Manchete nos Jornais para esta Quinta-Feira 22 de Março de 2012

59

Cooperativa de artesãs da maior favela do Rio vai abrir loja no Fashion Mall, shopping de alto padrão da cidade – Dilma sofre três derrotas com a base rebelada – Lixo hospitalar reciclado em depósito – Participação nos lucros: Trabalhadores de MG vão ganhar R$ 384 mi este mês  – Pista livre para os infratores – Receita vai enquadrar senadores por calote – Os vinhos da ira: Bebedores criticam a intenção do governo de proteger o vinho nacional…

O Globo

Manchete: Chevron é denunciada por crimes que dão até 31 anos

Empresa diz que não foi negligente e nega pressão excessiva no poço

O Ministério Público Federal denunciou as empresas Chevron e Transocean e 17 executivos e funcionários por crime ambiental, falsidade ideológica e dano ao patrimônio público nos acidentes no Campo do Frade, na Bacia de Campos, ocorridos em novembro passado e este mês. Segundo o procurador Eduardo de Oliveira, os dois vazamentos estão relacionados. Se a Justiça acolher a denúncia e condenar os envolvidos, as penas poderão chegar a 31 anos. No fim do dia, a americana Chevron divulgou nota técnica afirmando que não foi negligente nem imprudente e negou que tenha feito pressão excessiva sobre o solo marinho causando o derramamento de óleo. O advogado Nilo Batista, da Chevron, disse que há um teor de xenofobia na decisão da Procuradoria. A presidente Dilma Rousseff, sem citar a Chevron, cobrou responsabilidade pelo meio ambiente. (Págs. 1 e 23 a 25)

Para onde vai a França?

Polícia cerca jovem franco-argelino apontado como suspeito de matar judeus e militares

Numa reviravolta nas investigações, a ameaça do islamismo radical voltou a assombrar a França com a identificação do franco-argelino Mohammed Merah, de 23 anos, como o principal suspeito das sete mortes nas cidades de Toulouse e Montauban. Durante todo o dia de ontem, a polícia manteve um cerco ao apartamento de Merah, apontado como simpatizante do movimento fundamentalista salafista e da al-Qaeda, com viagens ao Afeganistão e ao Paquistão, relatam os correspondentes Deborah Berlinck e Fernando Eichenberg. Segundo as autoridades, ele reagiu a tiros, teria admitido ser culpado pelas mortes e disse não se arrepender. Alegou que queria vingar crianças palestinas mortas e a presença francesa no Afeganistão. “Este homem queria colocar a República de joelhos. Mas a República não cedeu”, disse o presidente Sarkozy. (Págs. 1 e 30 a 33)

Analistas: reviravolta pode beneficiar Sarkozy e extrema-direita (Pág. 1)

Enfraquecida, nova jihad põe à frente, agora, ‘lobos solitários’ (Pág. 1)

Entrevistas
“Há 10 mil islamistas perto do radicalismo na França” (Claude Moniquet, ex-agente secreto)

“Discurso político valida xenofobia e racismo” (Pap Ndiaye, historiador francês).(Pág. 1)

Rio vai liberar bebidas na Copa de 2014

O governo do Rio não vai esperar a aprovação pelo Congresso da Lei Geral da Copa, que teve adiada de novo a votação. O governo Sérgio Cabral vai enviar à Assembleia Legislativa, onde tem ampla maioria, projeto liberando as bebidas alcoólicas na Copa das Confederações e no Mundial. (Págs. 1 e Caderno Esportes)

Foto legenda: Velha guarda

Com Tia Surica e outros portelenses, a presidente Dilma batuca em visita à Zona Norte. Ela anunciou R$ 1,6 bilhão para obras olímpicas. (Págs. 1 e 18)

Devassa em hospitais universitários

O TCU fará um pente-fino nos contratos de 44 hospitais universitários de todo o país. Há 15 anos, no entanto, o mesmo órgão já investigava corrupção em contratos de hospitais federais envolvendo a Rufolo – denunciada pelo “Fantástico” – e outras 8 empresas. (Págs. 1, 14, 15 e editorial “Faltam lei e execução penal”)

