Governo federal suspende concursos até o final do ano – Cortes pegam concursos, aumentos e até o PAC – Cara a cara com o leão – Privacidade torna-se uma nova mercadoria da internet – Centro-Sul antecipa safra de cana – Corte efetivo de gastos atinge R$ 13,1 bilhões – Denise, a governanta eletrônica – Corte efetivo de gastos atinge R$ 13,1 bilhões – IR: declaração inicia hoje com controle maior sobre aluguéis…

O Globo

 

Manchete: Os cortes de Dilma – Habitação popular perde quase metade das verbas

Programa Minha Casa, Minha Vida é o mais atingido pelo bloqueio

Para cortar R$ 50,087 bilhões no Orçamento deste ano, o governo promete reduzir investimentos, gastos sociais e subsídios do programa de habitação Minha Casa,Minha Vida. Uma das estrelas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o Minha Casa, Minha Vida terá a verba reduzida de R$ 12,7 bi para R$ 7,6 bi – corte de R$ 5,1 bi, o que equivale à construção de 200 mil casas populares este ano. A equipe econômica reduziu em R$ 15,7 bi despesas obrigatórias, sendo R$ 3,5 bi com pessoal e encargos sociais. Concursos para contratação de pessoal estão suspendos. O ministro Guido Mantega afirmou que os cortes são uma estratégia para manter o crescimento, sem risco de inflação. Para especialistas, mais que reduzir despesas, o governo deu um sinal ao mercado. (Págs. 1, 3 a 15, Merval Pereira(pág.4) e Míriam Leitão (pág.28)

A ver navios

Prometida à França por Lula e aos EUA por Dilma, a bilionária compra de caças para a FAB foi novamente adiada, devido ao corte no Orçamento da Defesa, que chegou a R$ 4,6 bilhões. A 18 dias da vinda ao Brasil do presidente Obama, a negociação está indefinida. (Págs. 1 e 9)

Foto legenda – Minha Cozinha

No dia do anúncio dos cortes no Orçamento, Dilma quebrou ovos e mostrou que aprendeu a fazer omelete. Ela gravou para o “Mais Você”, de Ana Maria Braga. Na campanha, não conseguira concluir a receita. (Págs. 1 e 10)

EUA mandam forças à costa da Líbia

Otan estuda instaurar zona de exclusão aérea, e ministra brasileira condena ditaduras na ONU

Num acentuado aumento da pressão internacional sobre o ditador Muamar Kadafi, os EUA anunciaram o deslocamento de navios e aviões de guerra para a costa da Líbia, e a Otan já discute a decretação de uma zona de exclusão aérea sobre o país. Além disso, US$ 30 bilhões em ativos líbios foram congelados nos EUA. Em sintonia com a posição internacional, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, fez duras críticas às ditaduras do Oriente Médio e do Norte da África no Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra. (Págs. 1, 34 a 36 e editorial ‘Vitória do multilateralismo’)

Ibama: hoje licença de Belo Monte não sairia

O advogado Curt Trennepohl, novo presidente do Ibama, disse que hoje não daria a licença de instalação da bilionária hidrelétrica de Belo Monte (PA), que permitirá o início das obras. Segundo ele, ” as condicionantes ainda não foram cumpridas” pelo consórcio Norte Energia. Ele afirmou que a questão indígena também não está totalmenmte resolvida. (Págs. 1 e 27)

MP diz que não há provas contra Turnowski

O Ministério Público estadual desqualificou o inquérito da PF que indiciou o ex-chefe da Polícia Civil, Allan Turnowski, por violação de sigilo profissional. O policial responderá por um crime menor. (Págs. 1 e 25)
IR: declaração inicia hoje com controle maior sobre aluguéis (Págs. 1 e 29)

O Estado de S. Paulo

 

Manchete: EUA ameaçam usar a força e dizem que Kadafi deve sair já

Washington reposiciona navios no Mediterrâneo e sinaliza possível operação militar com apoio europeu

