Manchete nos Jornais para este Domingo 25 de Março de 2012

59

Vespeiro legislativo: Homofobia, eutanásia, aborto e corrupção entram em debate – Sonegação: Receita investiga congressistas que estão fraudando o Fisco – Exclusivo: O agente duplo da Receita que operou no Palácio do Planalto. – Protestos atormentam a cidade – Dilma investe na ‘vida real’ para desviar o foco da crise – No Senado, um plano de saúde sem limites…

O Globo

Manchete: Apenas 70 de 1.209 casos de corrupção têm punição

Valor desviado dos cofres públicos pelos gestores soma R$ 1 bilhão

Na corrida para punir corruptos, o Tribunal de Justiça do Rio é um exemplo da lentidão do Judiciário: só 6% dos processos movidos contra acusados de desviar dinheiro público resultaram em condenações definitivas, informa Chico Otavio. Foram 70 condenações em 1.209 ações ao longo dos 20 anos de vigência da Lei de Improbidade Administrativa, criada para punir políticos e servidores envolvidos em desvios. As causas somam R$ 4,6 bilhões – sendo R$ 1 bi desviado dos cofres públicos e o restante em multas cobradas dos gestores. O Conselho Nacional de Justiça investiga o motivo da morosidade do tribunal, onde dezenas de casos se arrastam durante anos. Há réus que respondem a 20 ações. Em três meses de trabalho, o juiz Flávio Pimentel de Lemos Filho, de Itatiaia, extinguiu, sem analisar, 17 das 23 ações de improbidade contra o ex-prefeito Almir Dumay. “No Rio, em geral, há afrouxamento da conduta ética”, lamenta o desembargador aposentado Marcus Faver, membro da Comissão de Ética Pública Estadual. (Págs. 1, 3 e 4)

No Senado, um plano de saúde sem limites

Nos últimos cinco anos, o Senado gastou R$ 17,9 milhões com ressarcimento de despesas médicas dos senadores e seus dependentes. Não há limite para esses gastos, bastando apenas a apresentação de notas. Para os ex-senadores, o teto é de R$ 32,9 mil por ano, mas há quem gaste o triplo e, mesmo assim, seja ressarcido. (Págs. 1 e 12)

DNA de óleo poderá conter vazamentos

Com o vazamento da Chevron e a exploração no pré-sal, especialistas alertam que o país precisa criar urgentemente um banco de dados que comprove o DNA do petróleo dos campos, para agilizar a identificação de responsáveis e conter acidentes. (Págs. 1, 37 e 38)

Estradas têm um morto a cada 2 dias

Uma pessoa morreu atropelada ou vítima de colisão com bicicleta a cada dois dias nas oito rodovias federais que cortam o Estado do Rio, entre 2010 e março deste ano. Uma das causas é o alto índice de ocupação irregular das margens das estradas. (Págs. 1, 24 e 25)

O mal-estar da civilização francesa

Antissemitismo, islamofobia, extremismo de direita: a matança em Toulouse expôs o caldeirão da intolerância e desafia o modelo republicano da França. A dúvida é se o novo governo, que será eleito no mês que vem, agirá com mais integração ou distanciamento. (Págs. 1 e 45)

Aluguel de imóvel no mês da Copa já chega a R$ 80 mil (Pág. 1 e Morar Bem)

Vida de cônsul honorário

Escolhidos ao acaso, sem salário ou privilégios, cônsules honorários representam no Rio países como Toga e Sri Lanka. (Pág. 1)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Incentivo às empresas em 6 anos soma R$ 97,8 bi

Desoneração corresponde a duas vezes o orçamento do PAC deste ano, mas carga tributária segue alta

Levantamento da Receita mostra que, de 2007 a 2012, o governo baixou medidas que desoneraram as empresas em, no mínimo, R$ 97,8 bilhões, informam Lu Aiko Otta e Adriana Fernandes. A cifra é o dobro do que o governo pretende gastar no PAC este ano e corresponde a quatro vezes o montante reservado para o programa Brasil sem Miséria, prioridade da presidente Dilma Rousseff. Ainda assim, a alta carga tributária foi a queixa mais comum entre os 28 grandes empresários que estiveram com Dilma na última quinta-feira. O objetivo desses cortes de impostos – aumentar a competitividade das empresas brasileiras ante a concorrência estrangeira – ainda não foi atingido. “O governo pode ter desonerado bastante, mas a carga tributária não caiu. Ao contrário, aumentou”, diz o economista Mansueto Almeida. “O custo de produção continua alto”. (Págs. 1 e Economia, B1 e B3)

Medidas mais fortes devem ser adotadas

A equipe econômica tem indicações de que a economia está crescendo bem abaixo dos 4,5% desejados pela presidente Dilma Rousseff. Diante disso, o governo está disposto a adotar medidas mais fortes. (Págs. 1 e Economia, B3)

