Energia – R$ 2 bi para evitar calotes – Governo volta a socorrer as distribuidoras e empresta dinheiro para pagamento de dívidas. Rombo pode atingir R$ 56 bilhões…

Dívidas – Refis diminui a entrada a 5% – O percentual vale para empresas que parcelarem débitos de até R$ 1 milhão com a Receita a com o INSS…

Crédito restrito eleva distrato de imóveis – A alta dos juros e os critérios mais rigorosos adotados pelos bancos para a concessão de financiamentos têm levado muitos compradores a devolverem as unidades por não conseguirem aprovação de crédito. Entre as cinco maiores construtoras do país, quatro aumentaram a retomada, algumas em até 140% no primeiro trimestre deste ano. Além da questão de financiamento, há o distrato por atraso na entrega de imóveis…

Um armazém sem fundos – Estatal corroída por ações trabalhistas, Cesa encolhe para tentar sobreviver…

 “Nosso futebol foi apenas regular” – Após visita aos companheiros na concentração, Neymar deu show de serenidade em entrevista: disse que a Seleção não jogou no padrão exigido, mostrou-se confiante no próprio futuro e no da equipe e perdoou o colombiano que causou sua lesão…

O Globo

Senado pagou passagens de parlamentares que assistiram aos jogos do Mundial

Pelo menos dois senadores utilizaram passagens aéreas pagas pelo Senado para verem jogos da Copa do Mundo: Anibal Diniz (PT-AC) e Cidinho Santos (PR-MT), suplente de Blairo Maggi, licenciado desde março para cuidar de seus negócios. Diniz mandou a conta das três passagens aéreas, R$ 2.988,27 no total, referentes à ida a dois jogos, para o Senado quitar. Já o senador Cidinho gastou R$ 1.044,53 numa passagem de São Paulo para Cuiabá, após assistir ao jogo de abertura da Copa do Mundo.

Diniz gastou R$ 1.431,25 para voar de Brasília a São Paulo em 12 de junho, a tempo de ver a partida entre Brasil x Croácia, na abertura da Copa, no Itaquerão. Voltou a Brasília no mesmo dia, tendo pago R$ 535,47 pelo trecho. Diniz foi a mais dois jogos: Brasil x Camarões, em Brasília, em 23 de junho; e na última terça-feira, no Mineirão, onde assistiu à derrota do Brasil para a Alemanha. Só para voar de Brasília a Belo Horizonte, gastou R$ 1.021,55. Sem que sua assessoria conseguisse um voo para voltar à capital federal, e sem querer aguardar na lista de espera, o petista fez o trajeto de ônibus, pagando cerca de R$ 130, nesse caso, pago do próprio bolso.

Santos viajou de Cuiabá a Brasília em 10 de junho com a verba indenizatória — dinheiro a que os parlamentares têm direito para compromissos relacionados ao mandato — para trabalhar no Congresso. No dia seguinte, viajou a São Paulo com recursos próprios. Porém, fez o trajeto de São Paulo a Mato Grosso com dinheiro público: R$ 1.044,53.

Diniz disse ao Globo que, em sua opinião, não extrapolou o uso de recursos públicos comprando passagens aéreas. Argumentou ter ido aos três jogos a convite da CBF porque integra a Subcomissão de Acompanhamento da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas de 2016.

— Usei as passagens para ir institucionalmente a um evento organizado pelo governo brasileiro e pela CBF — disse o senador, que não pretende devolver o dinheiro aos cofres públicos.

O senador Cidinho Santos disse que não teve a intenção de usar dinheiro público para viajar atrás da seleção brasileira. Após consultar sua assessoria e a agência contratada para comprar suas passagens, afirmou ao Globo que houve uma confusão por parte da agência e que devolverá o valor pago pelo Senado. A assessoria do senador enviou um documento da agência mostrando que os demais trechos que envolviam a ida a São Paulo, para a abertura da Copa do Mundo, foram comprados com recursos do senador. Além do jogo Brasil x Croácia, Santos foi a mais três partidas da Copa, todas em Cuiabá: Chile x Austrália, Japão x Colômbia e Nigéria x Bósnia. Os ingressos, afirmou o parlamentar, foram uma cortesia de uma das empresas patrocinadoras da Copa do Mundo, o Grupo Marfrig, produtor de carnes.

