Partidos querem pagar multas com verbas públicas
Com débitos que podem chegar a R$ 35,6 milhões por mau uso do Fundo Partidário, siglas alegam não ter dinheiro
Pareceres dos técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre as contas partidárias de 2011 – que serão julgadas até o próximo dia 28 – pedem que as siglas devolvam à União R$ 35,6 milhões gastos de forma não comprovada…
Atentados contra cristãos deixam 44 mortos no Egito
Pelo menos 44 pessoas morreram em dois ataques suicidas a igrejas cristãs do ramo copta – linha ortodoxa do cristianismo no Egito – no Domingo de Ramos. A primeira explosão, em Tanta, ocorreu no interior da igreja de São Jorge. Pelo menos 27 pessoas morreram e 78 ficaram feridas. O segundo atentado, em Alexandria, atingiu a catedral de São Marcos, matando 17 pessoas e ferindo 58. O papa copta Tawadros II estava conduzindo missa no local, mas não se feriu. O Estado Islâmico reivindicou os ataques. O papa Francisco tem visita programada ao Egito no final do mês…

——————————————————————

O Globo

Manchete: Reajuste de servidores pressiona Previdência
Alta de 50% em 9 anos é mais que o dobro da média nacional
Com paridade de inativos, déficit nos regimes de aposentadoria estaduais cresce 57% entre 2009 e 2015, mostra Ipea.

Os governos estaduais concederam reajuste de 50% a seus servidores entre 2006 e 2015, mostra estudo do Ipea. O valor supera em mais de duas vezes o ganho de renda obtido pela média dos trabalhadores brasileiros, que foi de 21%, revela DAIANE COSTA. Essa política de reajuste é um dos principais motivos para o aumento do déficit nas previdências estaduais, que foi de 57% entre 2009 e 2015, já que a maioria dos inativos tem direito à paridade salarial. Além de terem subido mais, os salários dos servidores estaduais superam em muito à média de renda do brasileiro, que é de R$ 1.866. No Amapá, a remuneração média chega a R$ 8.800 e no Distrito Federal, a R$ 8.700. No Estado do Rio, é de R$ 5.800. (Pág. 17)

Paes e Crivella divergem sobre contas da prefeitura
Ex-prefeito diz que deixou R$ 2 bilhões em caixa; atual administração insiste que está no vermelho
O ex-prefeito Eduardo Paes rebateu acusações do sucessor, Marcelo Crivella, de que teria deixado a prefeitura de cofres vazios, o que exigirá um contingenciamento de R$ 3,2 bilhões. Paes diz que entregou o caixa com R$ 2 bilhões. (Pág. 10)

A travessia da ‘ponte’, um ano depois
Documento-base para a gestão Temer, “Uma ponte para o futuro” tem hoje oito das 20 propostas cumpridas pelo governo. Quase um ano após o presidente assumir, na avaliação do Planalto e de especialistas, o país saiu da “pinguela”. (Pág. 3)

País sem remédio
Além da crise política e econômica, os venezuelanos enfrentam o colapso do sistema de saúde. Faltam medicamentos básicos e médicos, informa JANAÍNA FIGUEIREDO. (Págs. 21 e 22)

Rigor na inscrição
Pelas novas regras, a inscrição do Enem está mais cara e faz exigências extras para os estudantes. (Pág. 24)

ANTÔNIO GOIS
O impacto da desigualdade no acesso à alfabetização. (Pág. 24)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Partidos querem pagar multas com verbas públicas
Com débitos que podem chegar a R$ 35,6 milhões por mau uso do Fundo Partidário, siglas alegam não ter dinheiro
Pareceres dos técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre as contas partidárias de 2011 – que serão julgadas até o próximo dia 28 – pedem que as siglas devolvam à União R$ 35,6 milhões gastos de forma não comprovada. Apesar de terem usado irregularmente recursos do Fundo Partidário, os partidos querem que o pagamento das multas também seja feito com dinheiro público, informam os repórteres Pedro Venceslau e Valmar Hupsel Filho. Dos 29 partidos em atividade em 2011, apenas PSD, PV e PRB receberam parecer pela aprovação de suas contas. As legendas podem evitar as multas caso apresentem documentos que comprovem os gastos. Os partidos alegam não ter dinheiro em caixa. Eles argumentam que os recursos ficaram escassos após o Supremo Tribunal Federal (STF) declarar inconstitucionais as doações empresariais para campanhas. (POLÍTICA / PÁG. A4)

TCE-RJ recebia propina para aprovar contas de municípios
Os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio criaram um esquema digno da máfia italiana para ignorar irregularidades em gestões municipais, em troca de pagamento de propina. Em depoimentos de delação premiada, aos quais o Estado teve acesso, o ex-presidente do TCE, Jonas Lopes, e seu filho, Jonas Lopes Neto, citam envolvimento das cidades de Niterói, Macaé e Duque de Caxias na trama. (POLÍTICA / PÁG. A5)

‘ Lei não inibe punir político’
Entrevista – João Otávio de Noronha
Para o ministro do STJ, a Lei de Abuso de Autoridade, em discussão no Congresso Nacional, não evitará investigações contra agentes políticos. Noronha diz que os parlamentares devem ser prudentes no debate do projeto que pode punir juízes e procuradores. (POLÍTICA / PÁG. A6)

PDG tenta plano para sair da crise
Em recuperação judicial desde fevereiro, a PDG, que já foi a maior incorporadora do País, deverá apresentar o seu plano de reestruturação à Justiça até maio. Com uma dívida total de R$ 7,8 bilhões, a empresa pretende obter novos recursos com os credores para evitar a falência. O objetivo é concluir 30 empreendimentos em andamento, 17 dos quais estão paralisados. (ECONOMIA / PÁG. B1)

PPS deve apoiar projeto de reforma da Previdência (Economia / Pág. B3)

Cida Damasco
Governo inicia trimestre com revisão de meta de rombo e amplia concessões na Previdência. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Notas & Informações
Os efeitos da má política
É fácil transferir para o eleitor anônimo a culpa pela rejeição da proposta de reforma da Previdência, que, por definição, o deputado da base aliada tem o dever cívico de viabilizar. (PÁG. A3)

O fim necessário
Extinção do imposto sindical forçaria modernização da representação de diferentes categorias. (PÁG. A3)

Atentados contra cristãos deixam 44 mortos no Egito
Pelo menos 44 pessoas morreram em dois ataques suicidas a igrejas cristãs do ramo copta – linha ortodoxa do cristianismo no Egito – no Domingo de Ramos. A primeira explosão, em Tanta, ocorreu no interior da igreja de São Jorge. Pelo menos 27 pessoas morreram e 78 ficaram feridas. O segundo atentado, em Alexandria, atingiu a catedral de São Marcos, matando 17 pessoas e ferindo 58. O papa copta Tawadros II estava conduzindo missa no local, mas não se feriu. O Estado Islâmico reivindicou os ataques. O papa Francisco tem visita programada ao Egito no final do mês. (INTERNACIONAL / PÁG. A8)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Alta do mínimo faz subir projeção de gasto do INSS
Contas da reforma da Previdência consideram ganhos para o piso salarial
Nas projeções oficiais que embasam a proposta de reforma da Previdência Social, o governo Michel Temer (PMDB) adotou como hipótese a permanência da política de reajustes do salário mínimo acima da inflação. Esse critério eleva a estimativa para a despesa do Instituto Nacional do Seguro Social atê 2060. No entanto a lei que fixa ganhos reais para o piso salarial conforme o crescimento da economia só vigora atê 2019. Pelas contas do Executivo, o gasto do INSS atingiria 8,6% do Produto Interno Bruto em dez anos, se a reforma fosse aprovada sem alteração. Com o mínimo apenas corrigido pela inflação, a cifra cai a 7,9% do PIB. O governo defende a metodologia, que tem sido questionada, com o argumento de que seguiu as normas vigentes. (Mercado A15)

MERCADO ABERTO
Na reforma, país escolhe entre o bom caminho e o precipício, diz ex-diretor do BC. (A 16)

Entrevista da 2a. – João Doria : Não faz sentido manter cobrador dentro dos ônibus
O prefeito de São Paulo promete retirar cobradores de todos os ônibus — são 19 mil trabalhadores — atê o final do mandato, em 2020, e reduzir de 20 para 10 anos a concessão do setor. João Doria, 59, admite falhas na zeladoria, como na varrição, e diz que precisa ajustar aplicativos de transporte, como o Uber. (A14)

Nacionalidade brasileira é opção para sírios em fuga (Mundo a10)

Alckmin garante gasto publicitário maior em 2018
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) concentrará o gasto publicitário em SP neste semestre, garantindo mais verba em 2018, quando tentará a Presidência. Por lei, o teto do gasto em ano eleitoral ê a média dos primeiros semestres anteriores. A gestão tucana diz que segue padrão. (Poder A4)

Consumidor fica inadimplente ao fazer empréstimo a conhecidos (FolhaInvest a20)

Editoriais
Leia “Popular, na prefeitura”, sobre aprovação a Doria medida pelo Datafolha, e “Uber regulado”, acerca de projeto para normatizar uso do aplicativo. (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.