Dilma revê a política do Brasil sobre o Irã – STF veta benefício para agressores de mulheres – Ficha Limpa pode ficar ainda mais esvaziada – E não é que vai sujar ainda mais? – Negócios Sustentáveis – Turismo antropológico – Justiça gasta milhões para guardar ações encerradas – Novos governadores dão sequência à guerra fiscal – Ficha Limpa corre risco de não valer nem em 2012 – Procurador teve reunião secreta com pivô de mensalão do DF – Combate à dengue sofre com falhas…

O Globo

Manchete: Brasil muda e agora apoia investigar os abusos do Irã

Pedido foi feito por Obama a Dilma; Cuba e China continuam contra

O governo Dilma Rousseff distanciou-se claramente da postura do antecessor Lula em relação ao Irã, votando a favor de uma resolução que abre caminho para o Conselho de Direitos Humanos da ONU investigar as denuncias de violações do regime de Mahmoud Ahmadinejad. Em sua visita a Brasília, no sábado, Barack Obama pediu o apoio de Dilma a resolução, mas não obteve resposta. Na votação de ontem, ficou clara a divisão: entre os sete que apoiaram o regime dos aiatolás, estão países com sérios problemas de direitos humanos, como Cuba, Paquistão e China, que temem ser alvo de uma resolução semelhante. “Este não é um voto contra o Irã. É um voto a favor do fortalecimento do sistema de direitos humanos”, justificou a representante do Brasil, embaixadora Maria Nazareth Farani Azevedo. (Págs. 1 e 36)

Líbia: Otan comandará ação

Países-membros da Otan decidiram assumir o comando de parte da operação na Líbia, assegurando a zona de exclusão aérea. Alguns dirigentes ainda relutam em aceitar bombardeios contra tropas do ditador Kadafi. Caças franceses destruíram um monomotor líbio que aterrissava em Misurata. (Págs. 1, 37 e 38)

Foto legenda: O cara com a cara na porta

De volta a Washington, após cinco dias pela América Latina, o presidente Obama encontrou a porta de seu escritório, na Casa Branca, trancada, e teve que procurar outra entrada. (Págs. 1 e 36)

A noite da pacificação

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, recebe o prêmio de Personalidade do Ano na cerimônia do Faz Diferença 2010, pelo trabalho de pacificação das favelas cariocas. Beltrame destacou a participação da sociedade no projeto: “Não vamos perder a oportunidade de buscar a melhoria da vida da população”, afirmou. Outras 16 personalidades ou empresas foram premiadas na oitava edição do prêmio, promovido pelo GLOBO e pela Firjan. (Págs. 1 e 10 a 12)

Combate à dengue sofre com falhas

Enquanto aumentam os casos de dengue no Rio, as vítimas da doença ainda enfrentam dificuldades, como diagnósticos errados e combate precário aos focos do Aedes aegypti. (Págs. 1 e 17)

Ficha Limpa também é dúvida em 2012

Ministros do STF, como o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, admitem que a Lei da Ficha Limpa poderá ser questionada nas eleições de 2012, devido a artigos polêmicos. (Págs. 1, 3, 4 e Merval Pereira)
Geddel Vieira é nomeado vice da Caixa

Ex-ministro da Integração e candidato derrotado ao governo da Bahia, o peemedebista assume a vice-presidência da área de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal. (Págs. 1 e 31)

Na Era Lula, o BNDES privilegiou grandes grupos (Págs. 1 e 29)

Nelson Motta

O par Dilma-FH seria uma espécie de Romeu e Julieta maduro – mas com final feliz. (Págs. 1 e 7)
Para Infraero, ‘se a Copa fosse hoje, não teria problema’ (Págs. 1 e 32)

Desemprego é o maior desde agosto e renda recua 0,5% (Págs. 1 e 32)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Brasil muda de posição na ONU e irrita regime do Irã

País apoia investigar casos de violação de direitos; Teerã acusa governo Dilma de ‘dobrar-se’ aos EUA

