Manchete nos Jornais para esta Quarta-Feira 14 de Novembro de 2012

70

Preferia morrer a ficar na prisão, diz ministro da Justiça; José Eduardo Cardozo afirma em SP que o sistema carcerário é ‘medieval’ e não ‘ressocializa ninguém’… – Condenados do mensalão ficarão em cela comum; O relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que os condenados terão de cumprir pena em cela comum. Pela lei, alguns profissionais têm o benefício da cela especial, mas só para o cumprimento de penas provisórias, antes da condenação definitiva… – Lei aprovada obriga comércio a exibir imposto em nota fiscal; A Câmara aprovou projeto de lei que obriga os comerciantes a informar nas notas fiscais o valor dos tributos federais, estaduais e municipais que incidem sobre o preço da mercadoria ou do serviço. A proposta segue agora para aprovação da presidente Dilma….

O Globo

Manchete: Presídios medievais… Ministro prefere morte a ficar preso no Brasil

À frente da pasta da Justiça, Cardozo afirma que vida nas cadeias é degradante

Responsável pela segurança pública no país admite, em palestra a empresários, que não suportaria viver nas prisões incapazes, em sua opinião, de reinserir os detentos na sociedade

O ministro da Justiça, José Cardozo, disse ontem, em palestra a empresários, em São Paulo, que preferiria morrer a ter que viver nas prisões brasileiras, classificadas pr ele como “medievais”. Responsável pela pasta que cuida da segurança pública no país, Cardozo afirmou que a vida nas cadeiras é “desrespeitosa” e “não dignificante”. “Os presídios no Brasil ainda são medievais. Entre passar anos num presídio no Brasil e perde a vida, porque não há nada mais degradante para um ser humano do que ser violado em seus direitos humanos”. (Págs. 1 e 3)

…E lotados

Falta de vaga pode livrar Genoino

Condenados no regime semiaberto podem ir para o aberto em caso de superlotação, diz Lewandowski

O revisor do mensalão, Ricardo Lewandowski, afirmou ontem que réus condenados no regime semiaberto podem ficar em regime aberto, sem ir para a prisão, caso não haja vaga no sistema prisional. Ele não citou nomes, mas a situação se aplica ao ex-presidente do PT José Genoino, condenado a menos de oito anos. Lewandowski defendeu ainda o aumento da multa a Marcos Valério. Já o ministro relator, Joaquim Barbosa, disse que nenhum condenado no processo tem direito a prisão especial, pois o benefício se aplica apenas em casos de prisão temporária. (Págs. 1, 3, 4 e editorial “O Estado se defende”)

Sentença de prisão para Dirceu corre pelo mundo

A mídia internacional repercutiu com destaque a sentença de mais de dez anos de prisão dada pelo STF ao ex-ministro José Dirceu. O “The New York Times” avalia que é a mais dura condenação por corrupção contra um político no Brasil. O “Financial Times” afirma que se abriu um precedente de punição dos corruptos. O brasilianista Matthew Taylor acredita que o Supremo deu uma “lição de que a lei se aplica a todos”. (Págs. 1 e 6)

“Talvez mais importante do que os crimes que foram praticados seja a lição de que a lei se aplica a todos”
Matthew Taylor
Brasilianista

“Sempre se falou que o crime de colarinho-branco não dá em nada. Agora, os políticos estão vendo que dá cadeia.”
Rubens Figueiredo
Diretor do Cepac

Afago federal: Dilma ajuda prefeitos com R$ 3,5 bi

O governo anunciou ontem um pacote de R$ 3,5 bilhões para socorrer as prefeituras. A União também vai renegociar dívidas dos municípios com o INSS. As ações devem evitar que os atuais prefeitos sejam enquadrados na Lei de Responsabilidade Fiscal. (Págs. 1 e 12)

Um novo susto: Temporal deixa Friburgo em alerta

A forte chuva de ontem provocou deslizamentos, destruiu cerca de 20 casas e deixou os moradores de Nova Friburgo, na Região Serrana, em alerta. O sistema de sirenes das áreas de risco apresentou falhas. (Págs. 1 e 15)

Rio é despreparado contra chuvas

Dos 92 municípios do Rio, só 17 têm planos de redução de riscos de acidentes causados pelas chuvas, como enchentes e deslizamentos. No país, o percentual é de 6,2%, aponta pesquisa do IBGE. (Págs 1 e 12)