Desembargadores do Rio na mira do CNJ

A corregedoria do Conselho Nacional de Justiça decidiu investigar a evolução patrimonial de desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio. As declarações de Imposto de Renda serão cruzadas com a folha de pagamento. (Págs. 1 e 3)

Anvisa exige selo para próteses

A Anvisa decidiu que próteses de silicone terão que ser certificadas, ficando suspensa a comercialização até que os produtos sejam avaliados pelo Inmetro. Médicos temem desabastecimento. (Págs. 1 e 12)

Austrália: família cobra punição

Parentes do estudante morto em Sidney exigiram punição aos policiais. Eles contrataram empresa para fazer investigação paralela. O corpo já foi identificado, mas a família ainda aguarda liberação. (Págs. 1 e 13)

Geladeira terá IPI baixo até junho

O governo vai prorrogar por mais três meses o corte do IPI para a chamada linha branca (geladeira, máquina de lavar e fogão). O benefício acabaria no dia 31. Também para incentivar o consumo, o IOF sobre o crédito pode cair de 2,5% para até 1,5%. (Págs. 1 e 26)

Ladrões atacam mulheres ao volante na Zona Sul, e tráfico volta a assustar Rocinha (Págs. 1, 17 e 21)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Crise na base impõe série de derrotas a Dilma na Câmara

Governo não consegue votar Lei da Copa e perde poder de demarcar terras indígenas, entre outros reveses

A presidente Dilma Rousseff foi desafiada ontem pela base aliada e sofreu uma série de derrotas na Câmara. Os deputados impediram a votação do projeto de Lei Geral da Copa, prioridade da semana para o governo; aprovaram na Comissão de Constituição e Justiça um projeto de lei retirando poderes da presidente na demarcação de terras indígenas, de quilombolas e de preservação ambiental; e ainda convocaram a ministra Miriam Belchior (Planejamento) para explicar os cortes no Orçamento que atingiram as emendas dos parlamentares. O revés aconteceu uma semana depois de a presidente ter trocado seus líderes na Câmara e no Senado. Temendo nova derrota, Dilma retirou da pauta do Senado a nomeação de diretores para a Agência Nacional de Transportes Terrestres – há 15 dias, o Senado rejeitou indicação de Dilma para a agência, o que deflagrou a mudança na coordenação política. (Págs. 1 e Nacional A4 e A6)

Aldo vê bebida liberada

Para o ministro do Esporte, a Lei Geral da Copa libera bebida alcoólica. Já o governador Geraldo Alckmin acusou o Planalto de omissão. (Págs. 1, Nacional A4 e Esportes, E2)

Ministra quer checar situação de prisões militares

Projeto enviado ao Congresso pela ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) ameaça abrir nova frente de conflito com as Forças Armadas. O texto estabelece inspeções periódicas e de surpresa aos quartéis para verificar as condições a que os presos militares estão submetidos. O Ministério da Defesa informou que não foi consultado. Sobre suas prisões, o Exército afirmou que cumpre rigorosamente a lei. (Págs. 1 e Nacional, A8)

Terrorista que atacou escola judaica diz ser da Al-Qaeda

Uma investigação que mobilizou a França identificou Mohames Merah, 23 anos, francês de origem argelina, treinado pela Al-Quaeda no Afeganistão e no Paquistão, como o responsável pelos três atentados nos últimos 10 dias na região de Toulouse, na França. Sete pessoas foram mortas, entre elas três crianças judias. Ao ser cercado, em sua casa em um dos distritos rurais valorizados da cidade, ele feriu dois policiais. Merah estava sozinho e fortemente armado. (Págs. 1 e Internacional A17)

Análise: Gilles Lapouge
O matador e a eleição

Quem ganha mais com o caso de Toulouse é o presidente Nicolas Sarkozy, que como “chefe de guerra” obteve trunfos contra o socialista François Holland, até então favorito. (Págs. 1 e Internacional A17)

Bamerindus paga a últimos credores

Acordo permitirá que nos próximos dias os últimos 296 credores do extinto Banco Bamerindus recebam o que lhes é devido desde a liquidação extrajudicial em 1997. (Págs. 1 e Economia B11)

