Delação que coloca PMDB na mira chega ao Supremo
O relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, recebeu a delação do corretor de valores e operador do PMDB Lúcio Funaro, que promete revelar a rota da propina entregue a políticos do partido. O ministro deve homologá-la nos próximos dias. A homologação é necessária para que a Procuradoria possa incluir trechos dos depoimentos de Funaro em nova denúncia contra Michel Temer. O presidente disse ter “a força necessária para resistir” a quem quer “parar o Brasil”…

Na tela, a Lava-Jato
Com tapete vermelho estendido ao juiz Sergio Moro, “Polícia Federal — A lei é para todos”, que teve pré-estreia segunda-feira, faz um preâmbulo sobre a corrupção no Brasil desde os tempos de Cabral e dramatiza a maior operação já feita no país…

———————————————————

O Globo

Manchete: Projetos de mineração miram áreas preservadas
Cerca de 600 pedidos são em unidades de conservação
Ministério alertou que fim de reserva no Amapá eleva risco de desmatamento
Parecer do Ministério do Meio Ambiente foi contrário ao fim da Reserva Mineral de Cobre e seus Associados (Renca), extinta por meio de decreto do presidente Michel Temer. No texto, de junho, o ministério alertava para o risco do aumento do desmatamento e para o fato de que, em 2016, dos 646 requerimentos de lavra para a região, 41 eram em terras indígenas e outros cerca de 600 em unidades de conservação, revela MANOEL VENTURA. O parecer afirmava ainda que a existência de garimpeiros na região não deveria ser usada como justificativa para extinguir a reserva. O ministério destacava também que liberar a mineração poderia provocar um boom de migração no local. (Pág. 21)

ELIO GASPARI
Governo vive em mundo encantado. (Pág. 18)

Petrobras reduz combustível de navios para suprir usinas (Pág. 25)

Sinal verde para cortes na saúde
Comissão da Alerj aprovou contas de 2016 do governo Pezão, apesar de não ter sido aplicado em saúde o mínimo exigido pela Constituição Federal. (Pág. 12)

Na tela, a Lava-Jato
Com tapete vermelho estendido ao juiz Sergio Moro, “Polícia Federal — A lei é para todos”, que teve pré-estreia segunda-feira, faz um preâmbulo sobre a corrupção no Brasil desde os tempos de Cabral e dramatiza a maior operação já feita no país. (Pág. 6)

‘Querem semear a desordem’, diz Temer
Delação de Funaro, que envolve grupo do PMDB, chega ao STF
Em um vídeo antes de embarcar para a China, e na semana em que deve ser alvo da segunda denúncia da Procuradoria- Geral da República, o presidente Michel Temer disse que algumas pessoas querem semear a desordem no país. Ontem, a delação do doleiro Lúcio Funaro, que pode complicar Temer ainda mais, chegou ao Supremo, envolvendo ao menos 15 deputados do PMDB. (Pág. 3)

Janot: ‘hoje faria tudo de novo’
Em evento promovido pelo GLOBO, o procurador- geral, Rodrigo Janot, defendeu a imunidade para a JBS e disse achar que Rocha Loures ficaria com 7,5% da propina da empresa. (Págs. 8 a 11)

Jucá: ‘Janot tem fetiche por meu bigode’ (Pág. 3)

MP afirma que Barata enviou flores a Gilmar (Pág. 6)

Em busca de soluções para o Rio sair da crise
Hoje e amanhã, especialistas discutem no seminário “Reage, Rio!” propostas que ajudem o estado a superar a crise. O evento, no Museu de Arte do Rio, será transmitido em tempo real nos sites do GLOBO (oglobo.com.br) e do “Extra” (extra.globo.com). Pesquisadores, empresários, autoridades e representantes da sociedade civil vão tratar dos seguintes temas: segurança, mobilidade urbana, economia, turismo, políticas públicas e ética. (Pág. 16 e editorial “Mobilização contra esvaziamento fluminense”)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: União cobra mais R$ 100 bi do BNDES para acertar contas
Valor deve constar da proposta de Orçamento de 2018; o banco, porém, não quer abrir mão dos recursos
O governo vai cobrar do BNDES a devolução antecipada de mais cerca de R$ 100 bilhões de empréstimos de longo prazo que o Tesouro Nacional liberou ao banco de fomento desde 2009, informa Adriana Fernandes. O retorno desse dinheiro ao caixa da União deve estar previsto na proposta de projeto de Orçamento para 2018, que será encaminhada amanhã ao Congresso. A devolução é necessária para o cumprimento de norma que proíbe o Tesouro de se endividar para bancar despesas de custeio do governo, como gastos com pessoal e Previdência. O assunto é sensível porque o BNDES – que já devolveu R$ 100 bilhões ao Tesouro no fim de 2016 – resiste à nova devolução sob o argumento de que não pode abrir mão desses recursos “de imediato”. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Rombo no ano vai a R$ 76 bi
Nos sete primeiros meses do ano, o governo central, que inclui Tesouro Nacional, INSS e Banco Central, acumula déficit de R$ 76,3 bilhões. (PÁG. B3)

Prazo para adesão ao Refis deve ficar para outubro
O governo decidiu ampliar o prazo de adesão ao programa de parcelamento tributário de devedores da União, o Refis, e aumentar os descontos para até 60% na multa e 90% nos juros para quem aderir à proposta. O prazo, que acabaria amanhã, deve ser estendido para outubro. A equipe econômica previa arrecadar R$ 13 bilhões e agora diz contar com R$ 10 bilhões. (ECONOMIA / PÁG. B6)

STF recebe delação de Funaro; Temer fala em resistir
Lúcio Funaro detalhou suposta atuação como operador do PMDB da Câmara. O procurador-geral, Rodrigo Janot, deve usar informações em nova denúncia contra Temer. Antes de seguir para a China, o presidente disse ter “força para resistir”. (POLÍTICA / PÁGS. A4 e A5)

Impasse ameaça reforma política (Política / Pág. A8)

Governo quer reduzir uso de carros oficiais (Economia / Pág. B5)

‘Imagem de guerra no Rio é exagero midiático’
Entrevista – Roberto Cardoso Plump
Porta-voz das Forças Armadas
Coronel admite que há violência, mas diz que “tudo no Rio repercute”. (METRÓPOLE / PÁG. A12)

Michel Temer
China: uma visita em três tempos
Estou a caminho da China, a convite do presidente Xi Jinping. Será uma visita consagrada às relações bilaterais, à atração de comércio e investimentos e à reunião de Cúpula do Brics. (ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2)

Vera Magalhães
Delação de Funaro devolveu a Janot o ímpeto perdido. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações
Impostos para o século 21
Crescer de forma duradoura e segura só será possível com um modelo tributário mais parecido com o de países mais eficientes. (PÁG. A3)

Procuradoria política (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Governo aumenta em um mês prazo de adesão ao Refis
Objetivo ê conseguir participação maior no programa de refinanciamento de dívidas e disputas com o fisco
O governo Michel Temer editará medida provisória que prorrogará o prazo de adesão ao Refis de amanhã para 29 de setembro. O objetivo é garantir novas inscrições no programa de refinanciamento de dívidas e disputas com o fisco atê que uma outra MP, a das regras do Refis, seja negociada e votada no Congresso. Membros do Planalto dizem que não está descartada nova prorrogação, atê o final de outubro, caso sejam feitas mudanças no texto analisado pelo Legislativo. A ideia, entretanto, desagrada a Temer e ao ministro Henrique Meirelles (Fazenda), que querem que o dinheiro chegue mais rapidamente aos cofres da União. O governo negocia as demais condições do programa com os parlamentares, que defendem dar desconto maior aos contribuintes. A nova proposta aumenta para 60% o abatimento da multa em pagamentos realizados à vista, para 50% nos parcelados em 145 meses e para 35% nos feitos em 175 meses. (Mercado A13)

Delação que coloca PMDB na mira chega ao Supremo
O relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, recebeu a delação do corretor de valores e operador do PMDB Lúcio Funaro, que promete revelar a rota da propina entregue a políticos do partido. O ministro deve homologá-la nos próximos dias. A homologação é necessária para que a Procuradoria possa incluir trechos dos depoimentos de Funaro em nova denúncia contra Michel Temer. O presidente disse ter “a força necessária para resistir” a quem quer “parar o Brasil”. (Poder A4)

Deficit fiscal bate recorde, e revisão de meta avança
No dia em que o governo anunciou déficit de R$ 20,1 bilhões nas contas de julho (recorde para o mês), a Comissão Mista de Orçamento aprovou revisão da meta fiscal, com rombo de R$ 159 bilhões, para 2017 e 2018.0 texto irá a plenário. (Mercado A20)

Ministério desiste de antecipar em 1 ano alfabetização
O Ministério da Educação desistiu de antecipar o fim do ciclo de alfabetização do 3° para o 2° ano do ensino fundamental, como previa a nova base nacional curricular. A proposta enfrentou resistência no Conselho Nacional de Educação. (Cotidiano B1)

Investidor externo troca indústria por setor de serviços (Mercado A18)

Especialista da ONU defende mais verba estrangeira para florestas do país (B5)

Antonio Delfim Netto
É necessário apoiar o ataque radical à ineficiência estatal
Com raras exceções, as estatais são entregues a intermediários incompetentes de políticos inescrupulosos. Por isso, é preciso apoiar o governo contra a ineficiência delas. Não se trata de “neoliberalismo”, mas da transição do mercantilismo patrimonialista para a economia de mercado democrática. (Opinião A2)

Editoriais
Leia “À espera de Janot”, sobre distribuição de cargos para barrar denúncia contra Temer, e “Teto esburacado”, acerca de remuneração de servidores. (Opinião A2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.