Brasil terá de importar gasolina até 2015 – Novas marcas avançam sobre velhas montadoras – Radicalismo: Ultradireita se identifica com ideias de matador – Força da chuva emite alerta contra cheias – Transnordestina terá pátio de cargas em Suape – Mortos no Peru: Familiares de engenheiros cobram explicações – Rússia e Brasil perto de acordo para carnes – STJ exige valorização dos concursos – Brasileiros comem muito e mal, mostra IBGE…

O Globo

Manchete: Ficha limpa? – Mulher de novo coordenador do Dnit representa empresas
Marcelino e Sonia Rosa são chamados em Brasília de ‘casal Dnit’

Promovido a coordenador-geral de Operações Rodoviárias do Dnit, o servidor de carreira Marcelino Augusto Rosa comanda serviços milionários no órgão com empresas representadas por sua mulher, Sônia Lado Duarte Rosa. Ele também responde a processo disciplinar na Controladoria Geral da União (CGU) por suposto favorecimento a empreiteiras. Sônia é procuradora de oito empresas, a maioria responsável por sinalização de rodovias. Graças a aditivos, algumas conseguiram dobrar o valor de seus contratos nos últimos anos. Sônia e Marcelino são chamados de “casal Dnit” em Brasília. Ela nega favorecimento e diz que “é uma coisa comum” parentes de servidores do Dnit atuarem no órgão. Ontem, mais um diretor foi afastado, e a autarquia hoje está sem um diretor sequer. (Págs. 1, 3 e 4)

Filme sérvio é vetado agora em todo o país
Ministério da Justiça recusou-se a dar uma classificação indicativa para o filme sérvio “A Serbian film – Terror sem limites”, o que, na prática, impede sua exibição no país. Uma decisão definitiva dependerá de parecer da Consultoria Jurídica da pasta sobre o filme, acusado de incentivar a pedofilia e que já tivera sua exibição suspensa no Rio, por liminar obtida pelo DEM. (Págs. 1 e 11)

Férias de 60 dias de juízes causam revolta
Estudiosos do sistema judiciário, trabalhadores em geral e centrais sindicais reagiram ontem à defesa, por associações de juízes, das férias de 60 dias para a categoria. Todos acham que magistrados são trabalhadores como os demais e não podem ter privilégios. (Págs. 1, 9 e Dos Leitores)

Presidente da Petrobras diz que ‘o problema do Rio são os cariocas’ (Págs. 1 e 23)

BC admite que inflação só ficará perto de centro da meta em 2013 (Págs.. 1 e 19)

Vendas para China puxam alta de 126% no lucro da Vale no 1º semestre (Págs. 1 e 24)

Peru: oposição vaia Humala em posse
O novo presidente do Peru, Olanta Humala, tomou posse jurando sobre a Constituição de 1979, e não a vigente, elaborada durante a ditadura de Alberto Fujimori, sendo vaiado por opositores. Alan García, que deixou o governo, polemizou ao não entregar a faixa a Humala. (Págs. 1 e 26)

Prato do brasileiro tem feijão, arroz e poucos nutrientes (Págs. 1 e 28)

César Maia e Gabeira devem ser candidatos a vereador do Rio (Págs. 1 e 10)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete: Desaceleração faz BC acenar com fim da alta dos juros

Ata do Copom diz que as medidas para conter a inflação terão impacto acentuado; mercado duvida

O Banco Central sinalizou que o ciclo de alta dos juros pode ter chegado ao fim diante de um quadro “mais favorável” para a inflação no curto prazo, da desaceleração econômica em curso e das incertezas “crescentes” sobre o ritmo de recuperação global. A ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, diz que as medidas já tomadas para controle dos preços e do crédito vão ter impacto mais acentuado nos próximos meses. Economistas não entenderam a mensagem desse jeito e apostam que o Copom só vai cumprir sua tarefa de entregar a inflação na meta em 2013. Fontes do governo, entretanto, consideraram exagerada essa avaliação. (Págs. 1 e Economia B1)

Dólar volta a se valorizar

Desde que o governo agiu no câmbio, na quarta, a moeda subiu 2% e fechou a R$ 1,569. (Págs. 1 e Economia B4)

País lidera expansão global do setor aéreo

Com taxa de 19% ao ano, o Brasil tem a maior expansão do setor aéreo no mundo, à frente de China, Índia, EUA e Europa. A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), porém, alerta que para evitar paralisia do setor e continuar crescendo, o País deve se organizar e investir pesadamente. (Págs. 1 e Economia B14)
Brasileiros comem muito e mal, mostra IBGE