Os EUA e países europeus alertaram Trípoli de que estão prontos para ir além de sanções para derrubar o ditador líbio, Muamar Kadafi. Washington reposicionou forças no Mediterrâneo e começou a coordenar com a Europa uma eventual ação militar. “Kadafi não tem mais legitimidade e tem de sair agora, sem violência nem adiamentos”, afirmou a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Ela afirmou que a mobilização militar americana estava relacionada a uma possível operação humanitária. Já o governo britânico admitiu que pode armar os rebeldes para apressar a queda de Kadafi. A diplomacia brasileira informou que não aceitará nenhuma ação unilateral. (Págs. 1 e Internacional A10 a A17)

Ditador tenta retomar áreas perto de Trípoli

Forças leais a Kadafi iniciaram ofensiva em áreas da oposição perto de Trípoli, relata o enviado especial Andrei Netto. Em Benghazi, o enviado especial Lourival Sant’Anna informa que rebeldes esperam que os protestos forcem os militares a abandonar o ditador na capital. (Págs. 1 e Internacional A15 e A16)

Irã pede que Dilma siga Lula e apoie o país na ONU

O Irã pediu que a presidente Dilma Rousseff mantenha o padrão de votação do Brasil na ONU contra as resoluções que condenam Teerã. O chanceler iraniano, Ali Akbar Salehi, disse ao correspondente em Genebra, Jamil Shade, que ficaria “decepcionado” se o país contrariasse a política do governo Lula, simpática ao Irã. Sobre o apedrejamento de condenados, Salehi disse que “são as leis do país”. (Págs. 1 e Nacional A9)

Orçamento terá corte de R$ 18,3 bi em investimentos

O governo cortará R$ 50,1 bilhões em despesas do Orçamento de 2011 à custa de combate a fraudes, adiamento do pagamento de sentenças judiciais e reestimattivas. Redução de gastos, mesmos, serão R$ 13,1 bilhões. É o que revelam os dados divulgados ontem pela Fazenda. O Minha Casa, Minha Vida, do PAC, sofreu diminuição de R$ 5,1 bilhões. Ao todo, os investimentos foram reduzidos em R$ 18,3 bilhões. (Págs. 1 e Nacional A4)

Análise
Celso Ming

A tesoura do governo

A sociedade ainda não tem razões para acreditar inteiramente na austeridade fiscal. Nesse campo é preciso ação, não argumentos. (Págs. 1 e Economia B2)

Receita começa a receber declaração do IR hoje (Págs. 1 e Economia B5)

 

Eros Grau

Um panfleto anticlerical

A ação direta de inconstitucionalidade contra o ensino religioso, proposta pela Procuradoria-Geral da República, é simplesmente imperdoável. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Notas & Informações

O corte de gastos do governo pode ser o passo inicial das mudanças prometidas pela presidente. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

 

Manchete: Cortes atingem concursos de 2011 e moradia

Governo suspende todas as seleções previstas para este ano e reduz em 40% os recursos destinados para o programa Minha Casa, Minha Vida, uma das bandeiras da campanha de Dilma Rousseff. Além de exigir uma economia dos ministérios, enxugamento retira R$ 18 bilhões das emendas parlamentares. (Págs. 1, 2 e 3)

Enquanto a paz não chega

O casal Luciano e Viviane Leite, com os dois filhos, comemora a chegada ao Aeroporto Internacional do Recife. Um grupo de 148 brasileiros desembarcou ontem proveniente da Líbia. A viagem incluiu 22 horas de navio e dois voos internacionais. Estados Unidos e Grã-Bretanha falam abertamente em operações militares para conter a onda de violência disseminada por Muamar Kadafi. O ditador ironizou a possibilidade de renúncia. Em Benghazi, a população comemora o enfraquecimento do governo, que perdeu o controle da cidade, a segunda maior do país.(Págs. 1, 11, 26 e 27)

IR: Tudo pronto para encarar o Leão

Receita Federal lança o novo programa para a declaração de renda e o contribuinte terá até 29 de abril para acertar suas contas.
O Correio tira as dúvidas dos leitores com a ajuda de especialistas. (Págs. 1, 12 e 13)

Voar vai ficar 5% mais caro

Líder do mercado, com quase 44% dos voos, a TAM confirmou o reajuste de seus preços este mês. A alta dos combustíveis, provocada pela crise internacional, é a principal causa do aumento. (Págs. 1 e 21)

