Além do boato sobre o cancelamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a equipe de monitoramento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) identificou casos de vazamento de imagens em locais de prova em estados como São Paulo, Mato Grosso, o Espírito Santo e o Paraná. Por causa disso, foram retirados das salas de prova e eliminados 37 candidatos.

De acordo com o Inep, o uso de celular é proibido nos locais de prova. Quem estiver com o aparelho, deve colocá-lo em um envelope lacrado, embaixo da carteira.

Apesar dos registros, o Inep avalia que a primeira prova do Enem 2012 transcorreu dentro da normalidade. “Toda a operação de logística ocorreu conforme o planejamento”, diz comunicado divulgado no final da tarde de hoje (3).

Uma equipe de 15 funcionários, cada um com seu monitor, acompanhou as postagens nas redes sociais durante a aplicação do Enem hoje e dará continuidade ao trabalho amanhã (4). Segundo a assessoria do Inep, a Polícia Federal mantém uma equipe de plantão que trabalha junto com o instituto.

O foco são as mensagens publicadas no Twitter e no Facebook, que possam comprometer o exame. Pela manhã, uma postagem com informação falsa sobre o cancelamento do Enem chegou a ser publicada. A PF e o Ministério da Educação identificaram o autor.

A logística do exame também é monitorada. Por meio de videoconferência, o Inep mantém contato com os Correios, responsável pela distribuição das provas, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) e a Cesgranrio – entidades que fazem parte do consórcio aplicador da avaliação.

Em todo o país, mais de 5,7 milhões de estudantes se inscreveram para o Enem. O exame é aplicado em 15.076 locais de prova distribuídos em 1.615 municípios em todas as regiões do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.