1 em 3 brasileiras declara ter sido alvo de violência
Uma a cada três brasileiras com 16 anos ou mais afirmou que sofreu algum tipo de violência nos últimos 12 meses, indica pesquisa feita pelo Datafolha. O estudo também mostra que 66% da população presenciou uma mulher sendo agredida física ou verbalmente no mesmo período. …

————————————————————————

O Globo

Manchete: STF decide que caixa 1 não legaliza propina
Senador do PMDB vira réu, mesmo com doação oficial
Segunda Turma do Supremo indica que registro de verba de campanha é insuficiente para provar que origem de dinheiro é lícita

Ao decidir tornar réu o senador Valdir Raupp, a Segunda Turma do Supremo indicou ontem qual deverá ser a posição do tribunal nos casos em que a doação pelo caixa 1 for usada como “álibi” para ocultar crimes de lavagem de dinheiro e corrupção. Raupp recebeu da Queiroz Galvão R$ 500 mil em 2010. Há suspeita de que o dinheiro foi desviado da Petrobras. A doação formal teria sido usada para dar aparência lícita a recursos ilegais. Parlamentares temem que a decisão criminalize contribuições oficiais. (Pág. 3)

ELIO GASPARI
Terrível época para se criar o purgatório do caixa 2. (Pág. 14)

ZUENIR VENTURA
Lava-Jato: será que vai sobrar alguém em pé? (Pág. 15)

Delator: Lula é o ‘amigo’ em planilha da corrupção
Na lista de codinomes que aparecem nas planilhas de propina da Odebrecht, o ex-presidente Lula é o “amigo”, informou o ex-diretor da empreiteira Hilberto Mascarenhas ao TSE. Na planilha, consta que o “amigo” recebeu R$ 23 milhões. Segundo o delator, o setor de propinas da empreiteira movimentou US$ 3,4 bi em 8 anos. (Pág. 4)

Retomada lenta após pior crise da História
PIB recua 3,6% em 2016; para analistas, país saiu da recessão, mas crescerá pouco este ano
O IBGE informou que o PIB brasileiro caiu 3,6% em 2016. Em 11 trimestres, a economia amargou queda de 9%, na maior recessão de sua História. Para analistas, porém, o pior da crise passou e o país já voltou a crescer. Mas a recuperação será lenta. O desemprego, que deve chegar a 13% este ano, e o elevado endividamento das famílias e das empresas dificultarão a retomada. A previsão é que o PIB avance 0,8% este ano. (Págs. 17 a 22 e editorial “Os reais responsáveis pela crise histórica”)

MÍRIAM LEITÃO
Desastre feito por Dilma que Temer ainda não reverteu. (Pág. 18)

Concessões: só R$ 17,1 bi são de novos projetos
O pacote de concessões e privatizações anunciado pelo governo para tentar retomar o crescimento prevê só R$ 17,1 bi de novos investimentos. A maior parte do programa, de R$ 45,3 bi, é de renovação antecipada de contratos. (Pág. 24)

Prefeitura quer acabar com regalia
Presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município, Luiz Alfredo Salomão defendeu fim da aposentadoria integral para os servidores, como previsto em lei. Medida pode ajudar a reduzir déficit em R$ 400 milhões. (Pág. 11)

‘Reclama quem ganha mais’
O presidente Temer disse que, após reforma, 63% dos trabalhadores não terão redução da aposentadoria do INSS. E que crítica vem de minoria. (Pág. 24)

Temer iniciará a reforma tributária
Primeiro passo será medida provisória para simplificar cobrança do PIS, que deve ser enviada em 60 dias. (Pág. 23)

Conta dividida com o usuário
Proposta do governo para plano de saúde popular prevê que usuário pague pelo menos 50% de coparticipação. (Pág. 24)

Nova polêmica na reforma
Educadores criticam o fato de a reforma do ensino médio não explicitar a obrigatoriedade de história e geografia. (Pág. 27)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Cenas do fundo do poço – Odebrecht: US$ 3,4 bi em dinheiro sujo
Parte foi destinada para caixa 2 de campanhas e o restante, para pagamento de propina, afirma delator
O ex-executivo da Odebrecht Hilberto Mascarenhas Filho afirmou ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o Departamento de Obras Estruturadas, o “setor de propinas” da empreiteira, movimentou US$ 3,39 bilhões em pagamentos ilícitos entre 2006 e 2014, segundo antecipou Erich Decat no estadão.com.br. Desse montante, de 15% a 20% foram destinados para financiar campanhas eleitorais via caixa 2 e o restante, para o pagamento de propina, obras e despesas no exterior. Ele depôs na ação que investiga abuso de poder político e econômico da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer. Mascarenhas Filho citou negociações com o marqueteiro João Santana e a mulher dele, Mônica Moura. De acordo com o delator, só em 2014, quando coordenou a campanha de reeleição de Dilma, Santana recebeu US$ 16 milhões via caixa 2. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Cenas do fundo do poço – PIB cai 7,2% em 2 anos: a maior crise da história
Economia encolheu 3,6% no ano passado, segundo IBGE; taxa de investimento é a pior em 20 anos e renda despencou
Aeconomia brasileira vive a maior crise de sua história. O Produto Interno Bruto (PIB), divulgado ontem pelo IBGE, mostra que a economia encolheu 3,6% no ano passado e que, em dois anos, a queda chegou a 7,2%. É a maior recessão registrada desde 1948, quando o IBGE começou a fazer o cálculo. Com esse recuo, o desempenho brasileiro volta ao patamar do terceiro trimestre de 2010. Desde o segundo trimestre de 2014, início deste período de recessão, o PIB já recuou 9%. A taxa de investimento apresenta o pior resultado em 20 anos. Como a população cresceu, a geração de riqueza por pessoa caiu 11% no período. Na prática, o brasileiro ficou mais pobre. O “bolo” a ser dividido está menor e há mais bocas para alimentar. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a queda é “espelho retrovisor” e que 2017 pode ter um “crescimento robusto”. (ECONOMIA / PÁGS. B1 a B7)

‘Propina disfarçada’
A 2ª Turma do STF tornou réu o senador Valdir Raupp por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os ministros admitiram que doações oficiais podem disfarçar propina. (PÁG. A8)

‘Estrada será longa’
Para o economista José Roberto Mendonça de Barros, o PIB mostra, no retrovisor, o fracasso da política econômica. “Mas a estrada até a recuperação ainda vai ser longa”, diz. (PÁG. B7)

‘Amigo’ é mesmo Lula, diz empreiteiro
Marcelo Odebrecht diz em delação premiada que “amigo” e “amigo EO”, que aparecem em planilhas da empresa, se referem ao ex-presidente Lula, informa Vera Magalhães. Procuradores afirmam que as declarações do ex-executivo da empreiteira são “arrasadoras” para o petista. (PÁG. A6)

Análises
Celso Ming
Pibinho pode acelerar redução da Selic
Com esse PIB, mercado já aposta no corte de juros. (PÁG. B6)

Monica de Bolle
O tal do retrovisor
Agora temos as reformas, a recuperação, a safra recorde, avante. Avante? (PÁG. B2)

País vê fuga de 2 mil fortunas com a crise (Economia / Pág. B14)

Notas & Informações
Limitações da Lava Jato
É grave o fato de o MPF limitar investigações a um gênero de crimes. A Constituição determina a defesa não apenas do Estado, mas da ordem jurídica. (PÁG. A3)

Senado pede nova diplomacia
Lula impôs ao País uma política externa delirante. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Pior recessão da história abate 9,1% da renda média
Economia recuou 3,6% em 2016; consumo das famílias, deteriorado pelo desemprego, caiu 4,2%
A recessão em que a economia brasileira mergulhou a partir do segundo trimestre de 2014 provocou queda de 9,1% na renda per capita dos brasileiros, segundo o IBGE. Em 2016, a economia recuou 3,6%. O PIB (soma dos bens e serviços produzidos) por habitante ficou em R$ 30.407 em valores absolutos. A queda do PIB, que já dura 11 trimestres, é de magnitude rara na história recente do país. Retrações semelhantes tinham sido vistas nos anos de 1981 a 1983, durante a crise da dívida externa, e de 1989 a 1992, após o confisco da poupança feito pelo governo Collor. A recessão se mostra aguda. O desemprego atinge 123 milhões de pessoas e afeta o consumo das famílias, principal motor da economia. O setor recuou 4,2% em 2016, após ter caído 3,9% em 2015.O governo Michel Temer (PMDB) tenta desviar o foco do tema com agenda de reformas previdenciária, tributária e trabalhista e ações microeconômicas como a liberação de verba do FGTS. (Mercado A13)

Alexandre Schwartsman
Recessão foi agravada por intervencionismo excessivo (A22)

Análise – Érica Fraga
Sem reformas, capacidade de recuperação é limitada (A20)

Vinicius Torres Freire
Desastre é obra de conluio entre elite, PT e agregados (A16)

Odebrecht pagou R$ 10 bi ilegalmente, afirma delator
Ex-funcionário da Odebrecht, Hilberto Silva Mascarenhas disse à Justiça Eleitoral que setor da empreiteira movimentou por volta de R$ 10 bilhões de 2006 a 2014 em pagamentos ilícitos. Segundo o delator, de 15% a 20% desse valor foram destinados a campanhas eleitorais no Brasil por meio de caixa dois. O restante era usado para pagar propina, obras e serviços no exterior, afirmou Mascarenhas, que trabalhava na área responsável pelos repasses ilegais da empresa. Ele detalhou os valores movimentados ano a ano. A quantia cresceu ao longo do governo Lula e só diminuiu depois de deflagrada a Lava Jato, em 2014. (Poder A4)

‘Não estou preocupado’, diz Temer sobre 2ª lista de Janot (A7)

Entidade rural diz que não favorece filhos de dirigente
A diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo disse que a entidade não ê usada para favorecer parentes de seu presidente, o ex-deputado federal Fábio Meirelles. A Folha publicou na quinta (2) que cinco filhos do dirigente são beneficiados pela Faesp por meio de contratos, cargos e indicações. (Poder A8)

Aloysio faz crítica à Venezuela em sua posse no Itamaraty (Mundo A12)

1 em 3 brasileiras declara ter sido alvo de violência
Uma a cada três brasileiras com 16 anos ou mais afirmou que sofreu algum tipo de violência nos últimos 12 meses, indica pesquisa feita pelo Datafolha. O estudo também mostra que 66% da população presenciou uma mulher sendo agredida física ou verbalmente no mesmo período. (Cotidiano B1)

Para pesquisadora, preconceito contra candidatas atinge direita e esquerda (Poder A9)

Editoriais
Leia “Recessão histórica”, acerca de empobrecimento recorde do país, e “A vida das mulheres”, sobre lento progresso nas políticas igualitárias. (Opinião A2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.