Rotary Club Cambé e Secretaria de saúde realizam ação de prevenção contra a hepatite
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 28th julho 2016
O objetivo da campanha é orientar, prevenir e realizar testes rápidos gratuitos direcionados à comunidade
O objetivo da campanha é orientar, prevenir e realizar testes rápidos gratuitos direcionados à comunidade

Neste sábado (30) à partir das 09h no centro de Cambé haverá uma ação do Rotary Club Cambé em parceria com a Secretaria de Saúde com o objetivo de orientar, prevenir e realizar testes rápidos e gratuitos para diagnosticar o vírus da hepatite. Os kits de testes serão disponibilizados pelo Rotary Club Cambé e realizados por uma equipe da Secretaria de Saúde do Município nas dependências da Agência do Trabalhador (Sine), das 09h às 13h. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo infectadas com o vírus da hepatite C, e apenas 10% deste número sabem que são portadoras do vírus. As hepatites virais são um dos maiores problemas mundiais de saúde e matam duas vezes mais do que a AIDS.

Dados do Ministério da Saúde apontam que no Brasil seriam em torno de 3 milhões de portadores da hepatite C, uma doença silenciosa que causa inflamação do fígado causada por um vírus chamado vírus (HCV), que costuma ser crônica e pode provocar cirrose e câncer. A maioria dos pacientes portadores de hepatite C permanece assintomáticos por muitos anos e podem nem sequer saber que estão infectados com o vírus. As formas mais comuns de contágio são através de contato sanguíneo. Os usuários de drogas injetáveis e as pessoas submetidas a material cirúrgico contaminado estão entre as maiores vítimas de hepatite.

Outras vias de transmissão menos comuns são através do transplante de órgãos de doadores infectados, acidentes em ambientes hospitalares, material para piercing ou tatuagem contaminados. Até algum tempo atrás a hepatite C era uma infecção com pequena possibilidade de cura e com opções de tratamento que provocavam diversos efeitos colaterais importantes. Felizmente, esse quadro sofreu avanços significativos nos últimos anos e novos medicamentos conseguem alcançar taxas de cura da hepatite em até 90%.

Compartilhe nossa Matéria