Governadores reclamam…

Se a conta de luz ficar mais barata para o consumidor, estados perderão R$ 5,5 bi em arrecadação. (Págs. 1 e 23)

Imprudência: Cid Gomes põe voo em risco

Em vez de esperar o taxiamento da aeronave, o governador do Ceará atravessou a pé a pista do aeroporto de Salvador na sexta-feira passada, obrigando um avião da Avianca a arremeter. (Págs. 1 e 9)

Mestres em teste: Estado terá provão para professores

A partir do próximo ano, os professores da rede estadual de ensino passarão por programa de certificação de conhecimento. Os aprovados no teste receberão bônus salarial que em 2015 poderá chegar a R$ 4 mil. (Págs. 1 e 13)

Epidemia de falsos remédios

Cem mil pessoas morrem por ano no mundo, vítimas de falsos medicamentos. Pesquisa mostra que no Brasil as drogas contra impotência são as mais falsificadas. (Págs. 1 e Ciência)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Preferia morrer a ficar na prisão, diz ministro da Justiça

José Eduardo Cardozo afirma em SP que o sistema carcerário é ‘medieval’ e não ‘ressocializa ninguém’

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, classificou o sistema prisional como “medieval” num evento em São Paulo e disse que “preferia morrer” a cumprir muitos anos em uma prisão.

A declaração foi dada um dia após José Dirceu, seu colega de PT, ser condenado a quase 11 anos de prisão, mas não teve relação com o julgamento do mensalão.

Ao responder uma pergunta sobre pena de morte, Cardozo disse que o sistema penitenciário não consegue ressocializar os detentos. “Quem entra no presídio como um pequeno delinquente muitas vezes sai como membro de uma organização criminosa.” Dados do ministério mostram que, em 2011, havia 471 mil presos no Brasil para 295 mil vagas.

Para especialistas, uma das razões da superlotação nas prisões e da violação aos direitos humanos, criticada pelo ministro, é o elevado número de presos provisórios —encarcerados, mas ainda não julgados.

Ontem, 45 dos 46 adolescentes infratores internados na Fundação Casa do Itaim Paulista (zona leste de São Paulo) fugiram. (Págs. 1 e Cotidiano C1)

Condenados do mensalão ficarão em cela comum

O relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que os condenados terão de cumprir pena em cela comum. Pela lei, alguns profissionais têm o benefício da cela especial, mas só para o cumprimento de penas provisórias, antes da condenação definitiva.

O revisor, Ricardo Lewandowski, disse que o tribunal deveria rediscutir critérios sobre as multas impostas aos condenados. (Págs. 1 e Poder A6)

Mônica Bergamo: Defesa de Dirceu pedirá parecer a jurista alemão

A defesa de José Dirceu está procurando o jurista alemão Claus Roxin, um dos autores da teoria do domínio do fato, usada pelo STF para condenar o petista no mensalão. Vai pedir a ele um parecer jurídico sobre o caso. O advogado de Dirceu deve viajar à Alemanha para conversar com Roxin. (Págs. 1 e Ilustrada E2)

Haddad chama ex-tesoureiro de Dilma para chefiar Saúde

O ex-prefeito de Diadema e deputado petista José de Filippi Júnior foi convidado pelo prefeito eleito Fernando Haddad (PT) para a Secretaria de Saúde de SP.

A indicação de Filippi, que é engenheiro civil, contou com o aval do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Tesoureiro da campanha de Dilma e da reeleição de Lula, ele também ajudou a elaborar o plano de governo Haddad. (Págs. 1 e Cotidiano C8)

Fotolegenda: ‘É uma imitação de São Paulo’

Bombeiro tenta apagar fogo em ônibus atacado em Florianópolis, onde também foi queimado um carro da polícia; o secretário da Segurança disse que os criminosos ‘imitam’ os de São Paulo. (Págs. 1 e Cotidiano C3)

Lei aprovada obriga comércio a exibir imposto em nota fiscal

A Câmara aprovou projeto de lei que obriga os comerciantes a informar nas notas fiscais o valor dos tributos federais, estaduais e municipais que incidem sobre o preço da mercadoria ou do serviço. A proposta segue agora para aprovação da presidente Dilma.

