Funaro diz que Temer o orientou sobre propina
Em depoimento à Polícia Federal, o corretor Lúcio Bolonha Funaro acusou o presidente Michel Temer de ter feito “orientação/pedido” para que uma “comissão” de R$ 20 milhões proveniente de duas operações do Fundo de Investimento do FGTS fosse encaminhada para a sua campanha presidencial de 2014 e, também, para a de Gabriel Chalita à Prefeitura de SP, em 2012…
A defesa de Temer disse ser desnecessário “qualquer pronunciamento neste momento”. …Léo Pinheiro reafirma que Lula era dono do triplex
A defesa de Léo Pinheiro, da OAS, reafirmou ao juiz Sérgio Moro, nas alegações finais do caso do triplex no Guarujá, que o ex-presidente Lula era o dono do imóvel. O petista nega. Moro pode agora pedir novas diligências ou publicar sentença. Lula disse ontem não acreditar que será preso. Em outra frente, Edson Fachin, do STF, retirou de Moro dois processos contra o ex-presidente…

———————————————————————-

O Globo

Manchete : Temer orientou divisão de verba desviada, diz Funaro
Para a PF, evidências indicam ‘com vigor’ a prática de corrupção
Doleiro afirma que R$ 20 milhões retirados de um fundo da Caixa foram distribuídos para campanhas eleitorais a pedido do peemedebista; Joesley relatou suposta pressão no BNDES em favor da JBS
Em depoimento à PF no inquérito que investiga o presidente após a delação da JBS, o doleiro Lúcio Funaro afirmou que Temer orientou a distribuição de R$ 20 milhões desviados de um fundo da Caixa para campanhas eleitorais. Funaro afirmou também que Temer sabia do pagamento de propina feito pela Odebrecht para obter contratos na Petrobras.
O operador do PMDB ainda relatou repasses para o ministro Moreira Franco e os ex-ministros Geddel Vieira e Henrique Alves. Procurado, o advogado do presidente não comentou. Segundo a PF, todas as evidências indicam “com vigor” a prática de corrupção passiva por parte de Temer no caso da propina entregue pela JBS ao ex-deputado Rocha Loures. Também à PF, Joesley Batista disse que Temer teria pressionado o BNDES para aprovar pedido de interesse da JBS. (Págs. 3 e 4)

Irmã e primo de Aécio vão para prisão domiciliar
A Primeira Turma do STF adiou decisão sobre pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves, mas transferiu a irmã e um primo do tucano para prisão domiciliar. (Pág. 5)

Editoriais
‘Lula e Dilma não estão bem na foto de Joesley’ (Pág. 16)

Decisão do STF sobre delação pode afetar Lava-Jato (Pág. 6)

Lula entrega defesa no caso do tríplex.(Pág. 8)

Justiça francesa condena Maluf, mulher e filho. (Pág. 7)

Revés em reforma preocupa mercado
Governo cochila e sofre derrota em comissão do Senado
No primeiro grande tropeço do governo no Congresso após a delação de Joesley Batista, a Comissão de Assuntos Sociais do Senado rejeitou a proposta de reforma trabalhista por 10 votos a 9. Na Rússia, o presidente Temer minimizou, afirmando que o texto será aprovado em plenário, que é o que importa. O dólar subiu 1,27% e a Bolsa caiu 2%. (Págs. 19 e 20)

Estado corta 60 mil empregos
Em maio, houve a abertura de 34 mil vagas com carteira no país. Mas, no Rio, o resultado foi negativo e, no ano, os cortes chegam a 60 mil no estado. Analistas afirmam que a recuperação do emprego no país é incipiente e puxada pelo setor agrícola. (Pág. 21)

Longe da sala de aula
Entre 2014 e 2015, 11% dos alunos do ensino médio abandonaram os estudos, revela o Censo Escolar. (Pág. 26)

Merval Pereira
Presidente viajou à Rússia, mas a crise ficou por aqui mesmo. (Pág. 4)

Miriam Leitão
Reforma trabalhista é agenda do país, não do governo. (Pág. 20)

Elio Gaspari
Expor agente da CIA é trapalhada do bunker de Temer. (Pág. 16)

Zuenir Ventura
Difícil explicar país onde ex-amigos Joesley e Temer se xingam. (Pág. 17)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Revés governista eleva dúvida sobre aprovação de reformas
Comissão no Senado rejeita texto da trabalhista; Temer, porém, diz que projeto será aprovado no plenário
Numa inesperada derrota para o governo, a Comissão de Assuntos Sociais do Senado rejeitou por 10 votos a nove o parecer que pedia a aprovação do projeto da reforma trabalhista. Três senadores da base governista votaram contra o texto, o que foi visto como vitória do senador Renan Calheiros (PMDB-AL).
Mesmo com o resultado, o governo estima que aprovará o projeto no plenário. Na Rússia, o presidente Michel Temer afirmou que a vitória é “certíssima”. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), trocaram acusações. Economistas que acompanham o ajuste ficaram surpresos. Há consenso de que faltou articulação do governo em relação a uma questão vital. (Economia / Págs. B1, B3 e B4)

País cria 34 mil empregos
A economia brasileira ampliou o número de vagas formais de trabalho pelo segundo mês consecutivo. Em maio, foram criados 34.253 postos com carteira assinada, segundo o Ministério do Trabalho. (Pág. B5)

