Fracassa o plano de sindicatos para manter o imposto
O plano dos sindicalistas de obrigar empresas a recolher o imposto para as entidades, vetado na reforma trabalhista, fracassou. Eles precisarão da autorização de cada trabalhador para receber a contribuição, cuja arrecadação chegava a R$ 2,2 bilhões. Os sindicatos dizem que decisão em assembleia basta, mas companhias discordam.


Globo

Manchete: Fundo público financia leilão por deputados
Partidos oferecem até R$ 2,5 milhões para campanha
Parlamentares exigiram registro em ata da oferta de R$ 1,5 milhão para concorrer de novo pelo PMDB
Desde a abertura da janela partidária, a Câmara dos Deputados vive um clima de leilão, estimulado pelos R$ 2,6 bilhões da soma dos fundos partidário e eleitoral, na primeira eleição financiada majoritariamente por recursos públicos. No período de 30 dias iniciado dia 8, em que é permitida a troca de partido, parlamentares com mais chances de atrair votos podem obter até R$ 2,5 milhões para a campanha. O PR é o mais generoso na oferta. Para garantir os acordos, deputados do PMDB estão exigindo que se registre em ata a oferta de R$ 1,5 milhão para que concorram de novo pelo partido. No DEM, valores para campanhas de reeleição variam de R$ 1 milhão a R$ 1,5 milhão, e a legenda tem tabela de acordo com o comportamento dos deputados nas votações da Casa. (PÁGINA 3)

Comando da intervenção avalia mudar jornada de trabalho da PM
Braga Netto critica falta de coordenação das polícias: ‘Não sei como não se matam’
O comando da intervenção federal na segurança pública do Rio avalia mexer na jornada de trabalho da PM. Parte da tropa trabalha em regime de 24 horas de expediente e 72 horas de folga. Com intervalos mais curtos entre serviço e descanso, seria possível ter mais homens no policiamento da cidade. A medida não é bem vista pelos policiais. A PM está preparando estudo para a equipe da intervenção que inclui ainda avaliação de folgas, licenças e pessoal cedido. Em visita ao Ministério Público do Rio, o interventor, general Walter Braga Netto, criticou a falta de coordenação entre as polícias Civil e Militar. “Não sei como eles não se matam.” O 14º Batalhão da PM, em Bangu, foi vistoriado ontem pelos militares. (PÁGINA 10)

FLÁVIA OLIVEIRA
Crivella volta ao padrão de violência do “bota-abaixo”. (PÁGINA 28)

PF faz operação contra ‘fake news’ eleitoral
A Polícia Federal apreendeu computadores na Secretaria de Esportes e Lazer do Espírito Santo, por suspeita de envolvimento de servidor em pesquisa fraudulenta de intenção de voto. (PÁGINA 4)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Por candidatura, Meirelles propõe pacto de risco a Temer
Ministro quer concorrer ao Planalto pelo MDB com compromisso de fazer seu nome decolar até julho
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vai oferecer seu nome a Michel Temer para disputar o Planalto pelo MDB, partido do presidente. No acordo em gestação, ele se comprometeria a fazer sua candidatura decolar de abril, quando deixaria o cargo, até julho, tempo em que viajaria pelo País, informa Vera Rosa. Se seu nome não emplacar ou se Temer resolver entrar na corrida por novo mandato, o ministro retiraria a pré-candidatura para apoiar o presidente – ou quem o MDB indicar para a vaga, em um pacto de confiança e de risco. Meirelles quer ser candidato, mas avalia que precisa de tempo para expor sua plataforma, tornar seu nome conhecido e “traduzir” a melhoria dos indicadores econômicos em metas sociais. Ele já conversou com o presidente do MDB, Romero Jucá (RR), mas ainda não teria falado com Temer. O ministro é filiado ao PSD, de Gilberto Kassab. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Coluna do Estadão
O ministro Carlos Marun, da articulação política do Planalto, já redigiu o esboço do pedido de impeachment do ministro do STF, Luís Roberto Barroso. (PÁG. A4)

Vereadora do PSOL é assassinada a tiros no Rio
A vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL) foi morta a tiros ontem à noite em um carro na região central da cidade. Ela saía de um evento do movimento negro quando foi atacada. O motorista dela também morreu. Os criminosos fugiram. A polícia investiga se houve execução. O ministro Raul Jungmann, da Segurança, falou com o interventor, general Braga Netto, e colocou a PF à disposição. (METRÓPOLE / PÁG. A21)

Lula aumenta pressão no STF
O PT aumentou a pressão sobre o Supremo para tentar impedir a prisão de Lula. Ontem, o defensor do petista, Sepúlveda Pertence, foi à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. À tarde, parlamentares petistas também pressionaram. Ordem é mirar no relator, Edson Fachin. (POLÍTICA / PÁG. A8)

USP, Unicamp e Unesp querem mais verba para inclusão
O orçamento de USP, Unicamp e Unesp com auxílios como moradia estudantil foi de R$ 242,6 milhões, em 2014, para R$ 344,4 milhões previstos para 2018 – um dos raros aumentos no período de grave crise financeira enfrentada pelas instituições. As universidades pedem mais verba ao governo do Estado e argumentam que os gastos com inclusão devem subir. (METRÓPOLE / PÁG. A19)