O brasileiro não abre mão do feijão com arroz e tem carne no prato, mas combina o trivial com uma alimentação de alto índice calórico e baixo teor nutritivo. E ainda abusa do sal e do açúcar. É o que revela a Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil, realizada pela primeira vez pelo IBGE. Segundo a pesquisa, apenas um entre dez brasileiros come as 400 gramas diárias de frutas, verduras e legumes recomendadas pelo Ministério da Saúde. (Págs. 1 e Vida A16)

Colunista: Ignácio de Loyola Brandão

Fritando linguiça na banha de porco

Pobres têm o sentido aguçado para comida, com um impacto jamais esquecido. A cozinha de uma época em que nada havia no Brasil. Matava-se frango na hora. Era corriqueiro. O politicamente correto não existia. (Págs. 1 e Caderno 2, D8)

Internação de menor drogado tem aval jurídico

Um parecer da Procuradoria Geral do Município deu aval jurídico para a adoção da internação compulsória de meninos de rua usuários de droga em São Paulo. A decisão depende agora do prefeito Gilberto Kassab. (Págs. 1 e Cidades C1)

Novo presidente do Peru toma posse e copia Lula (Págs. 1 e Internacional A15)

 

Fifa se exime no uso de verba pública em sorteio (Págs. 1 e Esportes E1)

 

Honda anuncia recall de 102 mil carros Civic (Págs. 1 e Economia B14)

 

Nelson Motta

Sindicato dos estudantes

Se o futuro do Brasil está nas mãos dos estudantes e quem os representa é a UNE, então é bom começar a pensar em um plano B. (Págs. 1 e Nacional A10)
Notas & Informações

O novo pacote cambial

As novas medidas podem funcionar em caráter emergencial, mas o governo tem de fazer sua parte. (Págs. 1 e A3)
————————————————————————————

Correio Braziliense

 

Manchete: O perigo chega à mesa do brasileiro

Bombardeada pela publicidade, nova classe média troca o feijão com arroz por produtos industrializados que antes não consumia. Professora da UnB alerta para a necessidade de uma política alimentar no país

Nos últimos anos, quase 40 milhões de brasileiros passaram a integrar a classe média. A ascensão, porém, não foi assim tão benéfica no que diz respeito à alimentação. À medida que a renda cresce, revela pesquisa do IBGE, o consumo de alimentos de alto teor calórico e baixo valor nutritivo entre essas pessoas vai subindo.“Elas são bombardeadas pela publicidade, o que gera um anseio de consumo por produtos dos quais eram privadas”, avalia Elizabetta Recine, professora do curso de nutrição na UnB. Entre os principais problemas alimentares no país está a ingestão excessiva de açúcar e gordura saturada e o consumo insuficiente de fibras. Esse padrão alimentar de baixo teor nutricional, encontrado principalmente em estabelecimentos de fast food, pode acarretar consequências danosas, como obesidade e doenças crônicas. (Págs. 1 e 6)
BC interrompe alta dos juros. Dólar sobe de novo (Págs. 1, 8, 9 e Visão do Correio, 12)

 

A cada dia, 32 mulheres são espancadas em Brasília

Foram oito anos de agressões, um dedo e 13 dentes quebrados pelo marido. Mas, no dia em que ele agarrou a filha mais nova e ameaçou jogá-la contra a parede, a mulher de olhos verdes resolveu dar um basta e o denunciou. Dramas como o de Sabrina*, de 27 anos, se repetem com frequência assustadora no DF. Em média, por dia, 32 vítimas de violência procuram a Delegacia da Mulher para denunciar o companheiro. (Págs. 1, 22 e 23)
STJ exige valorização dos concursos

Ministro que determinou a substituição de um funcionário terceirizado propõe mudanças na lei, reduzindo a contratação de temporários. (Págs. 1 e 10)
UnB suspende a segunda chamada

A nova convocação do vestibular foi adiada para 1º de agosto devido ao elevado número de liminares para registro de alunos sem diploma do ensino médio. (Págs. 1 e 24)
————————————————————————————

Valor Econômico

 

Manchete: Concessões de elétricas devem ser prorrogadas

Mesmo com todo o desgaste político que poderia advir da decisão, que encontra resistências na área empresarial, o governo está convencido de que o melhor caminho para o setor energético é mudar a legislação e prorrogar as concessões de hidrelétricas, distribuidoras e redes de transmissão que vencem a partir de 2015.

