Geração de empregos mostra que mercado de trabalho está aquecido – Arroz será combustível para seis usinas no RS – Receita mais ágil para receber o IR – Assembleia: Projeto eleva tempo para oficial da PM se aposentar – Saúde: Veto a limite de despesa vale para todos os planos – Reforma agrária: MP investiga venda de terra de assentados – Argentina pretende congelar importações – Empresa pode consultar SPC antes de contratar – TCU confirma desvios em decretos de emergência…

O Globo

Manchete: TCU confirma desvios em decretos de emergência

Governo quer que pedidos de prefeituras sejam confirmados pelos estados

Inspeção do Tribunal de Contas da União na Secretaria Nacional de Defesa Civil comprovou irregularidades na liberação de recursos para prefeituras uqe decretaram estado de emergência após enchentes. Seis prefeituras baianas receberam 11,5 milhões antes mesmo da emissão do parecer técnico avaliando estragos e custos. O pagamento foi em 2009, na gestão do baiano Geddel Vieira Lima (PMDB) no Ministério da Integração Nacional. Na inspeção, realizada em 2010, foram identificadas impropriedades em 48 convênios. Na tentativa de reduzir o descontrole, o governo federal mandará ao Congresso proposta para que decretos de emergência apresentados pelos municípios sejam ratificados pelos estados. (Págs. 1 e 3)

Privilégio à baiana

Após denúncia de um advogado, a Secretaria da Cultura da Bahia cancelou processo de seleção de pessoal que dava pontos extras a militantes políticos e de movimentos sociais. A secretaria alegou erro de redação. (Págs. 1 e 9)

EUA vão regular privacidade on-line

A Casa Branca apresentou uma proposta de adesão voluntária das empresas para garantir maior privacidade a quem usa internet, smartphones e tablets. O objetivo é que os cidadãos saibam e controlem quais dados podem ser expostos. Na Califórnia, gigantes de tecnologia firmaram acordo para dar mais informações a quem baixar aplicativos. (Págs. 1 e 21)

Em 2012, zona do euro deve ter recessão

A Comissão Europeia prevê que este ano os 17 países da zona do euro devem ver sua economia encolher 0,3%. A última previsão era de crescimento de 0,5%. É a segunda retração do PIB nos últimos três anos. (Págs. 1 e 26)

Déficit externo do país é o pior em 65 anos

Gastos de turistas brasileiros no exterior nas férias de janeiro, principalmente nos EUA, ajudaram a provocar um rombo nas contas externas do país. O déficit total foi de US$7,1 bi, o pior desde 1947. (Págs. 1 e 23)

Chávez vai para Cuba sem passar cargo a vice

O presidente da Venezuela embarca hoje para Cuba, mas não passou o cargo a seu vice. Ele disse que governará o país de Havana e alertou partidários a se manterem atentos “às mentiras da oposição”. (Págs. 1 e 27)

Equador: o artigo que condenou jornalistas

O Globo publica, junto com oito jornais do Grupo Diários América e 55 da Colômbia, o artigo de Emilio Palacio que levou à sua condenação e de três donos do “El Universo”, processados pelo presidente Rafael Correa, do Equador. (Págs. 1 e 29)

Rodovias também terão privatização

Com a promessa de baratear custos, o governo estuda novo modelo de privatização de estradas: a concessão à iniciativa privada para gestão e também manutenção de rodovias ao longo de 10 anos. (Págs. 1 e 5)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: ONU acusa ditador sírio de ordenar massacres

Lista com autoridades acusadas de crimes contra a humanidade pode servir para futuro julgamento

A comissão da ONU que investiga o conflito na Síria. liderada pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, concluiu que os crimes contra a humanidade no país foram ordenados pela cúpula do regime Bashar Assad. O próprio ditador é citado nominalmente em lista elaborada pela comissão para relacionar as autoridades envolvidas de forma direta no massacre de opositores. A lista poderá servir como base de um eventual processo Tribunal Penal Internacional. Para Pinheiro, tudo indica que a repressão é um “política de Estado”. Mas o documento da ONU também acusa o Exército Sírio Livre por crimes e amplas violações de direitos humanos, embora em escala menor que o governo. Os rebeldes teriam executado soldados e simpatizantes do regime. (Págs. 1 e Internacional A13)

‘Precisamos de ajuda estrangeira’