Economia por água abaixo

O reajuste de 7,23% nas tarifas da Caesb terá pouco impacto no bônus concedido ao usuário que reduziu gastos. A empresa admite que o desconto será relevante apenas para os grandes consumidores. (Págs. 1 e 43)

Congresso: Aposentados e com dinheiro

Com base nos novos salários dos parlamentares, quatro ex-senadores já solicitaram suas pensões. O benefício para eles varia de R$ 11 mil a R$ 26 mil. (Págs. 1 e 5)

————————————————————————————

Valor Econômico

 

Manchete: BTG terá R$ 2,5 bi em crédito fiscal do PanAmericano

Além de ter ficado com o controle do PanAmericano, já saneado, apenas mediante o compromisso de pagar R$ 450 milhões – um terço do valor patrimonial e sem a necessidade de desembolsar caixa de imediato -, o BTG Pactual assumirá a instituição com quase R$ 2,5 bilhões em créditos tributários. Isso é mais de três vezes o valor de R$ 700 milhões em créditos tributários que o PanAmericano divulgou com destaque em janeiro e que ajudou a cobrir parte do rombo de R$ 4,3 bilhões descoberto em novembro, reduzindo o aporte necessário para salvar a instituição.

A existência desse ativo bilionário pode garantir que o banco pague menos tributos do que seria o normal durante mais de dez anos, pelo menos, o que significa lucro líquido e dividendo maiores para os acionistas. Embora o BTG esteja confiante no direito a usar esses créditos e, segundo o Valor apurou, tenha levado em conta sua existência para fechar a compra do PanAmericano, há margem para contestação pela Receita Federal. (Págs. 1 e C1)

Foto legenda: Volta por cima

Quebrado pela concorrência chinesa no setor têxtil nos anos 80, Lourenço Chohfi, hoje com 86 anos, se reinventou na área imobiliária com ajuda do filho e investe R$ 480 milhões. (Págs. 1 e B6)

Denise, a governanta eletrônica

De personagem de filmes de ficção científica para chamariz especial em empreendimentos imobiliários, a “governanta” eletrônica já tem nome. Denise faz pesquisas na internet, ligações pelo Skype e controla a agenda dos moradores. Denise não é um robô, mas um computador capaz de organizar as tarefas do dia a dia. Suas habilidades já são oferecidas em um prédio residencial automatizado em São Paulo pela imobiliária Elite Brasil e pela operadora de telefonia Transit Telecom. Incorporadoras como Cyrela, Even, Brookfield, Stan e outras são algumas das companhias que investem em apartamentos com essas características. (Págs. 1 e B2)

Corte efetivo de gastos atinge R$ 13,1 bilhões

Do corte de R$ 53,5 bilhões na programação orçamentária deste ano, detalhado ontem pelo governo, R$ 19,6 bilhões foram em emendas feitas pelos parlamentares – reduziu-se apenas a intenção de gastos. Uma parte da redução de despesas resultou da estimativa mais realista de algumas despesas, como é o caso da diminuição de R$ 8,9 bilhões na previsão de gastos com subsídios, o que também não representa corte efetivo. Além disso, não pode ser considerado corte o enxugamento de R$ 5,1 bilhões do programa Minha Casa Minha Vida, cuja segunda fase ainda depende de aprovação do Congresso. Mas uma parcela de R$ 13,1 bilhões subtraída da lei orçamentária atingiu diretamente os Ministérios e será efetivamente um corte “na carne”.

O Ministério da Defesa, que perdeu R$ 4,38 bilhões, foi um dos mais atingidos pelo ajuste. Esse corte atingirá a construção do submarino de propulsão nuclear – parceria da Marinha com a França -, a produção de helicópteros e do cargueiro KC-390, pela Embraer.

O corte orçamentário ainda não está concluído. Não foram considerados a correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5% e o reajuste no programa Bolsa Família. A necessidade de um novo corte dependerá do comportamento das receitas.

