Uber já cadastra motoristas em Londrina
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 30th julho 2016

uber-londrina2-lg-3536f52cO aplicativo de transporte particular de passageiros Uber deve ganhar as ruas de Londrina nos próximos meses. A empresa já incluiu o nome da cidade na lista de localidades atendidas pelo aplicativo, mas ainda não há previsão oficial para que o atendimento comece.

No site da Uber, já é possível se cadastrar como motorista para trabalhar com a plataforma na cidade. “Como contratante independente em Londrina, você tem a flexibilidade de acessar a plataforma quando você quiser, seja em tempo integral ou parcial. O Uber cuida de todos os detalhes para que você só precise se preocupar em dirigir no horário que mais convém a você”, diz o texto de apresentação no site.

Também aparece a opção se simular trajetos dentro da cidade para exibição de valores, mas a ferramenta ainda não aparece em funcionamento. “Desculpe, não foi possível fornecer uma estimativa de preços para essa viagem”, diz a mensagem.

O diretor de políticas públicas da Uber, Gabriel Petrus, está na cidade desde a semana passada participando de reuniões com representantes do poder público, vereadores, entidades privadas e setores ligados à inovação. Na noite de quinta-feira (28), ele participou do ‘Pitch Mais’, ponto de encontro para investidores e idealizadores de startups na cidade promovido pelo espaço colaborativo Juntus.

“Em todas as conversas que tivemos até agora em Londrina fomos muito bem acolhidos. Nós não escolhemos Londrina. Foi Londrina quem nos escolheu ao ser uma cidade inovadora. Que nossa chegada não seja uma chegada de uma empresa de fora, mas o início de várias possibilidades de cooperação de diversas áreas não só do transporte, mas também de ciência, tecnologia e inovação”, disse Petrus no evento.
Questionada sobre a vinda a Londrina, a Uber explicou, via nota enviada pela assessoria de imprensa, que avalia constantemente a possibilidade de novas cidades receberem o serviço. “Parte dessa avaliação, que é feita em vários níveis, inclui buscar talentos e compartilhar informações com os cidadãos que queiram ter uma nova oportunidade de renda com autonomia, flexibilidade e dignidade dirigindo na plataforma da Uber”, diz a nota.

Londrina será a segunda cidade do interior do Brasil a receber o serviço (depois de Campinas), e uma das menores do mundo. “Hoje em Londrina há mais de 230 mil carros particulares circulando na cidade, praticamente 1,5 carro por pessoa. Por que não criar alternativas para reduzir o número de veículos nas ruas, melhorar o meio ambiente? Em São Paulo, a cidade economizou 1,1 milhão de quilômetros rodados em um mês porque você conseguiu colocar de mais uma pessoa no mesmo carro, com as viagens compartilhadas”, explicou Petrus.

Como funciona?
O Uber é um aplicativo para smartphones que conecta de um lado pessoas que precisam se locomover e, de outro, motoristas que oferecem o transporte.

O usuário envia uma solicitação de transporte para o aplicativo, que identifica o motorista mais próximo. Assim que o motorista aceita, o usuário já recebe a informação com o tempo estimado de chegada até o ponto de embarque, do nome do motorista, o tipo de veículo e a placa do automóvel.

Quando a corrida chega ao destino, a tarifa é calculada automaticamente e cobrada diretamente no cartão de crédito. Créditos e descontos disponíveis podem ser automaticamente aplicados em sua próxima viagem.

O usuário tem a opção de avaliar o motorista inclusive de forma anônima. O feedback serve para referendar o bom serviço prestado e até para desativar contas de motoristas em casos de incidentes ou comentários negativos em excesso, o que, segundo o Uber, garante a qualidade do serviço.

Pesquisa feita em junho deste ano pelo ConectaAí mostrou que 80% dos entrevistados são a favor do Uber, enquanto apenas 10% se manifestaram de forma contrária. Os outros 10% disseram não conhecer o serviço.

Entre os contrários, 33% argumentam que o aplicativo tira o trabalho dos taxistas, 27% consideram inseguro, 15% estão acostumados com táxi e 9% não gostam de ter que pedir pelo aplicativo.

Fonte: MassaNews

Compartilhe nossa Matéria