Bolsa Família será o carro-chefe dos presidenciáveis nas políticas sociais

A pobreza continuará caindo, e os avanços sociais do Brasil na última década serão não só mantidos, como também ampliados. É o que prometem os planos de governo da presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição, e dos presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Seja quem for o eleito em outubro, o Bolsa Família continuará sendo o carro-chefe das políticas de transferência de renda, ao mesmo tempo em que o Cadastro Único — listagem com dados pessoais da população de baixa renda — ganhará cada vez mais importância na articulação das ações sociais.

Curiosamente, o Bolsa Família não é sequer citado nos planos de governo de Dilma e Campos. Já o tucano Aécio destaca que quer transformar o programa em política de Estado a fim de reiterar seu caráter permanente, incorporando-o à Lei Orgânica da Assistência Social. Em eleições passadas, adversários do PSDB acusaram o partido de ser contra o Bolsa Família.

A omissão nos planos de Dilma e Campos não significa nem de longe que o programa venha a perder importância, no caso de vitória de qualquer um deles. O documento de Dilma destaca que as políticas sociais são um dos pilares do modelo de desenvolvimento petista. E que um dos desafios nos próximos anos é garantir que não haja retrocessos. Ou seja, que quem deixou a miséria siga avançando e consiga também superar a pobreza, engrossando a nova classe média.

Ministro do TSE determina suspensão imediata de propaganda da Petrobras

Liminar concedida nesta quinta-feira pelo ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou a imediata suspensão de propagandas da Petrobras que foram veiculadas na televisão nos dias 7 e 8 de julho. A decisão atende à ação proposta pela coligação de Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência. Para o ministro do TSE, a propaganda não teve finalidade de divulgar o produto (gasolina), mas autopromover a empresa. O mérito da ação ainda será julgado pelo plenário do TSE, mas, até segunda ordem, a empresa não pode reexibir o anúncio.

O ministro Admar Gonzaga destacou que a lei proíbe a veiculação de propaganda eleitoral nos três meses que antecedem a eleição, abrindo exceção apenas para propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência e em caso de grave e urgente necessidade pública, autorizada exclusivamente pela Justiça eleitoral

Correio Braziliense

Manchete : Após vexame, governo quer intervir no futebol

Ministro afirma que na ditadura houve pressão para que o regime se afastasse do esporte. Mas agora, diz, é diferente. “Necessitamos de uma reforma na lei que dê ao Estado a atribuição de regular”, defende Rebelo. (Pág. 2)

Senador propõe CPI para investigar gastos da Copa

Coleta de assinaturas para criar comissão parlamentar de inquérito recomeça na segunda-feira. O objetivo é apurar denúncias de corrupção no futebol brasileiro e nas obras do Mundial. “Tivemos uma Copa superfaturada”, acusa Álvaro Dias (PSDB-PR). (Pág. 3)

Energia – R$ 2 bi para evitar calotes

Governo volta a socorrer as distribuidoras e empresta dinheiro para pagamento de dívidas. Rombo pode atingir R$ 56 bilhões. (Pág. 6)

Dívidas – Refis diminui a entrada a 5%

O percentual vale para empresas que parcelarem débitos de até R$ 1 milhão com a Receita a com o INSS. (Pág. 9)

Senado proibido de contratar comissionados (Pág. 9)

PSol pede na Justiça a anulação da candidatura de Arruda

Mais uma vez, a disputa pelo Governo do Distrito Federal se transformou numa batalha jurídica. Na quarta-feira, José Roberto Arruda foi condenado em segunda instância. A Lei da Ficha Limpa valerá para tirá-lo da corrida eleitoral? Toninho e Aldemário , do PSol, entendem que sim e pediram ao TRE, ontem, que invalide a candidatura. (Pág. 17)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : “Nosso futebol foi apenas regular”

Após visita aos companheiros na concentração, Neymar deu show de serenidade em entrevista: disse que a Seleção não jogou no padrão exigido, mostrou-se confiante no próprio futuro e no da equipe e perdoou o colombiano que causou sua lesão. (Jornal da Copa)

Ingressos ilegais e até sete vezes mais caros na final

Cambistas virtuais oferecem entrada para jogo por R$ 6 mil, enquanto site da Fifa venderia por R$ 880. (Jornal da Copa)

Um armazém sem fundos

Estatal corroída por ações trabalhistas, Cesa encolhe para tentar sobreviver. (Notícias | 6 e 7)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete : Crédito restrito eleva distrato de imóveis

