Justiça tenta barrar a indústria de ações trabalhistas – Plano de contingência contra surto de dengue – Desafinou: Governo investiga festa que recebeu verba de incentivo – Empresas europeias se preparam para o pior – Cresce interesse de jovens pela carreira diplomática – Plano prevê nova bolsa para derivativos de commodities – Isolado, Negromonte, só aguarda a demissão – Dividido, Supremo deve manter hoje poder do CNJ…

O Globo

Manchete: Em Cuba, Dilma cita apenas EUA sobre direitos humanos

Presidente critica Guantánamo e diz que todos têm telhado de vidro

Antes de almoçar em Havana com o presidente Raul Castro e de visitar o ex-líder cubano Fidel Castro, 12 dias após a morte de um preso político em greve de fome, a presidente Dilma Rousseff preferiu criticar os EUA ao abordar a questão dos direitos humanos. Dilma citou a situação dos presos sem julgamento na base americana de Guantánamo, e disse que todos os países têm telhado de vidro em relação ao tema, incluindo o Brasil. “Ninguém pode atirar a primeira pedra. Concordo em falar de direitos humanos sob uma perspectiva multilateral.” Segundo Dilma, o assunto não pode servir de arma de combate ideológico. Decepcionados, dissidentes disseram que Dilma perdeu a oportunidade de condenar os abusos e criticaram a comparação com Guantánamo. “É hipocrisia”, disse o economista Oscar Chepe. (Págs. 1 e 29)

Foto legenda: Dilma tapa a boca ao conversar com Raul: presidente brasileira preferiu criticar Guantánamo ao abordar a questão de direitos humanos.

Funcionário de prédio ouvia estalos

Relato foi feito, segundo irmã, dias antes do desabamento na Cinelândia

Os sinais de que havia algo errado com o Edifício Liberdade, que desabou matando 17 pessoas, não passaram despercebidos pelo analista de sistemas Daniel Amaral, de 26 anos. A amigos, ele disse, dias antes da tragédia, que vinha escutando estalos nas paredes. O relato foi feito, durante seu enterro, por sua irmã. Um vídeo inédito, no site do GLOBO, mostra que os pedestres tiveram tempo de olhar os primeiros escombros caindo. (Págs. 1, 13 e 14)

Óleo vaza em área do pré-sal da Petrobras

Um acidente em um poço da Petrobras na Bacia de Santos, a 300 quilômetros da costa de São Paulo, causou o primeiro vazamento de petróleo no pré-sal. A estatal informou que o vazamento, de 25 mil litros, foi contido. A empresa e a ANP dizem que não há risco de o óleo chegar às praias. As ações da companhia caíram 0,81%, num dia em que a Bolsa subiu 0,48%. (Págs. 1 e 21)

Ancelmo Gois: Poço de Eike pode ter ‘meio Tupi’

O poço OGX-63, que Eike Batista descobriu na Bacia de Santos, pode ter de 3 bilhões a 4 bilhões de barris de petróleo, ou meio Tupi. (Págs. 1, 16 e 17)

Ex-dirigente da Casa da Moeda acusa PTB

Demitido da presidência da Casa da Moeda no último sábado, sob suspeita de receber propina, Luiz Felipe Denucci alega ser alvo de intrigas do próprio PTB, que o indicou para o cargo, por não “criar facilidades”. Ele enviou carta ao Ministério da Fazenda, que se manteve em silêncio. (Págs. 1 e 3)

Tarifas de embarque vão subir 4,4%

Os passageiros que embarcarem para o exterior partindo de aeroportos problemáticos como o Galeão pagarão 4,4% a mais. A taxa, uma das mais caras do mundo, passará a R$ 38,19. As tarifas domésticas também subirão. (Págs. 1 e 21)

Enquanto isso, nas barcas…

A passagem subirá para R$ 4,10 – um aumento de 60,7%. O subsídio do estado que limita ao usuário um reajuste de 10,7% (para R$ 3,10) só vale para quem tem RioCard ou Bilhete Único. (Págs. 1 e 15)

Município do Rio já tem 6 casos de dengue do tipo 4 (Págs. 1 e 17)