O próprio presidente da estatal Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, deixou de lado a neutralidade e passou a defender no governo a prorrogação das concessões. “Para o benefício do país, a renovação é o melhor caminho”, disse Costa ao Valor. (Págs. 1 e A3)

Tesouro dos EUA vai pagar títulos antes

O Tesouro dos EUA dará prioridade ao pagamento de juros aos detentores de títulos governamentais no vencimento, caso o Congresso não chegue a acordo para elevar o teto de endividamento do país, segundo uma fonte do governo. O Tesouro informou que cerca de US$ 90 bilhões em dívidas vencem em 4 de agosto e a conta total de vencimentos no próximo mês chega a US$ 500 bilhões. Autoridades do governo Obama falarão hoje publicamente, após o fechamento dos mercados, sobre as prioridades para pagamento do Tesouro, caso o limite de US$ 14,3 trilhões não seja elevado. (Págs. 1 e A11)

Mercado surpreso e desorientado

O pacote cambial focado no mercado de derivativos surpreendeu e desorientou o sistema financeiro. Por isso, o Ministério da Fazenda decidiu adiar para 5 de outubro o recolhimento do IOF sobre as posições vendidas em derivativos cambiais. A postergação, embora a cobrança tenha entrado em vigor ontem, foi um pleito de instituições financeiras em reunião na quarta-feira com integrantes da equipe econômica. BM&FBovespa e Febraban, que lideram a interlocução, deixaram em Brasília uma lista de dúvidas sobre a abrangência, objetividade e operacionalidade da medida. As fontes do mercado financeiro consultadas pelo Valor afirmam que há muitas dificuldades técnicas e jurídicas para a execução do pacote. (Págs. 1, C1 e C3)
Dilma deu sinal verde a medidas duras

Na terça-feira, quando o dólar bateu em R$ 1,537, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, foram ao Palácio do Planalto, almoçaram com a presidente Dilma Rousseff e saíram de lá autorizados a agir duro no mercado de derivativos cambiais.

A Medida Provisória 539 já estava rascunhada. Pela sua natureza sigilosa, não seria possível consultar agentes do mercado nem câmaras de compensação (BM&F e Cetip) para saber das dificuldades para cobrar o novo tributo. Editou-se a MP com vigência imediata para, após conversa com os representantes do sistema financeiro, se fixar um período de adaptação. O governo tem pressa, pois prevê que o agravamento da crise europeia trará riscos para o Brasil. (Págs. 1 e A2)
Credit Suisse paga mais por 49% da Griffo

O banco Credit Suisse terá de desembolsar duas vezes mais em real ou três vezes mais em dólar, dependendo da moeda usada, para adquirir os 49% da gestora Hedging-Griffo que restam nas mãos de acionistas minoritários, comparado ao que pagou há cinco anos.

O grupo suíço adquiriu 50% mais uma ação da gestora Hedging-Griffo por US$ 294 milhões ou cerca de R$ 635 milhões, e ficou com a opção de comprar o restante em cinco anos. Agora, o Credit Suisse estima que o custo para exercitar sua opção este ano seja de R$ 1,27 bilhão ou US$ 856,2 milhões. O banco explica que os acionistas têm o direito de vender as ações a um preço baseado no desempenho da subsidiária – que tem sido bom. (Págs. 1 e C10)
Foto legenda: Plano ambicioso

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, diz que o novo programa de investimentos da companhia é “o maior plano de negócios do mundo”. Ele admitiu que pode voltar à política. (Págs. 1 e D5)
Bases sólidas para Dilma no Senado

O esforço do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para eleger maioria estável no Senado, sua maior fonte de problemas, deu resultado. A média de apoio aos projetos de interesse do governo de sua sucessora, Dilma Rousseff, fechou o semestre em 55,18% dos votantes. A média do segundo mandato de Lula foi de 48,66%. Das 18 votações no plenário do Senado, o governo ainda não perdeu uma sequer. Na Câmara, a presidente manteve o apoio obtido pelo ex-presidente com um índice também superior aos 50%. Dos partidos da base, o PDT, do presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, foi o segundo menos fiel ao governo. Na análise das bancadas dos Estados, aqueles governados pela oposição, como São Paulo e Rio Grande do Norte, estiveram entre os que mais votaram contra o governo. (Págs. 1 e A14)
Rússia e Brasil perto de acordo para carnes

O Brasil deverá aceitar a nova oferta da Rússia para a entrada de suas carnes no mercado desse país, em troca do apoio brasileiro para Moscou ingressar na OMC. O acordo pode ajudar a pôr fim ao embargo temporário a carnes de 85 frigoríficos brasileiros.

