A estudante de fisioterapia Angelita Bonifácio está organizando em Londrina time de basquete para cadeirantes. Através de um projeto social, o grupo já tem dez atletas, sendo cinco rapazes que nunca tiveram contato com a modalidade sobre cadeira de rodas. O trabalho iniciou há dois meses e os participantes buscam uma melhor estrutura para verem seus sonhos se transformarem em realidade.

Segundo Bonifácio, uma parceria foi feita com o instituto José Gonzaga Vieira, com o objetivo de angarias verba do Feipe (Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos) em 2019. O primeiro desafio está em conseguir cadeiras de rodas adaptadas, pois garantem mais segurança que as comuns.

Conversas vêm acontecendo com membros da UEL (Universidade Estadual de Londrina), com o intuito de obter junto à instituição cadeiras adaptadas que eram utilizadas pelo time anterior de basquete de cadeirantes. Os atletas também buscam realizar suas atividades na UEL em razão da acessibilidade.

Wesley Alves de Almeida já fez parte de uma equipe de basquete: “O esporte nos dá resistência e ajuda na integração à sociedade” Imagem: Marcos Zanutto

SUPERAÇÃO
Paraplégico há cinco anos, Victor Hugo Almeida, 28, está no grupo e aprendendo as técnicas do basquete sobre cadeira de rodas. Para ele, tudo é novo, porém gratificante. “Só joguei basquete na época de escola. No time anterior fui chamado para participar, mas acabou e não consegui. Ainda tenho dificuldade em razão da cadeira que, por não ser adaptada, não dá firmeza e confiança, então cair é mais fácil. Independente de qualquer coisa, daqui para frente será somente progresso”, projeta.

“Só joguei basquete na época de escola”, conta Victor Hugo Almeida – Imagem: Marcos Zanutto

SERVIÇO – Mais informações sobre o projeto pelo fone (43) 99801-1128

Com informações Folha de Londrina

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.