PMDB, PP e PCdoB foram os partidos cujos ministérios mais sofreram. A maioria das Pastas controladas pelo PT foi preservada. (Págs. 1 e A3 e A4)

Banco ainda afeta balanço do Votorantim

O ajuste dos negócios do grupo Votorantim, como consequência da crise de 2008, e a venda de metade do seu banco para o Banco do Brasil explicam o aumento modesto de 1% em sua receita líquida (para R$ 29,5 bilhões) no ano passado, quando a economia brasileira cresceu mais de 7%. Enquanto a área industrial do grupo – cimento, metais, aço, celulose e suco de laranja – teve uma expansão considerável, de 16%, na divisão financeira houve retração de 32%. A receita líquida do lado financeiro somou R$ 6,2 bilhões, ou 21% do total consolidado do grupo. O lucro líquido dessa área ficou em R$ 700 milhões, ante R$ 4,2 bilhões da área industrial. (Págs. 1 e B7)

Uruguai cresce sob a ortodoxia de José Mujica

Ao completar hoje um ano como presidente, o ex-guerrilheiro José Mujica parece ter deixado para trás a ideologia marxista que inspirou a histórica invasão de Pando – quando ele e outros camaradas tomaram a delegacia, a central telefônica, bancos e outras instalações da cidade, em 1969. Mujica assumiu a opção pela ortodoxia e potencializou ganhos ao manter, na economia e nas políticas sociais, os rumos de seu antecessor, Tabaré Vásquez. O PIB caminha para o nono ano consecutivo de crescimento e a taxa de desemprego caiu para o recorde histórico de 5,4% em dezembro. A lei de sigilo bancário foi flexibilizada e o Uruguai firmou tratados de bitributação com oito países, numa tentativa de sair da lista cinza de paraísos fiscais da OCDE. (Págs. 1 e A18)

Estados Unidos e Reino Unido deslocam navios e aviões para a costa da Líbia (Págs. 1 e A15)

 

GVT investe R$ 1,8 bi em banda larga e TV paga, diz Genish (1 e B1)

 

Privacidade torna-se uma nova mercadoria da internet (Págs. 1 e B10)

 

Barreiras argentinas

O governo argentino suspendeu a emissão de licenças para importação de máquinas agrícolas brasileiras. A medida não é oficial, mas as montadoras informam que desde janeiro não conseguem embarcar. (Págs. 1 e A2)

Verão castiga paulistanos

A cidade de São Paulo enfrenta o quarto verão mais quente em 78 anos e, a apesar das chuvas, em fevereiro o volume de precipitação foi 10% inferior ao previsto. (Págs. 1 e A9)

Camarote brilhante na Sapucaí

O grupo de turismo Pacífica, que há 25 anos comercializa camarotes na Sapucaí, lança este ano o primeiro camarote GLS do sambódromo. Todos os 48 lugares por noite, vendidos em média por R$ 4,5 mil, já foram comprados por pessoas físicas e hotéis, diz Mickael Noah, sócio da Pacífica. (Págs. 1 e B5)

GE fornecerá turbina para eólicas

A Bioenergia, especializada em projetos eólicos, fechou contrato de R$ 1,4 bilhão com a General Eletric para o fornecimento de 304 turbinas. (Págs. 1 e B8)

Centro-Sul antecipa safra de cana

Apesar das chuvas, a safra 2011/12 de cana já começou para algumas usinas do Centro-Sul, com destaques para o Paraná. Os preços altos do açúcar e do álcool também devem estimular usinas paulistas. (Págs. 1 e B14)

Seguro em Goiás volta ao normal

Decisão do Superior Tribunal de Justiça devolveu à seguradoras de veículos de Goiás o direito de oferecer seguros com indeização equivalente ao preço de mercado do automóvel nos casos de furto ou perda total. (Págs. 1 e E1)

Ponto eletrônico é adiado de novo

O Ministério do Trabalho adiou, pela terceira vez, a implantação dos novos relógios de ponto eletrônico. Além disso, empresas e sindicatos poderão negociar alternativas ao sistema. (Págs. 1 e E1)

Ideias: Antônio Delfim Netto

Seria um crime entregar o mercado de equipamentos para petróleo à indústria do exterior por falta de isonomia competitiva. (Págs. 1 e A2)