Pela oferta, a Rússia acaba com a discriminação geográfica nas cotas para carne suína e cria cota de 400 mil toneladas/ano até 2020. Para bovinos, oferece cota de 410 mil toneladas para “outros países”, da qual o Brasil pode abocanhar quase tudo. Para o frango, a cota global será de 250 mil toneladas. (Págs. 1 e B12)
Presos na alfândega

Minimizados pelos governos, continuam os problemas comerciais com a Argentina. Há 6,5 mil aparelhos eletroeletrônicos retidos na alfândega argentina. Cristina Kirchner visita hoje o Brasil. (Págs. 1 e A4)

Desaceleração paulista

A atividade da indústria de transformação paulista teve forte desaceleração no primeiro semestre do ano, ao crescer apenas 3,4% sobre mesmo período de 2010. A variação é praticamente um terço da registrada no ano passado. (Págs. 1 e A4)
Investimentos no Ceará

Até o fim de 2014, os investimentos no Ceará devem ultrapassar R$ 30 bilhões, incluindo US$ 11 bilhões para a instalação da refinaria premium II, da Petrobras. (Págs. 1 e Relatório Especial Ceará)
Emergentes ajudam Casino

Os países emergentes já representam 44% das vendas do grupo francês Casino, sócia do Pão de Açúcar. Foram justamente esses mercados que permitiram a forte progressão de 18,8% do faturamento da varejista francesa. (Págs. 1 e B4)
Interesse pela América Latina

A economia europeia em crise e o mercado de emergentes em expansão fizeram a Veolia, de tratamento de água, se voltar à América Latina, que responde por apenas 8,1% das receitas globais. (Págs. 1 e B8)
Empresas menores exportam

Apesar do câmbio, pequenas e médias empresas buscam elevar suas exportações, principalmente para países ricos. Um dos caminhos é exportar com ajuda de companhias de serviços de logística, como a DHL, diz Juliana Vasconcelos. (Págs. 1 e Relatório Pequenas e Médias Empresas)

Credores do Banco Santos

O comitê de credores do Banco Santos pediu a Justiça que marque uma assembleia geral para as 1.944 empresas e pessoas que aguardam a quitação de seus créditos pela massa falida da instituição. (Págs. 1 e C10)
Ideias

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Governo deveria enviar projeto de lei ao Congresso proibindo que o Estado assine contratos com cláusula de indexação. (Págs. 1 e Al3)
Ideias

Yu Yongdint

Problemas econômicos da China são mais estruturais que cíclicos e, sem mudanças, os próximos cinco anos serão difíceis. (Págs. 1 e A13)
————————————————————————————

Estado de Minas

 

Manchete: Estamos comendo muito mal

Noventa por cento dos brasileiros comem menos frutas, verduras e legumes do que o recomendado (400 gramas diários) pelo Ministério da Saúde. Faltam vitaminas, fibras e cálcio à mesa, segundo estudo do IBGE, que joga por terra o mito de que a má alimentação ocorre em restaurantes e lanchonetes. É dentro de casa que se consomem 84% das calorias. Depois do café, o arroz e o feijão são os preferidos e equilibram a dieta. O problema está na escolha errada dos complementos com poucos nutrientes e excesso de sal, açúcar e gordura. No caso do sal, 79% da população entre 19 e 59 anos consomem mais que o aceitável pela Organização Mundial de Saúde (5g por dia). (Págs. 1, 25 e Editorial ‘Morrendo pela boca’, 10)
Cartas ao presidente

Estado de Minas tem acesso ao acervo de correspondências enviadas a Itamar Franco no Palácio do Planalto

Linhas de desabafo e de esperança. Assim, milhares de pessoas registraram num dos períodos mais conturbados da história do Brasil seus anseios e temores com o futuro do país. Cartas enviadas a Itamar Franco desde o início de sua carreira política revelam apreensão quanto ao aumento da violência no país e também alegria com os novos rumos da economia naquela época. Em acesso exclusivo aos documentos, o Estado de Minas descobriu casos como o de Edvando José Baêta (D), que em 1994 escreveu a Itamar apoiando o recém-lançado Plano Real e criticando os juros das prestações de financiamento de imóveis. “Meu entusiasmo não foi à toa. Nossa moeda hoje é forte”, comemora Edvando, orgulhoso também por ter quitado as parcelas da compra da casa própria. (Págs. 1, 3 e 4)
Mortos no Peru: Familiares de engenheiros cobram explicações

