Coração acelerado, respiração ofegante, pensamentos confusos, sentimento de medo, ansiedade constante…! Parece que essa é a descrição de uma pessoa prestes a ter algum mal súbito, mas pode ser simplesmente a descrição de sensações de baixa qualidade de vida que muitas pessoas se habituaram a sentir durante a correria do dia a dia!

Afinal, a rotina nos pressiona ou nos auto pressionamos por conta da rotina cheia de compromissos? Ou ainda, nos pressionamos porque já nem sabemos mais como é funcionar de outro modo?

 O mundo todo passa por uma mudança drástica, que nos exige novas rotinas. Nos sentimos estressados e pressionados mesmo sem precisarmos comparecer a reuniões e compromissos fora de casa. Devemos evitar o contato físico, evitar os passeios, evitar uma simples caminhada e, todas essas restrições acabam nos remetendo, em alguns momentos, à solidão!

Estamos em sofrimento ou pelo menos, em processo de descoberta de novas rotinas! Com isso, para ajudar as pessoas que se sentem pressionadas neste momento, que estão com medo e ansiedade nessa quarentena em casa devido a proliferação do Covid-19, a Coluna Bonita Ideia conversou com a psicóloga e terapeuta individual e de casais, Cristina Okamoto, que é ainda, especialista no tratamento de transtornos de ansiedade e problemas de relacionamento.

Dra. Cristina Okamoto
  1. Dra.Cristina, geralmente nos queixamos da correria do dia a dia. De tantas exigências ao longo de nossos dias. Não era para estarmos todos tranquilos neste período de quarentena, já que algumas obrigações estão em pausa?

Dra. Cristina Okamoto: Com a retirada de pressão do trabalho ou da quantidade grande de compromissos, questionamos: o que será que aconteceu que não nos sentimos relaxados? Apesar da retirada dessa pressão, estamos lidando com uma situação completamente nova, imprevisível e de grande risco. Estamos tendo que estabelecer rotinas e, não estamos acostumados a lidar com o medo do que será que vem pela frente, sendo “atacados” por notícias e fake news ameaçadores todos os dias. E, diante do perigo e a ameaça, nosso corpo tende a reagir com tensão e sintomas de ansiedade. Ou seja, podemos sentir os músculos tensos, ansiedade constante, alguns podem até ter desarranjos gastrointestinais, taquicardia, sudorese nas mãos e nos pés, pensamentos invasivos e de conteúdo ameaçador, entre outros.

  • Como uma pessoa consegue saber se é ansiosa. E como a ansiedade afeta nossa vida diretamente?

Dra. Cristina Okamoto: Ansiedade está presente na vida de todos. Ela inclusive é muito importante para nos ajudar a nos adaptar a situações novas e desconhecidas. A ansiedade é como se fosse o ar do pneu: se ele estiver sem ar o pneu não roda; e se estiver com ar em excesso o pneu pode explodir; mas com ar na medida certa (ansiedade em equilíbrio), o pneu funciona perfeitamente, corre e anda por aí (temos uma vida em que fazemos o que precisa ser feito e qualidade de vida, ou seja, o equilíbrio entre movimento e saber relaxar). O problema começa quando a depender do modo como lidamos com as situações,  a ansiedade passa a ocorrer de modo constante, frequente ou em alta intensidade. Dentre os modos de se comportar que geram ansiedade em excesso estão: não saber viver de outro modo que não seja antecipando situações, vivendo o que nem ocorreu e que pode ser que nunca nem ocorra; dificuldade em dizer não para pessoas e compromissos; dificuldade em falar o que pensa e sente; dificuldade em colocar limites. Ou seja, se você se identificou com algumas dessas práticas, a psicoterapia com um bom profissional de Psicologia pode ajudar bastante. Além disso, aprender práticas de Mindfulness também pode ser muito benéfico.

  • A técnica Mindfulness ou Atenção Plena colaboraria com a vida de quais pessoas?

Dra. Cristina Okamoto: Todo mundo pode se beneficiar com práticas de Mindfulness. É uma prática que com orientações de um instrutor bem preparado nos ajuda a viver mais no momento presente, a priorizar o que verdadeiramente importa, nos ajuda a equilibrar a vida lidando com os estressores e aprendendo a relaxar na medida certa, nos ensina como nosso corpo funciona e como ele reage diante às situações, nos ajuda a ser mais leves e presentes.

  • Existe possibilidade de o Mindfulness ser praticado pelas crianças?

Dra. Cristina Okamoto: Com certeza. Eu sou uma pessoa que desde a infância pratico. Hoje, tenho formação científica na área, mas já sinto os benefícios da prática desde criança.

  • Fique à vontade em acrescentar alguma informação ou descrição de meditação que ache interessante.

Dra. Cristina Okamoto: O mindfulness inclui além das práticas meditativas, práticas de mudanças de comportamentos que não temos consciência, os quais nos retira grande parte do prazer pela vida. Vivemos amortecidos, sem mal lembrar o que foi que comemos ontem, ou como ficam os olhinhos da pessoa que amamos quando fazemos uma surpresa pra ela. Já não paramos mais para notar a beleza do sol se pondo, de respirar com calma e perceber quantos motivos de gratidão temos apenas nesses poucos minutos enquanto lemos esse artigo.

A vida acaba e não sabemos quando. Veja, quais tem sido suas prioridades? Onde tem sido colocado a maior parte do tempo na sua vida? As pessoas que verdadeiramente importam têm seu tempo, têm o melhor de você? O quanto tem se sentido pressionado(a), ansioso(a) e com pensamentos acelerados? Mindfulness é um compromisso diário em que fazemos uma pausa estratégica com práticas que nos dão de volta essa consciência e melhora nosso relacionamento conosco diante os treinamentos que ela proporciona.

Anotou tudo? Gente, saber mais sobre a técnica Mindfulness ou Atenção Plena é investir em você mesmo, em como saber mais obre você e saber mais como encarar sua vida, saber por quais perspectivas olhar a vida!

A Dra. Cristina Okamoto finalizou a entrevista indicando dois aplicativos para baixar que pautam a prática do Mindfulness na vida, que são o Headspace e Lojong, eles estão em inglês. Mas salienta que o ideal é ser acompanhado, ser acompanhado por um instrutor de Mindfulness, um profissional da área, que poderá avaliar sua evolução ao lidar com sua busca pela atenção plena no que se dispõe a fazer!

Instagram: @Psicologa.cris

Site: www.PsicologaCris.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.