Cambé bate recorde no número de casos confirmados da Covid-19 em fevereiro

0
Foto: Portal Cambé

A cidade de Cambé bateu o recorde no número de casos confirmados da Covid-19 em fevereiro. No mês, o município registrou 3.310 casos da doença, número superior ao registrado em janeiro, segundo mês com mais casos confirmados, com 1.414 exames positivos. A grande quantidade de casos positivos da doença também fez com que o número de óbitos crescesse entre o primeiro e o segundo mês de 2022: em janeiro, quatro pessoas morreram por causa da doença; em fevereiro, foram 14 óbitos. Isabela Salvadego, responsável pelo Departamento de Epidemiologia da Secretaria de Saúde, explica que o município passou a utilizar o teste rápido (RT-Ag) no começo de fevereiro, quando muitos testes de janeiro estavam represados por conta da alta demanda. “Muitas pessoas que positivaram em fevereiro, na verdade se contaminaram em janeiro, por conta disso o número foi tão elevado no mês”, ressalta.

Os dados epidemiológicos registrados em fevereiro apontam que, entre uma população estimada em 108 mil pessoas, cerca de 3% dos cambeenses positivaram para a doença em um único mês. Salvadego também esclarece que a variante Ômicron, que está em circulação agora, tende a ser mais transmissível e isso faz com que o número de casos aumente. “O vírus estava circulando muito entre a população no mês de fevereiro e que somado ao número de testes represados, resultou em uma alta no número de confirmações no mês”, explica. Segundo ela, o teste rápido, que aponta o resultado em 15 minutos, permitiu que o rastreamento das pessoas contaminadas fosse mais eficaz, pois já libera do isolamento quem não está com a doença e garante o afastamento para quem positivou.

Salvadego explica que quando o vírus está circulando muito entre a população, o número de pessoas que desenvolvem quadros graves da doença e vão a óbito pode aumentar também. “Mesmo estando vacinadas, quanto mais pessoas se contaminam, mais pessoas podem acabar morrendo por causa vírus”, pontua. Como alternativa para frear a disseminação do vírus, o uso de máscara, o distanciamento social e, principalmente, a vacinação são fundamentais.

Da mesma forma com que o número de casos e de óbitos cresceu no ano, a taxa de positividade seguiu na mesma direção: em dezembro, eram dois resultados positivos a cada 100 testes feitos; em fevereiro, foram 51. “Como a circulação do vírus está alta entre as pessoas, a maior parte dos sintomáticos que busca atendimento realmente está contaminada com o vírus”, explica. Com o grande número de exames positivos em fevereiro, o mês também foi palco do recorde no número de casos ativos da doença, com 1.374 pessoas doentes no dia 07, sendo que, dentre esse número, apenas 12 estavam internadas. O número de casos graves que precisam de internação ainda é baixo se comparado aos meses mais letais da pandemia, em que a cidade tinha a média diária de 30 internações.

Para o prefeito Conrado Scheller, a vacina é a chave para que o cenário melhore cada vez mais. “Graças à vacinação, o número de casos graves e que vão a óbito não é maior. Se tivéssemos esse número de casos no começo do ano passado, quando a vacinação ainda estava lenta, o cenário poderia ter sido muito pior, com muito mais mortes do que, infelizmente, a gente já teve”, destaca o prefeito.

A cidade de Cambé tem uma população acima de 18 anos estimada em 80 mil pessoas e, dentre esse número, 95% já está vacinada com a primeira e a segunda dose. “Dentro da população adulta, a adesão está dentro da expectativa, mas está abaixo da esperada entre as pessoas mais jovens”, pontua. Dentre os quase oito mil adolescentes entre 12 e 17 anos que receberam a primeira dose, pouco mais de três mil voltaram para a segunda dose, o que representa apenas 38,8% dos adolescentes cambeenses com o esquema vacinal completo. A vacinação de crianças entre cinco e 11 anos, que começou em janeiro de 2022, também segue a passos lentos, com apenas 34,8% das crianças vacinadas entre uma população estimada em pouco mais de 11 mil.

Isabela Salvadego explica que o município está aguardando o envio de novas doses da vacina da Pfizer (BioNTech) para iniciar campanhas de repescagem de segunda dose para os adolescentes e de primeira dose para as crianças. “É essencial que toda a população se vacine contra o vírus, porque a vacina é a responsável por evitar um aumento no número de casos graves e de óbitos, mesmo com uma alta taxa de contaminação”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.