Rio tem explosão de roubos
De janeiro a novembro, delegacias do estado fizeram quase 213 mil registros do crime
O Estado do Rio registrou, de janeiro a novembro deste ano, 212.065 roubos, uma média de 27 por hora. Esse é o maior número em quase três décadas, de acordo com o Instituto de Segurança Pública. Desde o início da série histórica, em 1991, o roubo de cargas nunca foi tão comum: já são 9.445. Só ontem, dois caminhões levados por bandidos foram recuperados pela polícia, após troca de tiros com ladrões, no Complexo do Lins de Vasconcelos, na Zona Norte. A escalada da violência nas ruas se reflete também no total de homicídios: foram 4.882 nos 11 primeiros meses de 2017. Para especialistas, a falta de estratégia e de investimentos na polícia está por trás do recrudescimento do crime. …
Justiça está sob ameaça com Lei da Ficha Limpa
A tão celebrada Lei da Ficha Limpa ameaça violar a separação entre justiça e política. O processo do tríplex de Guarujá lança luz sobre esse risco. A hipótese de Lula ser declarado culpado nas urnas e inocentado nos tribunais não seria aberrante. O contrário indica aputrefação do tecido social…
—————————————————————–

O Globo

Manchete: Mercado de trabalho trava ascensão social no Brasil
Vagas de baixa qualificação dificultam avanço, apesar de melhora na educação
País tem 52 milhões de pessoas na pobreza, com renda de até US$ 5,50 por dia

A mobilidade social avança a passos lentos no Brasil. Pesquisa do IBGE mostra que quase 70% da população têm nível de instrução superior ao dos pais, mas apenas metade dos brasileiros alcança oportunidades melhores no mercado de trabalho em relação à geração anterior. Mesmo assim, poucos conseguem subir mais de dois degraus na escala social. Para especialistas, isso reflete a oferta de vagas de baixa qualificação. Quem está no topo da pirâmide tem quase 14 vezes mais chance de continuar nesse estrato do que alguém na base de ascender a essa posição. No país, 52 milhões vivem na pobreza, com rendimento inferior a US$ 5,50 por dia. (PÁGINA 23 e 24)

Rio tem explosão de roubos
De janeiro a novembro, delegacias do estado fizeram quase 213 mil registros do crime
O Estado do Rio registrou, de janeiro a novembro deste ano, 212.065 roubos, uma média de 27 por hora. Esse é o maior número em quase três décadas, de acordo com o Instituto de Segurança Pública. Desde o início da série histórica, em 1991, o roubo de cargas nunca foi tão comum: já são 9.445. Só ontem, dois caminhões levados por bandidos foram recuperados pela polícia, após troca de tiros com ladrões, no Complexo do Lins de Vasconcelos, na Zona Norte. A escalada da violência nas ruas se reflete também no total de homicídios: foram 4.882 nos 11 primeiros meses de 2017. Para especialistas, a falta de estratégia e de investimentos na polícia está por trás do recrudescimento do crime. (PÁGINA 15)

Analistas: reforma não pode passar de fevereiro
Analistas advertiram que as três principais agências de risco, Fitch, Standard & Poor’s e Moody’s, vão esperar apenas até fevereiro pela aprovação da reforma da Previdência. Se a votação for adiada de novo, é quase certo o rebaixamento do rating do país. (PÁGINA 25)

TSE: se condenado, Lula fica inelegível
Ministros do TSE são unânimes: Lula ficará inelegível se o TRF-4 mantiver a condenação. Eles só divergem sobre o momento em que ele sairá da disputa. (PÁGINA 3)

Fifa afasta o presidente da CBF (PÁGINA 34)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Uso de recursos por partidos dificultará renovação em 2018
Com menos verba para campanha, estratégia é concentrar investimento nos candidatos já conhecidos do eleitor
Líderes dos dez maiores partidos ouvidos pelo Estado pretendem direcionar os recursos eleitorais em 2018 para campanhas de candidatos que já tenham mandato político. Eles também devem dar prioridade ao espaço da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV para caciques partidários e candidatos conhecidos. Com recursos limitados – o fundo eleitoral terá R$ 1,7 bilhão – e um período menor de propaganda gratuita, siglas como PT, PSDB, PSB, PDT e DEM avaliam que precisam concentrar a estratégia em quem já é conhecido para garantir a eleição. De acordo com a proposta aprovada na reforma política, caberá à cúpula de cada partido definir como será a distribuição dos recursos do fundo eleitoral. A estratégia vai na contramão da expectativa de que as novas regras eleitorais, aprovadas pelo Congresso no fim de setembro, pudessem acelerar uma renovação na política. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Fundos de pensão terão regra similar à de bancos
Na segunda-feira, serão anunciadas novas normas de supervisão dos fundos de pensão, setor que acumula rombo de R$ 65,6 bilhões. A suspensão cautelar de diretores é uma das novas medidas, que devem ser similares às regras aplicadas aos bancos. Um plano também poderá ser transferido de entidade se não houver capacidade de administração e multas por infrações deverão ficar mais caras. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Presidente do Peru pode cair por elo com Odebrecht
O Congresso peruano começou ontem o processo de destituição do presidente do país, Pedro Pablo Kuczynski. Uma CPI revelou que ele ocultou o recebimento de US$ 782 mil da Odebrecht por meio de uma firma de consultoria quando era ministro de Alejandro Toledo. Os fujimoristas, que pedem a saída de Kuczynski, têm 71 deputados e precisam de mais 16 para tirá-lo do cargo. (INTERNACIONAL / PÁG. A16)