O Brasil votou favoravelmente no Conselho de Direitos Humanos da ONU ao envio de um relator para investigar a situação das garantias individuais no Irã, informa o correspondente Jamil Chade. A ordem do Itamaraty era a de mostrar que o País terá nova postura em relação ao tema. ONGs e países ocidentais comemoraram a decisão. O Irã acusou o governo de Dilma Rousseff de “dobrar-se” à pressão dos Estados Unidos e insinuou traição. “É mesmo lamentável ver o Brasil adotar essa posição”, disse o embaixador do Irã na ONU, Sayad Sajjadi. Teerã esperava uma abstenção, repetindo o padrão de votação durante o governo Lula. A avaliação do chanceler Antonio Patriota é que a relação entre os dois países é “madura para não ficar refém de uma ou outra decisão”. A proposta teve 22 votos a favor, 7 contra e 14 abstenções. (Págs. 1 e Internacional A12 e A13)

Análise: Mac Margolis
Voto mostra divergência de Dilma com antecessor

Dilma não concordara com a posição brasileira no caso do apedrejamento de Sakineh. Ontem, confirmou suas declarações. (Págs. 1 e Internacional A13)

Procurador teve reunião secreta com pivô de mensalão do DF

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teve um encontro secreto com o ex-governador José Roberto Arruda em 2 de setembro do ano passado, informa o repórter Leandro Colon. A reunião, de uma hora, entre investigador e investigado ocorreu no gabinete do procurador Alexandre Camanho, fora da sede da Procuradoria-Geral e sem a presença dos advogados de Arruda. O teor da conversa foi o esquema de corrupção no Distrito Federal, mas Gurgel não a relatou nos autos do inquérito conduzido pela subprocuradora Raquel Dodge no Superior Tribunal de Justiça. O procurador-geral disse ao Estado, por meio da assessoria, que teve uma conversa “preliminar” com o ex-governador e que entendeu que não era “útil” transformá-la em depoimento. (Págs. 1 e Nacional A4)

Foto legenda: Na Europa, protestos contra o aperto fiscal

Homem é contido por canhões de água durante protesto contra programas de rigor fiscal de governos europeus em Bruxelas, onde é realizada reunião de cúpula do Conselho Europeu; liderados pela chanceler alemã Angela Merkel, chefes de Estado pressionam Portugal a aceitar socorro financeiro. (Págs. 1 e Economia B10)

Caso Panamericano derruba cúpula da CEF

Maria Fernanda Coelho caiu da presidência da Caixa Econômica Federal. A saída se dá cinco meses após a compra, pela Caixa, de 49% do banco Panamericano, de Silvio Santos, e da fraude contábil envolvendo o balanço divulgado em novembro. O empurrão final para a demissão foi a divergência com o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, por conta do preenchimento de diretorias da Caixa com políticos aliados do Planalto. (Págs. 1 e Economia B1 e B4)

França: ação na Líbia não se estenderá por meses (Págs. 1 e Internacional A14)

Relator vai rever projeto do Código Florestal (Págs. 1 e Vida A18)

‘Ficha Limpa será fatiada como salame’

Para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa poderá ser questionada antes da eleição de 2012. “A lei será fatiada como um salame e será analisada alínea por alínea.”(Págs. 1 e Nacional A6)

Dora Kramer

Estreita vigilância

Conviria à sociedade manter-se mobilizada em torno da validade do preceito geral da Lei da Ficha Limpa e evitar ataques especulativos até 2012. (Págs. 1 e Nacional A8)

Notas & Informações

A difícil decisão do STF

O Supremo deixou em aberto o ponto talvez mais polêmico da Lei da Ficha Limpa. (Págs. 1 e A3)

Washington Novaes

Utopias do Xingu aos 50 anos

Toma corpo projeto de levar à ONU proposta de reconhecimento do Parque do Xingu como patrimônio da humanidade. Nada mais necessário. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Dilma dá as costas a “amigão” de Lula

