Sete PMs feridos são afastados a cada 2 dias
Acidentes com carros e motos e atropelamentos, além de tiros e facadas, estão entre as principais causas de licenças médicas de policiais militares no Estado de São Paulo. Soldados contam como se feriram e se recuperaram. …

TCU pode quebrar companhias, diz professor da USP
O Tribunal de Contas da União pode quebrar empresas que fecharam acordo de leniência com o Ministério Público e desestimular que outras busquem essa saída, diz o professor de direito da USP Sebastião Tojal, referência na área. Para ele, se o TCU cumprir ameaça de invalidar os acordos, haverá danos irreparáveis ao país…

———————————————————————–

O Globo

Manchete : Comércio do Rio investe em segurança para garantir Natal
Redes varejistas recorrem a uso de escolta e frota própria para entregas
Conforme o endereço, há restrição para itens de maior valor; compras feitas on-line têm de ser retiradas pelo consumidor nas lojas físicas
Na expectativa do primeiro Natal pós-crise, com aumento de vendas, o comércio adotou estratégias para enfrentar a falta de segurança pública no Rio. As medidas vão de uso de escolta para proteger os caminhões de carga a restrições sobre entrega de itens de maior valor em determinados endereços. De setembro a novembro, 12,9% das remessas dos Correios no estado foram cercadas de precauções extras de segurança. A média no país é de 1,6%. As lojas de eletroeletrônicos mantêm estoques reduzidos. Já o investimento em frota própria visa a enfrentar tanto o risco de desvio de produtos quanto a alta no valor dos seguros. No comércio on-line, cresceu o chamado “clique e retire”, quando o consumidor tem de buscar o produto na loja física. (PÁGINA 33)

ReageRio – Da inclusão de jovens à crença no voto
Em debate, as saídas para a crise do estado
A segurança pública precisa não apenas de mais recursos e controle de armas. Requer ações de inclusão de jovens. A educação deve se modernizar e preparar estudantes para o mundo moderno. A economia precisa de investimento em tecnologia e design. O eleitor tem que recuperar a crença no voto. Durante os dois dias da segunda edição do “Reage, Rio!”, autoridades, especialistas e cidadãos debateram saídas para a cidade e o estado. O resultado está em um caderno que traz ainda reportagens e entrevistas para aprofundar essa reflexão. (CADERNO ESPECIAL)

Odebrecht faz planos para vida fora da cadeia
Preso há dois anos e meio, Marcelo Odebrecht voltará para sua mansão em São Paulo, no dia 19, onde usará tornozeleira. Metódico, tem agenda intensa com advogados, malha seis horas por dia e escreveu 6 mil páginas de diário, relata BELA MEGALE. (PÁGINA 4)

Anti-Lula, Alckmin assume PSDB com aceno a Temer
Eleito presidente do PSDB quase por unanimidade, o governador Geraldo Alckmin fez discurso de pré-candidato ao Planalto. Em tom claro de ataque ao ex-presidente Lula, ele defendeu a reforma da Previdência e a política econômica do governo Temer. (PÁGINA 3)

Colunistas
LAURO JARDIM
Dez anos depois, Airbus fecha acordo por tragédia da TAM. (PÁGINA 2)

MERVAL PEREIRA
A reforma da Previdência já é o tema da campanha de 2018. (PÁGINA 4)

MÍRIAM LEITÃO
Combate à corrupção não pode se perder por erros e abusos. (PÁGINA 34)

ANCELMO GOIS
Número de casais homoafetivos cresceu 170% em 5 anos. (PÁGINA 14)

ELIO GASPARI
Para a Polícia Federal, caçar reitor virou hobby exibicionista. (PÁGINA 5)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Tucanos atacam PT e apelam por reforma em convenção
Alckmin é eleito presidente do PSDB em evento que se transformou em ato de apoio à mudança na Previdência
A convenção nacional do PSDB que aclamou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, presidente do partido foi marcada por discursos a favor da reforma da Previdência, proposta pela gestão Michel Temer (PMDB), e críticas ao PT e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Alckmin afirmou que a reforma da Previdência é necessária para que o País não tenha “brasileiros de duas classes”. Pré-candidato à Presidência, ele disse que o PT e Lula são responsáveis pela maior recessão econômica do Brasil. O tucano elogiou a condução da economia pelo atual presidente. Ele espera ter o apoio do PMDB. (POLÍTICA / PÁGS. A4 a A7)

Em São Paulo, contas em dia e obras atrasadas
Com o salário dos servidores estaduais em dia – ao contrário de Estados em crise, como o Rio –, a gestão do presidenciável Geraldo Alckmin sofre para cumprir os prazos de obras. (PÁG. A6)

Número de ações despenca com nova lei trabalhista
Dados de cinco tribunais regionais mostram queda de quase 78% no número de processos trabalhistas desde 11 de novembro – dia em que a nova lei entrou em vigor –, em relação ao mesmo período antes da reforma. O TRT-SP, por exemplo, recebeu 12.409 processos até o dia 6 de dezembro, ante 65.112 nos 30 dias anteriores. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Entrevista – Pedro Passos
REFORMAS TÊM DE VIR COM ÉTICA
Para o empresário Pedro Passos, o discurso em defesa das reformas deve ser acompanhado de uma postura ética. Ele, porém, pontua que não é possível “julgar retoativamente” se esse debate deveria ter sido feito no governo Temer. (ECONOMIA / PÁG. B5)

