Sem delação, pena de Joesley poderia chegar a 2 mil anos de prisão
Alvo de polêmica por causa dos benefícios concedidos aos autores, a delação de Wesley e Joesley Batista, da JBS, descreve crimes praticados por eles que poderiam resultar em 2 mil anos de prisão para cada um, informa Marcelo Godoy. Os relatos entregues pela Procuradoria da República ao Supremo Tribunal Federal apontam 240 condutas criminosas. Foram relacionados oito tipos de crime, incluindo 124 casos de corrupção e 96 de lavagem de dinheiro. Os delatores, porém, não responderão por nenhum desses crimes porque receberam imunidade, além de perdão judicial caso fossem denunciados. Para a defesa, os benefícios concedidos se justificam porque penas que eventualmente possam ser aplicadas a políticos “jamais existiriam sem os colaboradores”…
Deltan Dallagnol
Desejamos ver, no espelho, imagem bela e sem ilusões
A corrupção vende ilusões. No espelho, o Brasil se enxergava mais bonito do que era, mas a Lava Jato revelou uma dura realidade. Este é o momento para ir além da mera alternância no poder dos corruptos de estimação. É preciso coragem…

———————————————————–

O Globo

Manchete: Prisão de ex-assessor eleva pressão sobre Temer
Rocha Loures é detido após perder mandato de deputado federal
Relator da Lava-Jato no STF, Edson Fachin afirma que conduta do homem de confiança do presidente é ‘gravíssima’ e decisão previne influência sobre autoridades; Defesa diz que detenção era desnecessária
Classificado pelo procurador-geral da República como a “longa manus” do presidente Michel Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures foi preso na manhã de ontem, em Brasília, por ordem do ministro Edson Fachin, do STF. Ele é acusado de receber uma mala com R$ 500 mil de propina da JBS em nome do presidente. A prisão aumenta a pressão sobre Temer, a dois dias do início do julgamento no TSE da chapa em que foi vice de Dilma Rousseff. Fachin afirmou que só não mandou prender Rocha Loures antes porque ele era deputado federal, cargo que perdeu depois que o governo decidiu retirar o também deputado Osmar Serraglio do Ministério da Justiça. Loures está na sede da PF em Brasília e deve ser transferido amanhã para o presídio da Papuda. (Págs. 3 e 4)

EDITORIAL
‘O TSE diante da História’ O abuso do poder político e econômico que elegeu Dilma foi o mesmo que elegeu o vice, Temer. Os 54 milhões de votos foram para os dois. (Pág. 18)

MPF pede a prisão de Lula em regime fechado (Pág. 5)

Colunistas
MERVAL PEREIRA
A aposta é que o ex-assessor vai fazer delação. (Pág. 4)

RICARDO NOBLAT
Quantos tiros mais no pé Temer haverá de dar? (Pág. 3)

LAURO JARDIM
Procuradoria exige Lula e BTG na delação de Palocci. (Pág. 2)

MÍRIAM LEITÃO
JBS é um risco econômico ainda não dimensionado. (Pág. 30)

ELIO GASPARI
Diplomacia de Temer pulou no chiqueiro bolivariano. (Pág. 5)

FERNANDO GABEIRA
Gilmar Mendes e os “personal enganators”. (Segundo Caderno)

Crise já sacrifica o futuro dos jovens
A fatura de três anos de crise recai sobre a parcela mais vulnerável da população. A taxa de desemprego na faixa de 14 a 24 anos ultrapassa os 30%. Entre as crianças e adolescentes de até 14 anos, 29% são pobres. Para analistas, o futuro dessa geração está em risco. (Págs. 29 a 31)

Nas ruas, os filhos do crack
Nas cracolândias do Rio, uma geração de filhos de usuários da droga perpetua o vício dos pais. Segundo levantamento da prefeitura, 71% dos adolescentes que vivem nas ruas usam crack. (Pág. 12)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : PF prende Rocha Loures e aumenta pressão sobre Temer
Ex-assessor do presidente havia sido flagrado carregando mala com R$ 500 mil em ação da Lava Jato
A Polícia Federal prendeu ontem o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que já foi assessor especial do presidente Michel Temer. A prisão, determinada por Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, atendendo a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, provocou preocupação no Palácio do Planalto. Loures foi flagrado carregando uma mala com R$ 500 mil em uma das ações controladas feitas pela PF junto aos delatores da JBS. O Estado apurou que, no governo, a avaliação é de que há uma dobradinha entre Janot e Fachin para “arrancar” uma delação contra Temer. Loures perdeu a vaga de deputado e o foro privilegiado na quinta-feira, com a volta do ex-ministro Osmar Serraglio, de quem era suplente, à Câmara. (Política A7)

Preso para delatar, diz defesa
Para o advogado Cezar Roberto Bitencourt, há uma tentativa de forçar Rocha Loures a colaborar, mas ele deve se manter em silêncio. (A7)