Brasil muda posição em relação ao Irã e vota a favor de resolução da Onu para investigar violações de direitos humanos perpetradas pelo governo de Ahmadinejad, queridinho do então presidente Lula. Pelo menos nos últimos sete anos, o Itamaraty se absteve de votar quando essa questão envolvia Teerã. A nova postura evidencia, até agora, a mais radical divergência entre Dilma e Lula, seu antecessor e mentor político. (Págs. 1 e 20)

Ficha Limpa corre risco de não valer nem em 2012

Queda da validade da lei para 2010 foi só o primeiro golpe. Ministros do STF e especialistas avaliam que é grande o risco de a Ficha Limpa ser desconstruída item por item em novo julgamento no Supremo. Além disso, a corte do TSE que sustentou a legislação para as eleições do ano passado não será a mesma no ano que vem. (Págs. 1 e 2 a 4)

Álcool sobe

Litro chega a R$ 2,84, quase igual à gasolina. (Págs. 1 e 38)

Foto legenda: Educação à parte

Estudantes invadem espelho d’água do Congresso para cobrar mais dinheiro para o ensino. A presidente Dilma prometeu que universidades não serão atingidas por cortes no Orçamento. (Pág. 1)

Pandora: Contagem regressiva contra Bandarra e Guerner

Denunciados por vários crimes, muitos relacionados à Operação Caixa de Pandora, o ex-procurador geral do DF Leonardo Bandarra e a promotora Deborah Guerner poderão ser demitidos de seus cargos em 6 de abril pelo Conselho Nacional do Ministério Público. Entre as acusações está a extorsão ao ex-governador Arruda para que um vídeo gravado por Durval Barbosa não fosse divulgado. (Págs. 1 e 27)

Loteamento político: PT e PMDB levam Caixa

Governo rateia cargos entre partidos e põe Geddel Vieira Lima em posto de chefia. Presidente da CEF deixa o banco e vai para o BID. (Págs. 1 e 7)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Novos governadores dão sequência à guerra fiscal

Com menos de três meses de governo, sete Estados – São Paulo, Acre, Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rondônia e Ceará – já ampliaram benefícios fiscais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), indicativo de que a guerra fiscal continua nas novas administrações.
Além de prorrogar incentivos que reduzem a 7% ou 12% o imposto devido por fabricantes de artigos de couro, higiene pessoal, cosméticos, instrumentos musicais, brinquedos, alimentos e têxteis, São Paulo também instituiu novos benefícios. Reduziu a alíquota efetiva do imposto para 7% nas vendas das indústrias de linha branca. Fabricantes de compensados e laticínios também tiveram benefícios.(Págs. 1 e A2)

Portugal entra na rota das incertezas

A aparentemente inevitável aceitação de um pacote de socorro por Portugal ameaça tornar-se um processo prolongado e potencialmente caótico. Líderes europeus advertiram que Lisboa precisa aprovar o recém-rejeitado pacote de austeridade, antes que considerem oferecer empréstimo emergencial ao país.
Reunidos numa cúpula em Bruxelas, chefes de governo e altos funcionários da União Europeia (UE) advertiram que Portugal está entrando num período de semanas de incerteza política que poderá deixar o país incapacitado para agir com base em novas medidas orçamentárias da UE e até mesmo para pedir um pacote de ajuda internacional.(Págs. 1 e A13)

O plano B da Odebrecht para linhão

Mesmo sem a garantia da volta imediata dos 16 mil operários às obras da usina Santo Antônio, em Rondônia, a Odebrecht Energia diz ter alternativas para distribuir a energia que será antecipada a partir de dezembro, caso o “linhão” do Madeira não esteja pronto. A intenção é usar a linha de transmissão da Eletronorte entre Porto Velho e Mato Grosso. “Vamos mandar metade da energia para Cuiabá. A outra parte vai ficar aqui, onde a demanda tem crescido com novas indústrias”, disse o diretor-superintendente da empresa, José Bonifácio Pinto Junior.
As obras em Jirau continuam paradas, à espera de negociações sindicais conduzidas pela Camargo Corrêa. (Págs. 1 e A3)

