O Globo

Manchete : Governo federal propõe reforma das carreiras do Executivo
Folha salarial é a segunda maior despesa da União. Estrutura complexa dificulta realocar servidores
Problema fiscal tão grave quanto o da Previdência, que custará R$ 593 bilhões aos cofres públicos em 2018, a folha de salários é a segunda maior despesa da União. O gasto com 1,275 milhão de servidores do Executivo será de R$ 300 bilhões.
O Ministério do Planejamento, em plano a ser apresentado ao próximo presidente, propõe reduzir o número de carreiras (são 309 hoje),aumentar o tempo de progressão até o teto salarial e reduzir a remuneração inicial. Advogados da União chegam ao topo da carreira em seis anos. Um em cada seis servidores está em idade de se aposentar, o que exigirá renovação, mesmo com as restrições fiscais.(Págs. 21 e 22)

Na ONU: Trump ataca globalização, faz autoelogio e arranca risos (Pág. 26)

Paes lidera, com 24%; Garotinho e Romário estão empatados (16%)
Pesquisa do Ibope mostra o ex-prefeito Eduardo Paes à frente na disputa para o governo do Rio, com 24% das intenções de voto. O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) subiu quatro pontos e chegou a 16%, mesmo percentual do senador Romário (Podemos), que antes tinha 18%. (Pág. 10)

Líderes: alta rejeição e baixo patamar de votos
Bolsonaro e Haddad têm a maior rejeição desde 1994 e o menor patamar de votos de líderes em pesquisas desde 2002. (Pág. 4)

Elio Gaspari
Busca pelo centro será exercício de acrobacia (Pág. 3)

Merval Pereira
Voto de protesto pode afetar resultado (Pág. 2)

Nos estados, tucanos ensaiam aderir a Bolsonaro (Pág. 6)

Itamaraty relatou denúncia de ex-mulher em 2011 (Pág. 6)

Dodge pede que inquérito de Temer seja suspenso
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o ministro Edson Fachin, do STF, suspenda inquérito que investiga pagamento de propina ao presidente Michel Temer, revelado por executivos da Odebrecht, até o fim de seu mandato no Planalto. (Pág. 11)

Em dia de greve geral, presidente do BC renuncia (Pág. 23)

Com medo de arrastão, cariocas evitam os túneis (Pág. 12)

Hora de lacrar
A dez dias das eleições, as urnas eletrônicas estão sendo preparadas, como em Curitiba (foto). A lacração é o processo que abastece as urnas com dados dos candidatos. (Capa)
————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Adversários tentam pegar carona em ato anti-Bolsonaro
Com candidato do PSL consolidado nas pesquisas, opositores aderem a movimentos de mulheres contra ele
Com o candidato do PSL a presidente, Jair Bolsonaro, consolidado na liderança da mais recente pesquisa Ibope/Estado/ TV Globo, seus principais adversários enxergam no ato apartidário das mulheres contra ele uma última oportunidade de desgastar sua candidatura antes do primeiro turno. Desde ontem, eles tentam pegar carona no movimento #EleNão, liderado por mulheres e contrário ao deputado do PSL. A campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) usou a hashtag no programa eleitoral de ontem na TV. Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL) avaliam participar dos atos agendados para o fim de semana. Haverá manifestações em 24 Estados brasileiros e em cidades como Nova York, Londres e Buenos Aires. Criado no início do mês, o grupo “Mulheres unidas contra Bolsonaro” já conta com 3,2 milhões de participantes. Nesse período, ganhou notoriedade e, há 10 dias, foi hackeado e transformado em “Mulheres com Bolsonaro”. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Petista responde a 8 ações
Fernando Haddad (PT) é alvo de oito processos na Justiça decorrentes de sua gestão como prefeito de São Paulo (2013-2016) e da sua eleição à Prefeitura em 2012. O candidato à Presidência nega irregularidades. (PÁG. A8)

Em SP, Haddad e Alckmin estagnados
Pesquisa Ibope/Estado/TV Globo feita com eleitores paulistas mostra Jair Bolsonaro (PSL) na liderança da corrida presidencial em São Paulo e queda de Fernando Haddad (PT). Bolsonaro passou de 30% para 33%. Empatados tecnicamente, Geraldo Alckmin (PSDB) foi de 13% para 14%, Haddad, de 13% para 12% e Ciro Gomes (PDT), de 8% para 10%. (PÁG. A10)

Skaf tem 24% e Doria, 22%, diz Ibope
Os candidatos ao governo de São Paulo João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) continuam tecnicamente empatados em primeiro lugar, mostra pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada ontem. Em relação ao levantamento anterior, Skaf ficou estável, com 24%, e Doria oscilou negativamente em um ponto, para 22%. Márcio França (PSB) cresceu três pontos e alcançou 12%. (PÁG. A10)

‘Vamos oferecer ao eleito uma reforma para a Previdência’
Arminio Fraga, economista
Arminio Fraga disse a Vera Magalhães que grupo coordenado por ele prepara plano de reforma da Previdência que permitiria economia de R$ 110 bilhões por ano. “Próximo presidente terá de promover ajuste fiscal de 6 pontos do PIB.” (ECONOMIA / PÁG. B3)

