O Globo

Manchete : PMDB, PT e PSDB são os que mais perdem deputados
Prazo para mudança termina no próximo sábado
Governadores e ministros que saem para se candidatar podem entrar na mira da Lava-Jato ao perderem foro privilegiado
A seis dias do fim do prazo para o troca-troca partidário, PMDB, PSDB e PT são as legendas que mais perderam parlamentares em busca de reeleição. Nos três partidos, mais deputados saíram do que se filiaram desde 8 de março, quando foi aberta a janela partidária. Também no próximo sábado se esgota o prazo para que governadores e ministros deixem os cargos, perdendo foro privilegiado e podendo, na primeira instância, entrar na mira da Lava-Jato. Em meio à mais nova crise, causada pela Operação Skala, o presidente Michel Temer reuniu aliados ontem para discutir a reforma ministerial: 14 ministros sairão. (PÁGINA 3)

Vácuo legal permite venda de dados de eleitores
A legislação brasileira não é clara sobre a venda de bancos de dados de eleitores, o que, na avaliação de especialistas, possibilita que candidatos lancem mão de dados privados nas campanhas. Segundo o ministro Admar Gonzaga, o TSE está pronto para combater fake news. (PÁGINA 4)

Supermercados e indústria se unem contra crise
No Rio, devido à crise, as vendas nos supermercados caíram 1% em 2017. Em busca da estabilidade este ano, setor faz parceria com a indústria para garantir preços menores. (PÁGINA 17)

CPI dos Ônibus termina sem resultados
Após 5 meses, CPI dos Ônibus chega ao fim na Câmara de Vereadores do Rio sem apontar irregularidades ou mudanças no modelo de concessão. (PÁGINA 6)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Centrão ganha força no balcão de negócios da Câmara
DEM, PP, PSD, Podemos e PROS são as legendas que mais ganham deputados na janela para troca de partidos
Na última semana do prazo legal para que parlamentares mudem de partido, um balcão de negócios se instalou na Câmara e a tendência é de fortalecimento das legendas do centrão. O troca-troca – que tem como base a divisão dos recursos dos fundos eleitoral e partidário – aponta para menor renovação nas eleições de outubro. Na primeira eleição geral após o veto às doações empresariais, o argumento para atrair deputados tem sido a garantia de que quem tem mandato receberá mais recursos.
E a fatia prometida para bancar reeleições tende a ser maior nos partidos que não lançarão candidato à Presidência, já que o gasto de uma campanha ao Planalto é estimado em R$ 70 milhões. “Todos os médios e grandes partidos estão oferecendo algo em torno de R$ 2 milhões”, disse o deputado pelo Paraná Alfredo Kaefer, que trocou o PR pelo PSL de Jair Bolsonaro. Siglas como PP, PSD, DEM, Podemos e PROS somam mais ganhos do que perdas. PSB, MDB, Rede e PR estão encolhendo. (Política / Pág. A4)

‘Janeleira’ do Podemos
A deputada Renata Abreu (SP), presidente do Podemos, foi apelidada de “janeleira” pelos colegas. A legenda, que tinha 4 deputados em 2015, conta com 18 parlamentares e deve chegar a 22. (Pág. A4)

Rescaldo olímpico
TCU manda Comitê Rio-2016 pagar obras (Pág. A18)

Secretário assume Planejamento
O Palácio do Planalto confirmou o nome de Dyogo Oliveira, hoje ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, para a presidência do BNDES. Por sugestão de Oliveira, foi escolhido para substituí-lo o atual secretário executivo da pasta, Esteves Colnago. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tentava emplacar no cargo o secretário de Acompanhamento Fiscal da Fazenda, Mansueto Almeida. (Economia / Pág. B9)

Febre amarela: sobrevida após transplante é de 43%
Dos 21 pacientes com febre amarela que foram submetidos a transplante de fígado em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, nove sobreviveram. A troca do órgão em pacientes
infectados com a doença nunca havia sido feita. A primeira cirurgia ocorreu em 30 de dezembro, no Hospital das Clínicas de São Paulo, com a engenheira civil Gabriela Santos da Silva, de 27 anos. Três meses depois do procedimento que salvou sua vida, ela está fora de risco, mas luta para reverter as sequelas neurológicas provocadas pelo vírus. (Metrópole / Págs. A14 e A15)

Dois em cada 3 brasileiros querem intervenção
Dois em cada três brasileiros apoiariam uma intervenção federal na segurança pública em seu Estado, segundo pesquisa do Instituto Ipsos feita em parceria com o Estado. Na média, 75% são a favor da medida adotada no Rio. O apoio a eventual intervenção é maior entre a população da Região Norte: 80%. O Ipsos perguntou quem mais teria a ganhar com a medida no Rio. Em primeiro lugar ficou a opção “o cidadão” (33%) e, em segundo, “o presidente Michel Temer” (18%). Foram ouvidas 1,2 mil pessoas em 72 municípios, entre 10 e 13 de março. A margem de erro é de três pontos porcentuais. (Metrópole / Pág. A13)

Trump nega benefício para jovens ilegais
O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que não haverá acordo para legalizar cerca de 800 mil imigrantes levados ao país ainda crianças. Ele ameaçou acabar com o Nafta se o México não frear o fluxo de pessoas. (Internacional / Pág. A9)

Crédito imobiliário cai pela metade
O volume de crédito para financiar a compra e a construção da casa própria com dinheiro da poupança caiu pela metade. O montante acumulado em 2017 foi de R$ 83 bilhões, ante os R$ 168 bilhões de 2014, segundo o Banco Central. (Economia / Págs. B1 e B4)

China sobretaxa produtos dos Estados Unidos
Pequim vai impor, a partir de hoje, tarifas de até 25% sobre produtos dos EUA, como carne suína e frutas. A medida é uma retaliação à decisão do presidente Donald Trump de sobretaxar a importação de aço e alumínio da China. (Economia / Pág. B8)

Cida Damasco
Há sérias dúvidas quanto ao comportamento de Michel Temer no governo, caso venha uma terceira denúncia. (Economia / Pág. B9)

Notas & Informações
Quem paga esse rombo
O adiamento, pela Câmara Municipal, da tramitação do projeto de reforma do sistema de previdência de São Paulo poderá ter consequências graves para a cidade e para sua população. (Pág. A3)

Rigidez e ineficiência
O regime fiscal engessou de tal modo o Orçamento que pouco sobra para ser aplicado em programas e projetos novos. (Pág. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Um em três cariocas diz ter ficado em meio a confronto
Maioria dos moradores teme bala perdida e quer sair do Rio, mostra Datafolha
Um terço dos moradores da cidade do Rio diz ter estado no meio de um confronto a tiros nos últimos 12 meses, e 9 em cada 10 afirmam ter medo de tiroteio, bala perdida ou de morrer em assalto, mostra pesquisa Datafolha feita em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Quando o tema é estar no meio do fogo cruzado entre bandidos e polícia, 39% acreditam que há muita chance de isso acontecer. E 3 em 4 moradores relatam terem ouvido tiroteio nos últimos 12 meses . A pesquisa aponta que 73% dos moradores gostariam de deixar a cidade. O Rio é a capital brasileira com maior número absoluto de crimes violentos. Em 2016 foram registrados 1.446 assassinatos. Proporcionalmente, é a 21ª capital mais perigosa, com 22,6 mortes por 100 mil habitantes. As respostas dos entrevistados refletem temor mais difuso que em outros locais. “No Rio, as pessoas têm medo mesmo em lugares onde deveriam se sentir seguras, como em casa”, afirma a pesquisadora Samira Bueno, diretora do fórum. Em consequência da escalada de violência, o estado do Rio está sob intervenção federal na segurança desde fevereiro. (Cotidiano b1)

Rosa Weber nega habeas corpus na maioria das vezes
Dona do voto que pode definir o futuro do ex-presidente Lula no plenário do STF nesta semana, a ministra Rosa Weber negou, em 58 casos, a liberdade a 57 condenados que recorreram à corte para se livrar da cadeia nos últimos dois anos, mostra o levantamento feito pela Folha. (Poder a4)

Governo dá apoio a cobrança de imposto sindical
O Ministério do Trabalho defende cobrança do imposto sindical dos trabalhadores de uma categoria após aprovação em assembleia. Nota técnica de secretaria da pasta apoia a cobrança, voluntária desde novembro. Setor patronal diz que desconto dependerá de autorização individual. (Mercado a14)

‘Privacidade digital é base para democracia’
ENTREVISTA DA 2ª Birgit Sippel
Relatora de uma legislação sobre privacidade digital na Europa, a parlamentar alemã Birgit Sippel diz que proteger os dados e as comunicações digitais é fundamental para a democracia. “Você precisa ter o direito à livre escolha, e isso hoje passa necessariamente pela privacidade digital.” Uma nova lei de proteção de dados entra em vigor em maio na Europa. (Pág. a10)

No Peru, apuração de corrupção ligada à Odebrecht varia de acordo com política (Mundo a7)

Importante doador para preservação da Amazônia, Noruega financia frigoríficos (Ciência b6)

Sob Dória, aplicação de inseticida contra Aedes aegypti sofre queda em São Paulo (Cotidiano b3)

Editoriais
Leia “Adiando o inadiável”, sobre reforma da Previdência paulistana, e “O mecanismo da disputa”, a respeito da série televisiva inspirada na Lava Jato. (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.