Ministério Público denuncia Chevron por crime ambiental

O Ministério Público Federal denunciou a Chevron, a Transocean e 17 pessoas sob acusação de crime ambiental e dano ao patrimônio pelos vazamentos no campo de Frade. A Chevron considerou “ultrajante” a denúncia. Dilma Rousseff cobrou rigor no cumprimento de medidas de segurança. (Págs. 1 e Vida A20)

Família investigará morte na Austrália

A família de Roberto Curti, de 21 anos, morto pela polícia na Austrália, disse que ele estava regular e que contratará advogados para fazer investigação paralela. (Págs. 1 e Cidades C1 e C3)

USP adota certificação digital para diploma (Págs. 1 e Vida A23)

Verissimo

Territórios livres

Na parede dos tribunais do Brasil, onde a neutralidade, mesmo que não exista, deve ao menos ser presumida, um crucifixo é um contrassenso. (Págs. 1 e Caderno 2, D12)

Eugênio Bucci

Dura lex, obsoleta lex

O Twitter não é propaganda política paga, mas um fato da vida. Proibir um sujeito de falar de si mesmo numa rede social é um pouco ridículo. (Págs. 1 e Espaço Aberto, A2)

Notas & Informações

Os problemas da Embrapa

A Embrapa tem dificuldades para competir com as grandes multinacionais de biotecnologia. (Págs. 1 e A3)

Os vinhos da ira: Bebedores criticam a intenção do governo de proteger o vinho nacional (Págs. 1 e Paladar)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Receita vai enquadrar senadores por calote

Além de pagar Imposto de Renda sobre o 14º e 15º salários que receberam sem tributação na fonte, os parlamentares serão multados em 75% do valor devido. Na semana que vem, o Senado volta a discutir o fim do privilégio. Na terça-feira, ao impedir que a extinção fosse votada, o senador Ivo Cassol debochou dos brasileiros que trabalham para sustentá-los: “Nós, políticos, somos mal remunerados”, disse. (Págs. 1, 2 e 3)

Foto legenda: Novo abuso

Um dia após o Ministério Público exigir que a UnB investigue e puna os responsáveis por trotes violentos, o Correio, flagrou mais ações humilhantes. Depois de andar de mãos dadas e sujos de tinta pelo câmpus da Asa Norte, mais de 40 calouros de ciências contábeis tiveram que responder perguntas sobre orientação e preferências sexuais. Aqueles que se recusaram eram vaiados e ofendidos. (Págs. 1 e 29)

Explicações a Deus e à Justiça

O ex-deputado Leonardo Prudente, filmado escondendo dinheiro na meia, depôs ontem na Justiça como testemunha de defesa do colega Júnior Brunelli, o da “oração propina”. Brunelli é acusado de receber mais de R$ 5,5 milhões do maior esquema de corrupção da história de Brasília. (Págs. 1 e 31)

Governo pede trégua após sofrer nova derrota

Depois de ser surpreendido com a rebelião que impediu a votação da Lei Geral da Copa, na Câmara, o governo sentiu o cheiro de derrota também na apreciação do Código Florestal e se empenha em contornar a crise com os aliados. No Senado, para acalmar o PR e evitar a instalação de CPI, o Planalto estuda entregar algum ministério importante para Blairo Maggi (PR-MT). (Págs. 1, 6 e Super Esportes, 2 a 5)

Dilma fará pacto com a indústria de olho nas eleições (Págs. 1 e 14)

Choque: MP veta os tasers

Procurador promete proibir o uso da arma pelo Detran. Equipamento é igual ao que matou brasileiro na Austrália. (Págs. 1, 25 e 36)

208 Sul: Fim das grades

Justiça diz que cercamento de pilotis de prédio fere o tombamento. Decisão atinge todas as quadras do Plano. (Págs. 1 e 3)

Pronto para matar mais

Suspeito do atentado a escola na França disse que pretendia vingar crianças palestinas e planejava novos ataques. (Págs. 1 e 24)
————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Governo começa a sofrer derrotas no Congresso

Os principais partidos da base aliada na Câmara impuseram ontem a primeira grande derrota do governo ao adiar a votação da Lei Geral da Copa até que seja votado o novo Código Florestal. Em outra demonstração de força, os ruralistas aprovaram na Comissão de Constituição e Justiça, por 38 votos a 2, proposta de emenda constitucional que retira da União e transfere ao Congresso o poder para demarcar terras indígenas. Esses sinais crescentes e inquietantes de pressão sobre a presidente Dilma Rousseff apontam para aquela que pode ser a primeira grande crise de seu governo.

O Palácio do Planalto ainda considera cedo para avaliar o resultado da troca dos líderes do governo, na semana passada, na qual deu preferência a nomes de facções minoritárias em detrimento das correntes majoritárias dos partidos, especialmente PT e PMDB. (Págs. 1, A5, A6 e A7)

Demissão de diretores da Vale sai caro

A saída de cinco diretores da Vale, entre eles o ex-presidente Roger Agnelli, está custando R$ 121 milhões à companhia como indenização pela não renovação dos contratos, segundo documentação divulgada pela empresa. Do total, R$ 98 milhões foram pagos no ano passado – o restante ficou para este ano. Em 2009 e 2010 a mineradora também pagou rescisões contratuais de diretores, mas os valores foram menores: R$ 3,5 milhões. Os R$ 98 milhões representam quase metade dos R$ 201 milhões que a Vale contabilizou como despesas para remuneração de diretores e conselheiros no balanço de 2011. Em 2010, o gasto total foi de R$ 97 milhões. Consultada, a Vale preferiu não comentar o assunto. (Págs. 1 e B1)

Foto legenda: Concorrência dissonante

Para sobreviver à concorrência externa, a Pianofatura Paulista, dona da marca Fritz Dobbert, passou a produzir móveis e também aderiu às importações, diz Célio Botura Júnior. (Págs. 1 e B6)

Operações de socorro do FGC a bancos terão novas regras e limites

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que assumiu a função de emprestador de última instância do sistema bancário nos últimos anos, viabilizando operações de salvamento de bancos, está prestes a ganhar respaldo legal para essa forma de atuação e também uma estrutura de governança formal. O Banco Central e os grandes bancos estão finalizando o novo estatuto do fundo, que será aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) provavelmente na próxima reunião ordinária do órgão.

O novo estatuto formalizará que o FGC, uma instituição privada, tem a prerrogativa de fazer empréstimos a bancos em condições fora das de mercado sempre que a estabilidade do sistema financeiro estiver em risco. O estatuto também fixará limites para empréstimos por instituição, reduzindo o risco para o fundo. (Págs. 1 e C1)

Cervejaria entra no ramo de energia

O Grupo Petrópolis, dono das marcas de cerveja Itaipava e Crystal, entrou surpreendentemente no setor elétrico ao adquirir 50% de participação nas empresas Electra Energy e Electra Power. O valor dos negócios foi mantido em sigilo, mas a cervejaria confirmou a aquisição por meio de nota. As duas companhias, com sede em Curitiba, pertenciam a um grupo de sete empresários locais – que mantêm participação acionária de 50% – e estão no mercado de energia desde o início da década passada. O foco de ambas são as fontes renováveis, principalmente pequenas centrais hidrelétricas, com potência instalada de até 30 megawatts. A Petrópolis explicou que busca atuar em segmentos “promissores em termos econômicos”. (Págs. 1 e B8)

UE avalia exigir reciprocidade para acesso a compras governamentais (Págs. 1 e A11)

Investidores-anjos despontam no Brasil atrás de um novo ‘Facebook’ (Págs. 1 e D3)

Barreiras argentinas dão resultado

As barreiras adotadas pela Argentina às importações estão cumprindo seu papel: o país teve em fevereiro o maior superávit mensal desde maio, US$ 1,341 bilhão. As importações foram as menores em 14 meses. (Págs. 1 e A11)