Líderes do governo foram contrários à medida, que prevê que os valores fiquem expostos em local visível do estabelecimento. (Págs. 1 e Poder A15)

Editoriais

Leia “Loteiam-se cargos”, sobre ministério de Dilma Rousseff, e “Presepada histórica” acerca de reserva de mercado para historiadores diplomados. (Págs. 1 e Opinião A2)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Ministro da Justiça ‘preferiria morrer’ a cumprir pena no País

Cardozo disse em palestra que o sistema prisional no Brasil é ‘medieval’ e ‘desrespeita os direitos humanos’

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse em palestra a empresários, em São Paulo, que preferiria morrer a cumprir pena no País. Ele afirmou ainda que as condições dos presídios causam violações aos direitos humanos. “Temos um sistema prisional medieval, que não só desrespeita os direitos humanos como também não possibilita a reinserção.” Ele disse que falava como cidadão, não como governante. Depois de afirmar que a corrupção do aparelho do Estado é um entrave para o combate ao crime, Cardozo evitou comentar se era o caso de São Paulo. Ontem, cinco PMs que participaram da ação que terminou com a morte de Paulo Batista do Nascimento, na zona sul, foram indiciados. Em Florianópolis, bandidos atearam fogo em dois ônibus, em uma viatura e no carro de um policial. Para o secretário de Segurança Pública César Grubba, houve ‘imitação’de São Paulo.(Págs. 1 e Cidades C1 e C3)

Barbosa quer condenados no mensalão na cadeia em 2013

O ministro Joaquim Barbosa assume a presidência do STF na próxima semana com o objetivo de acelerar a publicação do acórdão com a sentença do mensalão, para que os condenados no processo comecem a cumprir as penas antes do fim de 2013. A ideia é que os ministros redobrem o cuidado, para evitar contradições que deem espaço a recursos. A defesa dos condenados já adiantou que deve pedir novo julgamento. Barbosa afirmou que nenhum dos mensaleiros terá direito a prisão especial. Advogados, como o ex-ministro José Dirceu, condenado a 10 anos e 10 meses, têm direito a sala especial, mas, segundo Barbosa, esse benefício só cabe em casos de detenção provisória. (Págs. 1 e Nacional A4)

“Prisão especial é só para quem está cumprindo prisão provisória, e não definitiva”
Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão

Irmão de Genoino é citado em fraude

Irmão do ex-presidente do PT José Genoino, o deputado José Guimarães (PT-CE) é citado em investigação sobre empresários acusados de fraudes em licitações de serviços de água e esgoto em quatro Estados, informa Fausto Macedo. Guimarães é mencionado em diálogos grampeados dos empresários da Allsan Engenharia e Administração, principal alvo da Operação Águas Claras. Uma citação fala em repasse de R$ 100 mil ao irmão de Genoino. Procurado, Guimarães disse que “não conhece nem nunca falou” com os empresários investigados. (Págs. 1 e Nacional A8)

Fotolegenda: Espera no Planalto

Prefeitos aguardam audiência com a ministra Ideli Salvatti, da Secretaria das Relações Institucionais, para pedir compensação de perdas nos orçamentos. (Págs. 1 e Economia B4)

Argentina tenta impor barreira à entrada de carro brasileiro

O início do livre comércio no setor automotivo entre Brasil e Argentina, previsto para julho de 2013, pode ser adiado. Os argentinos apresentaram pedido de revisão do acordo e sugerem restrições ao comércio. Uma das propostas seria aumentar, por exemplo, a exigência de conteúdo argentino. (Págs. 1 e Economia B1)

Só 6,2% dos municípios têm plano para catástrofes

Apenas 6,2% dos 5.565 municípios brasileiros tinham, até o ano passado, plano de redução de riscos relacionados a desastres naturais, segundo pesquisa divulgada ontem pelo IBGE. A preocupação é mais comum nas cidades maiores. (Págs. 1 e Vida A16)

Ex-tesoureiro de Dilma será secretário da Saúde (Págs. 1 e Cidades C4)

Rolf Kuntz

Um fiasco superfaturado

O governo aceitou pagar R$ 45 bilhões em desonerações por um crescimento econômico provavelmente inferior a 2%, e com inflação. (Págs. 1 e Economia B7)

Roberto DaMatta

Esboços da vida pública

No Brasil, o rio que separa o lícito do ilícito não é atravessado por um meio móvel, mas por uma ponte maior do que a que liga o Rio a Niterói. (Págs. 1 e Caderno 2, D10)

Notas & Informações

O momento maior da Justiça

O Supremo Tribunal Federal fez história, quebrando o paradigma da impunidade dos poderosos. (Págs. 1 e A3)