A alta dos juros e os critérios mais rigorosos adotados pelos bancos para a concessão de financiamentos têm levado muitos compradores a devolverem as unidades por não conseguirem aprovação de crédito. Entre as cinco maiores construtoras do país, quatro aumentaram a retomada, algumas em até 140% no primeiro trimestre deste ano. Além da questão de financiamento, há o distrato por atraso na entrega de imóveis. (Págs. 12 e 13)

Um ano após crise, Grupo X perde R$ 5 bi

Mesmo com novos controladores, as empresas ainda enfrentam dificuldades para recuperar a confiança dos investidores. O mercado espera normas que possam evitar a repetição de situações semelhantes no futuro. (Págs. 22 e 23)

Birigui sofre com Argentina

Não é por conta da Copa. A cidade do interior de São Paulo, polo de calçados infantis, já teve no país o seu maior parceiro comercial. De janeiro a maio, suas vendas caíram 45%. (Pág. 6)

CPI do futebol

Depois do fiasco do jogo do Brasil, Congresso volta a discutir o assunto. (Pág. 3)

Mosaico Político

Leonardo Fuhrmann

MP-SP PEDE VISTA DE PROCESSO

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público estadual de São Paulo pediu vistas dos processos contra o professor de inglês Rafael Lusvarghi e o estudante e funcionário da USP (Universidade de São Paulo) Fábio Hideki Harano, presos no mês passado, durante os protestos contra a Copa do Mundo. Eles são acusados de participar de atos de vandalismo. (Pág. 2)

Sintonia Fina

Julio Gomes de Almeida

BAIXO CRESCIMENTO

Seja qual for o novo comando econômico que virá após as eleições, este não poderá deixar de lado os determinantes do contexto de baixo crescimento que acompanha a economia brasileira desde 2011. Esta será uma das condições para que uma nova política econômica ajude o país a retomar um nível de evolução satisfatório. (Pág. 7)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

MINI-AVERSÃO PUXA DÓLAR

Um movimento de busca de proteção desencadeado ontem por fundos globais contaminou superficialmente o mercado de câmbio brasileiro. As taxas dos títulos de 10 anos do Tesouro americano recuaram de 2,56% para 2,54% por causa de um aumento de procura. (Pág. 21)

Mundo Emergente

Florência Costa

BANCO DO BRICS NASCE EM BOA HORA

O Banco de Desenvolvimento do BRICS, que será finalmente criado na VI Cúpula do grupo, em Fortaleza, na terça-feira, chega em boa hora. É monumental o déficit de investimentos em infraestrutura em países emergentes e em desenvolvimento: de US$ 1 trilhão a US$ 1.4 trilhão por ano, especialmente em obras do setor elétrico, transportes e telecomunicações. (Pág. 30)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Para Dilma, futebol tem de mudar; Aécio critica uso da Copa

Presidente cobra renovação do esporte nacional após derrota; tucano ataca tentativa de apropriação política do Mundial

Numa tentativa de dissipar o pessimismo após a derrota da seleção na Copa, a presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu uma “renovação” do futebol no país. À CNN ela disse não crer que a eliminação do time resulte em piora do humor nacional e afirmou ser vital evitar a ida de atletas para o exterior. “Estamos abrindo mão de nossa principal atração”. Principal rival da presidente em outubro, o candidato do PSDB, Aécio Neves, afirmou que o governo “pagará o preço” e vai se “frustrar” pela tentativa de se apropriar politicamente da organização do Mundial. O ministro Gilberto Carvalho chamou de “desprezível” a fala de Aécio. “Vai se dar mal quem acha que uma derrota muda a eleição”. (Poder A4 e A8)

Acusado de chefiar máfia de ingressos fugiu, diz polícia

Pela segunda vez em quatro dias, a justiça do Rio decretou a prisão do inglês Raymond Whelan, diretor-executivo da Match, parceira da Fifa, acusado de fornecer ingressos para quadrilha de cambistas. (Mas, antes da chegada dos policiais, ele fugiu do Copacabana Palace. (Copa 2014 D3)

De saída, Barbosa tenta manter sua equipe no Supremo

O ministro Joaquim Barbosa adiou sua saída do STF para conduzir sessão que terá na pauta o destino dos servidores que o auxiliam. Em novo atrito com Ricardo Lewandowski, o próximo presidente da corte, ele quer manter todos os funcionários no tribunal. (Poder A10)

Telefônica já negocia venda de ações da Telecom Italia

Dona da Vivo, a Telefônica se prepara para vender suas ações da Telecom Italia, operadora italiana que controla a Tim, informa Julio Wiziack. A meta é resolver impasse no Cade (órgão de defesa da concorrência), que não aceita que o grupo tenha participação relevante nas duas empresas do mesmo segmento no Brasil. (Mercado B1)

