Especialistas dão dicas para os candidatos que vão fazer a prova

Mesmo quem se preparou bem para o vestibular acaba ficando ansioso na semana que antecede a prova. Segundo especialistas da Universidade Federal do Paraná, mudanças radicais de última hora são a pior escolha dos candidatos.

“Não adianta estudar agora o que deveria ter sido estudado antes. O jovem pensa que dar um último gás pode resolver, mas o melhor é estar tranquilo, centrado e confiante”, explica a professora do curso de Psicologia da UFPR, Luciana Valore.

Luciana comenta que o vestibular é mais uma etapa profissional. É importante, nos dias anteriores à prova, não dar ouvidos para quem pressiona muito por um resultado positivo. “A prova exige muita interpretação, então manter-se tranquilo é essencial”, afirma a professora.

Antes da prova, ela recomenda conhecer o local da prova, a distância e o transporte que será usado, para evitar um contratempo que cause stress. Durante o exame, quando a resposta não vem de imadiato, o candidato não deve ficar “quebrando a cabeça”. “Quando não souber uma resposta, não fique nervoso, passe para outra pergunta. Às vezes a solução de uma pergunta aparece quando se está fazendo outra”, afirma.

Outro ponto importante é a alimentação. A professora do curso de Nutrição da UFPR, Regina Maria Vilela, afirma que o principal é não modificar os hábitos alimentares. “Manter a alimentação cotidiana, o arroz com feijão, legumes e uma porção de carne evita de acabar não se sentindo bem”, comenta Regina. Ela ainda ressalta a importância de manter a hidratação do corpo, já que a falta de líquido pode causar dor de cabeça e mal estar.

Alimentos gordurosos, nem pensar. “Frituras, empanados e comidas prontas favorecem uma digestão lenta que pode alterar o sistema gastrointestinal”, afirma. Bebidas alcoólicas e doces também devem ser evitados.

Ambas concordam que estar bem descansado durante essa semana, e procurar atividades relaxantes e prazerosas são as melhores escolhas. “Dormir bem ajuda a manter a nutrição em equilíbrio, e consequentemente a energia”, finaliza Regina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.