Ameaçado, juiz federal teme aposentadoria
Aos 68 anos, 30 de uma carreira marcada pelo combate ao crime organizado, o juiz federal Odilon de Oliveira tem medo de se aposentar. A Justiça não garante escolta para magistrado fora da ativa e ele é jurado de morte por chefões do tráfico. “Sou refém da toga”, diz…

———————————————————————

O Globo

Manchete: Falha faz contas inativas do FGTS aparecerem zeradas
Caixa inicia migração para saque, mas informação confunde cotista
Débitos foram feitos da conta do Fundo para liberar recursos e permitir resgate no banco a partir de sexta-feira
A partir de amanhã, 4,8 milhões de trabalhadores com data de aniversário em janeiro e fevereiro poderão sacar suas contas inativas do FGTS, num total de R$ 6,96 bilhões. Mas, para muitos desses trabalhadores, a consulta ao site e aplicativo da Caixa mostra as contas zeradas. Isso ocorre porque a instituição precisou realizar o débito das quantias da conta do FGTS para liberar os recursos no sistema bancário e permitir o saque. A Caixa garante, porém, que essa falha na comunicação não impedirá os resgates. (Pág. 21)

Uma rotina de agressões
A cada 12 minutos, uma mulher é agredida no Rio, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Entre dezembro do ano passado e fevereiro deste ano, foram 28.372 denúncias ao 190 da Polícia Militar, superando até as reclamações de perturbação de sossego, que eram as mais frequentes. A exemplo de outras cidades do país e do mundo, o Rio teve ontem manifestações em defesa da mulher. (Pág. 12)

Temer e o papel feminino
Ao falar sobre a importância da mulher, o presidente Temer provocou polêmica ontem quando disse que “ninguém é mais capaz de indicar os desajustes de preço no supermercado”. E que, “além de cuidar dos afazeres domésticos, (elas) terão um caminho para o emprego”. (Pág. 7)

Cabral usou 15 contas em 7 países
O ex-governador Sérgio Cabral usou 15 contas em sete paraísos fiscais para esconder a propina do esquema de corrupção no Rio descoberto pela Operação Lava-Jato. Cabral foi denunciado pela sexta vez, agora por receber US$ 3 milhões da Odebrecht em banco de Andorra. (Pág. 3)

Renan: Cunha quer controlar governo
Após o Planalto nomear aliados de Eduardo Cunha, o senador Renan Calheiros, do PMDB, acusou o ex-deputado de agir, de dentro da prisão, para tomar o controle do governo Temer. (Pág. 4)

Festa para Noblat
A celebração do cinquentenário da carreira teve a marca do colunista: reuniu do presidente Temer a Chico Alencar, que beijou a mão de Aécio. (Pág. 5)

MEC reprova 775 cursos superiores
Um em cada dez cursos de graduação no país foi reprovado em avaliação do MEC e passará por vistoria. No Estado do Rio, 43 foram considerados insatisfatórios. (Pág. 24)

Especialistas criticam proposta
Especialistas e entidades de defesa do consumidor não aprovaram a proposta de plano de saúde popular do governo. A maior crítica foi aos 50% de coparticipação. (Pág. 17)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Decisão do STF eleva tensão às vésperas de lista de Janot
Políticos se queixam de que denúncia contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) ‘criminaliza doações legais’
Na iminência dos pedidos de abertura de inquérito contra dezenas de congressistas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em razão das delações de ex-executivos da Odebrecht, parlamentares acusaram o STF de querer “criminalizar” as doações legais no julgamento que tornou réu o ex-presidente do PMDB e senador Valdir Raupp (RO) por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. O líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (PMDB-ES), diz que a tese acolhida pelo STF contra Raupp é a mesma que tem sido aceita pelo juiz Sérgio Moro. A denúncia da Procuradoria-Geral da República acolhida pela Corte foi de que os R$ 500 mil doados oficialmente pela Queiroz Galvão à campanha de Raupp ao Senado em 2010 seriam “propina disfarçada”. “A aceitação da denúncia praticamente criminaliza as doações legais”, disse o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP). (POLÍTICA / PÁG. A4)

Dirceu condenado na Lava Jato
O juiz Sérgio Moro condenou José Dirceu a 11 anos e 3 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Em 2016, o ex-ministro foi condenado a 20 anos e 10 meses, também na Lava Jato. (PÁG. A5)

FGTS libera saque de quase R$ 7 bi de contas inativas este mês
A partir de amanhã, mais de 4,8 milhões de trabalhadores nascidos nos meses de janeiro e fevereiro poderão sacar recursos das contas inativas do FGTS. De acordo com a Caixa, cerca de 1,65 milhão de pessoas terão o dinheiro automaticamente creditado em contas do banco. Outro 1,2 milhão poderá fazer o saque com o Cartão Cidadão. Os demais terão de comparecer a uma agência. No mês, estarão disponíveis R$ 6,96 bilhões. (ECONOMIA / PÁG. B7)