Governo Federal quer Lei Seca mais rígida (Págs. 1 e 12)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma poupa Cuba e diz que todos têm ‘telhado de vidro’

Como Lula, presidente evita mencionar a situação dos direitos humanos na ilha e critica os EUA por Guantánamo

Em sua visita a Cuba, a presidente Dilma Rousseff repetiu o comportamento de Lula, seu antecessor: esquivou-se de criticar a ditadura dos irmãos Castro e atacou os críticos do regime comunista principalmente os EUA, ao dizer que “todos têm telhado de vidro”, informa Lisandra Paraguassu, enviada especial. Dilma afirmou que “não é possível fazer da política de direitos humanos só uma arma de combate político-ideológico”. A agenda de Dilma, centrada em projetos de cooperação, incluiu a visita a Fidel Castro, a quem a presidente disse que iria ver “com muito orgulho”. Já os dissidentes que pediram audiência não encontraram espaço, nem com outras pessoas da sua comitiva. Na entrevista coletiva, Dilma se disse “estarrecida” com uma pergunta sobre sua suposta “guinada à esquerda”, já que acabava de vir do Fórum Social, e disse que seu governo não tem preconceito “de nenhuma ordem”. (Págs. 1 e Nacional A4 e A5)

Foto-legenda: Com honras

Dilma e sua comitiva na Praça da Revolução; a presidente anunciou crédito para que Cuba compre alimentos. (Págs. 1 e Nacional A5)

O que a presidente falou:

“Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro. Nós, no Brasil, temos os nossos”

“(Se falarmos de direitos humanos em Cuba), vamos ter de falar de direitos humanos no Brasil, nos EUA, a respeito de uma base aqui que se chama Guantánamo” (Pág. 1)

Análise: Dora Kramer

Relações fraternais

A frase de Dilma sobre a impossibilidade de se “atirar a primeira pedra”, em relação a direitos humanos, sugere que há ditaduras amigas e ditaduras inimigas. (Págs. 1 e Nacional A6)

Além da arte

Questões burocráticas e legais ameaçam a 30ª edição da Bienal (Págs. 1 e Caderno 2)

Dividido, Supremo deve manter hoje poder do CNJ

Por maioria apertada, o Supremo Tribunal Federal deve garantir ao Conselho Nacional de Justiça o poder de abrir investigações contra magistrados suspeitos de irregularidades. A decisão do STF no julgamento de hoje protege o CNJ da ofensiva aberta por setores da magistratura que queriam a redução dos poderes do conselho. Conforme o prognóstico de ministros do Supremo, 6 ou 7 votos definirão que o CNJ pode abrir processos contra magistrados mesmo que esses juízes ainda não tenham respondido pelas irregularidades na corregedoria do tribunal local. (Págs. 1 e Nacional A8)

Petrobras comunica vazamento de óleo no pré-sal

O primeiro vazamento expressivo de petróleo em área do pré-sal foi detectado ontem na Bacia de Santos, a cerca de 250Km de Ilhabela, no litoral paulista. A Petrobras avaliou, em “estimativa preliminar”, que foi derramado no mar o equivalente a 160 barris (25,5 mil litros de óleo). Segundo a empresa, o vazamento foi contido e o petróleo não chegará à costa. O “rompimento na coluna de produção” de um navio-plataforma teria causado o acidente. (Págs. 1 e Vida A13)

Pauta brasileira da Rio + 20 é criticada

A cinco meses do evento para debater desenvolvimento sustentável, políticos e ambientalistas europeus estão preocupados com suposta “falta de foco” de propostas do Brasil. (Págs. 1 e Vida A13)

No Rio, UPP valoriza imóveis

Estudo feito pelos economistas Claudio Frischtak e Benjamin Mandel mostra que a ocupação de favelas por Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), respondeu sozinha por 15% da valorização recente do mercado imobiliário do Rio e por quase metade da redução das disparidades entre os preços dos imóveis nos bairros beneficiados pela expulsão de quadrilhas. No geral, o valor dos imóveis em bairros como os da zona sul chegou a subir 150% nos últimos três anos. (Págs. 1 e Economia B8)

