Coronéis viram réus por liberação ilegal de arma
Dois coronéis e um soldado do Exército respondem a processo na Justiça Militar por irregularidades em liberações e transferências de arma de alto calibre…

PF investiga se Odebrecht fez reforma de piscina para Lula
Obra no Alvorada, em 2008, teria sido troca de favores; empresa e ex-presidente não comentam
A Polícia Federal suspeita que a Odebrecht tenha bancado reforma na piscina do Palácio da Alvorada em 2008, durante o governo Lula, informam Bela Megale e Marina Dias. A obra teria sido feita em troca de favorecimentos para a empreiteira. Em e-mail apreendido pela Lava Jato, o então presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, pergunta a um executivo do grupo se o “trabalho das pedras foi bem concluído”, visto que seu pai, Emílio Odebrecht, iria se encontrar com o “amigo”…


O Globo

Manchete : Rio vai gastar R$ 2,1 bi só com benefícios
Despesa é 35% dos R$ 5,9 bi que o estado tenta obter para a previdência
Segundo o orçamento de 2017, juízes terão R$ 4,3 mil mensais para moradia, servidores do Judiciário ganharão R$ 1.052 para os estudos de cada filho, e funcionários do MP poderão gastar até R$ 825 por mês com refeições
Enquanto enfrenta uma grave crise financeira, o Estado do Rio mantém privilégios para servidores do Tribunal de Justiça, do Ministério Público, do TCE e do Executivo, que custarão R$ 2,1 bilhões, segundo o orçamento previsto para 2017. A Alerj não divulga seus gastos. Para se ter uma ideia do peso na conta, essa despesa representa 35% dos R$ 5,9 bilhões do que o governo estadual pretende arrecadar com o aumento da contribuição previdenciária, revelam ELENILCE BOTTARI, RAFAEL GALDO e SELMA SCHMIDT. (Págs. 9 a 11)

Parques podem ficar sem guardas e sem verba (Pág.12)

Ações da Lava-Jato sob ameaça
A Operação Lava-Jato e outras grandes investigações relacionadas a fraudes, contravenção e tráfico de drogas correm o risco de ser afetadas por julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a validade de escutas telefônicas superiores a 30 dias, mesmo quando autorizadas pela Justiça. (Pág.3)

Menos uma Copa na infraestrutura
Em dois anos, o setor de infraestrutura, como transporte, energia elétrica e mobilidade, viu seus investimentos encolherem em R$ 25 bilhões, segundo dados da consultoria Inter.B. O valor equivale ao gasto na Copa de 2014. (Pág. 33)

Colunistas
ANCELMO GOIS – Veja os candidatos a “Trump brasileiro” (Pág. 16)

FERNANDO GABEIRA – EUA e Rio mostram como o mundo pirou (segundo Caderno)

MÍRIAM LEITÃO – Temores se confirmaram no grupo de transição (Pág.34)


O Estado de S. Paulo

Manchete : 48% dos servidores poderão se aposentar em até 10 anos
Boom de contratações na redemocratização ajuda a explicar fenômeno que sobrecarregará caixa dos Estados
Ao longo dos próximos 10 anos, quase metade dos servidores estaduais na ativa terá direito de pedir aposentadoria. A situação abrange 1,8 milhão de funcionários, ou 48% do total. “Pelas regras atuais, os sistemas previdenciários estaduais não vão suportar a conta e a crise, hoje concentrada em alguns Estados, vai se espalhar”, alerta o professor da Fundação Getúlio Vargas Nelson Marconi, autor do estudo. Razões históricas ajudam a explicar o fenômeno. Segundo o economista Paulo Tafner, a concentração de aposentadorias deriva do boom de contratações no setor público ocorrido no fim dos anos 1980 e início dos anos 1990, durante a redemocratização. A Constituição ampliou obrigações de Estados e municípios com educação, saúde e segurança, que demandam muita mão de obra. Pesa também o fato de duas categorias, professores e policiais, terem direito a aposentadorias especiais. (Economia B1 e B3)

‘Se não mexer na Previdência, viramos Grécia’
entrevista – Luiz Fernando Pezão Governador do Rio de Janeiro
De volta de duro tratamento contra um câncer e à frente de um Estado com R$ 17,5 bilhões de rombo, governador diz estar muito preocupado em como encerrar o ano e compara situação do Rio à do país balcânico que quebrou. “Se não mexer na Previdência, daqui a pouco eles (aposentados) não vão receber. É Grécia.” (Economia PÁG. B4)

