O Globo

Manchete: Bolsonaro sofre atentado a faca; presidenciáveis repudiam violência
Candidato do PSL é atingido durante campanha em Juiz de Fora
Operado de emergência, está internado na UTI em estado grave
Presidentes dos três Poderes condenam o ataque à democracia
O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, líder nas pesquisas, sofreu um atentado a faca ontem, enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG). Eram 15h30m quando um homem se infiltrou entre os apoiadores e golpeou o abdômen de Bolsonaro, que era carregado nos ombros por seus eleitores. Ele gritou, levou as mãos ao ferimento e caiu para trás. Levado para a Santa Casa da cidade, chegou ao hospital correndo risco de morrer. Os médicos constataram que o candidato tinha lesões graves, que provocaram forte hemorragia. Bolsonaro foi operado de emergência e levado para a UTI. Seu estado de saúde ontem à noite era estável, mas grave, e estava prevista transferência para São Paulo. O agressor, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, preso em flagrante, disse à polícia que agiu por conta própria. Todos os presidenciáveis repudiaram o atentado. Os presidentes dos três Poderes pediram investigação rápida. O presidente Michel Temer disse que o crime é “intolerável, triste e lamentável”. (PÁGINAS 4 a 12)

Cirurgia estanca hemorragia de intestinos e veia lesionados
Com quatro perfurações nos intestinos, além de uma veia no abdômen atingida, Bolsonaro corre risco de complicações. (PÁGINA 6)

Dor e silêncio na espera por socorro na padaria
Expressando dor e sem falar nada, Bolsonaro esperou a chegada do socorro no chão de uma padaria, relata MARCO GRILLO. (PÁGINA 7)

Adélio Bispo de Oliveira diz que agiu ‘a mando de Deus’ (PÁGINA 8)

Colunistas
MERVAL PEREIRA
Bolsonaro, para eleitores, se iguala a Lula como mártir (PÁGINA 2)

BERNARDO MELLO FRANCO
Momento de esfriar os ânimos (PÁGINA 6)

ASCÂNIO SELEME
Onda de intolerância vem de 2002 (PÁGINA 10)

JOSÉ CASADO
Efeitos políticos do ato são imprevisíveis (PÁGINA 11)

PEDRO DORIA
Você, eleitor, não odeie o adversário (PÁGINA 11)

MÍRIAM LEITÃO
País tem que fazer o caminho de volta ao diálogo (PÁGINA 22)

TRE nega registro de candidatura a Garotinho
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou o pedido de registro da candidatura de Anthony Garotinho(PRP) ao governo do Rio, por ele ter sido condenado por improbidade administrativa, em julho. Garotinho disse que vai recorrer ao TSE. Até o julgamento nessa instância, ele pode continuar com a campanha. (PÁGINA 13)

STF rejeita pedidos de Lula para se manter na disputa
A defesa do ex-presidente Lula sofreu duas derrotas no STF ontem. O relator da Lava-Jato na Corte, Edson Fachin, negou liminar para suspender a inelegibilidade por condenação do TRF-4, e Celso de Mello rejeitou outra liminar, que pedia a suspensão da decisão do TSE que negou registro à candidatura do petista. (PÁGINA 13)

Reajuste da gasolina passa a ser quinzenal
A Petrobras anunciou o fim dos reajustes diários no preço da gasolina, em vigor há mais de um ano, passando a adotar as correções a cada 15 dias. Apesar da mudança, a empresa informou que manterá a política de preços do combustível, que leva em conta a cotação internacional do petróleo e a variação do câmbio. (PÁGINA 21)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Bolsonaro é esfaqueado, passa por cirurgia e está na UTI
Atentado ao presidenciável do PSL aconteceu em Juiz de Fora (MG) durante ato de campanha • Agressor foi detido pela PF e permanece preso • Perfuração atingiu intestinos e artéria • Médicos tiveram de estancar hemorragia • Ataque aumenta indefinição eleitoral
O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, foi atingido por um golpe de faca na tarde de ontem, quando participava de evento de campanha em Juiz de Fora (MG). Líder nas pesquisas de intenção de voto, Bolsonaro era carregado por correligionários pelas ruas da cidade quando foi golpeado na altura do abdome pelo servente de pedreiro Adelio Bispo de Oliveira, preso em seguida por policiais federais.
O candidato foi levado para a Santa Casa de Misericórdia da cidade em estado de choque e com pressão muito baixa. Ele sofreu três perfurações no intestino delgado e uma lesão grave no intestino grosso – que teve parte retirada – e foi submetido a colostomia.
Bolsonaro sofreu ainda lesão na artéria mesentérica superior, que leva sangue da aorta ao intestino. À noite, o quadro de saúde era considerado grave e havia risco de infecção.
A um mês do primeiro turno, o ataque deixou mais imprevisível a eleição. Ontem mesmo, algumas campanhas começaram a rever estratégias, entre elas a tática de ataques ao candidato do PSL. Uma das maiores incógnitas é o tempo necessário para a recuperação clínica de Bolsonaro. Não há possibilidade de alta em menos de uma semana. A Polícia Federal vai rever os protocolos de segurança dos candidatos. (Política / Págs. A4, A6, A8 e A9)

Presidenciáveis repudiam ato de violência
Todos os candidatos à Presidência repudiaram ontem a violência contra Bolsonaro. Eles qualificaram como “inadmissível” o ataque ao candidato, cobraram rápida investigação e “exemplar” punição do responsável. Michel Temer também condenou o episódio. (Págs. A8 e A9)

