será a quinta maior do país, atrás apenas de Petrobras, Ambev, Vale e Telefônica (sem considerar bancos). A operação consolida o país como líder no mercado de celulose de fibra curta. A projeção de investimentos das empresas é de R$ 6,4 bilhões em 2018. (Mercado a21)

Revisão de prisão ameaça Lava Jato, afirma procurador
“A maior ameaça para a Lava Jato é a discussão da prisão em segunda instância”, disse o coordenador da força-tarefa no Paraná Deltan Dallagnol, em entrevista nos quatro anos da operação. Segundo ele, a mudança impactaria as delações. (Poder a8)

Pré-candidato, Maia começa giro pelo país e visita parentes na PB (Poder a4)

Motoristas farão curso e prova para renovar habilitação
A partir de junho, o motorista que renovar sua Carteira Nacional de Habilitação terá de fazer curso e exame teórico. As aulas, com duração de dez horas, poderão ser feitas presencialmente ou à distância e serão gratuitas. A prova, no entanto, terá de ser presencial. Ela terá 30 questões. (Cotidiano b6)

Editoriais
Leia “Fora dos limites”, sobre decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e “Benesse para milionários”, a respeito da tributação de aplicações. (Opinião a2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.