Eliana Cardoso

O euro e os limites da austeridade

Não nos surpreendamos com a divisão da opinião europeia entre os que acham que a austeridade vai matar o euro e os que dizem que nela está a salvação. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Cópia. Projeto prevê teste de clonagem do lobo-guará em 2013. (Págs. 1 e Planeta A19

 

————————————————————————————

Correio Braziliense

 

Manchete: Até ministro teme presídios do Brasil

Chefe da pasta da Justiça, José Eduardo Cardozo classificou as cadeias no Brasil como medievais. “Se fosse para cumprir muitos anos na prisão,em alguns dos nossos presídios, eu preferiria morrer”, disse ele em São Paulo, que enfrenta uma onda de violência. Cardozo se recusou a comentar as penas aplicadas aos seus colegas do PT condenados pelo STF. (Págs. 1 e 4)

Mensalão: Cela comum aos réus

Em visita ao Congresso para entregar os convites da posse como presidente do STF, o ministro Joaquim Barbosa disse que os condenados da Ação Penal 470 terão tratamento igual ao de qualquer outro preso. Benefícios como cela especial, informou Barbosa, só valem para réus que estão em julgamento. (Págs. 1, 2 e 3)

Estudantes de direita tentam recriar a Arena (Págs. 1 e 6)

Senão estiver de plantão, obstetra pode cobrar extra (Págs. 1 e 12)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Governo não vai recuar no corte de tarifa, diz Mantega

A reação negativa do mercado ao plano do governo para reduzir as tarifas de energia elétrica levou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a entrar em cena para garantir que a queda média de 20,2% nas contas de luz será alcançada mesmo se algumas empresas, como a estatal mineira Cemig e a transmissora Cteep, não renovarem suas concessões. “Vamos cumprir à risca o que estabelecemos”, disse ao Valor. No limite, segundo ele, o Tesouro poderá assumir despesas adicionais para compensar a eventual recusa de parte das concessionárias às propostas feitas pelo governo, porque o corte nas tarifas, a partir de 2013, é uma medida “imprescindível” para recuperar a competitividade do país.

“Está havendo distorção em relação ao plano. Alguns poucos estão interessados em prorrogar privilégios em detrimento da grande maioria da população e de todo o setor produtivo”, disse Mantega ao Valor. Ele descartou a possibilidade de qualquer recuo nas novas tarifas propostas às empresas, bem como nos valores das indenizações, ao afirmar que “não há nada a alterar ou adicionar” na Medida Provisória 579, em tramitação no Congresso, “no que depender do governo”. (Págs. 1 e A11)

Uma nova imagem para os bancos

Com a imagem dos bancos bastante desgastada perante a população e em meio às inúmeras cruzadas do governo sobre o setor, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) passará em breve por uma reestruturação.

Desde meados do ano a consultoria Ernst & Young está encarregada da reformulação da entidade. Em vez de apenas rebater críticas ao setor, a intenção é trabalhar para solucionar problemas do sistema antes que eles se tornem um caso de governo. (Págs. 1 e C1)

Dólar eleva inflação em 0,7 ponto

A inflação ao consumidor vai ficar entre 0,6 e 0,7 ponto percentual mais alta neste ano por causa da desvalorização do câmbio. A cotação média da moeda americana, que no ano passado ficou um pouco abaixo de R$ 1,70, vai fechar 2012 na casa do R$ 1,95. Há seis meses, o dólar oscila entre R$ 2 e R$ 2,10. O impacto do câmbio mais fraco sobre a inflação ocorre principalmente por meio dos preços dos alimentos, diz o economista Thiago Curado, da Tendências Consultoria.

A tendência recente de alta do dólar – ontem foi o quinto dia consecutivo, acumulando valorização de 1,82% – alimenta especulações no mercado sobre os próximos passos do Banco Central e se realmente a autoridade monetária defenderá o teto informal de R$ 2,05 que impôs ao câmbio nos últimos meses. (Págs. 1, A6 e C2)

Em crise, a Espanha mira o Brasil

Empresários espanhóis querem pedir à presidente Dilma Rousseff medidas que favoreçam alianças com empresas brasileiras para que produzam juntos visando os mercados latino-americanos e europeus. Os espanhóis querem ampliar o comércio, os investimentos e também ter mais acesso a financiamentos de bancos públicos, como o BNDES e o Banco do Brasil. A ideia é investirem no longo prazo, endividando-se em moeda local e evitando o risco cambial.