Bolsa tem alta de 1,76% e dólar cai após ataque
O índice Bovespa fechou em alta de 1,76%, aos 76.416 pontos, após o ataque a Bolsonaro. O dólar fechou com baixa de 1,40%, a R$ 4,08. Analistas avaliam que o episódio pode enfraquecer a esquerda nas eleições. (Economia / Pág. B4)

Agressor pediu ‘pena de morte’ para o candidato
O servente de pedreiro Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, chegou a pedir “pena de morte” para o presidenciável nas redes sociais e chamou Bolsonaro de “traidor”. Em julho, praticou tiros no mesmo clube de tiro frequentado por dois filhos do candidato. Em 2013, Oliveira foi acusado de agredir um homem por causa de uma dívida. (Pág. A8)

Candidatos mudam estratégia de campanha (Pág. A9)

Ministro da Defesa diz que teme ‘intolerância’ (Pág. A6)

Geraldo Alckmin (PSDB)
‘PROBLEMA DO GOVERNO TEMER É O PRESIDENTE’
Geraldo Alckmin disse na Estadão-Faap Sabatinas que Michel Temer não tem legitimidade nem liderança. “Não votei no Temer. Era a chapa da Dilma.” (Política / Pág. A10)

IPCA tem primeira deflação em agosto em 20 anos
A inflação de agosto registrou queda de 0,09%, a primeira para o mês desde 1998. Para analistas, resultado ajuda a manter os juros em 6,5% até o fim do ano. (Economia / Pág. B1)

Eliane Cantanhêde
Campanha catatônica
O fato une os candidatos de todas as tendências e partidos na indignação. Mas é preciso que fique restrito ao que é, não ao que querem que seja. (Pág. A6)

Vera Magalhães
Começa uma nova campanha
O pleito mais imprevisível desde a redemocratização ganha componente inédito e dramático. O estado democrático de direito também foi golpeado. (Pág. A9)

Roberto Godoy
Golpe passou pela ‘fresta do azar’
O golpe de faca passou pelo que os agentes de segurança chamam de “fresta do azar”, pequeno espaço deixado entre os integrantes da equipe. (Pág. A6)

Notas & Informações
O perigo da anomia
Espera-se que os tribunais do País cumpram sua obrigação de guardiães da lei e não reconheçam ao senhor Lula da Silva o direito que ele deixou de ter quando foi sentenciado à prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. (Pág. A3)

Efeitos da guerra comercial
A disputa entre EUA e China pode ter efeitos muito nocivos para a economia mundial. (Pág. A3)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Bolsonaro é esfaqueado em Minas; adversários repudiam atentado
DEPUTADO É OPERADO EM JUIZ DE FORA E SEU QUADRO É ESTÁVEL
AGRESSOR AFIRMA À POLÍCIA QUE AGIU A MANDO DE DEUS
EXPECTATIVA ELEITORAL FAZ BOLSA SUBIR 1,76% E DÓLAR CAIR
Jair Bolsonaro, 63, candidato do PSL à P residência, foi esfaqueado na tarde desta quinta (6) durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). Com uma faca de cozinha, Adelio Bispo de Oliveira, 40, avançou contra o deputado, atingindo-o 110 abdômen. Levado à Santa Casa, Bolsonaro passou por cirurgia, em que foram constatadas lesões 110 intestino e em artéria que irriga o órgão. Perdeu muito sangue. Seu estado de saúde era estável até a conclusão desta edição. O atentado foi repudiado por seus adversários na corrida eleitoral, pelo presidente Michel Temer (MDB), pela ministra Cármen Lúcia (STF) e por outras autoridades. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) disse que “incentivar o ódio cria esse tipo de atitude”. Gustavo Bebianno, dirigente do PSL e braço direito de Bolsonaro, afirmou à Folha que “agora é guerra”. Oliveira foi preso p ela Polícia Federal, que escolta os candidatos. Declarou que agiu por motivos pessoais e a mando de Deus. Filiado ao PSOL de 2007 a 2014, fazia críticas a Bolsonaro e a políticos em redes sociais. Bolsa (1,76%) e dólar (-0,94%) aceleraram tendências após O atentado. (Eleições 2018 A4 a A10 e Mercado A20)

Colunistas
Vinícius Torres Freire
Hipótese que relaciona o ataque homicida ao ódio político no país é improvável (A22)

Hélio Schwartsman
A violência política contra qualquer dos candidatos põe em risco todo o sistema (A2)

Bruno Boghossian
Se a radicalização não for contida, vamos descer os metros finais rumo à barbárie (A2)

‘Ele sairá disso aí maior do que entrou’, diz general Mourão, vice de Bolsonaro (A8)

Eleição em SP tem empate técnico entre Doria e Skaf
Com uma semana de horário eleitoral, o candidato ao governo paulista João Doria (PSDB) manteve 25% de intenções de voto, e Paulo Skaf (MDB) oscilou de 20% p ara 23%, mostra o Datafolha. No Rio, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) alcançou liderança isolada, com 24%. (Eleições 2018 A12)

Gasolina pode ter preço inalterado por até 15 dias (Mercado A22)

Editoriais
Repúdio geral
Acerca de ataque ao presidenciável Jair Bolsonaro.

Justiça sem fundo
Sobre gastos do Judiciário e pressões de magistrados. (Opinião A2)
————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.