Justiça gasta milhões para guardar ações encerradas

Enquanto avançam os programas do Judiciário para ampliar a informatização processual no Brasil, os tribunais gastam milhões de reais para guardar ações em papel já finalizadas. O Tribunal de Justiça de São Paulo, por exemplo, tem milhões de caixas de papelão com cerca de 70,5 milhões de processos em galpões e prédios, acumulados desde 1874 – ano em que a Corte estadual foi criada. O tribunal gasta mensalmente R$ 1,7 milhão para conservar a maior parte de seu acervo. Cerca de 10 milhões de ações estão no Complexo Judiciário do Ipiranga, na capital, em caixas colocadas em estantes de ferro de seis metros de altura, presas às paredes para evitar a queda de umas sobre as outras.
Na Justiça Federal de São Paulo a situação não é muito diferente. O gasto mensal é praticamente o mesmo do Judiciário estadual para a manutenção de milhões de processos e documentos administrativos arquivados. (Págs. 1 e E1)

Quintela, o mais bem pago do CS

O brasileiro Antonio Quintella foi o mais bem pago de todos os membros do comitê executivo do Credit Suisse (CS) em 2010. Ele superou os ganhos do CEO mundial do grupo, Brady Dougan, e também de diretores de outros bancos suíços para entrar na categoria dos executivos mais bem remunerados do mundo. A remuneração de Dougan caiu 34% com o recuo de 24% no resultado do banco.
O ganho total de Quintella alcançou US$ 16,7 milhões (15,6 milhões de francos suíços), uma proeza ainda maior quando se considera que seu salário fixo foi de US$ 845 mil. Pelo pacote revelado ontem num relatório destinado aos acionistas, Quintella embolsou 9,7% dos 160,3 milhões de francos suíços pagos pelo Credit Suisse aos 16 membros de seu comitê executivo. Na prática, tornou-se o mais bem pago no mundo bancário helvético. (Págs. 1 e C1)

Amyris prevê investir US$ 5 bi no país

A Amyris, empresa americana de biotecnologia, planeja investir cerca de US$ 5 bilhões no Brasil até 2020, junto com parceiros locais, como parte de uma estratégia para garantir o suprimento de matéria-prima num mercado que, ora destina mais cana para produzir álcool combustível, ora para açúcar, dependendo das condições de mercado.
“Lidar com uma indústria que muda a produção de açúcar para energia, e vice-versa, será sempre um problema”, disse ao Valor o presidente mundial da Amyris, John Melo. Esse é um dos desafios enfrentados por uma companhia de alta tecnologia que começa a construir no Brasil, a partir do zero, uma plataforma comercial para fabricar produtos como lubrificantes, combustível de aviação e insumos químicos para cosméticos e perfumes, entre outros. (Págs. 1 e B14)

Substituto de Agnelli começa a ser definido

Os acionistas controladores da Vale começam a definir hoje a substituição do executivo Roger Agnelli da presidência da companhia. O presidente do Conselho do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente da Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil), Ricardo Flores, se reúnem no fim da tarde, na sede do BB em São Paulo, para acertar os detalhes da demissão de Agnelli e da escolha de seu substituto.
Durante o encontro, haverá discussão de nomes para compor uma lista com três candidatos. A tendência é que a lista seja integrada por executivos da mineradora. Um dos nomes que vão compor a lista é o de Tito Botelho Martins, diretor-executivo de operações e metais básicos da Vale e diretor-presidente da Inco.(Pág. 1)

Bolsa e CVM incentivam negócios com BDRs (Págs. 1, D1 e D2)

Gargalo tecnológico

O Brasil não está despreparado, do ponto de vista tecnológico, para promover a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. A avaliação é de executivos do setor que participaram ontem de seminário promovido pelo Valor. (Págs. 1 e B3)

TAM na rodoviária

TAM fecha acordo com a empresa de transporte rodoviário Pássaro Marrom para a venda de passagens. É mais um passo na estratégia da companhia para atrair os passageiros da classe C. (Págs. 1 e B4)

Turismo antropológico

A ONG Instituto Socioambiental e a agência de turismo de alto padrão Matueté uniram-se para oferecer “viagens de conhecimento” da Amazônia para grupos de até 12 pessoas, em cruzeiro pelo rio Negro. (Págs. 1 e B6)

