Febre amarela provoca caça a macacos
O aparecimento de 25 macacos mortos a pedradas e pauladas em São José do Rio Preto reforça as suspeitas de uma onda de extermínio dos primatas por serem hospedeiros do vírus da febre amarela. A polícia investiga a matança…

Delator da Odebrecht diz que usou caixa 2 para atender Aécio
O ex-presidente da Construtora Odebrecht Benedicto Júnior disse ao TSE que repassou R$ 9 milhões a políticos do PSDB e do PP e a marqueteiro tucano a pedido do candidato Aécio Neves em 2014. Segundo Benedicto, a doação foi feita via caixa 2. Aécio alega que pediu doações “sempre de acordo com a lei”. O executivo disse que a Odebrecht usou a cervejaria Itaipava como laranja para doar R$ 40 milhões à base da chapa Dilma-Temer…


O Globo

Manchete: Odebrecht cita Dilma, Temer e Aécio, mas Planalto vê alívio
Ao TSE, delator diz que deu R$ 300 milhões ao PT de 2008 a 2014
Empresário afirmou que foram três os encontros para repasse ao PMDB, em 2014, e revelou ainda o pagamento de R$ 15 milhões à campanha do tucano; governo achou que teor não compromete
Em depoimento ao TSE na investigação sobre a chapa Dilma-Temer, o empresário Marcelo Odebrecht, agora delator da Lava-Jato, revelou ter posto R$ 300 milhões à disposição do PT de 2008 a 2014, nos governos Lula e Dilma. Parte desse montante não foi registrada oficialmente, segundo o empreiteiro. E o dinheiro era liberado após conversas com os então ministros Palocci e Mantega. O clima no Planalto foi de alívio, porque Odebrecht disse que conversou com Temer, mas que os dois trataram de ajuda para campanhas, e não de valores. Contou ter tido dois encontros posteriormente com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) para falar de dinheiro de doações. E afirmou ter repassado R$ 15 milhões à campanha de Aécio Neves (PSDB), sem dizer se por caixa 1 ou 2. (Págs. 3 e 4)

MÍRIAM LEITÃO
Razões econômicas não barram investigações. (Pág. 18)

NELSON MOTTA
Fraudar eleições é o mais nefasto à democracia. (Pág. 15)

BC indica corte maior nos juros
Na ata da reunião do Copom, o Banco Central indicou, de acordo com analistas, que vai acelerar o ritmo de redução da taxa Selic. Para a próxima reunião, em abril, a aposta é de corte de um ponto percentual nos juros, para 11,25% ao ano. (Pág. 20)

Novo chanceler acena ao Mercosul
O novo ministro das Relações Exteriores, o tucano Aloysio Nunes Ferreira, disse que terá pauta econômica e que vai “dar nova vida ao Mercosul”. (Pág. 6)

Caixa faz ofensiva para atrair cliente
A Caixa está procurando quem tem mais de R$ 20 mil a receber de contas inativas do FGTS para oferecer a abertura de contas. O uso dos dados cadastrais está provocando polêmica. (Pág. 17)

Amazônia pela ação humana
Estudo mostra que povos antigos moldaram a mata. (Pág. 24)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Banco Central indica que pode acelerar corte de juros
Projeção de inflação de 3,8% deixaria espaço para quedas mais fortes na Selic, hoje em 12,25% ao ano
A ata da reunião do Comitê de Política Monetária, do Banco Central, que determinou a queda de 0,75 ponto porcentual na taxa de juros (Selic), para 12,25% ao ano, deixou uma porta aberta para cortes mais intensos. Um dos indicativos é a mudança na projeção oficial para a inflação deste ano, que passou para 3,8%, abaixo do centro da meta, de 4,5%. Instituições financeiras já preveem corte de 1 ponto porcentual nos próximos encontros do Copom. Alas do governo e boa parte do mercado gostariam de ter visto queda maior na reunião da semana passada – o argumento é a falta de reação da economia. Pressionado, o Copom frisou que manterá sua autonomia. A ata reconhece aspectos positivos na economia. O avanço das reformas é elogiado, mas o comitê nota que há riscos na tramitação, principalmente na da Previdência, o que seria levado em conta na decisão do corte dos juros. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Delator da Odebrecht diz que usou caixa 2 para atender Aécio
O ex-presidente da Construtora Odebrecht Benedicto Júnior disse ao TSE que repassou R$ 9 milhões a políticos do PSDB e do PP e a marqueteiro tucano a pedido do candidato Aécio Neves em 2014. Segundo Benedicto, a doação foi feita via caixa 2. Aécio alega que pediu doações “sempre de acordo com a lei”. O executivo disse que a Odebrecht usou a cervejaria Itaipava como laranja para doar R$ 40 milhões à base da chapa Dilma-Temer. (POLÍTICA / PÁGS. A4 e A5)