Base Comum Curricular é aprovada em conselho
A Base Nacional Comum Curricular, que vai determinar os objetivos de aprendizado para os ensinos infantil e fundamental, foi aprovada ontem pelo Conselho Nacional de Educação. A inclusão do ensino religioso como área do conhecimento, um dos pontos mais polêmicos, ainda pode mudar. Escolas têm até 2020 para se adaptar, mas os alunos já serão avaliados com base no documento em 2019. (METRÓPOLE / PÁG. A19)

Foto- legenda: ‘Soldado’ Marun assume pasta
Carlos Marun (PMDB-MS) abraça Michel Temer em sua posse como ministro da Secretaria de Governo. ‘Serei e sou a partir deste momento um soldado sob o vosso comando’, disse ao presidente. (POLÍTICA / PÁG. A12)

52 milhões estão abaixo da linha da pobreza (ECONOMIA / PÁG. B8)

Censura ao ‘Estado’ chega a 3 mil dias (POLÍTICA / PÁG. A15)

Adriana Fernandes
Governo deu R$ 750 milhões ao RN. Uma fila de governadores vai se formar no Planalto. (ECONOMIA / PÁG. B6)

Notas & Informações
Eliminar os privilégios
Ceder às pressões do funcionalismo enfraquece a diminuição da discrepância entre o regime previdenciário dos servidores e o dos trabalhadores da iniciativa privada. (PÁG. A3)

Descaso na Câmara
Projeto que estabelece novas normas para licitações e contratos públicos está esquecido. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Mobilidade social é mais difícil para os pobres
Estudo do IBGE mapeia dificuldades do brasileiro para melhorar de vida
Brasileiros que nasceram no topo da pirâmide social têm quase 14 vezes mais chance de permanecerem nesse estrato do que as pessoas oriundas da base têm de chegar atê lá. Os dados estão na pesquisa Síntese dos Indicadores Sociais, divulgada pelo IBGE. Embora metade da população consiga melhorar de vida em relação a seus pais em termos de ocupação, essa mobilidade social se concentra nos estratos mais baixos da classificação do instituto: são filhos de agricultores que ascendem para posições com trabalho manual, por exemplo. A mobilidade de longa distância, quando o indivíduo sai da base e atinge o topo, é pequena. Um terço das pessoas permanece no mesmo estrato social ao longo da vida, e apenas 16,9% delas pioram de condição. O estudo mostra que a mobilidade é menor entre pretos e pardos (65,1%) do que entre brancos (68,8%), tanto para cima como para baixo. Mas o branco tem o dobro de chance de conseguir fazer a migração social de longa distância. Mulheres têm maior mobilidade do que homens, tanto para melhor quanto para pior. (Mercado A26)

Para PT, Lula será inscrito mesmo com condenação
A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que o partido inscreverá Lula como candidato à Presidência independentemente do resultado do seu julgamento em segunda instância, marcado para 24 de janeiro. Para especialista consultado pela sigla, uma contestação da candidatura só será discutida na Justiça após o registro, em agosto. Integrantes do Tribunal Superior Eleitoral dizem que ela seria julgada antes do primeiro turno. (Poder A4 a A6)

Demétrio Magnoli
Justiça está sob ameaça com Lei da Ficha Limpa
A tão celebrada Lei da Ficha Limpa ameaça violar a separação entre justiça e política. O processo do tríplex de Guarujá lança luz sobre esse risco. A hipótese de Lula ser declarado culpado nas urnas e inocentado nos tribunais não seria aberrante. O contrário indica aputrefação do tecido social. (Poder A8)

Foto- legenda: Lotado
Com descontos agressivos, leilão de linhas de transmissão atrai grande interesse em SP, e expectativa é que sejam aportados R$ 8,7 bilhões; na estreia das ações da BR Distribuidora na Bolsa, papéis subiram 6,67%
(Mercado A26 e A27)

Currículo comum para escolas fica perto de vigorar
O Ministério da Educação deve homologar a Base Nacional Comum Curricular na terça (19). A norma, válida para a educação infantil e para o ensino fundamental, prevê o que escolas públicas e privadas devem ensinar a cada ano. O conteúdo do ensino médio será discutido no ano que vem. (Cotidiano B1)

Fifa suspende Del Nero da chefia da CBF por 90 dias
O comitê de ética da Fifa baniu do futebol, por 90 dias prorrogáveis por mais 45, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Marco Polo Del Nero. Del Nero é acusado na Justiça dos Estados Unidos de participar de um esquema de recebimento de propinas com outros cartolas na América do Sul. Ele nega irregularidades. 9Esporte pág. 1)

Congresso do Peru abre ação para depor presidente
O Congresso do Peru abriu processo visando depor o presidente do país, Pedro Pablo Kuczynski. Ele é acusado de receber US$ 5 milhões da Odebrecht de 2004 a 2013. O mandatário nega e descarta renunciar. A moção para deposição foi apresentada pela oposição, que aponta registros de pagamentos feitos pela construtora brasileira. (Mundo a16)

Editoriais
Leia “Pedágio na internet”, sobre quebra da neutralidade da rede nos EUA, e “Demografia prisional”, acerca de aumento da população carcerária (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.