01658Paróquia do bairro de Cambé e capelas vinculadas mantém ecopontos para coletar óleo usado, que vira biocombustível e gera renda para programas sociais.

A Paróquia São Francisco Xavier, do Jardim Santo Amaro, é a primeira de Cambé a fazer parte da campanha Óleo Solidário, realizada pela Cáritas Arquidiocesana de Londrina em parceria com a iniciativa privada. O óleo comestível usado é acondicionado em garrafa pet e depositado em ecopontos colocados na paróquia e em suas capelas. O material recolhido é vendido para uma indústria de Rolândia e outra de São Paulo, onde é transformado em biocombustível. O dinheiro arrecadado é revertido para as ações sociais desenvolvidas pela Cáritas.

Braço direito da Arquidiocese de Londrina nas ações sociais, a Cáritas, segundo a sua coordenadora, Márcia Ponce, tem realizado reuniões para despertar o interesse das paróquias pela campanha nos 16 municípios da região de abrangência da Arquidiocese: “São 76 paróquias e mais as capelas que estão vinculadas a algumas delas”, informa a coordenadora.

Nem todas, porém, aderiram até agora à campanha que visa não somente a contribuição da Igreja na luta contra a poluição ambiental, mas se extende de maneira fundamental no trabalho social desenvolvido. “Não é só a questão do que nós pretendemos com esta campanha ecológica e social. Algumas paróquias ainda tem resistência”, diz.

Segundo Márcia, além das paróquias a intenção da Cáritas é mobilizar a comunidade, com o envolvimento também de empresas que entendam os objetivos da campanha e façam parte dela. Ela admita que o processo é lento, principalmente devido à necessidade das pessoas entenderem claramente quais são os objetivos do projeto.

“Um pequeno ato pode causar transformações importantes. O nosso primeiro round é contribuir com a natureza e a humanidade preservando-a. O segundo, da mesma forma importante, é captar recursos para combater a pobreza e proporcionar melhores condições de vida às pessoas que necessitam de apoio”, afirma Márcia Ponce.

Em relação às paróquias de Cambé, a coordenadora da Cáritas Arquidiocesana manifesta a necessidade do projeto do óleo solidário avançar mais no município. Informações contidas em materiais da campanha dão conta que um litro de óleo de fritura usado e descartado no ralo da pia da cozinha polui um milhão de litros de água potável. “A água contaminada equivale à quantidade que uma pessoa consome em 14 anos de vida”.

Sem recursos de parcerias com o poder público

A Cáritas Arquidiocesana de Londrina mantém programas sociais em três localidades de Londrina. Um deles, no Jardim Santa Fé, Zona Leste, desenvolve ações de inclusão com curso de informática e biblioteca popular. A estrutura física do local onde o programa funciona, segundo Márcia Ponce, está bastante sucateada e necessita de reparos urgentes.

Na região dos Cinco Conjuntos funciona outro projeto de repercussão social, em parceria com uma cooperativa de crédito, e na Vila da Fraternidade, também Zona Leste da cidade, existe a casa de atendimento das pastorais sociais da Igreja Católica.

“Há muito atendimento de imigrantes na estrutura da Vila da Fraternidade. São pessoas que viajaram muitos quilômetros, a maioria na condição de refugiados, vindos do Haiti e de Bangladesh. Viajam dias sem documentos e sem comida”, relata a coordenadora.

A vinda desses imigrantes ao Brasil, inclusive ao Norte do Paraná, na opinião de Márcia Ponce está associada à busca de emprego principalmente no segmento de abate de frangos. Além do acolhimento emergencial, a Cáritas auxilia o imigrante nas questões relacionadas à sua presença na região, com o encaminhamento aos meios capazes de legalizar a permanência e tirá-lo da condição de clandestino.

A Cáritas também está envolvida na elaboração e manutenção de programas na área da economia solidária. Nenhum deles, por enquanto, é mantido com recursos provenientes de parceria com o poder público.

Fonte: Jornal Nossa Cidade – Cambé

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.