Safra recorde de grãos ‘está indo para o ralo’, diz Blairo
Os atoleiros na BR-163, em trecho do Pará, estão colocando em risco o escoamento da safra brasileira de soja, que está parada nos 100 km sem asfalto da rodovia. Produtores estimam os prejuízos em R$ 350 milhões. “Dinheiro que estava na mesa, de uma grande colheita, está indo para o ralo, nos buracos das estradas”, disse o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. (ECONOMIA / PÁG. B5)

Aloysio Nunes vai assumir Itamaraty
O presidente Michel Temer escolheu o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) para o comando do Ministério das Relações Exteriores. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Febre amarela provoca caça a macacos
O aparecimento de 25 macacos mortos a pedradas e pauladas em São José do Rio Preto reforça as suspeitas de uma onda de extermínio dos primatas por serem hospedeiros do vírus da febre amarela. A polícia investiga a matança. (METRÓPOLE / PÁG. A11)

Eliane Cantanhêde
O novo chanceler tem o mesmo problema do próprio governo Temer: o tempo corre contra ele. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações
BC, política e juros

A novidade mais sugestiva nas atas do Copom é a insistência na taxa de juros estrutural. (PÁG. A3)

As carências da Polícia Civil
A responsabilidade por se ter chegado a esse ponto cabe ao governo do Estado. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Odebrecht afirma ter pago caixa 2 após pedido de Aécio
Repasse soma R$ 9 mi, diz delator; segundo senador do PSDB, recursos eram legais
Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedito Júnior afirmou que a empresa repassou R$ 9 milhões em caixa dois em 2014 após pedido de Aêcio Neves (PSDB-MG). Parte do valor, disse o delator, foi paga a aliados do então candidato à Presidência. Segundo Benedito Júnior, R$ 6 milhões foram divididos entre os tucanos Pimenta da Veiga, então postulante ao governo de Minas Gerais, e Antonio Anastasia, eleito ao Senado, e o deputado federal Dimas Fabiano (PP). Outros R$ 3 milhões, disse, foram para Paulo Vasconcelos, publicitário de Aécio. O depoimento foi dado no processo que investiga a chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), eleita no pleito de 2014. A ação foi movida pelo próprio PSDB. No mesmo caso, Marcelo Odebrecht, herdeiro do grupo, declarou que repassou R$ 15 milhões a Aécio naquele ano de forma legal. Procurado, o senador disse ter solicitado, como dirigente partidário, apoio para candidatos a diversos empresários de acordo com a lei. Segundo seu advogado, o delator não fala em pedido de caixa dois. Anastasia e Fabiano negaram a acusação. Pimenta da Veiga e Vasconcelos não foram localizados. (Poder A4)

Temer escolhe Aloysio Nunes para o Itamaraty
O líder do governo Temer no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), foi escolhido para substituir o colega tucano Josê Serra no comando do Itamaraty. Em vídeo, Nunes afirmou que dará “vida nova” ao bloco Mercosul. (Poder A7 e A8)

Câmara quer votar projeto antigo sobre terceirização
Deputados querem aprovar, sem o aval da atual composição do Senado, projeto de regulamentação das terceirizações, aprovado pelos senadores em 2002, que anistia débitos de empresas. Segundo o chefe da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a medida acelerará a geração de empregos. A oposição discorda e fala em ir ao STF. Desde 2015, o Senado discute outro texto, mais rigoroso para as empresas. (Mercado A15)

Editoriais
Leia “Odebrecht fala”, sobre depoimento de empreiteiro ao TSE, e “Ficamos para trás”, acerca de vantagem salarial da indústria chinesa ante a brasileira. (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.