Opositor sírio exilado na Jordânia, Najati Tayara disse em entrevista a Jamil Chade que os rebeldes precisam de ajuda externa. “(O ditador Bashar) Assad é ajudado por Irã e Hezbollah. Também temos direito.” Para ele, Assad “não entende outra língua” senão a da violência. (Págs. 1 e Internacional A13)

Fotolegenda: Choque de trem vira crise política

Parentes de vítimas em necrotério de Buenos Aires: um dia após o acidente que matou pelo menos 50 pessoas, cresceu a pressão para a presidente Cristina Kirchner suspender a concessão da linha ferroviária à companhia TBA. O governo é acusado de tratar o sistema com descaso. (Págs. 1 e Internacional A14)

BC segura dólar; Mantega diz ter ‘arsenal’ cambial

O governo decidiu atuar com mais vigor para tentar conter a queda do dólar. Ontem pela manhã, quando a cotação da moeda caiu para R$1,69, uma ampla ação foi deflagrada. O Banco Central fez duas compras: uma no mercado futuro e outra no à vista. Depois, o ministro Guido Mantega (Fazenda) foi a público para avisar que o Brasil “não permitirá a apreciação excessiva do real” e dizer que tem “um grande arsenal” para evitar isso. A ação deu resultado e o dólar fechou a R$1,71. (Págs. 1 e Economia B1)

Internet vende kit para candidatos

Pelo menos três endereços na internet oferecem para as próximas eleições serviços especiais a candidatos a vereador, com promessas de trabalho personalizado e até discursos exclusivos. Por R$19,90, é possível comprar um pacote de projetos de lei e apresentá-los como sendo do candidato. (Págs. 1 e Nacional A4)

Empresa pode consultar SPC antes de contratar (Págs. 1 e Economia B4)

Wolfgang Schaubele

O modelo da América Latina

Uma estratégia de crescimento europeu baseada em dívidas terá como efeito travar a expansão, lição que a América Latina aprendeu. (Págs. 1 e Economia B6)

Notas & Informações

Piora na crise na Europa

A Europa continuará sendo um peso morto para a economia mundial em 2012. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: O deboche dos distritais

Jogo de cena empurra para baixo do tapete projeto que acaba com 14º e 15º salários de deputados

A turma da boquinha// A Câmara Legislativa é composta de 24 parlamentares. Veja quem são os 17 distritais que não abrem mão do injustificável provilégio

A benesse é contestada pela população e por órgãos de controle do Judiciário. Mas até petistas que antigamente se diziam contráriosa esse tipo de privilégio rederam-se ao mimo e se recusam a pôr em votação proposta que extingue os pagamentos extras. Autor do requerimento, Raad Massouh (PPL) se licenciou da Câmara para assumir o cargo de secretário de Micro e Pequenas Empresas. Ele culpa o presidente da Casa pela manutenção dos pagamentos extras. “Se o deputado Patrício (PT) realmente quiser mudar a imagem da Casa, ele tem que botar esse projeto em votação. Se for derrotado, calo a minha boca”, provoca. Patrício alega não haver acordo para votar o projeto Se depender da oposição, o 14º e o 15º também não terão fim. “Não sou hipócrita. Esse dinheiro faz falta para o meu mandato”, diz Celina Leão(PSD). (Págs. 1, 22 e Visão do Correio 14)

RS14,2 mil. E mesmo assim ninguém quer

O GDF está oferecendo o dobro do que paga a médicos concursados, mas nem assim consegue preencher as vagas para contratação temporária em três especialidades. Os que menos se interessam em trabalhar na rede pública são anestesistas e psiquiatras. (Págs. 1 e 24)

Pai de Marcelo rompe o silêncio

O ex-deputado Flávio Dino falou ao Correio sobre a morte do filho e cobrou explicações do Hospital Santa Lúcia. (Págs. 1 e 25)

Golpe: Chupa-cabras nos bancos da Câmara

Apesar dos mais de 200 funcionários de segurança contratados pelo Congresso e das dezenas de câmeras de vigilância instaladas nos prédios, os criminosos conseguiram violar os caixas eletrônicos. Pelo menos um servidor foi lesado e prestou queixa. A polícia legislativa garante que já tem suspeitos. (Págs. 1 e 4)

Receita libera hoje programa para o IR (Págs. 1 e 9)

Chávez: Venezuela já debate sucessão no poder

Especulações sobre o estado de saúde do presidente, que luta contra um câncer, fazem aliados pensarem no futuro. (Págs. 1 e 17)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Novas regras ‘reprovam’ até R$ 95 bi de capital de bancos

Do total de R$ 239 bilhões que hoje são considerados como capital próprio pelos quatro maiores bancos brasileiros – Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander -, apenas cerca de 60% a 70% passarão pelo novo crivo de qualidade que será imposto pelo Banco Central, que seguirá regras internacionais definidas com seus pares em todo o mundo.