Dilma investe na ‘vida real’ para desviar o foco da crise

Disposta a usar sua popularidade para enfrentar as pressões do Congresso, a presidente Dilma Rousseff apostará na comunicação com a classe média e com as camadas menos favorecidas para transferir a crise política para os parlamentares. Com a expectativa de melhorar na economia, Dilma pretende se amparar na “vida real”, com medidas de estímulo à produção. A estratégia é tirar o foco da crise e mostrar que o governo não está paralisado. (Págs. 1 e Nacional, A8)

O desafio do PSDB

José Aníbal, José Serra e Ricardo Trípoli disputam hoje as prévias para decidir quem será o candidato do partido à Prefeitura de São Paulo. (Págs. 1 e Nacional, A4)

Patriota nega omissão do Brasil na Síria

O chanceler Antonio Patriota disse que é fruto de “leitura totalmente equivocada” a acusação, feita por opositores sírios, de que o Brasil tem sido omisso em relação à violência cometida pelo regime do ditador Bashar Assad. “Somos solidários aos manifestantes”, afirmou, em entrevista ao Estado. (Págs. 1 e Internacional, A14)

No Rio, 7 mil alunos serão realfabetizados (Págs. 1 e Vida, A19 e A20)

Aliás,

A vez do ‘basta’

Para o cientista político Leonardo Avritzer, a ideia do “rouba, mas faz” deixou de ser tolerada no Brasil. (Pág. 1)

Nova campanha do ‘Estadão’ estreia hoje (Págs. 1 e Economia, B7)

Notas & Informações

Gestão para o comércio exterior

O Brasil precisa com urgência de uma gestão mais eficaz. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Neonazistas atuam no DF há 30 anos

Brasiliense que planejava ataque a alunos da UnB não é um caso isolado de disseminação do ódio racial

Desde o começo da década de 1980, a Polícia Civil tem conhecimento da atuação de grupos de admiradores de Hitler em Brasília. Pelo menos três mortes até agora não esclarecidas podem estar ligadas a atividades de extremistas. Em comunidade de acesso restrito no Facebook, ex-colegas de escola contam como praticavam bullying contra Marcelo Valle Silveira Mello, que, em seu perfil virtual, se define “apenas mais um maluco neste mundo”. (Págs. 1 e 27 a 29)

Foto-legenda: Ela ainda é minoria

Apesar do avanço da participação das mulheres brasileiras no mercado de trabalho, elas continuam escolhendo profissões consideradas femininas. Cursos como o de engenharia mecânica na Universidade de Brasília recebem número reduzido de alunas. Elisa Gonçalves, por exemplo, é uma das poucas na sala de aula. (Págs. 1 e Trabalho & Formação Profissional, Capa)

A eterna culpa da mãe que abandona o filho

Somente em janeiro deste ano, seis mães procuraram a Justiça para entregar suas crianças a adoção. Para pesquisadora, mulheres que abdicam do filho, em geral, não receberam afeto materno. “Ainda choro…, mas tenho convicção de que fiz o certo”, diz Camila, nome fictício de uma mãe que renunciou ao seu bebê. (Págs. 1, 32 e 33)

EUA discutem lei após morte de jovem negro (Págs. 1 e 24)

Boquinha boa, essa!

O suplente Remi Ribeiro assumiu o mandato de senador por um mês e foi embora com um privilegiado plano de previdência. Esse é só um exemplo das fartas regalias no Legislativo. (Págs. 1 e 4)

Procura-se um pedreiro

A escassez de mão de obra afeta também o mercado informal. Prestadores de serviço aumentaram os preços, melhoraram a renda e vivem com a agenda lotada. (Págs. 1, 14 e 15)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Sertão grande

Sessenta anos depois da viagem de Guimarães Rosa que deu origem à obra-prima Grande sertão: veredas, o EM percorre 4 mil quilômetros por onde passou o escritor e mostra em série de reportagens a transformação econômica da região

Guimarães Rosa e o vaqueiro Manuelzão, seu companheiro de viagem, teriam uma grande surpresa: tropeiros trocaram cavalos por caminhonetes e florestas de eucaliptos engoliram veredas e boa parte do cerrado.Em muitas cidades, o comércio no varejo gerou mais emprego do que a média nacional e as grandes indústrias avançam a passos largos.
O Norte de Minas é a nova fronteira do minério no estado. Pesquisas indicam que 20 cidades encobrem jazidas de 20 bilhões de toneladas. O sertão também tem grandes reservas de gás, já anunciadas por Riobaldo, protagonista do livro:“Em um lugar, da encosta, brota do chão um vapor de enxofre, com estúrdio barulhão, o gado foge de lá, por pavor”. (Págs. 1, 16 e 18)

Foto-legendas:

Canteiro de obras da Alpargatas, em Montes Claros, onde serão investidos R$ 177 milhões na produção de Havaianas;

Alair Mendes pretende ampliar em 50% sua fabricação de estruturas metálicas em Três Marias;

Sondagem de minério da empresa Miba, em área de 8 mil hectares, em Grão Mogol: investimento de R$ 3,6 bilhões.

