O Estado de S. Paulo

  • Crise derruba renda de microempreendedor para um salário
  • ‘Tem havido um desmonte da legislação social’
  • Gilmar trava ações sobre indexador de dívidas trabalhistas
  • ‘Estrangeiro não tem pressa de voltar ao País’

O Globo

  • Com queda dos juros, saque emergencial do FGTS é menos atrativo
  • Erro leva o governo a pagar benefício emergencial menor
  • TCU: auxílio emergencial de 620 mil é irregular
  • Mais de 130 políticos com alto patrimônio receberam R$ 600

Folha de S. Paulo

  • Gilmar suspende ações trabalhistas sobre índices de correção
  • Entregadores organizam paralisação e movimento chega a capitais latinas
  • Senado avalia teto para juros de cartão de crédito e cheque especial
  • Contribuinte tem até esta terça-feira para declarar o IR
  • Escolas privadas sofrem com inadimplência

Jornal do Commercio

Um congresso recheado de pautas-bombas

Ao menos 102 projetos de lei que podem reduzir receita do governo federal em momento de aumento de gasto estão em debate. Somente 11 dos mais de 100 projetos de lei podem reduzir em R$ 105 bilhões a arrecadação federal.
Em meio ao aumento de gastos para amenizar a crise econômica causada pela pandemia da covid-19, ao menos 102 projetos de lei que podem reduzir a receita do governo – e, portanto, os recursos para novas despesas – estão em debate no Congresso. Quase a totalidade não traz estimativa de impacto fiscal – alguns pedem para que o corpo técnico do Congresso faça as projeções. Cálculos do Centro de Liderança Pública (CLP) mostram que só 11 projetos já reduziriam a arrecadação anual em R$ 105 bilhões, valor que sustentaria o Bolsa Família por até 3 anos e meio. O levantamento considera os projetos apresentados desde o ano passado. Do total, 42% têm alta ou média chance de ir à votação, e 78%, impacto considerado médio ou alto para os cofres públicos. “Algumas medidas não têm impacto financeiro muito relevante, mas passam péssima mensagem em um momento em que o Estado precisa controlar as contas públicas”, diz Tadeu Barros, diretor de operações do CLP. Na avaliação de economistas, qualquer debate feito neste momento sobre a possibilidade de abrir mão de receita precisa considerar medidas compensatórias. “Se não conseguirmos manter equilibradas as contas públicas em 2021, não vamos conseguir manter os juros baixos, que serão os responsáveis pela recuperação”, diz o economista Pedro Schneider, do Itaú.

Valor Econômico

  • Tecido com prata ataca corona e ativa negócio
    Pequena empresa do interior paulista fecha parcerias para vender produto que evita covid-19
  • Codefat estuda estender seguro-desemprego durante crise
    Medida proposta por representantes sindicias seria válida por dois meses para quem perdeu o emprego durante a pandemia e custaria R$ 16,1 bilhões até o fim do ano
  • Demanda fraca e dólar forte derrubam preços de importação
    Queda foi mais acentuada em maio e chegou a 11,3% em relação ao mesmo mês de 2019
  • Justiça nega teletrabalho obrigatório a servidores federais
    Juíza nega pedido sob argumento de que não cabe ao Judiciário fazer juízo de valor sobre acerto ou não de medidas administrativas
  • MP que ampliaria contratação de servidor temporário perde validade
    Presidente da Câmara barrou a Medida Provisória 922 a pedido da oposição e proposta caducará por não ter sido votada
  • Brasil é o quinto país com maior dificuldade para o home office
    Estudo do MIT indica países com melhores condições de prosperar economicamente em meio ao lockdown e distanciamento social
  • Boas perspectivas para um produtor confiável
    Novo Outlook da Fiesp prevê avanços para o agronegócio brasileiro na próxima década, mas há riscos
  • Cresce demanda por armazém temporário de açúcar
    Aumento da produção do adoçante aqueceu as vendas de grupos como Tópico e Reconlog
  • Apesar de ruídos, investidor vê política com ‘sangue frio’
    Apoio do Centrão ao governo e popularidade resiliente amenizam preocupações
  • Turbulência no mercado de câmbio aumenta pressão no Banco Central
    Na sexta, o dólar comercial fechou em alta de 2,34%, aos R$ 5,4609, depois de tocar R$ 5,4930 na máxima do dia, apesar de atuação do Banco Central
  • STF volta a analisar tributação sobre salário-maternidade
    O prejuízo aos cofres públicos pode chegar a R$ 6,5 bilhões, se a União tiver que devolver o valor pago nos últimos cinco anos
  • Hora de reforçar o caixa
    Grandes empresas ficam com maior parte dos novos empréstimos liberados durante a pandemia, três vezes mais que as MPMEs
  • Para produtor, plano safra tem bom alcance, mas juros elevados
    Taxas do crédito rural caíram de 4,6% para 4,0% ao ano nas linhas de custeio do Pronaf
  • Soluções antecipam ocorrência de fraude
    Fornecedores de TI têm ampla oferta de sistemas de reconhecimento
  • Atraso do fundo garantidor afeta os pequenos empreendedores
    Mais de 85% das MPEs tiveram seus pedidos de crédito negados ou estão em análise, segundo o Sebrae
  • Cooperativas atendem demandas com análise de risco personalizada
    Sistema contempla cerca de 12 milhões de cooperados, entre pessoas físicas e jurídicas
  • Renegociação e tecnologia atenuam inadimplência
    Ferramentas identificam consumidores mais propensos a quitar suas dívidas
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.