Seguros

Mercado de seguros no Brasil deverá movimentar este ano cerca de R$ 200 bilhões, com crescimento de 13% em relação ao ano passado. “Temos um enorme volume de seguros para garantir a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016″, diz Antonio Cássio dos Santos, da BB & Mapfre. (Págs. 1 e Caderno Especial)

MRS vai investir R$ 1,5 bi

A MRS Logística pretende investir R$ 1,5 bilhão este ano em infraestrutura viária e material rodante, o dobro do valor aplicado em 2010. A meta é crescer no transporte de carga geral e contêineres. (Págs. 1 e B8)

Brasil ganha espaço na Volks

Com 15% das vendas globais da marca, o Brasil superou a Alemanha e se tornou o segundo maior mercado da Volkswagen no mundo, atrás da China. A montadora vai investir R$ 6,2 bilhões no país até 2014. (Págs. 1 e B10)

Negócios Sustentáveis

Nos próximos meses, o governo federal deve relançar sete editais para concessão de parques nacionais à iniciativa privada, a exemplo das Cataratas do Iguaçu, onde o número de visitantes superou 1,2 milhão de pessoas em 2010, diz Celso Florêncio. (Págs. 1 e Especial)

Ideias

Claudia Safatle

BC acha que mercado ignora que já houve dois aumentos de juros, um pacote de ajuste fiscal e medidas prudenciais. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Javier Santiso

Precisamos revisar drasticamente a suposta lei da maldição das matérias-primas para algumas regiões da América Latina. (Págs. 1 e A15)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: …E não é que vai sujar ainda mais?

Depois de ter sua validade nas eleições de 2010 cancelada pelo Supremo, a Lei Ficha Limpa deverá sofrer outro revés no tribunal. Quando for julgado o princípio da retroatividade, tudo indica que a corte decidirá que a legislação só poderá ser aplicada aos condenados por órgãos colegiados após sua aprovação, em 7 de junho do ano passado. Quatro dos 11 ministros já se manifestaram neste sentido, e a tese tem a simpatia de outros dois. A primeira decisão do Supremo causa confusão na Assembleia Legislativa de Minas sobre quem tem direito aos mandatos. (Págs. 1 e 3 a 7)

Preço do café subirá até 50%

Escassez do produto de boa qualidade devido à alta demanda no mercado internacional o tornará mais caro nos supermercados e cafeterias. (Págs. 1 e 14)

Diplomacia

Brasil muda de posição na ONU e vota contra Irã. (Págs. 1 e 19)

Agilidade

Uma estrada reconstruída em 6 dias. Só no Japão. (Págs. 1 e 21)

Dengue

Vírus tipo 4 chega ao Rio e acende alerta em Minas. (Págs. 1 e 26)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Preço do álcool fica menos competitivo

Litro de etanol em alguns postos do Grande Recife chega a R$ 2,12. Alta é resultado de uma soma de fatores como a chuva, que comprometeu 30% da safra do Estado em 2010. Situação só deve ser regularizada na segunda quinzena de abril. (Pág. 1)

STF veta benefício para agressores de mulheres (Pág. 1)

Ficha Limpa pode ficar ainda mais esvaziada (Pág. 1)

Grandiosidade será a marca maior do Parque Dona Lindu (Pág. 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Dilma revê a política do Brasil sobre o Irã

Planalto passa a apoiar investigação sobre violação de direitos humanos no país de Ahmadinejad, uma mudança em relação à política externa de Lula. (Págs. 1 e 8)

Descoberta em São Gabriel: Um pré-histórico anterior ao dinossauros

Apresentado pela UFRGS e destacado pela revista Science, fóssil revela ao mundo um herbívoro de 260 milhões de anos que já tinha traços de mamífero. (Págs. 1, 4 e 5)

Fim do suspense: Lima Veiga será novo chefe do MP

Tarso anuncia hoje opção pelo segundo colocado na eleição do Ministério Público. (Págs. 1 e 12)

Clipping Radiobras

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.