Com sua economia em crise, companhias espanholas preparam uma nova onda de negócios com o Brasil, paralelamente à Cúpula Ibero-americana, sexta-feira e sábado, em Cadiz. Ao Valor, o presidente da Câmara de Comércio Espanha-Brasil e diretor da Iberdrola, José Gasset, disse que o Brasil “é mais que uma oportunidade para a Espanha, é um sócio estratégico”. (Págs. 1 e A14)

Fotolegenda: Ensaio da “greve continental”

Trabalhadores espanhóis da Telefónica protestam em Barcelona. Movimento antecipa “greve continental” que deve atingir hoje Espanha, Itália, Portugal e Grécia para marcar posição contrária às medidas governamentais de austeridade e às reformas trabalhistas. (Págs. 1 e A15)

País atrai investimentos em sementes da DuPont Pioneer

De olho na demanda aquecida por matérias-primas agrícolas, a Pioneer, empresa de sementes do grupo americano DuPont, aprovou investimento de US$ 122 milhões para aumentar a capacidade de beneficiamento de sementes de soja e milho no Brasil.

O aporte, iniciado com a construção de uma segunda planta de beneficiamento de sementes de soja, será completado ao longo de 2013 com a expansão de suas quatro unidades de beneficiamento de milho, a construção do sétimo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para novas tecnologias e a ampliação da capacidade de testes de sementes. De acordo com Roberto de Rissi, diretor da DuPont Pioneer no Brasil, é o maior investimento da companhia no Brasil. (Págs. 1 e B16)

Klein formaliza ao Casino oferta pela Via Varejo

Em reunião em Paris, ontem, com Jean-Charles Naouri, presidente do Casino, Michael e Raphael Klein confirmaram que a família tem interesse em adquirir o controle de Via Varejo, controlada pelo Grupo Pão de Açúcar, e que dispõe de uma linha de cerca de R$ 3 bilhões (€ 1,2 bilhão) para isso. Os Klein têm preferência para a compra e sua proposta pressiona Abilio Diniz, que também cobiça a varejista de eletroeletrônicos como parte de um plano para deixar amigavelmente o grupo. Abilio entregaria ao Pão de Açúcar suas ações ordinárias na holding Wilkes mais as lojas físicas em troca do controle da Via Varejo. (Págs. 1 e B5)

Crescimento chinês renova o fôlego dos Brics (Págs. 1 e B14)

Delphi eleva nacionalização

A fabricante americana de autopeças Delphi vai aumentar a nacionalização de seus produtos no Brasil. O objetivo, no entanto, será alcançado com a diminuição do número de fornecedores no país, que serão reduzidos de cerca de 500 para menos de cem. (Págs. 1 e B1)

Genéricos reduzem o ritmo

No terceiro trimestre, as vendas de medicamentos genéricos cresceram 17%, em volumes, sobre o mesmo período do ano passado. Apesar do aumento ainda expressivo, foi a menor expansão para o período desde 2001. (Págs. 1 e B8)

‘Pit stop’ para participações

Fundos de “private equity” voltados à América Latina captaram US$ 1,9 bilhão no primeiro semestre, ante US$ 4,9 bilhões em igual período de 2011. “2011 foi um ano extraordinário e as captações voltarão a se intensificar em 2013 e 2014”, prevê Cate Ambrose. (Págs. 1 e C16)

Brasil Insurance compra a Índico

A holding de corretoras de seguros Brasil Insurance anunciou ontem a compra da Índico Consultoria de Benefícios e Corretagem de Seguros, por cerca de R$ 75 milhões. Foi a sétima aquisição da companhia neste ano. (Págs. 1 e C16)

TJ-SP decreta falência da CBAA

O Tribunal de Justiça de São Paulo decretou a falência da Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool (CBAA), do grupo J.Pessoa, que controla cinco usinas de cana, por descumprimento do plano de recuperação judicial, aprovado em junho de 2010. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Cristiano Romero

Para o BC, não houve abandono do tripé da política econômica, mas adaptação à complexa realidade global. (Págs. 1 e A2)

Gustavo Loyola

Política intervencionista eleva incertezas dos agentes econômicos com graves e persistentes prejuízos ao investimento. (Págs. 1 e A11)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Águas turvas