País cumpre meta fiscal de 2011

Com folga de apenas R$ 810 milhões, as contas do setor público fecharam 2011 com um superávit primário de R$ 128,7 bilhões, o equivalente a 3,1% do Produto Interno Bruto. (Págs. 1 e Economia B1)

Celso Ming

Keynes, agora ilegal

O acordo da União Europeia pode ser entendido como a condenação de John Maynard Keynes, maior economista do século passado. (Págs. 1 e Economia B2)

Rolf Kuntz

A política da irrelevância

Dilma tende a tornar-se figura irrelevante no palco internacional, muito abaixo do papel esperado de quem governa a sexta maior economia. (Págs. 1 e Economia B4)

Notas & Informações

Corrupção e incompetência

O tempo está sendo implacável com a imagem que Dilma Rousseff tenta construir para si. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Isolado, Negromonte, só aguarda a demissão

Com dois assessores demitidos e sem respaldo partidário, ministro das Cidades falta a reunião do PAC no Planalto. Em Havana, Dilma evita comentar a provável substituição e afirma que só tratará de temas nacionais a partir de amanhã. (Págs. 1 e 2)

Ninguém joga pedra em Cuba

Havana – Recebida pelo colega Raul Castro, a presidente Dilma Rouseff rebateu as acusações de violação de direitos humanos no ilha. “Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro”, disse, em referência ao governo dos EUA. Além de assinar acordos cooperação que viabilizam megaempreendimetos como o Porto de Mariel, Dilma ainda teve encontro reservado com Fidel Castro e recebeu estudantes brasileiros. (Págs. 1, 12 e 13)

Juros travam a indústria

O alto custo do produtor fez o setor crescer apenas 0,3% em 2011. A importação também prejudicou o desempenho. Ontem, o governo anunciou as 18 montadoras que ficarão livres do alta do IPI para concorrer com os carros importados. (Págs. 1 e 8)

Óleo vaza em Santos

Segundo a Petrobras, responsável pela perfuração, cerca de 160 barris de petróleo foram parar no mar durante a exploração do poço Carioca Nordeste, no bacia paulista. É o terceiro acidente na região do pré-sal em três meses. (Págs. 1 e 6)

Deputado que defendeu a lei seca é pego em blitz (Págs. 1 e 19)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Plano prevê nova bolsa para derivativos de commodities

A preocupação com o desempenho das exportações de commodities neste ano e com a volatilidade de preços fez o governo acelerar estudos para a criação de uma bolsa de negociação de contratos futuros dessas mercadorias. Os planos, já avaliados em outras oportunidades, vêm sendo mantidos em sigilo a pedido da presidente Dilma Rousseff. Segundo apurou o Valor, o governo entende que a constituição de uma “Bolsa de Derivativos de Commodities” é fundamental num momento em que a tendência de queda dos preços dos produtos básicos põe em alerta os produtores, depois de anos de cotações em alta.

Há dois planos em análise. O primeiro prevê que os contratos de preços futuros de commodities sejam negociados apenas na BM&FBovespa, que já opera contratos de algumas mercadorias. O segundo envolve a criação de uma bolsa de propósito específico, seguindo o modelo dos EUA, onde a Bolsa de Nova York funciona como a BM&FBovespa e os derivativos de commodities são negociados principalmente na Bolsa de Chicago. (Págs. 1 e C1)

Foto-legenda: Fora do vermelho

Emilio Botin, CEO do Santander, maior banco da zona do euro por valor de mercado, anunciou queda de 97% no lucro do quarto trimestre de 2011, após reconhecer parte dos prejuízos com o setor imobiliário na Espanha. O banco já passou por três anos de crise na região sem entrar no vermelho. (Págs. 1 e C8)

TCU dá sinal verde a leilão de aeroportos

O Tribunal de Contas da União (TCU) deve dar hoje sinal verde para o leilão dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília. A aprovação do órgão era o último obstáculo para a disputa, marcada para segunda-feira. Ontem, a Agência Nacional de Aviação Civil considerou improcedentes cinco pedidos de impugnação de itens do edital. A análise do TCU não obriga o governo a fazer mudanças no edital que exijam a reabertura dos prazos legais. Na questão mais polêmica – a participação acionária de 49% que a Infraero terá nas futuras concessionárias -, o tribunal abrandou sua cobrança. Agora sugere apenas que o governo avalie a “real necessidade” dessa participação em futuras concessões. (Págs. 1 e A14)

