Amamenta Coach: app desenvolvido pela UEL auxilia mães a cuidar de prematuros

Personalizável, o aplicativo pode ser utilizado para prematuros de diferentes níveis e conta com links para mães de prematuros, vídeos, playlists de músicas relaxantes depois da jornada de amamentação, entre outros.

0

Universidade Estadual de Londrina (UEL) criou um aplicativo voltado a auxiliar a amamentação de bebês prematuros, o Amamenta Coach, desenvolvido pela doutoranda Gabriela Ramos Curan, do Programa de pós-graduação em Enfermagem (doutorado) do Centro de Ciências da Saúde (CCS). O trabalho é orientado pela professora Edilaine Giovanini Rossetto, do Departamento de Enfermagem.

Personalizável, o aplicativo pode ser utilizado para prematuros de diferentes níveis e conta com links para mães de prematuros, vídeos, playlists de músicas relaxantes depois da jornada de amamentação, entre outros. “É um aplicativo completo para auxiliar as mães desses bebês. A jornada de amamentação de um prematuro pode ser extenuante e demandar muitas horas da enfermagem”, afirma Gabriela.

Segundo a pesquisadora, a autoconfiança da mãe é um dos fatores mais importantes para o sucesso da amamentação do prematuro. Muitas vezes, também é preciso ajudar a mãe a vencer a ansiedade e o medo da amamentação. Além de os bebês prematuros apresentarem dificuldades de sucção, deglutição e respiração para mamar no seio, ainda há as questões envolvendo a mãe.

“Se não há essa participação do bebê, a mãe vai apresentar dificuldades para produzir leite, pois, para que isso ocorra, é preciso que ele mame”, salientou a orientadora Edilaine.

CONEXÃO BRASIL – CANADÁ – O Amamenta Coach começou a ser desenvolvido no Brasil no início do doutorado de Gabriela, desde 2019, e agora continua em desenvolvimento no Canadá. Isso porque Gabriela foi para um doutorado sanduíche no país da América do Norte para aprimorar o aplicativo, que ganhará uma versão em inglês futuramente.

Na ocasião da ida para o Canadá, a estudante estabeleceu uma parceria com um grupo de pesquisa na área materno-infantil da Universidade de Toronto, sob co-orientação da professora Cindy-Lee Dennis.

O aplicativo já passou por avaliações de especialistas em neonatologia no Canadá e também no Brasil. Em Londrina, um estudo recente com 55 mães de bebês prematuros foi realizado no Hospital Universitário (HU/UEL) no segundo semestre de 2021. Os dados ainda estão sendo analisados por Gabriela.

“O que já sabemos é que o estudo comprove a eficiência do aplicativo na melhora da autoconfiança da mãe”, ressalta a pesquisadora.

Outro estudo está em andamento, desta vez de forma multicêntrica e com mais participantes, em Londrina e em Goiás, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (UFG). Para participar, é necessário que os bebês tenham nascido no Hospital Universitário da UEL ou no Hospital das Clínicas da UFG. 

REGISTRO – O processo de registro do app Amamenta Coach está em andamento junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), sob intermédio da Agência de Inovação Tecnológica (Aintec).

Agência Estadual de Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.