Sete PMs feridos são afastados a cada 2 dias
Acidentes com carros e motos e atropelamentos, além de tiros e facadas, estão entre as principais causas de licenças médicas de policiais militares no Estado de São Paulo. Soldados contam como se feriram e se recuperaram. (METRÓPOLE / PÁG. A18)

UE quer proibir País de usar o nome parmesão (ECONOMIA / PÁG. B8)

Eliane Cantanhêde
Os horrores da política
A Convenção do PSDB fechou uma semana de escárnio e irritação, com um show de fisiologismo da base governista. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Vera Magalhães
A tentação do púlpito
Sérgio Moro teve lapso de discernimento e avançou perigosamente o limite da atuação que se espera de um magistrado. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Notas&Informações
A responsabilidade é de todos

A reforma da Previdência não é responsabilidade de determinado governo ou partido. Assegurar um sistema minimamente justo e sustentável é tarefa de todos. (PÁG. A3)

O vigor do atraso
Partidos da “base aliada” de Temer especulam sobre a possibilidade de apoiar Lula. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Alckmin assume PSDB e elogia agenda de Temer
Governador ataca Lula e defende reforma da Previdência; Aêcio ê vaiado
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi eleito presidente nacional do PSDB em convenção realizada em Brasília. Ele ocupará o cargo pelos próximos dois anos, sucedendo o senador Aécio Neves (MG), que foi vaiado ao chegar. Em seu discurso, Alckmin poupou o presidente Michel Temer de críticas e chegou a elogiar o trabalho do peemedebista pela aprovação de reformas econômicas. Grupos tucanos que defendiam o rompimento com Temer ficaram apagados. O gesto do governador, embora tímido, indica um esforço no sentido de manter canais abertos para uma aliança em torno de sua candidatura presidencial em 2018. Após o evento, Alckmin disse que só pretende discutir o tema após a confirmação de seu nome como candidato, o que deve ocorrer até março, por meio de prévias. Ele também adotou discurso mais enfático a favor da agenda de Temer e defendeu que membros do PSDB sejam obrigados a apoiar a reforma da Previdência. “Mas essa não ê uma decisão só da Executiva, é também da bancada [de deputados], pelo estatuto”, afirmou em entrevista. Alckmin centrou ataques no PT e no ex-presidente Lula, líder nas pesquisas de intenção devoto. (Poder A4 e A5)

Exposição ao dólar cresce nas grandes companhias
A exposição ao dólar das 57 empresas que concentram quase metade do endividamento no Brasil explodiu nos últimos anos. Hoje, 40% da dívida segue a variação da moeda americana —ante 28% em 2014. Após a Lava Jato, houve redução do crédito no país e aumento da busca no exterior. (Mercado Pág. 1)

Cotista tem nota boa, mas cai em exatas
Estudantes beneficiados por cotas se formam com desempenho próximo ao dos demais em pouco mais da metade dos cursos de universidades públicas, informam Fábio Takahashi, Paulo Saldana e Marcelo Soares.Um debate central sobre essa política afirmativa é se cotistas conseguem acompanhar a faculdade. A Folha analisou o desempenho de 252 mil alunos de 2014 a 2016 no Enade, exame aplicado no último ano da graduação. Em 33 dos 64 cursos, a nota média desses estudantes foi superior à dos alunos não cotistas ou até 5% inferior — desempenho considerado semelhante, pois representa diferença de até dois pontos em cem possíveis na prova. As menores notas dos cotistas foram registradas em exatas. Dos dez cursos em que há defasagem maior, sete são dessa área. O problema em matemática começa no ensino básico e agrava a evasão na faculdade. (Cotidiano B1)

TCU pode quebrar companhias, diz professor da USP
O Tribunal de Contas da União pode quebrar empresas que fecharam acordo de leniência com o Ministério Público e desestimular que outras busquem essa saída, diz o professor de direito da USP Sebastião Tojal, referência na área. Para ele, se o TCU cumprir ameaça de invalidar os acordos, haverá danos irreparáveis ao país. (Poder A8)

J. Hawilla está descompensado, afirma Teixeira
Presidente da CBF por duas décadas, Ricardo Teixeira é acusado na Justiça dos EUA de ter recebido propina na venda de direitos de competições. À Folha afirma que o empresário J.Hawilla, seu ex-amigo e principal delator no processo, está “descompensado”. O ex-cartola diz ser inocente e nega ter recebido dinheiro irregularmente. (Esporte pág. 1)

Ex-sócio de Adriana Ancelmo dirige Uber no Rio enquanto aguarda sentença (A9)

André Trigueiro
Brasil está na contramão no setor do petróleo (Sobretudo D2)

Mônica Bergamo
Presos afirmam que Odebrecht dormia no chão e não reclamava (C2)

Editoriais
Leia “Ensino com diretriz”, sobre a base curricular da educação fundamental, e “Reprovação geral”, a respeito da impopularidade do Congresso. (Opinião a2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.