CSN compra siderúrgica na Alemanha

A Cia. Siderúrgica Nacional (CSN) fechou ontem a compra de uma siderúrgica de aços longos do grupo espanhol Alfonso Gallardo, na Alemanha. O valor da operação, que inclui a distribuidora Gallardo Sections, foi de € 482,5 milhões (US$ 634,1 milhões).

O negócio marca a entrada da CSN, fabricante de aços planos, no mercado dos aços longos, usados na construção civil e em aplicações industriais. “Ficamos com a joia da coroa”, disse Juarez Saliba, diretor-executivo de novos negócios, fusões e aquisições da CSN. A siderúrgica Stahlwerk Thüringen (SWT) – que trabalha hoje com 80% da capacidade – é voltada para atendimento dos mercados da Alemanha e dos países do Leste Europeu. (Págs. 1 e B1)

Bradesco e Itaú têm sites sob ataque

O site do Bradesco apresentou dificuldades de acesso ontem, principalmente na parte da manhã, um dia depois de problemas semelhantes terem afetado a página do Itaú. Os dois bancos não admitiram que tenham sofrido ataques de hackers. Um grupo denominado “Anonymous Brasil”, que clama ser o braço nacional do grupo estrangeiro homônimo de ativistas virtuais, informou ter feito os ataques aos dois bancos e prometeu fazer o mesmo hoje com o Banco do Brasil e depois com a Caixa e o Santander.

O Bradesco informou que um volume atípico de tentativas de acesso foi verificado. A partir daí, restringiu o acesso desses endereços ao internet banking e, com isso, pode ter incluído clientes entre os endereços bloqueados. O Itaú confirmou ter enfrentado “indisponibilidade” em sua página na segunda-feira. (Págs. 1 e C7)

Paraguai planeja dutos de US$ 3 bilhões

O Paraguai pretende construir uma rede de dutos ligando sua capital ao porto de Paranaguá, no Paraná. O projeto prevê investimentos de US$ 2,5 bilhões a US$ 3 bilhões e deve ser tocado pela construtora brasileira Camargo Correa. A intenção é levar combustíveis e etanol do Brasil até Assunção e transportar ao porto paranaense óleos vegetais produzidos no país vizinho. O governo paraguaio também quer transformar Assunção em um polo distribuidor do combustível brasileiro para os mercados do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

O ministro-chefe do Gabinete Civil do Paraguai, Miguel Angel López Perito, disse ao Valor que o “poliduto” – como está sendo chamado o projeto – viabilizará os planos do governo de criar um polo produtor de cana-de-açúcar e etanol no leste do país, perto da fronteira com o Brasil. Segundo o ministro, todos os investimentos para a obra serão privados, o que, segundo ele, dispensa a necessidade de licitação. A Camargo Correa não quis se pronunciar sobre o assunto. (Págs. 1 e A11)

Cresce interesse de jovens pela carreira diplomática

O salário inicial de quase R$ 13 mil e o fato de o Brasil estar mais presente no cenário internacional aumentaram o fascínio dos jovens pela carreira diplomática. Antes mais acessível aos filhos de diplomatas por conta da vivência internacional, atualmente a profissão atrai candidatos de formações e origens diversas.

Neste ano, o Instituto Rio Branco, que forma esses profissionais, está oferecendo 30 vagas. Em 2011, foram 7.180 candidatos disputando 26 vagas. Marcella Winter, 23 anos, vai tentar pela segunda vez passar no exame e dedica 15 horas por dia para aulas, simulados e leituras. (Págs. 1 e D10)

Empresas europeias se preparam para o pior (Págs. 1 e B11)

Bancos da Europa devem pedir € 1 tri em linhas emergenciais em leilão do BCE (Págs. 1 e C2)