Prefeitos dos lixões

Chefes de Executivo podem ser processados criminalmente

Quase um terço (278) dos municípios mineiros mantêm lixões, mesmo depois de 10 anos de negociações e prazos para eliminá-los. Agora, o governo e o Ministério Público decidiram jogar duro. Em vez de acionar as prefeituras na Justiça, o MP quer processar diretamente os prefeitos. (Págs. 1, 25 e 26)

Mineiro gasta mais com carro zero

Preço médio da frota que circula no estado cresceu 32% em seis anos. (Págs. 1 e 19)

Pequenos empresários longe da mesa de Dilma (Págs. 1 e 8)

Triângulo Mineiro: três sem-terra são executados a tiros (Págs. 1 e 2)

Duas cidades, um presidente

Moradores de Presidente Juscelino e de Presidente Kubitschek mantêm disputa inusitada para saber quem presta mais homenagens a JK. (Págs. 1 e 8)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Longa espera nas pequenas causas

Criados para resolver conflitos em até três meses, juizados especiais estão lotados no Grande Recife. Em Paulista, audiência demora um ano. Na Capital e outras cidades, prazo passa de seis meses. (Págs. 1 e Cidades 2)

Setor de serviços é pouco valorizado

Governo federal discute intensamente a defesa da indústria nacional, mas assim como o País é invadido por produtos chineses, também perde contratos em áreas de ponta, como a tecnologia da informação. (Págs. 1 e Economia 8)

Protestos atormentam a cidade

Sem rotas alternativas nem controle, o trânsito para nos constantes atos públicos nas vias principais do Recife. (Págs. 1 e Cidades 1)

Encontro tenso entre Rands e João Costa

Repórter Álvaro Filho, da coluna Dia a Dia e do Social, relata clima nada amistoso entre os dois pré-candidatos do PT. (Págs. 1 e 8)

Cidade paulista atinge 100% de saneamento

Na última matéria da série sobre o tema, veja como Araraquara levou água e esgoto para toda a população. (Págs. 1 e 16)

————————————————————————————

Veja

Manchete: Dilma fala a Veja

“Protecionismo é um erro. Não vamos fechar o país”

“A carga de impostos é alta, sim. Vamos baixá-la”

“Não vou transigir com corrupção”

“O Brasil fará a melhor de todas as Copas do Mundo” (Pág.1)

————————————————————————————

Época

Manchete: Parece trabalho?

Os brasileiros que conseguiram largar a rotina estressante e realizar o sonho de ser chef, artista, dono de pousada, agitador musical…
Dicas para voce por de pé seu Plano B (Pág. 1)

Entrevista

“É uma amputação irreparável”, diz o pai do menino que morreu de asma num hospital em Brasília. (Pág. 1)

Exclusivo: O agente duplo da Receita que operou no Palácio do Planalto. (Pág. 1)

E mais

Walcyr Carrasco e os idosos que amam as domésticas; Eugênio Bucci e a audiência que ama o mordomo Crô; Ruth de Aquino e os jovens que amam a velocidade (Pág. 1)

————————————————————————————

ISTOÉ

Manchete: Crianças estressadas

Porque nossos filhos estão cada vez mais suscetíveis às doenças de origem emocional e o que podemos fazer para identificar e superar o problema diagnosticado em oito de cada dez meninos e meninas submetidos a tratamento (Pág. 1)

Sonegação: Receita investiga congressistas que estão fraudando o Fisco (Pág. 1)

Nutrição: Pesquisas mostram como tirar o melhor dos alimentos (Pág. 1)

————————————————————————————

ISTOÉ Dinheiro

Manchete: O Plano da Amazon para o Brasil

A maior empresa de comércio eletrônico do mundo investe para conquistar o mercado brasileiro. Conheça os bastidores da chegada de Jeff Bezos e seu Kindle, que já provoca uma guerra no bilionário setor de vendas de livros e milhares de produtos pela internet.

“Quero ir à lua. E ao Brasil” – Jeff Bezos, ceo da Amazon (Pág.1)

Exclusivo: Como a Coca-Cola vai investir R$ 14 bilhões no país. (Pág. 1)

Pão de Açúcar: A luta de Abílio Diniz para ficar (Pág. 1)

Ricardo Almeida: Alfaiate de elite quer ser popular. (Pág. 1)

————————————————————————————

Carta Capital

Manchete: E ainda chamam de inteligência

A atuação da Stratfor no Brasil revela espiões amadores, fontes irrelevantes e patéticos jogos de sedução (pág.1)

Entre o aparelhamento e o desmonte

Os tucanos transformaram a TV Cultura em um clube de amigos enquanto a sucateiam (Pág. 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: RS é campeão no país em repetência no Ensino Médio

Rigidez na avaliação e falta de mecanismos para recuperar aluno explicam, em parte, o fato de 19,9% repetirem o ano. (Págs. 1 e 28 a 30)

Vespeiro legislativo: Homofobia, eutanásia, aborto e corrupção entram em debate

Está prestes a chegar ao Congresso o anteprojeto de reforma do Código Penal, recheado de temas polêmicos. (Págs. 1, 4 e 5)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *