Por iniciativa do vereador Cecílio Araujo, a Câmara Municipal promoveu, na sexta-feira (25), uma reunião para discutir a situação da coleta seletiva do lixo na cidade.

image (1)Estiveram presentes o presidente Elizeu Vidotti, os vereadores José Ribeiro, Romulo Yanke, Estela Camata, Paulo Soares e Magnata, além do representante da secretaria municipal de Agricultura e Meio Ambiente Paulo Godoi e da senhora Conceição da Reciclagem que representou a Associação dos Recicladores de Cambé.

Cecílio abriu a reunião falando de diversas situações irregulares que estão acontecendo no aterro sanitário do Município e alertou que o volume de material reciclado em Cambé apresenta um percentual muito pequeno do que poderia ser reaproveitado. “Precisamos de um melhor planejamento para a questão e uma maior conscientização da população, além de uma ação mais eficaz do poder público. Isso, a longo prazo, traria economia na própria coleta, geraria renda e beneficiaria o meio ambiente”, disse.

Já o gestor ambiental Paulo Godoi afirmou que Cambé vem evoluindo ao longo dos últimos anos. Como exemplo ele citou que em 2009, foram retiradas 90 toneladas de produtos recicláveis do aterro e em 2012 esse número subiu para 200 toneladas. “Os municípios da região também iniciaram uma discussão para a regionalização e regulamentação dos depósitos de resíduos sólidos, mais ainda há muito o que se fazer para chegarmos a uma situação ideal. Para isso, primeiro precisamos trabalhar a questão da conscientização”, disse.

Em nome da Associação dos Recicladores, Dona Conceição alertou que a entidade trabalha para o Município e que esses trabalhadores precisam ser melhor remunerados e ter garantias de uma vida mais digna, pois muitos não possuem nem casas para morar. “O máximo que cada reciclador consegue de remuneração mensal neste trabalho é R$ 500 e é muito pouco para sobreviver. Precisamos de ajuda, senão vamos ter que parar com a atividade, pois muitos estão trabalhando e ao mesmo tempo passando fome”, disse.

Em seguida falou o presidente Elizeu Vidotti, que colocou a Câmara à disposição da Associação para a legalização da documentação da entidade, já que este problema é o maior impecilho para o recebimento de subvenções públicas. “Vamos fazer o possível para contribuir com a entidade não só pela manutenção do importante trabalho que desenvolve para a cidade, como também pelo que proporciona para a melhoria da qualidade de vida do cambeense. Também não podemos nos esquecer desses trabalhadores, que merecem mais atenção para terem uma condição digna para viver”.

O deputado Estadual Gilberto Martin, que tinha agendado uma visita à Câmara, também pode participar de uma parte da reunião e se comprometeu a fazer um projeto de lei na Assembleia Legislativa para transformar a Associação dos Recicladores de Cambé, como entidade de utilidade pública estadual, o que vai possibilitar o estabelecimento de convênios também com o Governo do Estado.

1 COMENTÁRIO

  1. Realmente este tema precisa ser discutido e revisto; já que esta semana uma escola de Cambé ligou na prefeitura para que vários sacos com jornais passados fossem recolhidos pela prefeitura para serem reciclados. Depois de muita burocracia, o mesmo ainda não foi recolhido já que foi informado que este serviço não é realizado na nossa cidade. Que vergonha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.