Moradores de San Buenaventura, município ao norte de La Paz, na Bolívia decidiram, por conta própria, aplicar um castigo ao prefeito da localidade por supostamente não ter cumprido compromissos que assumiu. Javier Delgado ficou preso pela perna em um cepo para imobilizar animais por uma hora, de acordo com o jornal “El Deber”.

O diário “Los Tiempos” informa que a penalidade foi aplicada porque pessoas da comunidade de San José de Uchupiamonas reclamaram não tiveram pedidos atendidos pelo prefeito.

A Constituição boliviana de 2009 reconhece o conceito de Justiça comunitária para os indígenas, mas não prevê punições físicas, apenas sanções menores como multas ou trabalhos comunitários.

A lei prevê que os moradores “julguem” apenas delitos menores como roubo de gado ou invasão de terras. Os crimes mais graves devem ser encaminhados à Justiça comum. Porém, moradores da área rural costumam ir além e chegam a tomar atitudes extremas, como linchar ladrões.

“O povo o recebeu e a condição era que o puséssemos no cepo. Ele não cumpriu distintos compromissos que contraiu com a população de San José e o mais complicado é que a gente de San José, as autoridades da comunidade se queixaram de que quando eles vão [até o prefeito], não os atende com prioridade”, disse o morador Daniel Salvador.

Para o prefeito, houve “uma total confusão, uma tergiversação [distorção] da informação” motivada por pessoas que buscam revogar o seu mandato. Segundo ele, no protesto havia pessoas defendendo interesses pessoais e políticos.
Uma foto divulgada pelo jornal mostra o prefeito sentado no chão com a perna presa à estrutura de madeira conhecida como cepo.

Ele já tinha sido submetido a essa punição em 2015 e 2016 no povoado de Tumupasa, um assentamento da etnia Tacana. O jornal “El Dia” afirma que nas duas primeiras ocasiões ele foi acusado de não cumprir suas funções e mentir para seus eleitores.

‘Castigo moral’
Delgado afirmou que não pode se defender porque estava “praticamente decidido o castigo” ainda que depois ele tenha conseguido esclarecer a situação.

“Tenho o vídeo em que eles me pedem desculpas em público. Trata-se de uma intransigência por má informação, por desinformação intencionada”, declarou.

Delgado declarou ter ficado profundamente triste com o ocorrido. “[Foi um castigo] mais que físico, moral”.
Fonte: G1

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.