A diferença de R$ 75 bilhões a R$ 95 bilhões a menos no capital próprio considerado de melhor qualidade tem impacto direto na capacidade de empréstimo. Pelas normas atuais, o capital de melhor qualidade é conhecido por “nível 1”, mas as novas regras o chamado “core capital” terá parâmetros mais exigentes, daí a “perda”. Analistas e bancos começam a calcular o impacto das medidas, colocadas em audiência pública na sexta-feira passada. (Págs. 1 e C1)

Oferta do BTG pode chegar a R$ 3 bilhões

O BTG Pactual quer aproveitar o espaço que se abre no mercado de ações para fazer sua aguardada abertura de capital. O banco se prepara para levar cerca de 10% do capital à bolsa. O montante da oferta ainda é incerto, porque a cúpula da instituição faz segredo do valor que gostaria de atribuir ao banco. Segundo estimativas obtidas pelo Valor, a oferta poderia ir de R$ 2 bilhões a R$ 3 bilhões. Deve ser uma operação totalmente primária, com emissão de novas ações para aumento de capital. Dessa forma, os sócios atuais manterão suas ações e apenas terão suas participações diluídas na proporção do aumento de capital. A oferta deverá ser de “units”, papéis que reúnem ações ordinárias e preferenciais. (Págs 1 e C12)
Argentina pretende congelar importações

Preocupado com um déficit crescente nas contas externas e sem acesso a crédito internacional, o governo argentino quer congelar as importações, segundo avaliação de dirigentes empresariais. Estudo da consultoria Carlos Melconian estima que as barreiras já adotadas pelo país reduzirão em US$ 1 bilhão por mês as compras externas em 2012. Em 2011, a Argentina importou o equivalente a US$ 73,9 bilhões, 31% mais que no ano anterior. Agora, o governo quer segurar o resultado deste ano em torno desse valor.

Embora tenha alcançado superávit de US$ 10,3 bilhões no ano passado, o mercado argentino registrou déficit em 65 dos 99 capítulos da nomenclatura do comércio internacional. Os 34 itens superavitários somaram saldo de US$ 51,6 bilhões, sendo que metade correspondeu às divisas geradas pelo complexo soja. Outros US$ 9,1 bilhões foram provenientes da venda de cereais e subprodutos. O comércio de frutas rendeu US$ 3,1 bilhões e o de ouro, US$ 2,8 bilhões. (Págs. 1 e A9)

Fotolegenda: O novo rosto da China

Xi Jinping, vice-presidente e provável futuro presidente chinês, deve iniciar novo período na história do país, um momento que o resto do mundo compreenderá apenas em parte. (Págs. 1 e Eu&Fim de Semana)

GM pode ter fornecedor local em SC

Fabricantes de autopeças e máquinas de Joinville acreditam que poderão se tornar fornecedores das duas unidades da General Motors previstas para entrar em funcionamento nos próximos três anos. Ontem, representantes dessas empresas lotaram o Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis, onde foi feito o anúncio oficial de um novo investimento no Estado.

A montadora anunciou a instalação de uma fábrica em Joinville para produzir transmissões. A unidade será erguida no mesmo complexo da fábrica de motores. No total, o investimento da GM na região chegará a R$ 1 bilhão até 2014. (Págs. 1 e B6)

Operações da Kodak no país agonizam

A lenta agonia da Kodak trouxe drástica redução das operações no Brasil. Em São José dos Campos (SP), a empresa usa apenas dois dos 24 prédios de um complexo de 800 mil m2 que ocupava anteriormente. As demais instalações foram transformadas em um centro empresarial, alugado pela Kodak a outros condôminos. Dos 500 funcionários de seus tempos de prosperidade, restam 40. Com a decisão global de encerrar a produção de câmeras digitais, a companhia deve pôr fim ao contrato de terceirização no Brasil. A rede Kodak Express, que em 2008 chegou a ter mil lojas, definhou e deixou, aos poucos, de ter relações comerciais com a empresa. (Págs. 1 e B1)

Aporte extra de recursos para o FMI divide o G-20

Os ministros de Finanças do G-20, grupo com as mais importantes economias do mundo, vão divididos a uma reunião neste fim de semana, na Cidade do México, que discutirá o pedido de aporte de até US$ 600 bilhões feito pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para combater os efeitos globais de um eventual agravamento da crise europeia. Fontes que acompanham as negociações dizem que será muito difícil um acordo. Mas é possível um comunicado delineando como seria o formato do aporte ao Fundo.

Segundo uma fonte do governo em Brasília, o país caminha para fazer um empréstimo bilateral ao FMI com recursos das reservas internacionais. Os valores seriam contabilizados como ativos nas reservas. Outros países preferem abrir uma linha de crédito ao Fundo, que seria sacada só em caso de necessidade. (Págs. 1 e C12)

Novo porto em Manaus causa disputa legal

Ambientalistas, arqueólogos e moradores da região se mobilizam contra o projeto de construção de um porto em área próxima ao encontro das águas dos rios Negro e Solimões. Atraída pela demanda criada pela expansão da Zona Franca de Manaus, a operadora logística Log-In (cujo maior acionista é a Vale) pretende investir cerca de R$ 200 milhões na construção do terminal. A disputa está na Justiça já que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) aprovou em 2010 o tombamento da região, inviabilizando o porto. No ano passado, a Justiça Federal no Amazonas cassou o tombamento feito pelo governo federal. (Págs. 1 e B7)

‘Não há espaço para países recuarem em metas fiscais’, diz Draghi (Págs. 1 e C4)

Milionários deixam a China em busca de uma vida melhor (Págs. 1 e B9)

Concessões rodoviárias

O governo prepara mudanças nos leilões de rodovias federais, previstos para o segundo semestre. A ideia é tornar o processo mais competitivo, garantir a execução dos investimentos e impor penalidades mais duras pelo descumprimento dos contratos. (Págs. 1 e A4)

Ficha Limpa na administração

Após ser aprovada pelo STF, a Lei da Ficha Limpa começa a chegar à administração pública. O governo paulista e a Prefeitrua de São Paulo preparam decretos para ampliar a lei aos servidores. Minas, Mato Grosso do Sul e Paraíba já aprovaram leis nesse sentido. (Págs. 1 e A6)

Novos ataques ao Funpresp

Servidores do Congresso Nacional e do Tribunal de Contas da União centram fogo contra a aprovação do Fundo de Previdência dos Servidores Públicos Federais na Câmara dos Deputados. (Págs. 1 e A7)

Luiz César Fernandes assume a Laep

Luiz César Fernandes, um dos fundadores do banco Pactual, assume hoje o comando da Laep, em substituição ao empresário Marcus Elias. Desde 1999, Fernandes estava afastado do mercado financeiro. (Págs. 1 e B12)

Ideias

Claudia Safatle

Alguns economistas oficiais cogitam a possibilidade de o país importar mão de obra com contrato temporário de trabalho. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Maria Cristina Fernandes

Poderes do Conselho Nacional de Justiça são uma garantia de que a Lei da Ficha Limpa não será desmoralizada. (Págs. 1 e A6)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Nada a comemorar

Apesar da queda nas BRs, total de 45 mortes nas estradas de MG quase iguala o do carnaval de 2011

Há mais de um ano não saem do papel editais do Dnit de reforma de 1.721 quilômetros no estado

A Polícia Rodoviária Federal considerou positivos os números da Operação Carnaval em Minas, encerrada à 0h de ontem, com diminuição de acidentes nas estradas da União e 24 mortes, 20% a menos que as 30 do feriadão do ano passado. Mas pouco depois de fecha do o balanço, apenas na BR-040, dois acidentes ceifaram mais cinco vidas (veja ao lado). Além disso, somando-se os óbitos nas rodovias estaduais, a carnificina foi praticamente a mesma do carnaval anterior, que teve maior volume de chuva e 46 mortos. Para piorar, dos 37 editais lançados pelo Dnit desde o início de 2011 para obras em BRs no estado, como a própria 040 e a BR-381, 27 (76%) continuam parados nas gavetas do departamento. (Págs. 1, 17, 19 e Editorial 8)

Blindado: Por que o euro resiste à crise da Grécia

Moeda que está no centro da crise financeira internacional parece não se abalar, mesmo com países ruindo à sua volta, como a Grécia, que aprovou novo plano de alívio das dívidas. A robustez se deve à força da economia do bloco, com larga contribuição de Alemanha e França, à desvalorização do dólar e ao aparente otimismo das bolsas de valores sobre o futuro do euro. Por isso, brasileiros com viagem marcada para a Europa não devem apostar em compras mais baratas. Desvalorização em relação ao real não é o cenário esperado por especialistas. (Págs. 1 e 10)

Reforma agrária: MP investiga venda de terra de assentados

Ministério Público Federal abriu procedimento para apurar o comércio e uso ilegal de terrenos de assentamento no Norte de Minas, que viraram fazendas de criação de gado e sítios de lazer. As fraudes envolvem pelo menos um prefeito e dois vereadores da região. (Págs. 1 e 3)

Saúde: Veto a limite de despesa vale para todos os planos

Decisão do STJ abrange contratos antigos, anteriores a 1998, que costumam ser excluídos das resoluções da ANS. (Págs. 1 e 13)

Patrimônio: Sem pressa de proteger as igrejas

Reativação de emergência dos alarmes de segurança em 40 templos mineiros, prometida pelo Iepha para o carnaval, não ocorreu. Ministério Público quer ampliar relação de imóveis protegidos. (Págs. 1 e 20)

Emprego: Criação de vagas cai 21% no país e sobe 19% em MG (Págs. 1 e 12)

Assembleia: Projeto eleva tempo para oficial da PM se aposentar (ágs.1 e 5)

Venezuela: Médico afirma que Chávez só tem mais de 5 meses de vida (Págs. 1 e 15)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Receita mais ágil para receber o IR

Órgão ampliou capacidade em 20% e pode processar, em média, 3,5 milhões de declarações por dia. Programa está disponível para download a partir de hoje e envio começa dia 1º de março. (Págs. 1 e economia 1 e 2)

Carnaval com menos acidentes

Segundo a PRF, número de mortes caiu 18,5% no País. Em Pernambuco, foram 50 acidentes a menos este ano. (Págs. 1 e 6)

Brasil será sede do Dia Mundial do Ambiente (Págs, 1 e cidades 6)

Obras aceleradas da Fiat

Terraplanagem da fábrica em Goiânia, bancada pelo Estado, avança para terceiro turno de trabalho, à noite. (Págs. 1 e economia 3)

Governo do estado projeta investimentos de R$3 bilhões este ano (Págs. 1 e economia 6)

Choque de helicópteros no Arizona mata sete militares dos EUA (Págs. 1 e 9)

País registra queda expressiva no índice de mortalidade materna (Págs. 1 e 8)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Arroz será combustível para seis usinas no RS

Apresentado na abertura da colheita, investimento de mais de R$ 700 milhões para fabricar etanol em seis municípios até 2020 deve gerar 12 mil empregos (Pág. 1 )

Entrevista ZH: Brasileiro desvenda atrocidades da Síria

Paulo Sérgio Pinheiro lidera grupo da ONU que investiga ditadura de Al-Assad. (Págs. 1 e 28)

BM: Até o PT questiona projeto de promoções (Págs. 1, 6 e Rosane de Oliveira 10)

Gravataí: Doze indiciados por operação desastrada (Págs. 1 e 43)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Geração de empregos mostra que mercado de trabalho está aquecido

O Brasil criou 118.895 novas vagas em janeiro de 2012, contra 152.091 de um ano antes. Essa queda de 21,8% poderia parecer um sinal negativo, mas demonstra a pujança da economia, já que o país vive quase o pleno emprego. A queda dos juros ajudou. (Págs. 1 e 6)

Riscos que a Europa traz para o Brasil

A piora do cenário na Zona do Euro, com a previsão de um PIB de -0,3% para 2012 na região, deve ter reflexos na economia brasileira e reduzir o crescimento. (Págs. 1 e 4)

BC, munição contra real forte

O Banco Central mostrou ontem que tem bala na agulha para enfrentar a desvalorização do dólar. Depois de seis meses de trégua, fez operações no mercado à vista e leilões cambiais. Alexandre Tombini: de olho na oscilação do dólar e instrumentos para intervir.(Págs. 1 e 30)

Dívida da Busscar agora é de R$1,4bi

A fabricante de carrocerias em recuperação judicial teve sua dívida com 6,8 mil credores aumentada. (Págs. 1 e 17)

Techint caça US$1 bi para pagar Usiminas

Grupo italiano vai aos bancos atrás de dinheiro para comprar parcela da empresa brasileira. (Págs. 1 e 16)

Arte ou dinheiro?

Aberturas de franquias de museus famosos como Louvre ou Guggenheim estão gerando muita polêmica. (Págs. 1 e 28)

Clipping Radiobrás

Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.