Plano prevê peso menor do BNDES na economia
Plano Estratégico 2018-2035 do BNDES, recém-aprovado e ainda não divulgado, prevê que a participação do banco no PIB cairá dos atuais 9,9% para 7,5% em 2035. A queda se dará com a redução do peso dos financiamentos da instituição na economia. O plano também aponta três áreas principais para desembolsos: infraestrutura, estrutura produtiva e desenvolvimento social. (ECONOMIA / PÁG. B3)

Protesto contra Previdência de SP deixa 3 feridos
Professores protestaram ontem em São Paulo contra projeto de reforma da Previdência municipal que prevê aumento da alíquota de contribuição de 11% para 14%. Três ficaram feridos em confronto com guardas- civis. (METRÓPOLE / PÁG. A20)

Odebrecht pagou a ex-presidente do Peru na Suíça
Documentos obtidos pelo Estado indicam o caminho de US$ 16,4 milhões em propina da Odebrecht paga ao ex-presidente do Peru Alejandro Toledo. Dinheiro foi de Andorra à Suíça e Peru em contas e empresas de fachada. (INTERNACIONAL / PÁG. A10)

Recorrer à OMC é última opção, diz Temer sobre aço
Michel Temer afirmou ontem, na abertura do Fórum Econômico Mundial na América Latina, que só em último caso vai recorrer à OMC contra a sobretaxa imposta ao aço pelo governo Trump. Pelé foi homenageado na sessão. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Cade aprova compra de fatia da XP por Itaú (ECONOMIA / PÁG. B11)

Celso Ming
Repetir por aí que automação, robotização e alta tecnologia acabam com o emprego é um pedaço da verdade. O menor. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Notas & Informações
O STF como Corte penal
Se o STF pretende ser uma força no combate à corrupção, deve começar o saneamento dos próprios processos penais que pairam por anos nos gabinetes dos ministros. (PÁG. A3)

Segurança nascida no campo
País conta com área rural como fonte de receita cambial e garantia para mercado interno. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Temer ameaça agir na OMC contra sobretaxa de Trump
Para presidente do órgão, ação dos EUA joga comércio em águas desconhecidas
O Brasil entrará com representação contra os EUA na Organização Mundial do Comércio caso não consiga negociar a taxa de 25% imposta pelo governo Trump à importação de aço, afirmou o presidente Michel Temer (MDB). “Somos contra todo e qualquer protecionismo”, disse no Fórum Econômico Mundial para América Latina, em São Paulo. O Brasil é o segundo maior exportador de aço para os EUA—em 2017, as vendas geraram US$ 2,63 bilhões. O brasileiro Roberto Azevedo, presidente da OMC, disse a Maria Cristina Frias e Luciana Coelho que a taxa joga o comércio mundial em águas desconhecidas. Segundo ele, a capacidade de ação do órgão no caso é uma incógnita. Disputas na OMC costumam demorar anos. Para o secretário do Comércio de Portugal, Paulo Alexandre Ferreira, a decisão de Trump pode acelerar acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia. (Mercado A19)

Lula mira Fachin para obter habeas corpus no STF
Ante a resistência de Cármen Lúcia, presidente do Supremo, de marcar o julgamento do habeas corpus de Lula, a defesa do ex-presidente voltou a mirar o relator do caso, Edson Fachin. O advogado de Lula, Sepúlveda Pertence, protocolou nova petição ao ministro. Na terça (13), em evento da Folha, Cármen afirmou: “Eu não me submeto a pressão”. (Poder A4)

Juizes da Lava Jato não vão aderirá greve por auxílio
Juizes federais que se tornaram símbolos da Lava Jato não irão aderir à paralisação convocada pela classe contra a possibilidade de revisão do auxílio-moradia pago aos magistrados. A mobilização marcada para hoje tem como objetivo pressionar o Supremo Tribunal Federal, que discutirá o tema em 22 de março. (Poder A9)

FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL
Para especialistas, corrupção dominará ciclo eleitoral latino (Mercado A21)

País tem tudo, menos as contas em ordem, diz presidente do Itaú (Mercado A20 )

Empresas precisam de esforço contra assédio, afirma Luiza Trajano (Mercado A22)

Fracassa o plano de sindicatos para manter o imposto
O plano dos sindicalistas de obrigar empresas a recolher o imposto para as entidades, vetado na reforma trabalhista, fracassou. Eles precisarão da autorização de cada trabalhador para receber a contribuição, cuja arrecadação chegava a R$ 2,2 bilhões. Os sindicatos dizem que decisão em assembleia basta, mas companhias discordam. (Mercado A17)

Cade autoriza com limitações a compra de parte da XP pelo Itaú (Mercado A28)

Editorial
Leia “Greve imoral” , sobre a paralisação de juizes em defesa do auxílio-moradia, reflexo do corporativismo que infesta um Judiciário custoso em excesso. (Opinião A2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.