Dois terços das cidades de MG não fiscalizam a qualidade dos recursos hídricos
Somente 282 (33%) dos 853 municípios mineiros têm controle sob o padrão da água distribuída à população. A informação é de um estudo do IBGE sobre serviços básicos prestados pelos Executivos municipais brasileiros. A situação no estado é crítica também em relação a saneamento básico, serviço prestado por apenas 241 (28,2%) das prefeituras. O levantamento mostra ainda que, no país, só 6,2% dos municípios têm planos para redução de riscos provocados por fenômenos climáticos. Nesse quesito, Minas está um pouco melhor, com o índice subindo para 8%, o equivalente a 70 cidades. (Págs. 1 e 6)

Mensalão: Prisões em cela especial descartadas

Ministro relator do caso, Joaquim Barbosa afirmou que os condenados em regime fechado não terão direito ao benefício, pelo fato de ele ser aplicado apenas em casos de prisão provisória e não definitiva. Em almoço com empresários em São Paulo, o ministro da Justiça chamou os presídios brasileiros de medievais.

‘Do fundo do meu coração, se fosse para cumprir muitos anos em alguma prisão nossa, eu preferiria morrer’
José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça. (Págs. 1, 3 e 4)

Câmaras: Uso de verba para abastecer carro particular rejeitado

Consultado por vereadores de BH, Tribunal de Contas do Estado desaprova pagamento de gasolina para veículo próprio com dinheiro público, prática revelada pelo EM em setembro. (Págs. 1 e 8)

Dólar chega a R$ 2,07 e deixa férias mais caras (Págs. 1 e 17)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Mensaleiros irão para celas comuns

O relator do processo no STF, Joaquim Barbosa, disse ontem que nenhum condenado no processo terá direito a prisão especial, porque o benefício só é dado a quem cumpre provisória. (Pág. 1)

Ainda mais atenção na BR-101 Sul

Trecho foi fechado no sentido Cabo – Suape para obras. PRF anunciou reforço para as estradas. (Pág. 1)

Justiça decreta ilegalidade da greve em Suape (Pág. 1)

Cidades estão vulneráveis às calamidades (Pág. 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Juízes querem reajuste automático de salários

Magistrados e defensores públicos do Estado apresentaram projeto para ganhar reajuste sempre que for elevado o subsídio dos ministros do STF. (Págs. 1 e Rosane de Oliveira, 10)

Florianópolis: Novos ataques ampliam medo de cópia de SP

Disputa por controle de presídios está por trás de atentados. (Págs. 1, 48 e 49)

Sob pressão: Piso regional vai subir ao menos 8%

Sindicalistas pedem 13%, mas empresários aceitam no máximo 6%. (Págs. 1 e 16)

“Preferia morrer”: Ministro surpreende ao falar de prisões

Presídios são “medievais” e “escolas do crime”, diz titular da Justiça. (Págs. 1 e 50)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Impasse jurídico com Docas muda projeto de modernização de portos

Com o objetivo de modernizar o sistema portuário do país, a presidente Dilma quer realizar uma reforma profunda no setor com concessões à iniciativa privada. Mas, por enquanto, esbarra em questões legais e terá de adotar um modelo híbrido. (Págs. 1 e 6)

Onde o Brasil fica atrás da Colômbia, do Chile e do Peru

Para analistas, os itens que fazem diferença são os tributos, a falta de reformas e a burocracia. (Págs. 1 e 4)

Gigante dos EUA desembarca no mercado brasileiro

Briggs paga US$ 60 milhões e fica como controle da brasileira Branco, fabricante de motores. (Págs. 1 e 2)

Fortuna de Jorge Lemann aumenta 45% neste ano

Empresário brasileiro ganhou posições no ranking da Bloomberg com valorização da Ambev. (Págs. 1 e 31)

Boticário planeja lançamento de sua sexta marca de lojas

Nativa Spa, em fase de projeto-piloto, pode ganhar autonomia em 2013 e aumentaria o atual portfólio de cinco bandeiras do grupo. “É muito, mas queremos mais”, diz o CEO Artur Grynbaum ao BRASIL ECONÔMICO. (Págs. 1 e 16)

A disputa para ser o ‘xerife’ de analistas

Apimec, entidade que supervisiona (e até pune) os profissionais do mercado, prepara-se para escolher, a partir do dia 19, seu novo presidente. (Págs. 1 e 30)

Socorro à Grécia divide credores

FMI se opõe à ampliação em dois anos do prazo para que país reduza a dívida pública a 120% do PIB e trava liberação de recursos para o governo grego. (Págs. 1 e 36)

Justiça seja feita

Ministro José Eduardo Cardozo afirma que prefere morrer do que cumprir pena no Brasil. (Págs. 1 e 10)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *