Não é só o aparelho de ar-condicionado que trabalha mais nos meses de calor. Os refrigeradores também exigem cuidado para que seu uso nos meses de calor não pese na conta de luz. O consumo mensal dos equipamentos avaliados pelo Inmetro no Programa Brasileiro de Etiquetagem chega a 85 kWh (quilowatt-hora), o que representa 51% do consumo médio residencial paranaense.

Para evitar surpresas na conta de luz, a atenção ao consumo de energia deve começar na hora da compra e se estender por todo o tempo de uso dos aparelhos. De acordo com o superintendente comercial da Copel, João Acyr Bonat Junior, o consumidor precisa avaliar o custo-benefício do conforto que procura. “Por exemplo, a capacidade da geladeira e a tecnologia aplicada em sua fabricação influenciam no consumo. Geladeiras maiores, frost-free, ou com o congelador na parte inferior normalmente consomem mais energia. Por outro lado, a tecnologia inverter reduz o consumo do aparelho”, explica.

Mesmo entre aparelhos avaliados como “nível A” pelo Inmetro –que correspondem de 70 a 98% da amostra total nesta categoria -, há variações significativas de consumo, que podem ser consultadas antes da aquisição na tabela disponível no site do Inmetro, ou estimadas pelo simulador de consumo disponibilizado na página da Copel. Isso acontece por causa da diferença de potência. Enquanto geladeiras mais comuns têm potência média de 45 a 150 watts, as duplex têm potência, em geral, de 250W.

A forma de uso do aparelho também influencia no resultado da conta. O refrigerador deve ser instalado em local bem ventilado, afastado das fontes de calor, como o fogão ou a luz do sol. Para que a placa na parte de trás do refrigerador possa expelir o calor, é recomendado deixar um mínimo de três centímetros livres nos lados, e oito centímetros livres nos fundos.

Regular a temperatura de acordo com a estação do ano e abrir a porta só quando necessário também são recomendações que precisam ser observadas. “Toda vez que a porta é aberta, o ar quente entra e o motor precisa trabalhar mais para retornar à faixa dos 3° C a 5° C na geladeira, -15° C no congelador, bem diferente da nossa temperatura ambiente”, alerta Acyr. Pelo mesmo motivo, colocar alimentos ainda quentes dentro da geladeira e deixar fresta na porta por causa da borracha já ressecada são situações que aumentam o consumo de energia.

OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO – O consumo consciente de energia elétrica não é apenas importantes para manter o orçamento familiar sob controle, mas também contribui para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), melhorando o uso dos recursos naturais do planeta.

Agência Estadual de Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.