Queda da inflação já se espalha por diversos setores, diz chefe do BC
A redução na taxa de inflação, verificada inicialmente nos alimentos, já se espalhou por diversos outros preços, incluindo os do setor de serviços, que vinha sustentando a alta inflacionária. A afirmação é do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, e deve ser reforçada amanhã, quando será divulgado o IPCA. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B4)

PF prende ex-sócio de Joesley Batista
O empresário Mário Celso Lopes, ex-sócio de Joesley Batista, proprietário da holding J&F, foi preso ontem pela PF na Operação Greenfield. Empresário foi solto à tarde. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Foto-legenda: Dia da Mulher
Michel Temer e a mulher, Marcela: segundo o presidente, ninguém é melhor que elas para ‘cuidar dos afazeres domésticos’ e ‘criar filhos’. (METRÓPOLE / PÁGS. A16 E A17)

Ameaçado, juiz federal teme aposentadoria
Aos 68 anos, 30 de uma carreira marcada pelo combate ao crime organizado, o juiz federal Odilon de Oliveira tem medo de se aposentar. A Justiça não garante escolta para magistrado fora da ativa e ele é jurado de morte por chefões do tráfico. “Sou refém da toga”, diz. (METRÓPOLE / PÁG. A14)

Colunistas
Zeina Latif
O setor industrial foi o primeiro a sentir as consequências de políticas equivocadas. (ECONOMIA / PÁG. B6)

Verissimo
A cada nova desmoralização de políticos e da política, nossa democracia apanha mais um pouco. (CADERNO2 / PÁG. C6)

Notas & Informações
As piores notícias da recessão
A recessão traz más notícias no emprego e na renda, atingindo duramente os mais pobres. Mas há um fato que é desastroso: o País continua perdendo potencial de recuperação.(PÁG. A3)

Cabe só ao cidadão eleger
Quem vota são as pessoas físicas, no exercício da cidadania. Pessoa jurídica não é “cidadão”. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Sem prova não se pode cassar Temer, diz novo ministro
Osmar Serraglio, que assumiu a pasta da Justiça, afirma que é preciso comprovar recebimento de recurso indevido
O novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), afirma que o presidente Michel Temer só pode ter o mandato cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) se houver prova objetiva de que ele sabia do recebimento de “dinheiro indevido”. Em entrevista à Folha, ele diz acreditar que Temer terminará seu mandato. “Ele pode nunca ter sabido. Como eu tenho observado, ele nunca discutiu valores.” Sobre a informação de que o presidente teria solicitado a Marcelo Odebrecht recursos para a campanha eleitoral de 2014, Serraglio afirma que os partidos costumam pedir doações a empresas. “O dinheiro não vem carimbado assim ó, esse ê de corrupção, não encosta que esse ê de corrupção”, diz. Serraglio considera haver ilegalidade generalizada no país, incluindo todos os partidos e a população.“Se eu puder sonegar, eu sonego. Se eu puder não pagar multa, eu não pago. É assim o pensamento. Não sei como vai corrigir isso. É uma moral nacional”, afirma o novo ministro. Ele defende, entretanto, que há níveis diferentes de corrupção, que devem ser medidos pelo tamanho do dano à sociedade. (Poder A4)

Ex-diretor da Odebrecht compromete Eliseu Padilha e aponta operador de repasse a José Yunes. (A5)

Tenho convicção do que a mulher faz pelo lar, afirma presidente
Em evento, Michel Temer disse ter “convicção do quanto a mulher faz pela casa”. Para ele, elas têm grande participação na economia por “indicarem desajustes de preços em supermercados”. A secretária de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, minimizou as declarações. (Poder A8)

Meirelles refuta diminuir idade de aposentadoria para mulheres (Mercado A17)

Consumidor passará a receber menos com Nota Fiscal Paulista
O governo Geraldo Alckmin (PSDB) reduzirá a fatia de dinheiro devolvida aos contribuintes pelo programa Nota Fiscal Paulista. Pela nova regra, ONGs ficarão com 60% dos créditos gerados, e os consumidores, com 40%. Até agora, o valor destinado a cada uma das partes era proporcional ao número de notas pedidas. (Mercado A13)

Jorge Kalil
Acusações contra gestão do Butantan são mentirosas
O Butantan está sob ataque, mas não por conta de suas finanças. O instituto tornou-se alvo de disputas políticas. São mentirosas as acusações utilizadas para derrubar minha gestão. (Opinião A3)

Editoriais
Leia “O lance de Alckmin”, acerca de perspectivas para a eleição presidencial de 2018, e “Trabalho bem-feito”, sobre terceirização de mão de obra.(Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.