Câmara aprova proposta que libera venda de emagrecedores
Deputados aprovaram ontem a liberação de emagrecedores e inibidores de apetite à base de anfetamina. Pelo projeto de lei, a venda desses produtos vai depender de receita médica, que deverá ficar retida. A proposta segue para sanção presidencial. A Anvisa informou que é contra, vê risco à saúde da população e vai recomendar o veto. (Metrópole / Pág. A14)

Países resistem a acordo da Odebrecht
Resistência dos governos e falta de leis emperram acordos de leniência da Odebrecht na América Latina, onde a empresa relatou propinas de US$ 439 milhões. (Internacional / Pág. A10)

Funaro diz que Temer o orientou sobre propina
Em depoimento à Polícia Federal, o corretor Lúcio Bolonha Funaro acusou o presidente Michel Temer de ter feito “orientação/pedido” para que uma “comissão” de R$ 20 milhões proveniente de duas operações do Fundo de Investimento do FGTS fosse encaminhada para a sua campanha presidencial de 2014 e, também, para a de Gabriel Chalita à Prefeitura de SP, em 2012.
A defesa de Temer disse ser desnecessário “qualquer pronunciamento neste momento”. (Política / Pág. A4)

STF deve manter delação
O STF discute hoje a validade da delação de Joesley Batista e outros executivos da JBS. A previsão é de que ao menos cinco ministros votem por manter o acordo de colaboração. (Pág. A6)

Léo Pinheiro reafirma que Lula era dono do triplex
A defesa de Léo Pinheiro, da OAS, reafirmou ao juiz Sérgio Moro, nas alegações finais do caso do triplex no Guarujá, que o ex-presidente Lula era o dono do imóvel. O petista nega. Moro pode agora pedir novas diligências ou publicar sentença. Lula disse ontem não acreditar que será preso. Em outra frente, Edson Fachin, do STF, retirou de Moro dois processos contra o ex-presidente. (Política / Pág. A7)

Irmã de Aécio vai para domiciliar
O STF substituiu prisão preventiva de Andrea Neves pela prisão domiciliar. Ela usará tornozeleira eletrônica. O julgamento de Aécio Neves (PSDB-MG) foi adiado. (Pág. A8)

Rumo ao exterior
Acrise está “empurrando” mais brasileiros para o exterior. A Receita Federal registrou aumento de 80% nas saídas definitivas de 2014 a 2016, ante o triênio anterior. Caso de Camila Flaire, que foi para Portugal. (Economia / Pág. B9)

vera Magalhães
Colegas viram na mudança de posição de Fux sobre Andrea Neves uma “prévia” para Aécio. (Política / Pág. A6)

Monica de Bolle
Não se pode criticar os enfermeiros da equipe econômica sem tornar-se traidor da pátria. (Economia / Pág. B2)

NOTAS & INFORMAÇÕES
Um alerta importante A luta contra a corrupção é importante, mas não pode ser uma meta em si mesma nem pode constituir o único norte para a organização institucional do País. (Pág. A3)

Em jogo, o esforço de um ano Crise política pode mandar ajustes e reformas para o ralo. (Pág. A3)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: STF deve manter validade do acordo de delação da JBS
O Supremo Tribunal Federal (STF) deve confirmar hoje a validade da delação de executivos da JBS e sua homologação pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato na Corte

Venda da Moy Park é a maior aposta
Plano de desinvestimentos da JBS tem como principal ativo a irlandesa Moy Park, segunda maior empresa de carne de frango do Reino Unido. Dos R$ 6 bilhões que quer obter, mais da metade poderá vir dessa venda

Chefe da PF ataca condução da Lava-Jato
Há menos de um mês no Ministério da Justiça, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Torquato Jardim fez ataques duros à condução da Operação Lava-Jato. Segundo ele, o vazamento de delações está criando um ambiente de ódio que atrapalha, inclusive, o avanço das reformas econômicas no Congresso
Silvia Zamboni/Valor

Novo nome, nova fase
A Brookfield Incorporações inicia nova fase, com mudança do nome para Tegra, diz Ubirajara Freitas. A empresa planeja voltar a lançar até R$ 3 bilhões de reais anuais em imóveis em 2019

Rejeição de reforma foi super avaliada

A reforma foi para a análise de três comissões do Senado e a derrota em uma delas não impede que o projeto que veio da Câmara siga intocado ao plenário. O texto já foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos e tem passe livre para ser votado por todos os senadores

Cade tende a vetar fusão Kroton-Estácio
Após quase um ano do anúncio do negócio, a fusão entre os grupos de ensino Kroton e Estácio pode ser reprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)

Brasil lidera a produção de petróleo na América Latina
Com a queda na produção de petróleo na Venezuela e no México, o Brasil passou a ser o maior produtor da América Latina. Em abril, segundo a ANP, a produção brasileira atingiu 2,53 milhões de barris por dia, enquanto a da Venezuela ficou em 2,19 milhões de barris e a do México, em 2,012 milhões

CCEE estuda aprimorar formação de preço em energia
Modelo atual depende muito do regime de chuvas passado e é sujeito a distorções, dizem especialistas

Emprego Agropecuária garante 2º mês seguido de abertura de vagas
Os principais setores acompanhados pelo Caged tiveram desempenho significativamente melhor do que em maio do ano passado. Reajustes salariais voltam a ficar acima da inflação

Energia Brasil produz mais petróleo que Venezuela e México
Em abril, o Brasil produziu 2,53 milhões de barris/dia, contra 2,19 milhões de barris/dia da Venezuela e 2,012 milhões de barris/dia do México

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.