O Governo do Estado e o Ministério Público do Paraná assinarão um acordo de cooperação técnica para regularizar a situação e manter os policiais civis e militares que estão a serviço do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), sem prejuízo das ações em andamento.

“O governador Beto Richa reforçou a orientação de integração e a união de esforços entre a Secretaria de Segurança e o Ministério Público no combate à criminalidade. A decisão reconhece o sucesso e a qualidade do trabalho obtido com essa parceria”, disse o secretário Almeida César, após encontro com o governador Beto Richa e o procurador-geral da Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto.

O procurador disse que há a intenção de ampliar a ação dos Gaecos em todo o Paraná e de estreitar relações entre as polícias Civil e Militar. “A população do Paraná já identifica e confia nos Gaecos como referência de combate à criminalidade organizada”, argumentou.

DESVIO DE FUNÇÃO – O secretário da Segurança disse que os policiais que trabalham em parceria com o Ministério Público continuarão desenvolvendo suas tarefas, sem prejuízo à condução dos processos que investigam. “Aqueles que estão à disposição de outros órgãos, em funções administrativas têm que retornar aos seus postos. O Governo não pode se dar ao luxo de abrir mão desses profissionais com alta formação”, argumentou.

Almeida César reforçou ainda o compromisso do governador Beto Richa em ampliar o quadro de policiais no Paraná. Atualmente, o efetivo da Polícia Militar é de 17 mil policiais e estudos indicam que seriam necessários 26 mil para garantir efetividade na prevenção e combate à criminalidade. “Vamos fazer o planejamento para a reposição dos cerca de 700 profissionais que deixam a polícia a cada ano. Há planos de aproveitar os remanescentes de concursos públicos anteriores e dar agilidade ao processo de contratação”, revelou.

O Comando da Polícia Militar informou que 316 policiais que estavam atuando em atividades não relacionadas à segurança pública, já estão retornando aos seus postos originais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.