Parado, navio de pesquisa da USP deve ser doado para o Uruguai (C6)

Prefeitura multa 195 imóveis suspeitos no caso da máfia do ISS (Cotidiano C5)

Após suspeitas, governo alemão expulsa chefe da CIA no país

Em novo capítulo da crise diplomática entre EUA e Alemanha, o governo de Angela Merkel solicitou que o chefe do escritório da CIA ( agência de inteligência americana ) em Berlim deixe o país. (Mundo A13)

Marcos Troyjo

Cúpula vai mostrar que Brics podem ir mais longe que G7

O maior resultado da Cúpula dos Brics na próxima semana no Ceará será o avanço na construção institucional. O grupo mostra que vai mais longe que o G7. (Mundo A16)

Editoriais

Leia “Ficha não tão limpa”, acerca de dificuldades para pôr legislação em prática, e “Negócio arriscado”, sobre preocupação com mudança climática. (Opinião A2)

Petista diz que é preciso rever Constituição

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quinta (10) rever a Constituição para repartir a responsabilidade pela segurança pública –hoje majoritariamente a cargo dos Estados.

Sem entrar em detalhes, Dilma afirmou, em entrevista à rede de televisão CNN, que quer envolver várias esferas de governo para resolver, por exemplo, a questão prisional brasileira.

As críticas à segurança pública devem pautar o debate eleitoral deste ano, uma vez que seu principal adversário, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), fez do tema uma de suas principais bandeiras.

Após ser condenado pela Justiça, Arruda se diz vítima de ‘tapetão’

O ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (PR), disse nesta quinta (10) que querem lhe tirar da eleição “no tapetão” e que vai “até o fim” com sua candidatura ao governo do DF –no dia 9 Arruda foi condenado em segunda instância por improbidade administrativa no caso do “mensalão do DEM”.

O PSOL no Distrito Federal protocolou no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) um pedido de impugnação da candidatura dele ao governo local.

Para o partido, que classifica a participação de Arruda nas eleições como “atrevida e petulante”, não há dúvidas de que ele está inelegível.

Barbosa cria novo atrito com sucessor no STF

Em uma manobra que gerou novo, e talvez o último, embate com seu sucessor na presidência do Supremo Tribunal Federal, o ministro Joaquim Barbosa tenta manter 46 funcionários de seu gabinete em cargos de confiança e funções gratificadas mesmo após sua aposentadoria.

A tentativa de mantê-los é o motivo pelo qual Barbosa adiou pela segunda vez seu pedido de aposentadoria, segundo a Folha apurou. Ele anunciou sua saída da corte no fim de maio, 11 anos antes do limite legal e a 5 meses do término de sua presidência.

Será sucedido por Ricardo Lewandowski –que, como revisor do processo do mensalão, relatado por Barbosa, tornou-se seu maior adversário no curso do julgamento.

O novo atrito com Lewandowski começou na segunda, quando o presidente ligou para o vice e pediu a manutenção dos assessores no gabinete da presidência do STF. Lewandowski argumentou que não poderia se comprometer, já que precisará de uma equipe de sua confiança.

Diante da resistência, e usando sua prerrogativa como presidente do STF, Barbosa mandou às 20h do mesmo dia ofício a Lewandowski comunicando que os 46 servidores “deverão retornar” ao seu gabinete de ministro assim que ele deixar a corte. Na prática, Barbosa determinou que Lewandowski transfira os assessores da presidência para seu gabinete em posições similares às que exercem hoje.

Com isso, a intenção de Barbosa é que a questão seja discutida com os demais ministros do tribunal numa sessão administrativa em agosto, quando todos voltarem das férias de julho. Barbosa adiou a aposentadoria para poder comandar a discussão.

Doleiro pagou voo, diz dono de jatinho usado por Vargas

O empresário Bernardo Tosto –sócio da Elite Aviation, empresa dona do jatinho emprestado pelo doleiro Alberto Youssef ao deputado André Vargas (sem partido-PR) para uma viagem de férias em janeiro deste ano– confirmou que foi o doleiro quem pagou pelo voo.

O empresário falou sobre o caso ao Conselho de Ética da Câmara, que investiga Vargas por quebra de decoro parlamentar devido ao envolvimento com Youssef, preso desde março pela Polícia Federal sob a acusação de comandar esquema bilionário de lavagem de dinheiro.

EBC – congressoemfoco

Edição: Equipe Fenatracoop 

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.