Na manhã desta segunda-feira (11), o prefeito Marcelo Belinati recebeu em seu gabinete a visita da equipe de Ginástica Rítmica (GR) da Unopar, que este ano vai representar o Brasil em torneios que acontecerão na Rússia e no México. Ela recebe auxílio da Prefeitura de Londrina, por meio do Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos (FEIPE) da Fundação de Esportes de Londrina, em 2019.

A equipe juvenil de GR foi selecionada para representar o Brasil no primeiro Campeonato Mundial da categoria, que acontecerá em julho, na Rússia, e no Pan-Americano de Ginástica Rítmica, no México. Além disso, as atletas já foram campeãs no conjunto de corda e foram vice-campeãs no resultado geral do Campeonato Brasileiro de GR de 2018. No ano final do ano passado, elas foram campeãs sul-americanas como Conjunto, campeãs brasileiras individual por equipe, e receberam a medalha de ouro nos Jogos da Juventude do Paraná e dos Jogos Escolares da Juventude, disputados em Natal.

Segundo o presidente da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), Fernando Madureira, sem o apoio que o Município tem dado e que vem aumentando nos últimos anos certamente não seria possível a obtenção de resultados tão importantes quanto os apresentados pelas atuais equipes, em especial, no que se refere à Ginástica Rítmica. Para tal modalidade, a Prefeitura tem investido R$ 111 mil para a formação de atletas de base até de alto rendimento, além de R$ 37 mil para a modalidade Jogos Abertos – adulto.

Madureira destacou que as modalidades esportivas conseguem os resultados que têm hoje com expressão nacional e internacional por causa do FEIPE, que talvez não esteja no valor ideal, mas dá subsistência para as equipes trabalharem e conseguirem os resultados bem expressivos. “Sem o FEIPE seria bem difícil eles obterem esses resultados. Inclusive, atletas de outras modalidades relatam que conseguiram assinar o Bolsa Atleta nacional porque conseguiram dinheiro do fundo para viajar e representar Londrina em âmbito nacional e internacional”, disse.

Já o prefeito defende que é preciso que haja uma maior divulgação das conquistas alcançadas pelas equipes esportivas de Londrina, pois elas têm angariado diversas premiações de grande peso nacional e até mesmo internacional, e atualmente já contam com apoio do Município de Londrina, porém ainda falta incentivo financeiro de outros setores como de iniciativas privadas. “O orçamento para o primeiro ano de governo era o construído pela gestão anterior, então, a primeira coisa que pensamos foi em dobrarmos o orçamento do esporte para o ano seguinte. Porque o esporte tem três grandes benefícios que são: o nome de Londrina sendo levado para o Brasil e para todo o mundo de forma muito positiva; é uma maneira de inclusão, onde tem uma nova geração se espelhando e sonhando em estar no lugar dos atletas; e por fim através do esporte as pessoas seguem um bom caminho que ainda gera saúde e vida para quem pratica”, frisou.

A presidente da Federação Paranaense de Ginástica Rítmica, Márcia Aversani Lourenço, disse que apesar de contar com o grande apoio do FEIPE para a realização dos treinos e manutenção da equipe, é preciso conseguir financiamento de outros órgãos e entidades para o custeio das viagens internacionais que serão feitas este ano, para as competições internacionais. “Londrina é um grande centro de ginastas e de treinadores, tanto no Paraná quanto no Brasil, com expressivos resultados internacionais, inclusive. Eu venho junto com as treinadoras da Unopar de Londrina mostrar nossos resultados de 2019, onde estamos com a seleção brasileira juvenil de conjuntos, para que possamos ter colocaboração para financiar as ginastas que vão representar o Brasil”, afirmou.

A treinadora das ginastas, Juliana Coradine, que está com as meninas há seis anos, explicou que esse incentivo financeiro é primordial, porque ajuda a garantir resultados como os obtidos no ano passado, quando as ginastas conseguiram estar no pódio em todas as competições que elas participaram, sendo duas vezes campeãs brasileiras, tanto no individual quanto em conjunto, uma sul-americana e paranaense.

“Esse ano começamos bem cedo, porque nosso objetivo é representar bem o nosso país durante as competições e o dinheiro do FEIPE nos ajuda bastante, porque às vezes as crianças não têm dinheiro para o transporte coletivo ou para a alimentação, para comprar roupas para o treino, competição ou para ter os aparelhos, então sem o FEIPE a ginástica não iria sobreviver, porque é uma estrutura que temos além do treinamento”, ressaltou a treinadora.

Segundo Juliana, o dinheiro municipal investido nas ginastas é utilizado para custear  a alimentação das atletas diariamente, o material de treino, os gastos com transporte, a aquisição de roupas especiais para apresentações em competições e para os treinos, sapatilhas, entre outros gastos necessários.

Fotos: Ana Paula Hedler / Informações: Prefeitura Municipal de Londrina

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.