O Globo

Manchete: Governo aumenta subsídios, e conta de luz fica mais cara
Aneel aprova mais R$ 1,9 bi em encargos. Desde 2014, consumidor já pagou R$ 70 bi em subvenções
A conta de luz paga pelos brasileiros vai incluir, neste ano, o maior valor em subsídios desde 2015: a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem aumento de R$ 1,9 bilhão nos encargos do setor e, assim, a taxa embutida na tarifa de energia passa de R$ 16 bilhões para R$ 17,9 bilhões em 2018. De 2014 até agora, os consumidores brasileiros já pagaram R$ 70 bilhões de subsídios nas contas de luz, o que corresponde a duas hidrelétricas de Belo Monte. A principal razão para o aumento este ano é o custeio das distribuidoras da Eletrobras no Norte e no Nordeste, deficitárias, que o governo tenta privatizar. (PÁGINA 19)

Condenado em 2ª instância, Garotinho pode se tornar inelegível
Decisão do TRF-2 foi unânime. Justiça Eleitoral deve avaliar se candidato do PRP será declarado ficha-suja
O candidato ao governo do Rio Anthony Garotinho (PRP) foi condenado ontem pelo TRF-2, por unanimidade, pelo crime de formação de quadrilha. Como o registro da candidatura ainda não foi avaliado pela Justiça Eleitoral, Garotinho não pode ser declarado ficha-suja. A decisão é do TRE, e cabe recurso ao TSE. (PÁGINA 4)

Colunistas
MERVAL PEREIRA
Chapa do PT é chamada de ‘sítio de Atibaia’ (PÁGINA 2)

ELIO GASPARI
É empulhação dos hierarcas tentar culpar quem paga impostos (PÁGINA 3)

ROBERTO DAMATTA
Tragédia é resultado da eleição de governantes ignorantes (PÁGINA 3)

Custo pessoal
87% para pessoal
A UFRJ,responsável pelo Museu Nacional, destruído por incêndio no domingo, consumiu com pessoal 87% do orçamento de 2017. Desde 2013, o gasto com servidores cresce acima da inflação, ao contrário das despesas com investimentos e custeio. Especialistas veem excesso de funcionários. (PÁGINA 9)

MP denuncia Haddad, acusado de corrupção (PÁGINA 8)

Países pressionam Venezuela a aceitar ajuda humanitária
Reunidos em Quito, representantes de 11 países, incluindo o Brasil, emitiram um documento que exorta o presidente Nicolás Maduro a aceitar a colaboração dos governos da região e de organismos internacionais para enfrentar a crise migratória que atinge o país. (PÁGINA 24)

Países se dividem entre preservação ou caça às baleias (PÁGINA 27)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Apesar das críticas de candidatos, benefício fiscal subirá R$ 23 bi
Previsão é de que governo abrirá mão de R$ 306,4 bi de arrecadação em 2019
As renúncias tributárias, como desonerações e incentivos fiscais concedidos pelo governo a empresas, entidades filantrópicas e pessoas físicas, terão crescimento de R$ 23 bilhões em 2019 e vão atingir R$ 306,4 bilhões no primeiro ano de mandato do próximo presidente da República. Apesar de a maior parte dos candidatos se declarar contra os incentivos, estimativa da Receita Federal encaminhada ao Congresso como parte do projeto de lei orçamentária aponta que a União vai abrir mão de 4,2% do PIB. Os R$ 23 bilhões representam quase 80% do dispêndio anual projetado para o Bolsa Família. O aumento dos “gastos tributários” da União – alguns deles previstos na Constituição, como os incentivos da Zona Franca de Manaus – será de 8% em relação aos R$ 283,4 bilhões previstos para 2018. A correção do teto de gastos, mecanismo que proíbe que as despesas cresçam em ritmo superior à inflação, será de 4,39% para 2019. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Luz vai subir para bancar subsídio
Para custear despesas com programas sociais, descontos tarifários e empréstimos para o setor, conta de energia elétrica terá reajuste de até 1,6%. (PÁG. B4)

Prisão de PMs constrange campanha de Bolsonaro
Os irmãos gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, PMs que participavam de eventos da campanha do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), candidato ao Senado e filho de Jair Bolsonaro, foram presos em operação que investiga suposta quadrilha de policiais especializada em extorsões. Ontem, Flávio negou que os irmãos integrassem a sua campanha. Segundo integrantes da equipe do deputado, os PMs davam apoio de segurança. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Promotoria denuncia Haddad
O ex-prefeito Fernando Haddad, provável candidato à Presidência pelo PT, foi denunciado pelo MP de SP pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. (PÁG. A6)

‘Entre coxinhas e mortadelas, sou mortadela’
Ciro Gomes (PDT) lamentou, na Estadão-Faap Sabatinas, a polarização política do País e disse que PT e PSDB “se afundaram na falta de projeto”. (PÁG. A8)