Água

Números do Ministério das Cidades mostram que mais da metade da população brasileira ainda não dispõe de coleta de esgoto e, do total coletado (45%), apenas um terço passa por tratamento. “O restante é jogado na natureza”, diz Édison Carlos, do Instituto Trata Brasil. (Págs. 1 e Caderno especial)

Avanço da TV fechada

A TV por assinatura no país alcançou o número de 13,3 milhões de clientes no mês passado, com predominância do serviço vai satélite (56%), chegando a quase 44 milhões de pessoas. (Págs. 1 e B2)

Beneficência na Penha foca o SUS

A Beneficência Portuguesa inaugura hoje um hospital exclusivamente voltado ao atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), no bairro da Penha, zona leste de São Paulo. (Págs. 1 e B4)

Distorções da ‘guerra dos portos’

A ‘Guerra dos portos’ gera anomalias logísticas. Em 2011, desembarcaram por Itajaí, em Santa Catarina, que não possui indústria automotiva, US$ 161,2 milhões em pneus para veículos pesados, enquanto no porto de Santos (SP) foram US$ 93,8 milhões. (Págs. 1 e B9)

Seca custou R$ 578 milhões a SC

Os prejuízos causados à agricultura de Santa Catarina pela estiagem no verão somaram R$ 578,3 milhões. A safra de milho foi a mais atingida, com quebra de 21,4% em relação à produção estimada. (Págs. 1 e B14)

Barreira aos vinhos importados

Pedido de salvaguardas da indústria vinícola nacional só atende aos interesses de um pequeno grupo de grandes produtores e deve prejudicar principalmente o consumidor de vinhos de maior qualidade, diz o enólogo Jorge Lucki. (Págs. 1 e D8)

Ideias

Ribamar Oliveira

Líderes políticos se ressentem da falta de um negociador do governo para coordenar soluções das questões federativas. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Juliano Assunção e outros

Fatores econômicos e políticas públicas ajudaram a reduzir o desmatamento na Amazônia a níveis historicamente baixos. (Págs. 1 e A10)
———————————————————————————–

Estado de Minas

Manchete: Pista livre para os infratores

Mesmo estourando pontos na permissão provisória, motoristas obtêm carteira em Minas

Graças à lentidão do sistema do Detran-MG e a mandados judiciais, pelo menos 583 mineiros com excesso de multas quando guiavam com Permissões Para Dirigir (PPDs) tiraram a Carteira Nacional de Habilitação definitiva. Todos tinham mais de quatro pontos, o máximo permitido, tal como ocorreu com Thor Batista, filho do bilionário Eike Batista. Quem soma cinco pontos ou mais com carteira provisória tem de recomeçar do zero o processo de habilitação. Ocorre que a inclusão dos pontos só pode ser feita depois de julgados os recursos e ações interpostos para retardar o cancelamento das permissões. Foi o que beneficiou 450 motoristas. Outros 132 estão sendo convocados para devolver os documentos.

Enquanto isso, no Rio…

Em depoimento à polícia, Thor Batista, filho de Eike Batista, disse não ter culpa da morte do ciclista que atropelou sábado com sua Mercedes McLaren, na BR-040. Parentes garantem que a vítima estava no acostamento. Thor acumula 51 pontos (21 na carteira provisória) e terá como advogado o ministro da Justiça de Lula Márcio Thomaz Bastos. (Págs. 1, 21 e 22)

BRs de Minas: Dnit fará 16 reformas sem concorrência

Sob alegação de que são emergenciais, devido aos estragos da chuva, as obras serão contratadas por convites, ao custo de R$ 126 milhões. Maioria dos trechos tem contrato de manutenção. (Págs. 1 e 23)

Crise na base aliada trava as votações na Câmara (Págs. 1, 3 e 4)

Silicone: Anvisa suspende venda de próteses mamárias no país (Págs. 1 e 11)

Participação nos lucros: Trabalhadores de MG vão ganhar R$ 384 mi este mês (Págs. 1 e 14)

Pampulha: Justiça nega recurso do MP e libera obra de hotéis (Págs. 1 e 24)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Mais de 10 mil vagas de garagem no Recife

