banner_eleicoesA propaganda eleitoral gratuita, iniciada na manhã desta terça-feira (19) no rádio, foi marcada por homenagens de vários partidos e coligações ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, além das apresentações dos candidatos e suas plataformas de governo.

Por ordem de sorteio, a coligação Unidos pelo Brasil, liderada pelo PSB, partido de Campos, usou os dois minutos e três segundos a que tem direito para homenagear o candidato morto na última quarta-feira (13) em um acidente de avião.

“O Brasil perdeu Eduardo Campos, um candidato a presidente em quem os brasileiros queriam, mas não puderam votar. Eduardo se foi, mas seus valores e ideais ficaram. Dentre eles, a esperança para seguir em frente”, destacou o programa.

Apesar de ainda não apresentar oficialmente Marina Silva como sucessora de Eduardo Campos na chapa, o PSB usou uma fala do próprio Eduardo Campos citando Marina.

“Vamos precisar unir o Brasil e as boas pessoas do Brasil. O Brasil tem jeito, quem vai dar jeito ao Brasil é o povo brasileiro. Eu e Marina estamos prontos para fazer a mudança para o futuro do Brasil”. O PSB deve decidir até quarta-feira (20) quem será o substituto na chapa.

O tempo da Coligação Muda Brasil, encabeçada pelo PSDB, também começou com uma homenagem ao ex-governador de Pernambuco feita pelo presidenciável Aécio Neves. Além de lamentar a morte de Eduardo Campos e das outras seis vítimas no acidente, o tucano ressaltou a relação de amizade e de respeito que tinha com o ex-governador desde a década de 80, na campanha pelas Diretas.

“Colocar em prática as ideias e os ideais que tínhamos em comum será a melhor forma de celebrar a vida do grande governador, do pai, do marido, do amigo, do brasileiro Eduardo Campos”, disse Aécio enfatizando que, mesmo em partidos diferentes, os dois tinham sonhos parecidos.

Além de apresentar Aécio como ex-deputado federal, ex-governador de Minas Gerais, senador e neto de Tancredo Neves, o tucano foi mostrado, nos quatro minutos e 35 segundos de programa, como uma alternativa de mudança.

“Hoje, o Brasil está pior que há quatro anos. O Brasil, que vinha bem, vinha avançando, perdeu o rumo, mas é importante que fique claro: o problema não é o Brasil, o problema é a forma como o Brasil está sendo governado”, destacou o presidenciável.

Com o maior tempo de programa (11 minutos e 24 segundos), a candidata à reeleição Dilma Rousseff, da coligação Com a Força do Povo, que reúne o PT e oito partidos, disse que pretende fazer “uma campanha de alto nível, positiva e com discussão de ideias”.

O programa propôs uma comparação do governo atual com anteriores e destacou a queda na taxa de desemprego e também dos números de geração de empregos formais nos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e no de Dilma Rousseff.

Na área de moradia, destacou a construção de 600 mil casas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida e de obras importantes em parceria com estados e prefeituras como o Rodoanel e a linha 17 do Metrô da capital paulista.

Dilma destacou ainda o Programa Mais Médicos. “Criamos a maior rede de proteção social do mundo, o Brasil sem Miséria, que vem acabando com a pobreza extrema. Estamos realizando o maior conjunto de obras de infraestrutura de nossa história recente e vamos fazer do pré-sal o nosso passaporte para o futuro: 75% dos royalties do petróleo serão investidos na educação e 25% na saúde”, lembrou a candidata.

O ex-presidente Lula participou ativamente do programa, sugerindo aos eleitores comparações dos governos do PT com anteriores e pedindo votos para a companheira de partido. Ele também homenageou Eduardo Campos ao falar da dor pela perda do político, por quem disse sentir “afeto de pai e filho”. “Sua luta sempre foi e continuará sendo a nossa luta. E suas últimas palavras precisam ser incorporadas pelo povo brasileiro: nunca, jamais desistir do Brasil. É assim, querido Eduardo, que vamos guardar sua memória para sempre”, disse Lula.

Os demais candidatos a presidente também apresentaram suas bandeiras de campanha no primeiro programa eleitoral. Até o dia 2 de outubro, a propaganda eleitoral está dividida em dois blocos diários. Nas rádios, a transmissão vai das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25. Na televisão, o primeiro bloco se inicia às 13h e vai até as 13h25. À noite, a propaganda é retomada das 20h30 às 20h55. Terça-feira, quinta-feira e sábado estão destinados à propaganda de candidatos à presidência e segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira às campanhas estaduais.

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.