Gol reforça carga em Guarulhos

A Gollog, braço de transporte de cargas da Gol, anuncia hoje investimento de R$ 11 milhões em um novo terminal no aeroporto de Guarulhos, que deverá incrementar em 18% a movimentação da empresa em Cumbica. (Págs. 1 e B4)

Esforço exportador

Fabricantes de implementos rodoviários apostam nas exportações para manter o ritmo de produção e driblar a desaceleração das vendas domésticas, afetadas pela quebra de safra no Sul, restrições ao crédito e contração na venda de caminhões. (Págs. 1 e B10)

Mortes em curtume do Marfrig

Quatro funcionários de um curtume da Marfrig em Bataguassu (MS) morreram ontem em decorrência de um vazamento de produtos químicos. Cerca de 20 pessoas sofreram intoxicação. A unidade de abate não foi afetada. (Págs. 1 e B13)

Louis Dreyfus muda o comando

A Louis Dreyfus Commodities promoveu mudanças em sua direção no Brasil. O CEO Kenneth Geld será substituído por André Roth. No braço sucroalcooleiro LDC-SEV, Bruno Melcher foi substituído pelo diretor operacional Cristophe Akli. (Págs. 1 e B14)

Surpresa positiva na bolsa

Embalado pelo ingresso de capital estrangeiro – R$ 6,4 bilhões até o dia 26 -, o Ibovespa encerrou o mês passado em alta de 11,13%, melhor janeiro desde 2006. Mas analistas alertam que não é possível afirmar que a alta seja sustentável. (Págs. 1 e D1)

Ideias

Roberto Luis Troster

Oferta de crédito no país apresenta níveis de instabilidade e ineficiência incompatíveis com a sofisticação do sistema bancário. (Págs. 1 e Al2)

Ideias

Martin Wolf

Assim como a indisciplina fiscal não foi a causa dominante da crise na zona do euro, a disciplina fiscal não será a cura. (Págs. 1 e A13)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Infrações aumentam mesmo com a Lei Seca

Número de inquéritos abertos por dirigir alcoolizado em BH no ano passado, 1.283, cresceu 25,4% em relação aos 1.023 de 2009, ano seguinte ao de entrada em vigor da legislação. Pior: as ocorrências de mistura de álcool e volante envolvendo vítimas subiram ainda mais, 28%. No segundo semestre de 2011, quando a fiscalização foi reforçada, houve 81 prisões em flagrante por embriaguez, 710% a mais que no mesmo período de 2010. (Págs. 1 e 19)

Congestionamentos, buracos, ruas fechadas, queda de árvores…

Feliz Ano Velho

O primeiro mês de 2012 chega ao fim, mas os problemas de 2011 continuam. Um dos locais mais conturbados é o Buritis, onde, além de ruas fechadas devido ao desabamento de um prédio e demolição de outro, uma cratera complica o tráfego nos dois sentidos da Avenida Mário Werneck, a principal do bairro. Outro desafio continua sendo o Anel Rodoviário, que ontem teve dois acidentes graves, um dos quais deixou dois feridos. A partir de hoje, com a volta às aulas, será preciso mais paciência.

Veja o que aconteceu na cidade durante as suas férias. (Págs. 1, 22 e 25)

PF desfaz pirâmide financeira

Ação da Polícia Federal prende sete pessoas em Lagoa Santa por suspeita de integrar quadrilha que aplicava golpes em investidores da Aeronáutica. Prejuízo pode ultrapassar R$ 10 milhões. (Págs. 1 e 12)

Alfinetada nos EUA

Na Praça da Revolução, a presidente Dilma afirmou que sua visita a Cuba não incluirá críticas à situação dos direitos humanos no país. Ela aproveitou para cutucar os EUA, que mantêm prisão na ilha, conforme relata o enviado especial Rodrigo Craveiro. (Págs. 1, 3 e 4)

Desafinou: Governo investiga festa que recebeu verba de incentivo

Organizadores de festival dance em Nova Lima podem ter de devolver dinheiro de benefício fiscal por alterar projeto e aumentar preço de ingressos. (Págs. 1, 8 e Editorial, 10)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Mais fiscalização na volta às aulas

