Tamanho pode deixar de ser documento: Simpósio de plástica peniana acontece em SP

68

lipoescultura_peniana_procedimentoEntre os dias 15 e 17 de março a cidade de São Paulo recebe o 14º Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, que, entre outros temas, discutirá um assunto que pode interessar aos homens que estão insatisfeitos com a grossura ou formato do pênis.

Trata-se da lipoescultura peniana, também conhecida como cirurgia íntima masculina, indicada em casos de alterações anatômicas. “Pode ser feita por pessoas que acham que o pênis não é compatível com o seu biotipo”, explica a cirurgiã plástica Yhelda Felicio, que ressalta que o procedimento não aumenta o tamanho, mas modifica a circunferência e corrige distrofias.

Yhelda explica que o procedimento vem ganhando espaço entre a comunidade médica brasileira devido à grande aceitação em outros países, especialmente nos Estados Unidos. A cirurgia, que dura cerca de uma hora, é feita por meio da injeção de gordura do próprio paciente.

A gordura é retirada com um seringa, de regiões como abdômen, pernas ou outras partes do corpo onde há excessos. A especialista explica que não é usado laser ou nenhum tipo de aparelho. A gordura retirada é tratada e, na sequência, injetada no pênis. Yhelda explica que a cirurgia é indolor, uma vez que é utilizada anestesia peridural ou local, dependendo do caso. O procedimento deve ser feito em hospital e o paciente fica no mínimo oito horas internado, por conta da anestesia.

O pós-operatório exige cuidados especiais. Entre eles, evitar banho de imersão, respeitar a quarentena para relações sexuais, além de compressas de gelo no local, antibióticos e anti-inflamatórios indicados para auxiliar na recuperação.

De acordo com a médica, o procedimento vem sendo realizado no Brasil nas duas últimas décadas, mas sempre foi tema de tabu. “Os médicos passaram a se interessar mais porque viram que é um procedimento aprovado e satisfatório. De 20 anos para cá, surgiram várias publicações a respeito do tema”.

Os principais benefícios estão ligados ao aumento da autoestima. “De todas as cirurgias plásticas, a cirurgia íntima é a mais gratificante. Porque existem pessoas que têm tanto problema com complexos, que quando solucionam passam a ter mais segurança e se amar mais”.

Precauções
Como qualquer outra cirurgia plástica, o homem precisa ter mais de 18 anos para se submeter ao procedimento. Quanto à idade máxima, não existe nenhuma restrição. “O paciente mais velho que operei tinha 78 anos de idade”, contou a médica.

No entanto, ela alerta que é necessário estar com a saúde em dia. “Deve estar fisicamente bem, não pode ter nenhum problema de saúde ou qualquer lesão ou vermelhidão na área pubiana”, afirma, acrescentando que, nestes casos, o paciente deve buscar se tratar primeiro antes de apostar na cirurgia.

Entre os principais riscos estão complicações como a necrose, que acaba evoluindo para casos de enxerto ou até mesmo amputação. Por isso, a especialista ressalta a importância de procurar um médico experiente, capacitado para fazer este tipo de procedimento, uma vez que existe um limite de gordura a ser injetada – no máximo, 100 centímetros cúbicos. “É uma cirurgia de detalhe, o médico tem que ser qualificado para fazer este tratamento”, reforça a especialista.

O Simpósio
Mais de 1 mil cirurgiões plásticos de todo o mundo se reúnem na 14ª edição do Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, que acontece entre 15 e 17 de março na capital paulista. O evento homenageará o cirurgião brasileiro Ivo Pitanguy, conhecido como o “mestre do bisturi”.

Entre os assuntos que serão abordados estão temas como calvície feminina e masculina, novos tratamentos para rejuvenescer a face e o pescoço, utilização de células-tronco no contorno corporal e técnicas para o braço (remodelagem, prótese de bíceps e tríceps), entre outros.



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *