Auxílio Inclusão

Ressalta-se que o auxílio-inclusão não gera direito a pagamento de décimo terceiro salario.

0
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

A Lei nº 14.176 de 22 de junho de 2021 criou um novo benefício assistencial chamado auxílio-inclusão, destinado exclusivamente para as pessoas com deficiência.

Este benefício já era previsto no art. 94 do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/2015), no entanto, somente através da Lei nº 14.176/2021 foi disciplinado.

Dessa forma, vejamos quem tem direito ao auxílio-inclusão:

O Benefício de Prestação Continuada – BPC previsto no art. 20 da Lei nº 8.742/93 é incompatível com atividade remunerada. Isso significa que, se uma pessoa estiver recebendo BPC e passar a trabalhar em atividade remunerada, ela deverá ter o benefício suspenso.

Entretanto, após a edição da Lei 14.176/2021 que disciplinou o auxílio-inclusão, a pessoa com deficiência que estava recebendo o BPC e que passou a exercer atividade remunerada deixa de ter o direito a este benefício, mas poderá receber o auxílio-inclusão.

Destaca-se que terá direito à concessão do auxílio-inclusão a pessoa com deficiência moderada ou grave que, cumulativamente receba o benefício de prestação continuada e passe a exercer atividade que tenha remuneração limitada a 2 (dois) salários-mínimos.

A atividade remunerada deverá enquadrar o beneficiário como segurado obrigatório do Regime Geral de Previdência Social ou como filiado a regime próprio de previdência social da União, Estados, Distrito Federal ou dos Municípios.

Ainda, é necessário que no momento do requerimento o beneficiário tenha inscrição atualizada no CadÚnico, tenha inscrição regular no CPF e que atenda aos critérios de manutenção do benefício de prestação continuada, incluídos os critérios relativos à renda familiar mensal per capita exigida para acesso ao benefício.

O auxílio-inclusão poderá ser concedido ao beneficiário que tenha recebido o benefício de prestação continuada – BPC nos 5 (cinco) anos imediatamente anteriores ao exercício da atividade remunerada e que tenha tido este benefício suspenso por causa desta.

O valor do auxílio-inclusão será de 50% do valor do benefício de prestação continuada, ou seja, 50% do salário-mínimo nacional vigente.

Ressalta-se que o auxílio-inclusão não gera direito a pagamento de décimo terceiro salario.

Ao requerer este benefício, o requerente/beneficiário autorizará a suspensão do benefício de prestação continuada – BPC.

Atenção, o auxílio-inclusão não poderá ser cumulado com o pagamento de benefício de prestação continuada, prestações a título de aposentadoria, de pensão ou de benefícios por incapacidade pagos por qualquer regime de previdência social ou seguro desemprego.

Evidencia-se que o pagamento do auxilio-inclusão cessará na hipótese de o beneficiário deixar de atender aos critérios de manutenção do benefício de prestação continuada ou deixar de atender aos critérios de concessão do auxílio-inclusão.

Por fim, as regras da Lei 14.176/2021 que tratam sobre o auxílio-inclusão somente entram em vigor no dia 1º de outubro de 2021.

Ana Rita da Silva Vieira
Advogada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.