A senadora Gleisi Hoffmann (PT) apresentou projeto de resolução
propondo a criação do Comitê de Defesa da Mulher contra Assédio Moral
ou Sexual no Senado. O comitê seria composto por três senadoras para
receber denúncias de servidoras efetivas, comissionadas e
terceirizadas do Senado Federal.

Com esse projeto a senadora pretende contribuir para a valorização do
papel da mulher em nossa sociedade, bem como chamar a atenção para um
problema real, presente em nosso dia-a-dia em todos os locais do
Brasil. “Apesar das políticas públicas que buscam enaltecer o trabalho
e a missão das mulheres, infelizmente ainda é comum em nossos dias, o
pouco respeito que alguns demonstram para com a condição feminina.
Muitas trabalhadoras são expostas a situações humilhantes e
constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de
trabalho. Todos os esforços legais devem ser feitos para o seu
combate, sobretudo dentro de nossas instituições”, justifica.

As senadoras que integrarão o Comitê serão escolhidas pela Mesa e
terão mandato de dois anos, permitida a recondução por uma única vez.
Recebida a denúncia, se as queixas forem bem fundamentadas, o Comitê
providenciará relatório contendo todos os fatos narrados, que será
encaminhado ao Conselho de Ética, para abertura de processo.

A proposta, se aprovada, levará o Senado Federal a figurar como modelo
a ser seguido por todos os outros parlamentos brasileiros, nos Estados
e Municípios, inspirando a criação de comitês semelhantes, com o
propósito de defender a mulher e destacar seu valor. “Pensamos que a
verdadeira evolução do ser humano exige a valorização do papel da
mulher como trabalhadora, ao lado das outras funções que lhe são
confiadas”, diz Gleisi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.