Ideias: Raymundo Costa

Por tudo o que fez com os partidos, Dilma saiu-se de maneira excepcional nas primeiras votações de interesse do Planalto. (Págs. 1 e A12)

————————————————————————————

Estado de Minas

 

Manchete: Serpentina fatal

Cemig aponta fita metalizada como causa do curto-circuito que derrubou três cabos de média tensão e matou 15 foliões em Bandeira do Sul. Enterro coletivo provocou comoção na cidade

De acordo com superintendente da empresa, um dos cabos atingiu um trio elétrico e os outros dois caíram no chão, energizando a área com carga de 8 mil volts. O acidente ainda feriu 54 pessoas. Ontem, foi feito o enterro coletivo de sete vítimas em Bandeira do Sul. Os corpos das demais foram enterrados nas vizinhas Campestre, Monte Belo, Botelhos, Santa Rita de Caldas, Poços de Caldas e Machado.

Foto Legenda: O velório de sete vítimas comoveu parentes e toda a cidade de Bandeira do Sul. O acidente espalhou luto pelo Sul de Minas, com sepultamentos em vários municípios da região

Cortes pegam concursos, aumentos e até o PAC

Tesourada no Orçamento atinge programas considerados intocáveis por Dilma, comooMinha casa, minha vida, que perderá R$ 5,1 bilhões. (Págs. 1, 3, 4 e Editorial, 10)

Cara a cara com o leão

A Receita Federal abre hoje, às 8h, o sistema para o contribuinte testar as novidades do programa e declarar o Imposto de Renda. O prazo vai até 29 de abril. Não são mais aceitos formulários de papel.

Está obrigado a declarar quem recebeu rendimentos tributáveis, como salários e aposentadorias, totalizando mais de R$ 22.487,25 em 2010.

A promessa é de que o programa este ano ofereça mais facilidade, desde o download até detalhes da restituição, se houver.

Tire suas dúvidas na coluna Em dia com o Leão, que estreia hoje. Veja como declarar despesa com educação e previdência privada. (Pàgs. 1 e 13)

Mortes no aglomerado: Tribunal decreta prisão preventiva de dois militares

Dois dos três soldados suspeitos de executar dois inocentes tiveram prisão decretada pelo 1º Tribunal do Júri, a pedido do delegado que investiga o caso. O terceiro policial foi excluído por falta de indícios de participação nas mortes. (Págs. 1 e 24)

Supletivo dará bônus na UFMG

Liminar da Justiça Federal obriga universidade a aceitar candidatos excluídos de programa de bonificação. (Págs. 1 e 28)

Forças dos EUA cercam Kadafi

Americanos avaliam usar ação armada para depor ditador. União Europeia anuncia sanções mais duras. (Págs. 1, 18 e 19)

IBAMA mineiro: governo extingue IEF, IGAM E FEAM para criar instituto (Pág. 7)

 

————————————————————————————

Jornal do Commercio

 

Manchete: Dilma suspende concursos e reajustes

Medida faz parte dos cortes no Orçamento e apenas vagas emergenciais serão preenchidas este ano. Nem mesmo a área social foi poupada. Ministério das Cidades foi um dos mais punidos, com queda de despesas de mais de oito bilhões. (Págs. 1)

Foto legenda: CRISE NA LÍBIA – Brasileiros voltam para casa pelo Recife (Pág. 1)

 

Hora de prestar contas ao Leão do IR (Pág. 1)

 

————————————————————————————

Zero Hora

 

Manchete: Governo federal suspende concursos até o final do ano

Aperto no orçamento restringe nomeações e reajustes e tira R$ 5 bi dos R$ 12,7 bi previstos para o programa Minha Casa, Minha Vida. (Págs. 1, 8, 12 e Rosane de Oliveira, 10)

A Líbia dos rebeldes

Às 13h35min de ontem, ZH cruzou a fronteira entre Líbia e Tunísia. Não encontrou sinal algum das tropas de Kadafi. (Págs. 1 e 24 a 26)

EUA mobilizam frota como aviso a Kadafi

Leis Britto

Pagamento de atrasados vai abrir rombo no Estado (Págs. 1 e 6)

Clipping Radiobrás

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.