Em vez das tradicionais campanhas educativas, CTTU anuncia que intensificará ações no entorno das escolas e vai punir maus motoristas. Infrações mais comuns são fila dupla e parar sobre a faixa. (Págs. 1 e Cidades 1)

Plano de contingência contra surto de dengue

Em janeiro deste ano, Estado registrou aumento de 43% no número de casos da doença na comparação com janeiro de 2011. Governo anuncia hoje ações para o Recife e interior. (Págs. 1 e Cidades 5)

Bacia de Santos

Petrobras registra primeiro vazamento expressivo de óleo em área do pré-sal. (Págs. 1 e Cidades 5)

Transporte aéreo

Taxas de aeroportos sobem. No Recife, embarque nacional custará R$ 21,57. (Págs. 1 e Economia 2)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Meninos condenados – Estado monta plano para conter retorno de jovens ao crime

Ao visitar a instituição retratada em série de ZH, secretário Fabiano Pereira disse ter recebido de Tarso a missão de reverter a situação dos jovens infratores. (Págs. 1 e 48)

Um relato do jovem gaúcho

Estudo que há 19 anos acompanha 5 mil gaúchos desde o nascimento mostra hábitos e riscos que moldam a saúde.

14,7% das pesquisadas já são mães. (Págs. 1, 4 e 5)

Aeroporto: Exército promete projeto no dia 10

Solicitado há um ano, documento permitirá abrir licitação. (Págs. 1 e 24)

Grupo Somos: Falta de verba fecha ONG de apoio a gays

Fim de parceria com fundação holandesa selou destino de entidade. (Págs. 1 e 39)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Bradesco tem lucro recorde em 2011 e planeja crédito 22% maior

Mesmo tendo registrado R$ 11,03 bilhões de lucro líquido, num crescimento de 10,04% em relação a 2010, o Bradesco tem metas ousadas para 2012: a carteira de crédito deve ter um avanço entre 18% e 22%, recuperando o espaço perdido para os bancos públicos depois da crise de 2008. (Págs. 1 e 30)

Investimento virtual

Foxconn, de TerryGou, pretende ter mais cinco fábricas no Brasil. (Págs. 1 e 16)

Decepção real

Santander, de Emilio Botín, lucra, mas retorno sobre patrimônio não agrada. (Págs. 1 e 31)

Foto legenda: Dilma com o camarada Raul

A rápida passagem da presidente Dilma Rousseff por Cuba abriu boas oportunidades de negócios para os empresários brasileiros. Além da linha de crédito rotativo de US$ 400 milhões para a compra de remédios, ela anunciou obras como a reforma do Porto de Mariel. (Págs. 1 e 11)

O renascimento das montadoras nos EUA

Como a GM, a Ford e a Chrysler se reinventaram depois de enfrentar a pior crise de suas histórias e se preparam para um novo período de expansão. (Págs. 1 e 4)

Rumor de venda faz ação da Gafisa subir

Sempre na mira dos investidores, a construtora teve alta de 6%. Seu pulverizado controle acionário deve mudar de mãos, pois os resultados não agradam. (Págs. 1 e 20)

Pessimista, BC acredita que PIB de 2011 fique em apenas 2,8%

Nem nos momentos de pesadelo, a equipe econômica imaginava que o crescimento do ano passado pudesse ser tão baixo. Agora, estimativa do BC comprova que a desaceleração foi muito mais forte do que o esperado. (Págs. 1 e 6)

Com R$ 800 mi, Libra mira portos e aeroportos

Grupo vai ampliar operações no Rio e em Santos e pode atuar na gestão de aeroportos. (Págs. 1 e 17)

Justiça tenta barrar a indústria de ações trabalhistas

Magistrados deixam de lado tendência de empregados serem a parte frágil dos processos. (Págs. 1 e 28)

Preço de alimento cairá em 2012, diz Banco Mundial

Economia global em baixa e oferta em alta pressionam mercados de trigo, arroz e milho. (Págs. 1 e 38)

Rodízio de auditor ainda traz polêmica

Empresas abertas ainda se mostram confusas quanto ao custo de optar por revezar auditores ou montar comitê interno. (Págs. 1 e 32)
Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.