Crise na construção civil trava retomada de investimentos no País
Após praticamente 51 meses de perdas acumuladas, a construção civil ficou estagnada em julho ante o mesmo mês de 2017, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Já a compra de máquinas e equipamentos teve crescimento de 14,1% em julho. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Atraso bate recorde no Fies e dívida soma R$ 20 bi
Os contratos em atraso do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) atingiram número recorde. De 727.522 em fase de amortização em junho, 416.137 (57,1%) estão com atraso de pelo menos um dia. A dívida já chega a R$ 20 bilhões. O Comitê Gestor do Fies deve discutir novo modelo de renegociação. (METRÓPOLE / PÁG. A14)

Na ONU, Trump ataca Venezuela e Irã (INTERNACIONAL / PÁGS. A12 e A13)

Argentina tem dia de greve; chefe do BC cai (ECONOMIA / PÁG. B7)

Monica de Bolle
Com Haddad ou Bolsonaro, é provável que o Brasil fique ingovernável, dada a rejeição a ambos. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Notas&Informações
A responsabilidade dos omissos
Bolsonaro vicejou porque os que deveriam fazer oposição política real ao PT quando este se esbaldava no poder preferiram se omitir. O PSDB tomou o caminho da autodestruição. (PÁG. A3)

A Constituição para o futuro
A Constituição precisa acompanhar a evolução do País com texto mais enxuto, preciso e perene. (PÁG. A3)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Bolsonaro ameaçou sua ex-mulher, diz documento
Ana Cristina afirmou ao Itamaraty que foi para a Noruega por medo de ser morta
Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), afirmou ao Itamaraty que foi ameaçada de morte por ele, o que a levou a deixar o país. O relato consta de telegrama de 2011 arquivado no ministério. Na época, o deputado e Ana Cristina travavam disputa judicial sobre a guarda do filho, Renan, então com cerca de 12 anos. “A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há dois anos [em 2009] ‘por ter sido ameaçada de morte’ pelo pai do menor”, diz o telegrama, assinado pelo então embaixador brasileiro na Noruega, Carlos Henrique Cardim. Ele disse ter escrito o conteúdo a partir de informações do vice-cônsul do Brasil no país europeu, que teria falado com Ana Cristina. Hoje candidata a deputada federal utilizando o sobrenome Bolsonaro, Ana Cristina afirma que foi seu marido norueguês, e não ela, quem conversou com o vice-cônsul e que ele “não disse nada disso”, em referência à ameaça de morte. Procurado, Bolsonaro não se pronunciou sobre o caso até a conclusão desta edição. (Eleições 2018 A4)

Deputado aceita, se eleito, que Ilan Goldfajn continue à frente do Banco Central (A19)

Fracassa reunião entre candidatos do centro em SP
Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) desistiram de encontro com Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dia (Podemos), articulado pelo advogado Miguel Reale Jr., para tratar da possibilidade de união em torno de candidatura única do centro. (Eleições 2018 A10)

Eleições 2018
Maria H. T. de Almeida
Democracia corre risco, que vem da extrema direita (A8)

Bolsonaro quer educação moral e cívica na escola (A9)

Folha, UOL e SBT fazem debate com candidatos (A10)

STF determina prisão do senador Acir Gurgacz (A14)

Trump esnoba o globalismo em discurso patriótico na ONU
Em discurso recheado de autoelogios a seu governo na Assembleia Geral da ONU, o presidente americano, Donald Trump, rejeitou “a governança global, o controle e a dominação” e defendeu o direito ao isolacionismo. (Mundo A15)

Em meio à greve, chefe do BC argentino renuncia
Em meio à greve geral na Argentina, e com a cúpula do governo Mauricio Macri nos EUA, o presidente do Banco Central, Luis Caputo, apresentou sua renúncia. Segundo a instituição, a motivação é pessoal. O substituto é Guido Sandlers, ex-secretário da Fazenda e homem de confiança do ministro Nicolás Dujovne. Enquanto o presidente Macri discursava na ONU e reunia-se com empresários em Nova York, Buenos Aires viveu a quarta greve geral da gestão, iniciada em 2015. Foram suspensos serviços de transporte público, aeroportos, bancos, escolas, parte do comércio e coleta de lixo. A saúde funcionou apenas em emergência. (Mundo A16)

Governo paulista quer paralisar obras do Rodoanel norte
O governo paulista quer paralisar por um ano e meio obras do trecho norte do Rodoanel, que tem custo de quase R$ 10 bilhões. Responsável pelas obras viárias em SP, a Dersa não explicou a razão. Relatórios apontaram risco às estruturas já feitas. (Cotidiano B1)

Patrícia C. Mello
Em NY, Trump e Temer falam de mundos irreais (Mundo A15)

Editoriais
Como elas votam
Sobre peso inédito do eleitorado feminino no pleito (A2)

Lentidão no metrô
A respeito de duas novas estações em São Paulo (A2)
————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.