Confira o que aponta a psicóloga e coach Maria Augusta Carvalho sobre nossas reações e atitudes nos últimos tempos

Episódios recentes de brigas, escândalos e grandes confusões foram manchete em diferentes meios no último final de semana. Um exemplo, foi a briga entre uma arquiteta, que estava com sua família em um restaurante no Bairro Leblon no Rio de Janeiro, e duas mulheres em um carro conversível que estacionaram na frente do local, e, de acordo com vídeos que circulam pela internet, estavam constrangendo famílias que estavam jantando, pois estavam fazendo beijo triplo (com o motorista do carro). O episódio que teve inúmeros desdobramentos foi assunto em todo o país e levantou uma questão: será que estamos mais “ a flor da pele” e intolerantes que o “normal”?

Segundo muitos profissionais da área da saúde mental, como psicólogos, terapeutas e psiquiatras, por mais que acontecimentos como o citado sempre ocorressem, vivemos tempos onde o estresse e a ansiedade são sentimentos constantes!

A Coluna Bonita Ideia foi então, conversar com a psicóloga e coach Maria Augusta Carvalho sobre o efeito da ansiedade em nosso dia a dia, quando muitos vivem uma quarentena e muitos já seguem na tentativa de levar a vida “normalmente”.

1- Essa profissão talvez, nunca tenha sido tão necessária e para um grande número de pessoas ao mesmo tempo. Certo?

Exatamente! Durante muitos anos, ir ao psicólogo era um tabu, ninguém queria compartilhar com os outros que estava fazendo terapia. De um tempo para cá, as coisas mudaram bastante! O mundo começou a perceber que todos precisam de um acompanhamento, cresceu o olhar para a saúde mental e a importância dela para o andamento da vida, inclusive no profissional.

O momento que estamos vivendo reforça ainda mais a ideia de que a psicologia é, sim, para todos. A pandemia, a quarentena e o isolamento social fizeram todos pararem no tempo. Aquela rotina corrida, a falta de tempo para a família, o fato de praticamente não parar em casa, foram cortadas de forma brusca! O que nos fez repensar nossa vida pessoal e profissional, as relações que estávamos estabelecendo com outros e conosco! E todo esse processo de olhar para si mesmo e repensar a vida, faz com que sentimentos novos surjam. Além disso, os impactos do coronavírus foram importantes para esse processo. Muitas pessoas perderam seus empregos e precisaram buscar alternativas, outros perderam pessoas queridas e passaram pelo processo de luto – muitas vezes sem a companhia da família e amigos! Essa pandemia não é apenas viral, mas também psicológica, ela causa sofrimento psíquico. Dessa forma, o confinamento gera desequilíbrio e, consequentemente, problemas na saúde mental. Tudo isso, com certeza, fez com que a psicoterapia se tornasse uma solução necessária para auxiliar esses conflitos.

3-Você notou, de alguma forma, que as pessoas estão mais sensíveis e perdidas por conta da pandemia?

Com certeza! É uma verdadeira bola de neve, que acumula diversos fatores e que sobrecarregam a nossa saúde mental. Nos tornando cada vez mais sensíveis e perdidos. O ser humano é um ser relacional, e o único animal que depende da relação com o outro para continuar vivo – principalmente quando bebê. E vivemos hoje, um momento em que essa relação com o outro precisa ser evitada, indo ao contrário do que passamos a vida toda acostumados. Isso faz com que o isolamento social seja cada vez mais difícil de ser cumprido e um dos maiores causadores de doenças mentais!

Além disso, somos bombardeados o tempo todo com informações – muitas vezes ruins, que nos fazem acender o medo, a ansiedade e os comportamentos problemáticos. Afinal, vivemos um período de incertezas e isso tem grande impacto em nossa saúde.

O medo, a angústia, a ansiedade e a depressão podem estar presentes em nossas vidas nesse momento – causada pelos mais diferentes motivos. Por isso, a importância de estar em acompanhamento psicológico, para que esse processo seja enfrentado da melhor forma possível.

4-Quais ações e/ou mecanismos podemos nos adotar para a busca de maior equilíbrio em uma fase tão inesperada?

O passo mais importante de todos é parar um tempo para analisar e compreender a fonte dessa ansiedade, angústia ou sofrimento. E, partir dela, começar a buscar soluções! Algumas pessoas já possuíam problemas emocionais antes da pandemia, mas a chegada dela promoveu uma intensificação! Esses problemas precisam ser acompanhados por um profissional. Outras, por exemplo, passam muito tempo acessando informações nas mídias ou redes sociais – que podem a levar a casos extremos de ansiedade. Para elas, é importante buscar “limite” na quantidade de notícias e posts nas redes sociais que elas acessam, tendo em vista que podem ser os causadores desse sofrimento. É preciso se perguntar “essas histórias que estou lendo são verdadeiras ou falsas? ”.

Já algumas pessoas, têm sérias condições médicas que as colocam em risco em caso de infecção, colocando-as nos grupos de risco. Outras têm preocupações legítimas ou estão ansiosas porque sofrem dificuldades econômicas reais provocadas pelo distanciamento social….

Estando em isolamento social, é importante planejar o que vai ser feito, estruturar seu dia e sua semana, organizar o seu tempo – tente fazer com que sua vida siga o mesmo ritmo de antes do COVID-19, da melhor forma que você conseguir. Não deixe de entrar em contato com seus familiares ou amigos, através das ligações por vídeo ou mensagens. Há muita atividade social para preencher seu dia e assim manter-se isolado apenas presencialmente. Limite também o seu contato com as notícias, caso isso esteja te incomodando – tendo cuidado com o que você entra em contato.

5- Quais dicas que você pode nos destinar?

-A prática de uma atividade física, mesmo que por 10 minutos, pode ajudar a aliviar a ansiedade e melhorar o humor, produzindo hormônios que aliviam o estresse, e aumentando a sua felicidade!

-Cuide também da sua alimentação! Alimentos com alto teor de açúcar e gorduras saturadas até deixam a gente feliz a curto prazo, mas levam o nosso corpo a uma queda imediata dessa sensação, levando à irritabilidade, ao aumento do estresse e da ansiedade.

-Arranje tempo para se cuidar! Em sua rotina, não esqueça de reservar alguns minutos do seu dia para fazer coisas que você gosta, que te façam bem! O autocuidado é extremamente importante nesse momento, pois te ajuda a se livrar do stress e da ansiedade. Faça intervalos para descansar, ler um bom livro, para cozinhar, assistir uma série ou simplesmente ficar de bobeira. Essas pequenas ações vão tornando o seu dia mais leve e possibilitando passar de forma mais amena, por essa pandemia!

E aí, gostou dos apontamentos elencados pela psicóloga Maria Augusta Carvalho?

Saiba mais sobre essa profissional e mulher que assim como nós, tem lindas ideias e ações para melhorar a vida de outras pessoas!

Instagram Psicologa Maria Augusta Carvalho: @mariaa_carvalho

Instagram Coluna Bonita Ideia: @bonitaideia .

________________________________________________________________
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.