Sem delação, pena de Joesley poderia chegar a 2 mil anos de prisão
Alvo de polêmica por causa dos benefícios concedidos aos autores, a delação de Wesley e Joesley Batista, da JBS, descreve crimes praticados por eles que poderiam resultar em 2 mil anos de prisão para cada um, informa Marcelo Godoy. Os relatos entregues pela Procuradoria da República ao Supremo Tribunal Federal apontam 240 condutas criminosas. Foram relacionados oito tipos de crime, incluindo 124 casos de corrupção e 96 de lavagem de dinheiro. Os delatores, porém, não responderão por nenhum desses crimes porque receberam imunidade, além de perdão judicial caso fossem denunciados. Para a defesa, os benefícios concedidos se justificam porque penas que eventualmente possam ser aplicadas a políticos “jamais existiriam sem os colaboradores”. (Política A4)

Joesley bancou campanha contra Dilma, diz marqueteiro
Elsinho Mouco, publicitário do presidente Michel Temer há 15 anos, afirma ter sido pago por Joesley Batista para trabalhar na campanha pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Mouco diz ter recebido R$ 300 mil para monitorar as redes sociais, revela Pedro Venceslau. (Política A6)

Não sou o herói do filme
Do BC para as telas
Em entrevista, Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central, diz que “na melhor das hipóteses” a recuperação da economia continuará em ritmo muito lento. Ele viu o filme sobre o Plano Real “escondido” e disse que se trata de uma “fábula”. (Economia B5)

Novo ensino médio tem série de entraves (Metrópole A18)

Os sinos dobram por Aécio
São João del Rei tenta entender “o que está acontecendo” com Aécio Neves, neto de Tancredo, seu ilustre cidadão. Símbolo da cidade, os sinos tocam “por reflexão”, diz o sineiro Luiz Carvalho. (Política A11)

Artigo – Fernando Henrique Cardoso
Responsabilidades históricas
Disse no início do atual governo que ele atravessaria uma pinguela, como o governo Itamar atravessou, com minha ativa participação. O governo Temer tem feito um esforço para rearranjar uma situação institucional e financeira desoladora. Apoiei a travessia e espero que a pinguela tenha conserto. E se não? E se as bases institucionais e morais ruírem? Então caberá dizer: até aqui cheguei. Daqui não passo. Torçamos para que não sejamos obrigados a tal. (Espaço Aberto A2)

Eliane Cantanhêde
Rocha Loures é a maior ameaça a Temer, que vai ficando na Presidência por inércia (Política A6)

Vera Magalhães
Temer, que foi se igualando a Dilma, é hoje um presidente aquartelado no Planalto (Política A10)

Celso Ming
Pairam dúvidas sobre a confiabilidade dos números de investimentos, distorcidos pela corrupção (Economia B2)

Notas&Informações
O que precisa ser esclarecido – O procurador-geral da República tem atuado no inquérito que envolve o presidente da República com pressa que contrasta com o vagar de outros casos (A3)

Quem preserva o meio ambiente – Frequentemente se tenta atribuir suposta oposição entre sustentabilidade e agropecuária (A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Ninguém desponta como favorito em pleito indireto
Datafolha procurou todos os 594 congressistas do país; 311 responderam
Pesquisa Datafolha com 311 dos 594 congressistas aptos a votar em uma eleição indireta aponta que 61% não citam espontaneamente um candidato à Presidência para o caso de saída de Michel Temer (PMDB). Como outros 15% se recusaram a falar sobre a hipótese, 76% não têm um nome à mão. O quadro sustenta a avaliação, de partidos favoráveis e contrários a Temer, de que ele resiste à crise política por falta de consenso sobre um substituto. Entre os parlamentares ouvidos, 47°/o avaliam que o presidente deveria deixar o cargo. Para 40%, Temer tem de continuar no Planalto. No caso de pleito indireto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), é o nome mais citado espontaneamente, mas apenas por 9%. Registraram sua opinião 275 deputados e 36 senadores. O resultado não pode ser projetado para todo o Congresso, pois cada opinião é individual. (Poder A8)

Ex-assessor de Temer flagrado com R$ 500 mil é preso pela PF
O ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor de Michel Temer, foi preso na manhã de sábado (3) em Brasília. Rocha Loures foi filmado carregando mala com R$ 500 mil, que segundo a delação da JBS eram fruto de propina. Seu advogado se diz indignado, por entender que o Supremo não analisou as considerações da defesa. (Poder A4)

Procuradores da Lava Jato cobram R$ 87,6 mi de Lula por tríplex (Poder A10)

Deltan Dallagnol
Desejamos ver, no espelho, imagem bela e sem ilusões
A corrupção vende ilusões. No espelho, o Brasil se enxergava mais bonito do que era, mas a Lava Jato revelou uma dura realidade. Este é o momento para ir além da mera alternância no poder dos corruptos de estimação. É preciso coragem. (Opinião A3)

Editoriais
Leia “Sem Temer”, sobre as razões que recomendam ao TSE cassar o presidente; embora preferíveis, as eleições diretas enfrentam obstáculos imensos. (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.