Parlamentares miram perdão de suas dívidas em novo Refis
Deputados e senadores que devem R$ 3 bilhões em tributos tentam se beneficiar com o perdão dos débitos em medida provisória que institui novo parcelamento. O projeto é relatado por Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), cujas empresas devem R$ 67,8 milhões. Os envolvidos negaram conflito de interesse…
Bolsonaro utiliza cota de deputado em pré-campanha
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem usado a cota parlamentar para custear viagens em que se apresenta como pré-candidato à Presidência em 2018. Pelas regras da Câmara, a verba não pode bancar gastos de caráter eleitoral. O deputado nega estar em campanha…

———————————————————————

O Globo

Manchete: Macron já tem apoio de ex-rivais contra Le Pen
Centrista e líder da extrema-direita vão disputar o segundo turno na França
Pela primeira vez, não haverá nem um socialista nem um conservador na rodada final do pleito presidencial; pesquisas indicam ampla vantagem de ex-ministro
Num resultado histórico, que pela primeira vez deixou de fora os dois tradicionais partidos de direita e esquerda há décadas se alternando no comando do país, o centrista Emmanuel Macron e a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, venceram ontem uma acirrada disputa nas urnas e vão se enfrentar no segundo turno das eleições presidenciais francesas, em 7 de maio. Logo após a confirmação da derrota, o socialista Benoît Hamon e o conservador François Fillon declararam apoio a Macron. “O extremismo só pode trazer desgraça e divisão”, justificou Fillon. Macron disse querer ser o presidente contra a “ameaça dos nacionalistas”, enquanto Le Pen quer “libertar o país das elites arrogantes”. Líderes da UE celebraram o êxito do ex-ministro, que em pesquisas divulgadas ontem tinha 64% de intenções de voto no segundo turno. (Ppágs. 20 e 21 )

Previdência: governo não cede a servidor
Em meio à pressão para flexibilizar as regras para servidores públicos, Michel Temer convocou líderes da base para uma reunião com o relator da reforma da Previdência e o ministros Henrique Meirelles e Moreira Franco, para dar um basta a novas concessões. Moreira Franco alertou que a reforma é necessária “para evitar que a União se transforme em um Rio de Janeiro”. (Pág. 15)

Com taxa Selic menor, poupança volta a ser opção (Pág. 18)

Suplentes de alvos da Lava-Jato também têm pendências judiciais (Pág. 3)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Centro e extrema direita disputam 2º turno na França
Emmanuel Macron sai na frente de Marine Le Pen e se torna favorito para ocupar o Palácio do Eliseu
“ Lúcia Guimarães Berkeley está pegando fogo e não é para defender a liberdade de expressão. CADERNO2 / PÁG. C6 Ou nós continuamos nessa via ou vocês escolherão a França com fronteiras que protegem nossa identidade” MARINE LE PEN, CANDIDATA DA FRENTE NACIONAL Esta publicação é impressa em papel certificado FSC® garantia de manejo florestal responsável, pela S. A. O Estado de S. Paulo Centro e extrema direita disputam 2º turno na França Emmanuel Macron sai na frente de Marine Le Pen e se torna favorito para ocupar o Palácio do Eliseu DENISE ANDRADE/ESTADÃO Oex-ministro da Economia Emmanuel Macron, do recémcriado movimento En Marche! (social-liberal), venceu ontem o primeiro turno das eleições presidenciais na França, com 23,86% dos votos apurados, relata Andrei Netto. Considerada favorita em grande parte da campanha, a eurodeputada Marine Le Pen, da Frente Nacional (extrema direita), ficou em segundo. Ambos disputarão o segundo turno em 7 de maio. Em uma atmosfera de vitória por antecipação, Macron, que até três anos atrás era desconhecido do grande público, iniciou a nova etapa da campanha com discurso a militantes em Paris. Na cidade de Hénin Beaumont, Le Pen mostrou-se abatida pelo resultado. Tão logo as primeiras projeções foram divulgadas, teve início uma onda de manifestações de apoio a Macron. Pesquisa do instituto Ipsos apresentou as intenções de voto para o segundo turno: Emmanuel Macron teria 62% dos votos e Marine Le Pen, 38%. (INTERNACIONAL / PÁGS. A7 e A8)

Rombo dos fundos de pensão supera R$ 70 bilhões
Os fundos de pensão fecharam 2016 com rombo de R$ 70,6 bilhões, segundo a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). O déficit subiu 700% em quatro anos e atingiu seu ápice em 2015, quando somou R$ 77,8 bilhões. O quadro preocupa autoridades e participantes – são 7,2 milhões de associados. Dez planos concentram 88% do buraco de todo o sistema. Dos maiores, só a Previ (dos funcionários do BB) divulgou seu balanço de 2016, com superávit. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Governo avisa que não vai mais ceder na Previdência
O presidente Michel Temer avisou a ministros e líderes do governo, em reunião no Palácio do Jaburu, que não há mais espaço para ceder a pedidos de categorias que insistem em ter benefícios mantidos na reforma da Previdência. “Não há espaço para concessão”, disse o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). Temer quer “empenho máximo” dos ministros e líderes no convencimento de suas bancadas para aprovar a proposta, sem novos atrasos. (ECONOMIA / PÁG. B6)

Taxa de adesão a Temer cai na Câmara
A taxa média de fidelidade de deputados federais às orientações do governo Michel Temer caiu para 79% em abril, segundo dados do Basômetro, ferramenta do Estadão Dados. Em julho do ano passado, a média de apoio foi de 91% – o maior índice já registrado desde 2003. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Metade não declarou IR; prazo vai até sexta (Economia / Págs. B8 e B9)

Cida Damasco
Tudo indica que as mudanças ainda são insuficientes para sensibilizar os contrários à reforma. (ECONOMIA / PÁG. B6)

Notas & Informações
Reformas, contas e vida real
O desafio da Previdência e das finanças públicas é muito mais que um problema de formalidade contábil. Não se trata apenas de fechar as contas aritmeticamente. (PÁG. A3)

A decepção dos ingênuos
A corrupção só atingiu o nível atual em razão da expansão estatal promovida por Lula. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Macron e Le Pen vão ao segundo turno na França
Votação final será dia 7/5; resultado é revés histórico para siglas tradicionais
O centrista independente Emmanuel Macron e a direitista Marine Le Pen venceram o primeiro turno das eleições na França, classificando- se para o embate final em 7 de maio, relata o enviado Diogo Bercito. Saíram derrotados os tradicionais Partido Socialista, hoje no governo, e Republicanos (centro-direita), do ex-presidente Nicolas Sarkozy. É a primeira vez na história moderna da França que as principais siglas não chegam ao segundo turno. (Mundo A10)

Parlamentares miram perdão de suas dívidas em novo Refis
Deputados e senadores que devem R$ 3 bilhões em tributos tentam se beneficiar com o perdão dos débitos em medida provisória que institui novo parcelamento. O projeto é relatado por Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), cujas empresas devem R$ 67,8 milhões. Os envolvidos negaram conflito de interesse. (Mercado a18)

Bolsonaro utiliza cota de deputado em pré-campanha
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem usado a cota parlamentar para custear viagens em que se apresenta como pré-candidato à Presidência em 2018. Pelas regras da Câmara, a verba não pode bancar gastos de caráter eleitoral. O deputado nega estar em campanha. (Poder a9)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.