Governo e UFRJ trocam acusações sobre verba de museu
Enquanto o governo federal sustenta que não faltam recursos para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), responsável pelo Museu Nacional, destruído em incêndio no domingo, a reitoria da universidade diz que seu orçamento caiu nos últimos dez anos – e, consequentemente, os repasses ao museu. Ministérios apontam que as verbas para o Museu Nacional caíram 43% de 2013 a 2017. Segundo a UFRJ, queda foi de 35%. (METRÓPOLE / PÁGS. A14 e A15)

Candidato, Eunício aprova R$ 320 mi para reduto eleitoral
Candidato à reeleição, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), aprovou, na primeira sessão da Casa em quase um mês, empréstimo de R$ 320 milhões para Caucaia, no Ceará, seu reduto eleitoral. Senadores do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina também conseguiram a liberação de empréstimos semelhantes para suas regiões. Eunício não comentou, mas foi às redes sociais comemorar a aprovação da verba. (POLÍTICA / PÁG. A10)

Marun vira alvo de investigação no STF (POLÍTICA / PÁG. A11)

Câmara aprova MP para renegociar dívida rural (ECONOMIA / PÁG. B3)

Gilmar manda soltar ex-presidente da Dersa (POLÍTICA / PÁG. A11)

Monica De Bolle
Entre o voto de Fachin, o incêndio no Museu Nacional e o tempo de TV que se inicia, vejo a desordem instalada. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Notas & Informações
Empreitada antidemocrática
Além dos inúmeros problemas que o aguardam, o futuro governante terá de lidar com a irresponsabilidade e a truculência de petistas e bolsonaristas. (PÁG. A3)

Os donos do incêndio
Tragédia ensina que irresponsabilidade com dinheiro público causa graves danos ao País. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Instabilidade avança sobre emergentes, e dólar se valoriza mais
Perspectiva de recuperação sustentada dos EUA também fortalece moeda, que fecha dia em R$ 4,155; Bolsas recuam
Reflexo de notícias que apontam para recuperação mais sustentada da economia dos EUA, com perspectiva de elevação dos juros, as principais moedas de países emergentes tiveram ontem nova desvalorização ante o dólar. O acirramento de fragilidades econômicas nessas nações também contribuiu. A África do Sul anunciou sua primeira recessão desde 2009 e se somou ao grupo de emergentes em crise, que inclui Argentina e Turquia. O dólar valorizou-se em relação a 22 de 24 divisas emergentes. Diante do real, a alta foi de 0,07%, e amoeda americana fechou a R$ 4,155. O dia foi negativo nas Bolsas mundiais — no Brasil, houve recuo de 2%. (Mercado A19)

Trabalho de pesquisadores foi destruído por incêndio
Com a perda de boa parte do acervo do Museu Nacional, relevante centro de pesquisa no Rio, o trabalho de centenas de pós-graduandos foi prejudicado. Estima-se que 70% de alunos e professores tenham tido pesquisas afetadas pelo incêndio. Também foram destruídos laboratórios e salas para esses estudos. (Cotidiano B1)

Responsável por museu, UFRJ tem improviso e edifício precário (B4)

Por que tantos em Wall Street torcem por Bolsonaro?
ANÁLISE – Brian Winter
Os investidores estrangeiros , como muitos brasileiros , querem crer na possibilidade de um salvador. Para a parte de Wall Street que investe no Brasil, o ano foi horrível. (Eleições 2018 A10)

Terceirização irrestrita causa dúvidas entre empregadores
A liberação pelo STF da terceirização de todas as atividades da empresa provocou dúvidas entre patrões. Eles têm consultado advogados para saber se é possível demitir celetistas e contratá-los como pessoas jurídicas. (Mercado A17)

Alckmin culpa metodologia por queda da educação de SP
O ex-governador e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) atribui à metodologia do Ministério da Educação, que não inclui escolas técnicas no Ideb, a perda da liderança de SP no ranking. A pasta diz que não houve mudanças. (Cotidiano B2)

Ex-governador se contradiz sobre encontro suspeito
Apesar de ter refutado publicamente reunião com delator da Odebrecht que o acusa de caixa 2, Geraldo Alckmin confirmou o encontro à PGR. Em depoimento em julho de 2017, sua defesa mencionou a reunião. O tucano nega contradição. (Eleições 2018 A4)

Marina faz ataque ao discurso fácil durante campanha
A presidenciável Marina Silva (Rede) criticou rivais que “abrem a j anela do promessômetro”, usando o “discurso fácil” para atrair o eleitor. A forma como se ganha determina a forma como se governa, disse em sabatina da Folha em parceria com UOL e SBT. (Eleições 2018 A10)

Editoriais
Decepção tucana
Acerca de resultado do ensino básico em São Paulo.

Décadas perdidas
Sobre perspectiva de estagnação da renda do país. (Opinião A2)
————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.