A reconstrução do Brasil – Combate à corrupção exige ação permanente
A praga da corrupção se espalhou, patrocinada por políticos de quase todos os partidos. Envolve autoridades de norte a sul, estatais e empresas privadas. Um Estado obeso e onipresente, marcado por patrimonialismo e cipoal de normas, favorece tráfico de influência, favores, comissões por baixo do pano. Combater a corrupção é desafio gigantesco e exige mobilização incessante. (Política A10 e A11)

Coronéis viram réus por liberação ilegal de arma
Dois coronéis e um soldado do Exército respondem a processo na Justiça Militar por irregularidades em liberações e transferências de arma de alto calibre. (Metrópole A21)

No interior dos EUA, voto contra a agenda liberal
Eleitores de Grand Rapids, em Michigan, dizem que vitória de Donald Trump é uma reação do interior à agenda liberal das metrópoles, informa Cláudia Trevisan. Levantamento mostra que Hillary Clinton obteve 59% dos votos em cidades com mais de 50 mil habitantes, enquanto Trump venceu na zona rural. (Internacional A12 a A19)

Efeito Trump
Para Arminio Fraga, se americano for adiante na expansão fiscal, Brasil será prejudicado. (Economia B6)

Mario Vargas Llosa

Vale a pena para países pobres aprender as lições que Cingapura ensina. (Internacional A20)

Leandro Karnal
Imenso grupo considera que democracia só existe quando vence o candidato que aprova. (Cacderno2 C7)

Notas&Informações
Antagonismo impatriótico – É dever de todos lutar para restabelecer o decoro e, consequentemente, a razão (A3)

Responsabilidade é premissa – Adequar os gastos públicos às receitas não é uma questão ideológica (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : PF investiga se Odebrecht fez reforma de piscina para Lula
Obra no Alvorada, em 2008, teria sido troca de favores; empresa e ex-presidente não comentam
A Polícia Federal suspeita que a Odebrecht tenha bancado reforma na piscina do Palácio da Alvorada em 2008, durante o governo Lula, informam Bela Megale e Marina Dias. A obra teria sido feita em troca de favorecimentos para a empreiteira. Em e-mail apreendido pela Lava Jato, o então presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, pergunta a um executivo do grupo se o “trabalho das pedras foi bem concluído”, visto que seu pai, Emílio Odebrecht, iria se encontrar com o “amigo”.
Segundo investigadores e funcionários da empresa, “amigo” é o termo usado dentro da Odebrecht para se referir ao ex-presidente Lula. Um mês antes, o empreiteiro recebeu uma mensagem “sobre a colocação de granito na piscina em Brasília”. Na conversa, o empreiteiro fala em definir “qual a estratégia se houver [provável] vazamento na mídia”.
Relatórios da Presidência da República confirmam a obra no Alvorada em 2008, mas sem menção a contratos ou ao custo da reforma. Lula responde a três inquéritos na Lava Jato em que é acusado de receber favores de empreiteiras. Ele nega qualquer irregularidade. Procurados pela reportagem, o ex-presidente e a Odebrecbt não quiseram comentar a obra na piscina. (Poder A4)

STF bloqueia multas de repatriação para 23 Estados e o DF
A ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber estendeu a mais 18 Estados e o DF o congelamento de recursos da repatriação reivindicados por eles. A decisão precisa ser julgada no plenário do STF. (Poder A7)

Crise dos Estados oporá a sociedade e as corporações :: Marcos Lisboa
A crise do RJ é o prólogo das graves dificuldades que Estados terão nos próximos meses. A falta de verba resultará em obstáculos crescentes para serviços como saúde e educação. Quem terá os direitos reduzidos: as corporações ou a sociedade? (Opinião A2)

Farc e governo da Colômbia assinam novo acordo de paz
0 governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia assinaram um novo texto do acordo de paz, após rejeição da primeira versão do documento em plebiscito. A íntegra, que inclui mudanças propostas pelos defensores do “não”, deve ser divulgada nos próximos dias. (Mundo A16)

Em crise, governadores querem que o governo federal ajude a cobrir rombos previdenciários. (Mercado Pág. 1)

Editoriais

“Ironias de Temer”, sobre reações do presidente a protestos contra o governo, e “Seca 2.0”, acerca de estiagem que já dura cinco anos no Nordeste. (Opinião A2)

Trump mostra que elite liberal precisa ouvir os gritos no portão : Francis Fukuyama
Vitória de Trump mostra que a elite liberal, criadora do sistema, precisa ouvir vozes raivosas que gritam nos portões e pensar em igualdade social e identidade. (Mundo A14)

Hillary Clinton atribui derrota em eleição a diretor do FBI. (Mundo A12)


Fonte: Equipe Sintracoop, Domingo, 13 de Novembro de 2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.