Parentes descartam versão do embaixador brasileiro de que mineiro e paulista teriam morrido de frio no Norte do país. Eles acreditam em assassinato, apesar de corpos não terem sinal de violência. (Págs. 1, 19 e 21)
101 mil Hondas Civic no Brasil terão recall (Págs. 1 e 15)

 

Mercado: Dólar tem segunda alta consecutiva

Moeda americana subiu 0,64% e fechou a R$ 1,569, ontem, ainda sob o impacto das medidas do governo para conter especulação. Impasse no Congresso dos EUA sobre o teto da dívida também desestabiliza o mercado e deixa importadores apreensivos. (Págs. 1 e 12)
Pesquisa: Brasileiros entre mais deprimidos

Estudo da OMS revela que há 121 milhões de pessoas com depressão no mundo. Brasil lidera lista da prevalência da doença em países em desenvolvimento. (Págs. 1 e 26)
————————————————————————————

Jornal do Commercio

 

Manchete: Crianças do tráfico

Polícia desmontou ponto de distribuição de crack em Rio Doce, e no local estavam garotos de 11 a 17 anos, aliciados por dois homens, que foram presos. Na casa onde viviam, foram apreendidas armas de grosso calibre e 3.300 pedras. (Págs. 1 e Cidades 2)
Transnordestina terá pátio de cargas em Suape (Pág. 1 e Economia 1 e 2)

 

Brasileiro está se alimentando muito mal (Págs. 1 e 11)
Levantamento traz reação ao casamento gay (Págs. 1 e Cidades)

 

————————————————————————————

Zero Hora

 

Manchete: Força da chuva emite alerta contra cheias

Defesa Civil está atenta ao nível dos rios, parte dos quais já se encontra acima do volume normal devido às chuvaradas da semana passada no Estado.

Foto legenda: Precipitação, que deve continuar até a próxima semana, já fez de julho o mês mais chuvoso em 10 anos na Capital (foto). (Págs. 1, 35 e 40)
Radicalismo: Ultradireita se identifica com ideias de matador

Partidos condenam ataque de norueguês, mas aprovam seu manifesto. (Págs. 1, 4 e 5)

Saúde mental: Cai número de suicídios no Estado (Págs. 1 e 32)

 

————————————————————————————

Brasil Econômico

 

Manchete: Novas marcas avançam sobre velhas montadoras

Fiat, VW, Ford e General Motors perdem 3 pontos percentuais de vendas no primeiro semestre

Cada ponto percentual representa 35 mil automóveis vendidos. Montadoras menores, em especial francesas e asiáticas, aumentam rapidamente sua presença no país. A Districar, representante das asiáticas Haima, Chana, SsangYong e JMC, por exemplo, vai investir R$ 300 milhões em fábrica no Brasil. Local de instalação deve ser anunciado em dois meses. Foton Aumark, principal montadora de caminhões da China, já tem veículos em teste por potenciais clientes. (Págs. 1 e P4)
Brasil terá de importar gasolina até 2015

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirma que,como crescimento acelerado das vendas de veículos, a estatal não terá como atender à demanda interna e vai ser obrigada a importar gasolina neste e nos próximos quatro anos. (Págs. 1 e P12)

Sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo é marcado por crise

Durante o evento, o governador Sérgio Cabral terá a oportunidade de reverter a agenda negativa que tomou rumos políticos com as declarações do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e atrasos nas obras de infraestrutura. (Págs. 1 e 22)
Vale lucra R$ 10,2 bi no trimestre e projeta alta nos preços do minério

Resultado representa aumento de 54,9% ante os R$6,63 bilhões do lucro líquido registrado no segundo trimestre de 2010. A forte expansão chinesa, confia a mineradora, deve garantir rendimento maior neste semestre. (Págs. 1 e P40)

Risco inflacionário com elevação do dólar está descartado

Na avaliação de economistas e membros da equipe econômica, a alta da moeda americana em razão do pacote cambial, anunciado na quarta-feira, não aumenta a chance de ocorrer uma escalada nos preços. (Págs. 1 e P28)
Distribuição de rendimentos valoriza fundos imobiliários

O valor de mercado dessas carteiras tende a ser maior quanto mais repasse de renda aos cotistas é feito a cada mês. Lançado em 2010 a R$ 100, o BC Fund é um exemplo. Depois de propor elevar os proventos, as cotas chegaram a atingir R$ 110. (Págs. 1 e P30)

Clipping Radiobrás

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.