Prefeitura convoca empresas para erguer edifícios de estacionamentos em 25 áreas integradas ao serviço de transporte e ciclovias. Falta definir se os contratos serão de PPPs ou concessão simples. (Págs. 1 e Cidades 4)

Lixo hospitalar reciclado em depósito

Seringas e outros materiais com sangue foram descobertos em terreno, no Centro, usado por catadores. (Págs. 1 e Cidades 1)

França teme a volta do radicalismo

Polícia cercava o acusado de atentados no país até 0h15 de hoje. Mohammed Merah se dizia membro do Al-Qaeda. (Págs. 1 e 12)

Reajuste da prefeitura será de 7,35%

Foi enviado, ontem, para a Câmara do Recife, projeto de lei com a proposta de aumento geral do funcionalismo. (Págs. 1 e Economia 1)

Dilma sofre três derrotas com a base rebelada

Governo chegou a anunciar que a crise estava superada, mas aliados mantiveram votações paralisadas. (Págs. 1, 3 e 4)

Toesa afastada

Prefeitura do Recife não vai renovar contrato com a empresa denunciada em escândalo no Rio. (Págs. 1 e Economia, 8)

Sem emprego

Mais pessoas se dizem vítimas de convites para vir trabalhar em Suape. (Págs. 1 e Economia 6)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Alternativa à concessão – Governo avalia assumir operação dos pedágios

Criação de uma estatal para gerenciar postos nas rodovias ganhou força junto ao núcleo central do Piratini. Contratos terminam a partir de julho de 2013. (Págs. 1 e 8)

Salgado Filho: Custo põe em xeque ampliação de pista

Com valor triplicado, projeto esperado há 15 anos está em reavaliação. (Págs. 1 e 18)

Magistério: Estado destrava as promoções

Até novembro, Educação estuda retomar casos entre 2003 e 2010. (Págs. 1 e 8)

Discórdia: Lei da Copa é adiada, de novo

Base do governo se aliou à oposição e emperrou votação. (Págs. 1 e 14)

Transporte: Trensurb terá mais 10 trens

Ao custo de R$ 270 milhões, reforço deve chegar até 2014. (Págs. 1 e 45)
———————————————————————————–

Brasil Econômico

Manchete: Apenas 37% dos que aderiram ao Refis estão em dia com a Receita

Dos 578 mil que entraram, em 2009, no programa de negociação de dívidas com a Receita somente 214 mil continuam no Refis, que previa parcelamento em até 15 anos e redução de juros e multas. Juntas as empresas deviam mais de R$ 1 trilhão. (Págs. 1 e 6)

15% do PIB do país vai hoje ao Planalto

Empresários vão levar agendas divergentes à presidente Dilma. ‘Só tenho boas notícias na minha empresa e no meu setor’, diz Wesley Batista, do JBS, ao BRASIL ECONÔMICO. (Págs. 1 e 4)

Casino avisa que nomeará conselho do Pão de Açúcar

Grupo francês comunica oficialmente que indicará o presidente do conselho da holding que controla a maior rede de supermercados do Brasil; cargo hoje é de Abilio Diniz. (Págs. 1 e 26)

Dilma critica o jeitinho brasileiro

Na posse da nova diretora da ANP, presidente pede regras claras para o setor de etanol. (Págs. 1 e 8)

Etanolduto inicia operação em 2013

Construção de trecho de 206 quilômetros, o principal da obra, consumirá R$ 500 mi. (Págs. 1 e 20)

Pouco a festejar no Dia Mundial da Água

Dono da maior reserva do mundo, Brasil tem desperdício recorde e falta de saneamento. (Págs. 1 e 12)

Republicanos podem se unir em Illinois

A vantagem de Mitt Romney nas últimas primárias já reforça os apelos pela união do partido. (Págs. 1 e 36)

Rocinha é um luxo só

Cooperativa de artesãs da maior favela do Rio vai abrir loja no Fashion Mall, shopping de alto padrão da cidade. (Págs. 1 e 18)
Pela internet

Caixa Econômica Federal, de Jorge Hereda, lança homebroker para atrair a classe C aos pregões. (Págs. 1 e 30)
Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *